terça-feira, dezembro 30, 2008

em todo tempo

“Aproveite muito quando for possível. Agüente firme quando for preciso”.

W. Goethe

para um ano bom

Segundo o chavão, dia 31 termina o Ano ‘Velho’ e começa o Ano ‘Novo’. O que cada uma das expressões quer dizer varia de pessoa para pessoa e de opinião para opinião.

Mas o que é preciso para um ano seja ‘novo’? Mudanças, redefinições? Volta ao começo? Talvez deixar maus hábitos, ou fazer novas promessas. Quem sabe mudar de emprego ou começar algo completamente diferente.

Para o ano ser ‘novo’, várias podem ser as definições. Mas para ser realmente bom e feliz, algo não pode mudar; uma certeza na verdade bem antiga, mas que sempre dá certo. A presença de Deus. Porque ela não fica velha. A cada ano que passa, torna-se mais nova, mais certa, mais segura. Pois a verdade dos fatos mostra que nada dura mais do que a mudança. Tudo muda, nada é seguro. De certo mesmo, portanto, para um novo ano, somente a velha e boa fé de sempre, renovada, assegurada e que olha confiante para um ano bom e um futuro melhor ainda.

Para este ano novo, mude tudo o que julgar necessário. Mas permaneça na mesma fé em Jesus. Afinal, daqui a um ano, 2009 já será ‘velho’, parte do passado.

Ele, não.

yes, we can

“Yes, we can!”.

With this motto and many promises of change, Barack Obama was elected the President of the United States. Here in Brazil, watching the news we could see in those days many opinions such as ‘a new time has begun’; ‘new ways of doing things’, ‘an age of less discrimination and prejudice’. ‘We’ll have a world with more equality among men.’

The hope, then, as we can see is big. But only time will tell what of this will really come true.

What time has already told us is that since from many time ago a man who was not elected but chosen brought the time of equality, the fight against any type of discriminations. The change to a new life

Jesus Christ came to the world not to be its president, but its Savior. Not to be elected, but to elect the sons of God, through faith, without any kind of prejudice. He showed to fullest the real meaning of liberty, equality, justice and love to the neighbor.

But beyond this He came to assure us that in Him ‘yes, we can’. We can change, when its necessary. We can re-do things, when it’s needed. For above all, yes, we can place faith in Him always. The things that ‘no, we couldn’t’, He did. His work on earth and His presence in our hearts make the change real. He gives us the power to live, to act, to change.

And to do this, we don’t need to be in the top post of the world. We can do what we can exactly where we are in family, work, church, society.

Yes, we can. As we begin a New Year, it’s good to know and to be sure that with Him we can -- always. For the Bible itself says: “I can do all things in He Who strengthens me”.

segunda-feira, dezembro 29, 2008

Mudar

“'Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez”.

Autor desconhecido

Um minuto para a meia-noite

Ouça a mensagem de hoje


No minuto antes de explodirmos em raiva nem sempre pensamos se de fato temos razão.
No minuto antes de fazermos o que não devíamos nem sempre nossa consciência nos faz mudar de intenção.
No minuto antes de não ajudar a quem precisa nem sempre a solidariedade nos muda de direção.

Mas um minuto antes da meia noite do último dia do ano tudo nos leva a crer que tudo vai ser diferente. Tudo vai ser melhor. O melhor será promissor. O promissor será belo. O belo será feliz. E o feliz será tudo.
Será?
Talvez não seja tão provável, caso estes e outros minutos não tenham outra direção.

Aquele antes de sermos injustos, que pode nos levar a ouvir a outra opinião. O minuto antes de julgarmos, que pode ser utilizado para melhor compreender a situação. Fazer das horas em que não queremos ajudar, momentos em que muito podemos fazer. Impedir que a auto-suficiência acabe em um minuto com nosso desejo de agradecer

O minuto antes da meia noite do dia 31 de dezembro pode ser belo e significativo. Mas não é mágico. Ele tem conexões com o conteúdo que nos trouxe até ele, que lhe dão fundamento e princípios. E também se liga a muitas vontades, desejos e ações à medida que mais minutos surgem à nossa frente. Pois mais oportunidades estarão à nossa espera, mais sonhos dependerão de nosso trabalho e mais pessoas vão precisar de nosso coração.

À medida em que ele, nosso coração, a cada minuto, se prende em fé ao Autor das horas, caminha de forma mais segura e mais compreende o valor de cada minuto. Isto pode ser pouco, talvez, para quem não vê diferença entre o ontem e o amanhã, entre o certo e errado, entre absoluto e relativo. Mas são muito preciosos para podermos continuar com Deus na direção aonde nossos melhores desejos, votos e promessas apontam. É o tempo que Ele oferece para fazermos melhor uso dos minutos que vêm antes e daqueles que nos acompanham depois.

Por muito tempo depois de a meia-noite acabar.

terça-feira, dezembro 23, 2008

Especial de Natal Ulbra TV

Na noite de natal, o tesouro de histórias - a Bíblia - se abre para contar a história da mais bela noite de todos os tempos.
Dia 24, você e sua família vão se emocionar com o nascimento de Jesus Cristo contado com gestos, palavras e canções.


Especial de Natal: “Tesouro de Histórias”
Dia 24.12, 21:55,
com reprise dia 25.12, às 15h.
na Ulbra TV.


Reúna a família e faça parte desta História.

Ele faz dar certo

Ouça a mensagem de hoje


Pensando bem, deu tudo errado naquele primeiro Natal.

Maria teve que se desfazer de todos os seus planos de ‘casamento perfeito’ quando soube que ficaria grávida antes da cerimônia. José teve que encarar assumir um filho que sabia que não era seu. A mãe de Jesus teve que viajar grávida no lombo de um animal. Para passarem a noite, não encontraram sequer uma cama. Não teve nenhum médico, nem do SUS, para fazer o parto, precisaram se virar como podiam.
Apesar de o menino ser nada menos que o Messias, nenhum líder ou grande figura veio vê-lo, somente pessoas estranhas, como os pastores de Belém. Maria passou seu primeiro Natal numa estrebaria, mal acomodada, longe da família e cercada de gente desconhecida.

Mas o texto do Natal diz que Maria “meditava e guardava tudo no coração”. E o tempo mostrou que ela fez muito bem. Pois quando tudo parecia dar errado, Deus fez dar certo.

Deus fez nascer o Salvador. Deus fez vir ao mundo a esperança. Não só utilizou a humildade para derrubar a arrogância, mas também mostra que o que para padrões humanos pode parecer louco, errado, fora de lugar, para os padrões divinos são planos, providência, cuidado e amor. Ali, naquela manjedoura, Ele mostrava que queria consertar o mundo inteiro.

Pensando melhor, Deus fez tudo dar certo naquele primeiro Natal.

Natal é tempo de luz, paz, amor e esperança. Mas também de lembrarmos que, no meio do que parece errado, Deus sempre age certo. No meio de nossa desconfiança, Ele traz segurança. Quando, aos nossos olhos, muitas coisas nos fazem cansar e outras, quem sabe, quase desesperar, sabemos que podemos confiar, refletir, perseverar. E agir confiando na vontade Dele.

Natal é a certeza de que, assim como com o próprio Filho de Deus muitas coisas aparentemente deram errado, mas estavam certas, com a nossa vida também. Estar em Deus é estar no certo, seguro e promissor.

Bem, muitas vezes esta espera não é racional, eu sei. Mas a fé vai além da razão. Está dentro no coração. Está em Cristo. E por isto, está no caminho absolutamente correto. E que vai nos conduzir ao lugar certo.

Pensando bem, Deus sempre fez tudo dar tão certo!

Então, não é agora que isso vai mudar.

segunda-feira, dezembro 22, 2008

poder ver

"A única pessoa realmente cega na época de Natal é aquela que não têm o Natal em seu coração."

Helen Keller

mais Natal

Ouça a mensagem de hoje


Natal, época de mais luzes, mais brilho, mais embalagens. Até mesmo mais boa vontade e tolerância. Mesmo que, a cada ano, pareça ter menos do que ele realmente significa.

Por isso sempre vale a pena continuar a celebrar e afirmar com ainda mais alegria onde está seu verdadeiro valor:

Natal é menos enfeites nas ruas e mais luz no coração.
Natal e menos dar presentes e mais receber o presente de Deus – Jesus - ao mundo.
Natal é menos festa ao redor de uma mesa e mais celebração ao redor da manjedoura.
Natal é menos compras desenfreadas e mais doação ilimitada na direção do próximo.
Natal é menos pressa, e mais correr depressa para junto do Pai.
Natal é menos indiferença e mais esperança.
Natal é menos uma data, e mais um dia que se estende por toda a vida.

Porque Natal é menos o que eu posso fazer. E mais o que Deus faz por mim.

Menos aparência e mais essência. É disso que precisamos para nos alegrar mais, celebrar mais, termos mais Natal. Não apenas mais, mas também melhor e continuamente.

Nada de muita novidade, concordo. Mas nunca é demais lembrar.

sábado, dezembro 20, 2008

Um menino nos nasceu

For Unto Us a Child is Born - do Oratório Messias

George Frideric Handel (1685-1759)





For unto us a child is born,
unto us a son is given.
And the government shall be upon his shoulder
and his name shall be called:
Wonderful Counselor,
Mighty God,
Everlasting Father,
Prince of Peace.

"Um menino nos nasceu
um Filho se nos deu.
O Governo está sobre os seus ombros
e o seu nome será:
Maravilhoso Conselheiro
Deus Forte
Pai da Eternidade
Príncipe da Paz"

(Isaías 9.6)



sexta-feira, dezembro 19, 2008

Essência

As pessoas deveriam celebrar ao Natal com a mesma lógica da troca de presentes: a embalagem tem sua beleza e utilizade, mas está no conteúdo o fundamental.

Sugestão




Para quem ainda está à procura de um presente para este fim de ano

Livro do Toque de Vida – seleção de mensagens do Programa diário da Ulbra TV para ter sempre à mão.

Contato e endereços dos locais de venda:
Michele -
vendaseditora@ulbra.br

com conteúdo

Clique e ouça a mensagem de hoje

Qual destes você se considera capaz de carregar?
_um saco de farinha de 60 quilos;
_um saco de batatas do mesmo peso;
_um saco de lixo de 100 litros.

Não sei qual sua resposta, mas sei que não vou errar dizendo que você é capaz de levantar os três. E nâo apenas separadamente, mas até mesmo juntos, ao mesmo tempo.

Como?

Basta que eles estejam vazios.

Esta ilustração pode ser aplicada de diversas formas, mas eu penso em duas.
A primeira - determinados fardos que surgem em nossa estrada, grandes como sacos de batatas, parecem ser difíceis demais de serem carregados ou ao menos retirados para o lado. Isto acontece quando queremos lidar apenas com nossa propria capacidade, ao invés de lembrarmos que Deus pode esvaziá-los, diminuir seu peso, deixando-os menos ameaçadores e mais fáceis de carregar.

A outra - nos relembra a importância do conteudo. Quanto mais vazios estivermos intelectual e espiritualmente, mais facilmente seremos carregados para qualquer lado até mesmo pela idéia mais fraca, sugestão mais simples ou mão errada mais frágil. Mas quando estamos preenchidos pelo que Deus oferece – conteúdo, substância, força -, não é qualquer um que vai nos levar embora. Na verdade, ninguém. Pois Deus é por nós. Vai ser dificil alguém ser contra.

Com este conteúdo, nossos braços sempre podem continuar a lutar, pois nosso coração têm condições de dar sustentação.

Basta que ele não esteja vazio.

with the heart

This is a frequent question every time we get to this time of year, “So, what’s Christmas really?”
The answer depends in part on what the eyes or what the heart can see

What can our eyes see when we look at an old book with a cross on the cover? Maybe a historical recording; only documents; a mere collection of stories. But what the heart can see is the recording of the love of the Father toward His children.

What do the eyes see when looking at a church? Maybe only a building; a piece of art; a tourist place. But with the heart we can see the presence of God among His people, the celebration and fellowship of brothers and sisters in the same faith.

What the eyes can see when looking at two bars united forming a cross? Maybe only two bars forming a cross; a symbol; a sign of death. But what the heart can see goes beyond – not only the horrific death of the Savior but also life, hope, salvation, faith.

So, to look at Christmas only with our eyes will show us lights, shopping, hurry, gifts. wishes. Many of them are good, of course, but superficial. With the heart we see underneath - .the essence. With the heart we can see the unlimited Love of the Father, bringing hope every morning. Confirms the opportunity to run to the manger and place faith in the Baby who came to give rest, peace, salvation.
Only with the heart

Thus we see God in the shape of that Baby that in simplicity and humility brings the sureness of the new life through faith. And then we know he makes our heart a daily manger where He lays.

That’s what happens when we look to Christmas through the glasses of faith.
The eyes won’t understand. But the heart will.

And that’s what really matters.

Con el corazón

Una pregunta repetida muchas veces en esta época del año: "que lo que es navidad?”
La respuesta depende bastante de lo que los ojos o el corazón consiguen ver.

¿Que ven los ojos cuando miran un libro antiguo con una cruz en la capa? Quizás un registro histórico, un conjunto de relatos, documentos importantes. El corazón ve el registro del amor del Padre en la dirección de Sus hijos.

¿Qué ven los ojos en un templo? Quizás una construcción, una creación artística, un local turístico. Pero, con el corazón es posible ver la presencia de Dios en medio de su pueblo, el recuerdo de cuidado, la celebración y comunión entre hermanos.

¿Qué ven los ojos cuando ven dos barras unidas en cruz? Dos barras unidas. Un símbolo, un aderezo, una señal de muerte. Pero el corazón puede ver exactamente el símbolo de la vida, de la esperanza, de la presencia y cuidado.

Mirar hacia la Navidad tan sólo con los ojos nos muestra luces, compras, prisa y deseos. Desvenda, sin duda, algunas cosas buenas, pero muchas apenas superficiales.
Mirar con el corazón nos hace ver más. Muestra el Amor ilimitado del Padre. Guía rumbo a la esperanza que es renovada cada mañana. Confirma la oportunidad de descanso y reflexión que El ofrece y Su amor que no tiene fin.

Y principalmente, con el corazón veremos Dios en la forma de un niño, la simplicidad venciendo la opulencia, la flacidez venciendo la fuerza, la humildad se sobreponiendo a la ostentación. Para no dejar dudas de que el pesebre que Dios quiere es nuestro corazón, todos los días.

Es lo que se pasa cuando miramos la Navidad por los ojos de la fe.
Los ojos no entenderán. Pero el corazón si.
Y de hecho, es lo que importa.


Traducción:
Pastor André Luiz Muller
Canoas, RS, Brasil

quarta-feira, dezembro 17, 2008

consciência

“Pelo fato de não pensarmos nas gerações futuras, elas nunca nos esquecerão”.

Henrik Tikkanen

Cenas constrangedoras

A cena do atual presidente dos EUA, George Bush, esquivando-se de “sapatadas” foi bastante constrangedora.

No entanto, cenas igualmente constrangedoras foram filmadas em Santa Catarina. Não estou me referindo às imagens das catástrofes e tragédias causadas pelas chuvas, e sim à tragédia que é a falta de moral e o excesso de egoísmo. Voluntários foram filmados pegando para si as melhores doações. Aquilo que era para ser entregue aos necessitados, acabava ficando com aqueles que estão lá para ajudar. Diante de uma cena assim, dá vontade de jogar os sapatos com toda força.
Porém, se formos jogar sapatos em toda cena que demonstra egoísmo e falta de caráter, ficaremos de pés descalços.

Se formos realmente justos e sinceros, sapatos seriam jogados sobre nós mesmos, afinal, se filmadoras nos rodeassem, com certeza filmariam cenas constrangedoras, revelando nossos erros. Quem não tiver pecado que atire o primeiro sapato. É fácil nos revoltarmos contra aqueles que se apropriam de doações aos flagelados, mas é difícil reconhecermos em quantas situações constrangedoras também nós nos permitimos estar.

Constrangedora também foi a cena em que o Filho de Deus veio ao mundo, no primeiro Natal, e teve que nascer em um galpão, em uma estrebaria, pois não havia lugar para ele na hospedaria. Que baita constrangimento! Ah, se pudéssemos jogar um sapato naquele dono da hospedaria que não conseguiu um lugar para José e Maria, que não conseguiu um lugar para Jesus nascer. Mas, e nós? Reservamos lugar para Jesus? É necessário lembrar que precisamos tirar a trave do nosso olho, para então auxiliarmos a tirar o cisco do olho do outro. Ele, ainda hoje, quer nascer e encontrar um lugar em nossos corações.

Jesus, ao vir ao mundo, sabia de todos os “constrangimentos” que sofreria por nós. Mas calçou o nosso sapato, enfrentou tudo e a todos porque queria nos dar a vida eterna. Mais que uma doação solidária, foi uma doação de amor. Para que, livres e amados, sejamos guiados pelas Suas pegadas ao comemorarmos também este Natal, amando em justiça e verdade os nossos semelhantes.


Rev. Ismar Pinz
Congregação Luterana ‘Cristo Redentor’,
Pelotas, RS.

terça-feira, dezembro 16, 2008

defeitos

“As pessoas vivem tanto na defensiva que, ao invés de corrigirem seus defeitos, defendem o direito de mantê-los.”

Rosana Herrmann

Tipo de gente

Ouça a mensagem de hoje


“Eu fui parte daquela estranha raça corretamente descrita como pessoas que vivem suas vidas fazendo coisas que detestam, para ganhar um dinheiro que não querem, para comprar coisas de que não precisam, para impressionar pessoas de quem não gostam”

Tomara que não seja para muitas pessoas, mas é uma frase real e aplicável, esta. Se o autor, Emile Henry Gauvreau, estava somente sendo irônico ou descrevendo exatamente seu jeito de viver, não sei. Mas conseguiu capturar em quatro afirmações algo do que se vive nos tempos modernos. Ou melhor, do que não se vive.

Não deve ser agradável uma existência descrita desta forma. Ter uma vida sem viver de fato; ter muito sem ter o que mais importa; impressionar, mas não conseguir ser admirado. A sensação de vazio aparentemente não compensa em nada toda a vida cheia das futilidades que mais parecem nos fazer cansar.

A idéia de Jesus Cristo, quando deu Sua vida por todos – mesmo quem Dele não gostava -, foi dar a oportunidade de fazermos parte de outra “raça”: os que recebem tudo de que precisam e compartilham daquilo que têm. Encontram sentido completo para suas vidas ao caminharem em fé e confiarem em Deus e descobrem que os bens que ele coloca à disposição estão dentro de um saco sem fundo. Sempre que se quer compartilhar, tem.

Neste caso, sai o ‘f’ e fica a ‘utilidade’. A fé nos faz sermos úteis, ferramentas nas mãos do Criador para que mais e mais criaturas sejam alcançadas por este amor e vivam suas vidas fazendo coisas de que gostam, para ganhar o dinheiro suficiente, para comprar coisas de que precisam, para agradecer Àquele de quem mais gostam.

É deste tipo de gente que Deus gosta.
Gente.

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Princípios

“Não troque o que você mais quer pelo que você quer agora”.

(Anônimo)

Quem e onde

Porque será que Deus resolveu anunciar a simples pastores de ovelhas, nos campos de Belém, o nascimento de Jesus?
Talvez porque se tivesse anunciado a teólogos estes primeiros consultariam seus comentários e livros.
Ou se falasse para determinados grupos estes primeiro olhariam em volta para ver se ninguém estava vendo
Quem sabe se anunciasse aos bem-sucedidos eles primeiros consultariam suas agendas.
Ou talvez se tentasse com os cientistas precisariam primeiramente de dezenas de testes.

O relato do Natal conta que os anjos foram até os pastores de ovelhas nos arredores de Belém. Gente sem ‘reputação para manter’ ou ‘agenda para cumprir’. Pessoas que compreenderam que algo importante estava acontecendo e decidiram fazer parte, como eram, do jeito que podiam, com a fé que tinham.

Algo importante acontece também nestes dias em que vivemos. Está ao nosso alcance atender prontamente ao convite de Deus e corrermos também até á manjedoura, desprovidos de pressa, agenda, posição ou pressupostos. Mas apenas, em fé, relembrarmos a importância deste menino para nossa vida e para a vida de muitos. A vinda o Rei menino, Jesus Cristo, que oferece alegria, traz esperança e estende a oferta de paz.

Para todos, sem exceção. Quem quer que sejam. E onde quer que estejam.


Fonte da ilustração

sexta-feira, dezembro 12, 2008

consumo


“A única razão pela qual muitos não vão adquirir um elefante no Natal é porque ainda não foi oferecido um espécime sem entrada e o saldo em suaves prestações”.


(Anônimo)

Seleção


O leitor Paulo Matheus fez uma coleção com algumas das frases diárias do Toque de Vida e publicou no seu blog.



Se quiser conferir, é só clicar



Diálogo

Algunos días atrás, encontré el siguiente dicho: "uno es poco, dos esta bien, seis es demasiado". Me pareció interesante no tan sólo el dicho como lo que lo seguía:

"Oliver Wendell Holmes, célebre jurista, dijo que cuando dos personas dialogan, por supuesto que hay seis personas envueltas:
Usted, como lo creo que eres;
Yo, como usted lo crees que yo sea;
Usted, como usted lo cree;
Yo, como yo lo creo ser;
Usted, como realmente lo eres;
Yo, como realmente lo soy.”

Que raro! Cuanta gente envuelta en un diálogo entre dos personas!
Las personas descritas en los puntos 1 a 4 lo pienso ser lo prejuzgamiento, preconcepto. Yo juzgando al prójimo o el prójimo me juzgando. En resumen, nada se resuelve. Es un dialogo de imágenes.
Las dos últimas son las que pueden conducir un diálogo verdadero: "5. Usted, como realmente lo eres". "6. Yo, como realmente lo soy". Que bueno seria si fuera siempre así. No perderíamos tanto tiempo en rodeos.

Lo ideal en verdad, es siempre tener un diálogo a tres. Si, un diálogo a tres: Yo, Dios y el prójimo. Prójimo, Dios y yo. Inserir Dios en la charla como mediador y orientador. Colocar Dios en el dialogo puede ser orar por el semejante; orar por mi para ser verdadero en la charla. Colocar Dios en el dialogo puede ser tener en cuenta sus ensañamientos y usar estos principios en nuestro comportamiento. Mira lo que Dios dice para personas que están por desarrollar un diálogo:

Perdone nuestras deudas así como nosotros perdonamos nuestros deudores…
Es preciso renacer, recomenzar, una nueva oportunidad…
Amamos porque Dios nos amo primero…
Y además, de acuerdo con el autor bíblico Santiago: "Estén listos para oír, pero tarden para hablar y quedar con bravo".
Poner Dios en el dialogo es recordarme a mi y a mi semejante de que Jesucristo insiere amor y entendimiento en la vida de dos que están charlando, charlaron o van a dialogar.

Uno es poco, dos está bien, seis es demasiado.
¡Uno es poco, dos está bien, tres es lo ideal!

Yo, Dios y el prójimo.
El prójimo, Dios y yo.



Texto del Pastor Marco Antonio Jacobsen
Comunidad Luterana “São Paulo” (Celsp)
Capilla de la Ultra, Canoas, RS.

com o coração





A pergunta é bastante repetida nesta época do ano: “o que é Natal?”.
A resposta depende bastante do que os olhos ou o coração conseguem ver.

O que os olhos vêem quando enxergam um livro antigo com uma cruz na capa? Talvez um registro histórico, um conjunto de relatos, documentos importantes. O coração vê o registro do amor do Pai na direção de Seus filhos.

O que olhos vêem em um templo? Talvez uma construção, uma obra de arte, um ponto turístico. Mas, com o coração é possível ver a presença de Deus no meio do seu povo, a lembrança de cuidado, a celebração e comunhão entre irmãos.

O que os olhos vêem quando enxergam duas barras unidas em cruz? Duas barras unidas. Um símbolo, um enfeite, um sinal de morte. Mas o coração pode ver exatamente o símbolo da vida, da esperança, da presença e cuidado.

Olhar para o Natal apenas com os olhos nos mostra luzes, compras, pressa e desejos. Revela, sem dúvida, algumas cosas boas, mas muitas apenas superficiais
Olhar com o coração nos faz enxergar mais. Mostra o Amor ilimitado do Pai. Direciona para a esperança que é renovada a cada manhã. Confirma a oportunidade de descanso e reflexão que Ele oferece e Seu amor que não tem fim.

E principalmente, com o coração veremos Deus na forma de um menino, a simplicidade vencendo a opulência, a fraqueza vencendo a força, a humildade se sobrepondo à ostentação. Para não deixar dúvida de que a manjedoura que Ele quer é nosso coração, todos os dias.

É o que acontece quando olhamos o Natal pelos óculos da fé.
Os olhos não vão entender. Mas o coração vai.

E é o que importa.

Light


The Stone Catedral, in Canela, city in the mountains of Rio Grande do Sul, Brazil, had a good attendance Saturday night of December, 2007, as the Ulbra’s Chapel Choir began its Christmas Concert. But everything changed suddenly.

Right in the middle of the 5th song, the lights went off. A thick darkness came down not only in the Church but in the whole city. The choir singers couldn’t count on their music sheets anymore and their eyes barely could distinguish Pastor Paulo’s conducting hands. I had to stop the narration I was reading between songs. People watching the Concert were no longer able to see the singers facial expression.

After a short while they were able to see more than they expected.

The lights went off, but not the Choir’s determination. The voices did not stop that song, neither the next, and the next, and the next… Flashes of the cameras sparked light over the confident faces of conductor and singers. Hundreds that were walking outside the temple came in and the Church became full. At the same time, the seminar student in charge of that Catholic temple and his acolytes brought candles to the scene and put them on the steps before the altar and around the choir.

The lack of light seemed to anticipate the tragedy, but it rendered a unique moment. The will, preparation and determination made the Choir win the darkness.
And the darkness that fell upon the city drew hundreds toward the light. Not only the candles but specially the Light sung by the Choir, which traveled through the aisles toward many hearts. The noise of whispering became silence. The somber was conquered by the light of candles, of voices, of Life.

There was, before a thousand eyes, an outstanding illustration for a Christmas Concert. Jesus, the Light of the world, draws to Him the hearts wandering in a world of darkness. Attracted by His voice, his Light, His shine they find in Him the message of peace and salvation. Lives once “turned off” that now shine on.

And it may be also inspiration for our daily concert in life. Ulbra’s Chapel Choir did not let darkness win. They sang till the end of the concert. So can we move on confidently, not fearing darkness, for the Light always prevails. If even electric light can beat on the darkness – as when it was restored later in Canela – greater is the sureness that connected to the Source, Christ, the Light of the World, we will have always the strength to go firmly till the end.

For this Light, we know, never goes off.

quinta-feira, dezembro 11, 2008

fora de alcance

“Fuja da tentação e não deixe endereço para contato.”

(Anônimo)

O Sol do Natal

por Marcos Schmidt

Os catarinenses necessitam de consolo no sentido literal da palavra. Consolo vem do latim cum + solis que significa "com sol". No lugar da chuva, do céu nublado, é o brilho do Sol que eles mais precisam. Na verdade, o consolo sempre vem de cima, de alguém ou de alguma coisa que tem o poder de ajudar. Por isto a solidariedade, isto é, a ação de solidar, de oferecer solo para os que perderam o chão em todos os sentidos. A única solução - arrisco dizer que solução significa "ação do Sol" - aos catarinenses flagelados é o cum solis.

Cedo ou tarde, todos precisam de consolo. Nuvens pesadas e chuvas torrenciais são a coisa mais certa. Ninguém escapa! Diante desta certeza, a pergunta: temos um plano de emergência, uma "defesa civil" em estado de alerta? Parece que este foi o problema lá em Santa Catarina. A maioria não conhecia o chão onde pisava, nem estava preparada para a catástrofe. Percebe-se que o consolo eficaz é aquele que está à disposição igual aos botes salva-vidas num navio.
Interessante dizer que o nome "Noé" vem da mesma raiz na língua hebraica do Antigo Testamento para "consolo" (Gênesis 5.29). Conhecemos a história deste pregador que prenunciou o Dilúvio por 120 anos e construiu um grande navio para salvar. O registro bíblico diz que a maioria zombou de Noé chamando-o de louco. Até hoje esta história é tida como um mito. Conclui-se com isto que sem fé o consolo perde a eficácia de resgatar.


João Batista foi outro pregador do consolo: "Arrependam-se dos seus pecados porque o Reino do Céu está perto" (Mateus 3.1). Ele é o famoso personagem do Advento - este período cristão que orienta para a verdadeira celebração do Natal.

Lembro tudo isto para perguntar: onde está o consolo neste Natal que vem chegando? Compras, presentes, festas? Isto parece ser a salvação de vidas encobertas sob coisas, vidas sem sol. Aliás, os cristãos escolheram o 25 de dezembro - dia quando os gregos antigos lembravam o nascimento do deus-Sol - exatamente para alertar que coisas e criaturas jamais poderão consolar.


Rev. Marcos Schmidt
Pastor da
Comunidade Luterana ‘São Paulo’,
Novo Hamburgo, RS

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Amizade

“O amigo deve ser como o dinheiro, cujo valor já conhecemos antes de termos necessidade dele”.

(atribuída a Sócrates)

Moldados

Li a história de uma mulher que certo dia comprou um lindo vaso. Levou-o para casa e ficou tão contente com a compra que o admirava todo dia. Era sua peça preferida, incomparável. Não cansava de admirá-lo, até mesmo chegava a conversar com ele. “Que bom que te encontrei. Você é o que tenho de mais lindo!”

Num dos dias em que o segurava nas mãos, sentada no sofá diante da TV, ela adormeceu. E aconteceu que ela sonhou, e no sonho o vaso falou com ela. E disse:
“Sabe, estou cansado de você me dizer o quão lindo eu sou. Eu não era assim. No passado eu fui nada mais do que um monte de barro, até que o oleiro veio e me levou consigo. Não entendi muito bem quando ele me bateu, e começou a me moldar. Não entendi também quando ele me colocou no forno mais quente do que você pode imaginar. Não conseguia imaginar porque me tirou de lá, me coloriu e então colocou de volta. Mas sabe, eu aprendi a agradecer ao oleiro porque, se ele não tivesse me moldado, eu seria totalmente sem forma e sentido,. Se ele não tivesse me colocado no forno, eu não teria estrutura. Se ele não tivesse colocado tinta em mim, eu não teria cor. Se ele não tivesse me colocado outra vez no forno, talvez eu teria me quebrado.
Portanto, dê graças a ele a ele por eu ser quem sou”.


Seja quando a vida parece se quebrar, ou quando o calor da aflição parece ser insuportável. Quando não entendemos as cores da dor e da tribulação, ou quando estamos no forno da opressão. Em tudo podemos sempre agradecer ao nosso Oleiro, que nos molda pela fé.

É graças a Ele que nossa vida tem forma, cor, sentido e sustentação.



Fonte da ilustração

terça-feira, dezembro 09, 2008

Respostas


“Deus responde às orações de quatro maneiras: ‘sim’, ‘não’, ‘espere’ e ‘você só pode estar brincando’.”


Anônimo

qual dos dois

A família estava sentada ao redor da mesa para o almoço e, como de costume, o pai fez uma oração de agradecimento a Deus pela comida.

Logo após, entretanto, ao começarem a comer, como também já era de seu costume, o pai começou a reclamar dos tempos difíceis, da má qualidade da comida industrializada que ele era obrigado a comer, que nem os vegetais escapavam, e outras queixas.

Sua filhinha interrompeu
-Papai, o sr. acha que Deus ouviu o que disse há pouco enquanto fazia sua oração de agradecimento?
-Certamente, minha filha – respondeu o pai convicto, com ar de professor.
-E Ele ouviu também o que o sr disse sobre o feijão, o arroz e as verduras?
-Sim, claro. – respondeu ele, já com certa precaução na voz

Então a pequena perguntou
-Pai, em qual dos dois Deus acreditou?



Fonte da ilustração

segunda-feira, dezembro 08, 2008

Sugestão


Para quem ainda está a procura de presente para este fim de ano
Livro do Toque de Vida – mensagens do Programa diário da Ulbra TV reunidas em livro, para ter sempre à mão.



Contato e endereços dos locais de venda:
Michele -
vendaseditora@ulbra.br

Grandes coisas


“Se eu não puder fazer grandes coisas, posso fazer pequenas coisas de um jeito grendioso.”

James Freeman Clarke

Tri-bom

Ouça a mensagem de hoje.

O domingo esportivo no Brasil teve muito de um prefixo bem gaúcho. Tri.

Havia dois tricolores brigando pelo titulo do Campeonato Brasileiro de Futebol 2008. O paulista, com mais chances, em busca do tri consecutivo que, na soma total, chegaria a 3 + 3. O gaúcho queria ser tricampeão Brasileiro. Para isso, precisava de 3 pontos e torcer para que o tricolor paulista não somasse mais três.
Ao final das duas partidas, 3 gols marcados, dois em Porto Alegre e um no Distrito Federal. E quem atingiu o principal objetivo foi o clube do Morumbi. Ou - como alguém já fez o trocadilho - Morumtri.

Para uns o domingo foi tri. Para outros, um tanto triste.

Gangorra que também pode acontecer na vida pessoal. Momentos em que temos totais condições de chegar a uma conquista. Tri. Em outros, resultados paralelos não nos ajudam a resolver a situação que nos angustia. Triste.

Para as horas de tribulação e tristeza, Deus estende sua presença para não nos deixar desanimar. Não importa de quantos pontos precisamos para chegar lá, Ele é que nos motiva e ajuda a não desistirmos de lutar até o final. Para levantarmos sempre que cairmos, para sorrirmos depois de chorarmos, para erguermos as mãos em gratidão depois de receber das mãos Dele a bravura para a luta persistente, Não apenas 3, mas quanta vezes forem necessárias. Deus não cansa de jogar ao nosso lado, para colocar a contagem a nosso favor.

Jogar neste time é tri-bom. Porque é garantia de já saber o resultado final, revelado pelo placar divino: em Cristo somos mais que vencedores.

sexta-feira, dezembro 05, 2008

Prepare o coração

Canção do Grupo Címballuz, em montagem do Pastor Fernando Garske, de Canela.




Fonte: Blog Igreja Luterana

Opção


“A verdade que liberta o ser humano, em grande parte das vezes, é aquela que ele prefere não ouvir”.


Herbert Agar.

Olhos de Deus




O rapaz tinha grandes planos para conseguir passar de ano.

Convidou um colega e a namorada dele para irem até a sala dos professores, em horário que sabia estar vazia. Já havia sondado onde a professora guardava as cópias das provas. Chegando ao local, pediu ao amigo que fechasse a porta e as cortinas da sala e que ficasse controlando.
Até ali sem saber o motivo da ‘visita”, a garota, cristã, se deu conta do que estava para acontecer. Então pediu:
-Você poderia, por favor, fechar também os olhos de Deus?

Um tanto confusos, os rapazes olharam ao redor por alguns instantes... até que entenderam. E deixaram de lado seus grandes planos. Compreenderam que até é possivel fazer coisas secretamente, longe do olhar humano, mas nunca algo que não seja claramente visível aos olhos de Deus.

É uma lembrança que pode somente acusar. Deus vê e sabe de todos os nossos planos, intenções, vontades e atos. Sejam os que envolvem fofoca, cobiça, “grandes planos”, omissão e tudo o mais. Tudo.

Mas é também a lembrança que pode sempre nos animar. Se nada escapa ao Seu olhar, temos a certeza de seu cuidado. Deus conhece nossas tentações e oferece livramento. Sabe de nossas fraquezas e nos estende força. Conhece nossas necessidades e está pronto para nos dar suporte e amor. Em tudo sempre temos mais. Tudo.

Pois Ele tem planos para nossa vida. Não apenas de salvação, levado até o fim por Seu Filho, mas também o plano diretivo para toda a vida. Em qualquer situação, quando a fé está presente no coração, podemos afastar o medo e convidar a alegria para fazer parte de nossa vida sob os olhos do Pai.

E, para nossa felicidade e segurança, nada, nem ninguém, pode fechá-los.

Wordward

In English we have this multi-use suffix when we want to determine direction.

If you’re going back, then you’re movinde backward. The contrary direction would be forward. From inside out then you are meaning outward, having its opposite reading inward. You may head schoolward, houseward, hospitalward or even sunward. If you are ‘warding’ that means you are moving to some diretcion, goal, purpose.

When speaking of life, what’s the best direction to head to?

The options of direction seem to overflow in front of our eyes trying to get our attention. Drugsward, moneyward, materialismward, consumismward, no-God-ward. Despairward. Or even worse -- self-ward. This kind of ‘wardness’ is the one that can lead to no good place, direction, purpose. They are weird wards, which in the end result in a ward-less life.

That’s why the Bible points us Christ-ward. Because it’s when our lives head to Him we have the right direction to go. The right meaning where to abide. The right purpose for all other ‘wards’ in our life. When our lives are Wordward we are directed by Him and then we move onward in life sharing this love that comes from faith familyward, workward, relationshipsward and all other directions that our hearts take to live and to share

And then we move ahead following the right direction: heavenward.

quinta-feira, dezembro 04, 2008

Moldados

“Muitos homens devem a grandiosidade de suas vidas às tremendas dificuldades que tiveram.”

C. H. Spurgeon

Desabrigados em Santa Catarina recebem ajuda

A tragédia causada pela enchente em Santa Catarina registra 118 mortes. O número pode ser maior, já que 31 pessoas estão desaparecidas. Ainda há 33 mil desabrigados no estado.

Conforme o relato dos pastores da IELB (Igreja Evangélica Luterana do Brasil) na região, os desabrigados contam com o apoio da Defesa Civil, que garante alimentação e abrigo nos municípios atingidos. Um dos locais mais afetados foi Itajaí, com 97% das ruas inundadas. Pastores de Santa Catarina levaram alimentos e roupas para a congregação da cidade. O pastor Martinho Sonntag, de Florianópolis, relata: “ao chegar lá, ficamos comovidos com a situação e com a dedicação da família do pastor e congregados em socorrer as vítimas da enchente e, ao mesmo tempo, a alegria e gratidão deles pela ajuda que receberam”.


Em Itajaí, templo da IELB abriga 25 pessoas atingidas pelas enchentes


O pastor local, Rubin Brehm, conta que a situação está mais calma, mas 25 pessoas estão abrigadas no templo da congregação. No futuro, além de mantimentos, serão necessários fogões, camas e móveis em geral, porque muitas pessoas perderam tudo na enchente. “Temos também pessoas não luteranas solicitando mantimentos, mas o que mais se precisa é de dinheiro para reparar os estragos nas casas e móveis.”

Em Blumenau, o pastor Éverson Gass, diz que “normalidade não é a palavra que ouviremos neste Natal”. Muitas famílias da congregação tiveram que abandonar definitivamente suas casas. Há muitas perdas materiais na região. Segundo o pastor Wanderley Lange, de Balneário Camboriú, 27 famílias da igreja foram atingidas, mas já retornaram para casa.

A IELB está arrecadando contribuições em dinheiro que serão repassadas diretamente aos locais atingidos (
ielb@ielb.org.br)

A Defesa Civil de SC só voltará a pedir alimentos e roupas na próxima semana, pois não tem mais espaço para estocagem. O órgão informa que haverá necessidades nos próximos três meses, mas, por enquanto, a prioridade é que as doações sejam em dinheiro. Antes de enviar doações, informe-se com a Defesa Civil da sua cidade (telefone 199) ou pelo site
http://www.desastre.sc.gov.br/.


Fonte da notícia: Leandro Camaratta/IELB.

Faz muita falta




Durante um programa esportivo de rádio, um dos comentaristas mencionava que, na partida do dia anterior, ficou pensando o tempo inteiro em determinado jogador do seu clube. E a frase que resumiu sua fala foi: “Ele fez muita falta”.

Bem, depende de como se lê ou ouve uma frase, ela pode ter sentidos completamente diferentes. O que ele quis dizer? O jogador estava em campo ou ausente da partida? O atleta passou o tempo todo fazendo faltas contra os adversários ou é uma lamentação pelo fato de que alguém tão importante para a equipe não estava em campo?
Sem o contexto adequado, é impossível ter certeza se o jogador é um perna-de-pau que só sabe dar pancadas ou se é um craque de quem o time sente muito a falta.

Não é incomum também nós fazermos muita falta nos ambientes em que existimos. O problema acontece quando as pessoas com quem convivemos nos dão a entender o sentido nada agradável desta falta. Pois podemos ser alguém que comete gafes, palavras e atos que não condizem com nossa posição e podem prejudicar todo o time.

Dentro do contexto certo, podemos mudar este sentido. Quando ouvimos bastante a voz do Técnico, que está sempre perto e pronto para nos orientar, entramos no caminho da consideração e cuidado com o próximo para evitarmos as faltas e fazermos fluir melhor o jogo dos relacionamentos. È a maneira de fazermos falta no sentido de sentirem nossa ausência e termos, ao voltarmos, um retorno festejado. Não por sermos as ‘estrelas’, mas porque sabemos jogar para o time.

O excesso de faltas sempre vai nos prejudicar. Mas o que nunca vai faltar em nossa vida é a chance de recomeço que temos na área técnica e segura junto a Jesus, que tem a visão de todo o jogo e nos dá forças para o melhor desempenho.

Alguém que sempre faz muita falta se não estiver no nosso time.

quarta-feira, dezembro 03, 2008

Novamente


É novamente o tempo da história ser contada
Que, mesmo repetida, consegue renovação.
Gerando as respostas mais variadas
Novidade ou antiguidade para o coração.

A história do menino que responde
ao principal anseio da humanidade
que, em grande parte, meio que não ouve
a resposta do que pergunta com ansiedade.

A história da manjedoura em que repousa
A esperança de justiça que leva à paz
mas que em parte é esquecida, em parte ignorada
por quem pensa que é de outro jeito que se faz.

A história da família confiante
que acredita no que vai acontecer
Diferente de muitas vidas que, hoje em dia,
acreditam poder contolar o que vai ser.

A história que responde, mas nem todos perguntam
A história que acalma, quando muitos querem correr.
A verdade que liberta quando muitos se prendem
ao que a história sempre trata de evanescer.

Mas ainda é tempo, é hora, é dia.
É a sinfonia que reúne amor e paz
que conserta o coração em harmonia
E que oferece novamente ao mundo mais.

terça-feira, dezembro 02, 2008

Servir?

“Alguns quando dizem que querem servir a Deus estão falando em serem Seus conselheiros...”

(Anonimo)

Crescidos

Se fosse em outro contexto, poderia ser uma dor insuportável e o começo de sérios problemas.

Mas neste caso era uma mãe, sentada na sala com amigos e seu filho, de dois anos, em pé, brincando de dar socos com toda sua força no joelho dela, querendo chamar a atenção ou simplesmente ‘sentir’ o que estava à sua frente. A mãe nem se mexeu. Ele batia com toda a força e ela continuava conversando.
Cena que não estou apenas supondo, mas presenciei ao visitar amigos no domingo.

Se forem em outro contexto, as dores que o mundo nos faz sentir podem de fato nos derrubar. Não são poucas as ameaças, não são fracas as pancadas que recebemos. E ninguém está brincando, não. Tudo é sério, muito sério, situações que podem nos desanimar ou fazer parar.

Mas se o nosso caso é o de sermos crescidos na fé, nutridos pelo amor de Deus e bem firmados em sua presença e cuidado, tudo fica diferente. Sentimos, sim, os ‘socos’ da vida, mas eles já não podem nos deixar de joelhos. Recebemos pancadas que podem doer, mas não vão nos desesperar. Porque temos a força que Ele dá e o crescimento que Ele providencia para enfrentarmos com coragem o que a vida quiser “soltar o braço”.

É com o cuidado que Jesus nos direciona que, crescidos e maduros na fé, deixamos de sentir tanta dor com os ‘socos’ da vida, e continuamos conversando, agindo, vivendo na direção certa. Segumos em frente para inclusive ajudar aqueles cujos ‘joelhos’ da alma, cansados de apanhar, começam a doer. Ele nos faz crescer constantemente para que todo impacto seja possível de se absorver.

Cenas que não estou apenas supondo. Acontecem todos os dias na vida daquele que crê.

segunda-feira, dezembro 01, 2008

Aprendizado

“Esqueça os tempos de dificuldades, mas nunca esqueça os que eles lhe ensinaram.”

Hebert Gasser

Estranhos

Uma mulher ligou para uma amiga doente para saber como ela estava.
-Terrível - foi a resposta. - Minha cabeça está quase rachando, minhas costas estão me matando. A casa está uma bagunça e as crianças estão me deixando louca.
A mulher respondeu
-Então vá se deitar um pouco. Eu vou até aí fazer uma comida pra você e depois posso limpar a casa e cuidar das crianças enquanto você descansa um pouco.
Antes de concluir a conversa, ainda perguntou:
-A propósito, como está o Sam?
-Sam? Não tem nenhum Sam aqui - a mulher doente respondeu.
Compreendendo seu engano, a senhora então disse
- Desculpe, mas eu liguei para o numero errado.
Depois de um momento de silêncio, a mãe adoentada perguntou, esperançosa:
- Mas você vem mesmo assim, não vem?

Há momentos em que todos, todos nós, precisamos, desejamos, queremos muito alguém que venha e nos ajude. Até mesmo um estranho, caso quisesse nos amparar e ouvir.

É isto que Jesus Cristo fez. Um Estranho que veio ao mundo ao encontro de nossa necessidade. Para dar até mesmo sua própria vida e se tornar conhecido aos nossos corações, nos livrando das dor do erro e desesperança que quase parte nosso coração e mata nossa alegria de viver.
Assim, ao refletirmos este amor de Deus, podemos também ser ouvidos e braços para ouvir e ajudar àqueles que estão ao longo de nosso caminho. Um amor que nos impulsiona em nossa prontidão em servir e fazer ligações com o próximo.

E a encontrarmos maneiras de fazermos deste mundo um lugar menos estranho e mais solidário.


Fonte da mensagem: LHM

sexta-feira, novembro 28, 2008

Constância

“O único meio de manter um vaso rachado cheio é deixá-lo sempre embaixo da torneira”.

Dwight Moody

Marca

Ouça a mensagem de hoje


A estratégia de marketing recente de uma marca de cerveja gaúcha gera uma situação interessante entre seus consumidores. Ela resolveu lançar a cerveja oficial de Grêmio e Inter, com embalagens caracterizadas com o símbolo e cores dos clubes.

A parte curiosa vem agora. Embora todas as latas tenham exatamente o mesmo líquido, a mesma fórmula, a mesma cerveja, há colorados que jamais tomarão o liquido ‘gremista’, e gremistas que não admitirão a hipótese de consumir a cerveja ‘colorada’. Mesmo sabendo que o só o rótulo as diferencia. O conteúdo, gosto e efeito são absolutamente iguais..

Mais uma lembrança de como é importante evitarmos pregar rótulos uns nos outros. Dependendo da ‘marca’ que utilizarmos, a pessoa vai ficar marcada como alguem a quem evitar, mal vista, intragável ou sem grande valor.
Muito embora tenhamos todos o mesmo conteúdo humano.

Se há um único rótulo que pode ser colocado em todos é aquele que diz: “objeto do amor de Deus”. Este sim identifica cada ser humano sobre a Terra. E quando esta mensagem passa da embalagem e se torna também conteúdo no coração, transforma a vida, muda o olhar. Preenche o ser.
Mas não nos deixa tontos ou nos leva a fazer loucuras. A não ser aquelas que a razão não entende - amar o proximo como a si mesmo, acreditar no que não se vê, viver confiando mesmo na tormenta e compartilhar com o próximo mesmo quando quase não se tem. Deus não quer marketing, quer marcar cada vida com a fé, que dá sentido ao viver.

Rótulos são para os objetos na prateleira. Para os objetos do amor de Deus, é no interior que está a marca e a identificação.

quinta-feira, novembro 27, 2008

Poder


“A tarefa que está à nossa frente nunca é maior do que o Poder que está atrás de nós”

(Anônimo)

Muito obrigado

Clique e ouça a mensagem de hoje

Todos apreciamos muito a gratidão como virtude. E dois podem ser os motivos principais

1. Basta pensarmos na ausência dela.
-Você ajuda alguém e a pessoa nem se lembra de um “obrigado”.
-Pessoas que nunca dizem ‘obrigado’ por 99 coisas, e reclamam daquela uma errada ou não tão boa.
-Conheço a história de uma pessoa que, em muitos anos de casamento, quase nunca sentou-se à mesa e elogiou o almoço da esposa. No entanto, sempre que havia algo errado, não hesitava em reclamar.

2. Quando alguém diz ‘obrigado!’, está exercendo algo extremamente essencial para a saúde da alma: humildade. Agradecer é reconhecer-se dependente, interligado. É manifestar vínculo. É apreciar o que outro tem de habilidoso, agradável, talentoso. Agradecer é ir na direção do outro, Um bem que está ficando escasso em nossa sociedade dos fones de ouvido, i-pod, celular e TV em cada quarto. Quando alguém agradece sinceramente está dizendo: “Hei, eu me importo com você”.

Deus que nos deu e dá tudo o que somos e temos poderia pedir muita coisa em troca. Mas quer apenas duas palavras: Muito obrigado. Não porque o ego Dele precisa, mas porque nosso eu necessita. Para que o orgulho e egoísmo não tomem conta do coração e a fé faça a gratidão agir como o óleo do motor da humildade, mantendo-o funcionando por muito tempo.

Duas palavras que não custam muito e fazem a vida andar bem diferente.

Ah, e muito obrigado por ler até o final.

Words

Notwithstanding.
Obnoxious.
Nuclear.

What is the hardest word to say in English?
Well, I would suggest one.

“Thanks”. Maybe we don’t realize quite often, but to find and to hear a ‘thank you’ with a sincere heart can be quite a hard job. I'm talking about real, sincere gratitude. This acknowledges that our neighbor did something good for us. It is not the kind that seems to be forced by a circumstance or when it seems "fair" to say the word.

It’s a very hard word to say, because it causes battles against ourselves.

In this connection, Martin Luther was right when He wrote that Jesus’ work was to save us from ourselves. For our ‘ego’ has more weapons and skills to impose losses over us than we realize. Jesus taught us that we need to give up looking for solutions inside ourselves, and to look to the help that comes from outside. And it really does. For God always wants to give us strength to deal with our "me" in a way to overcome it. The replacement is the One who starts a new "me" that is guided by Him. He wants us to ask for help.
And of course to be thankful for it.

Every year we celebrate our Thanksgiving Day. A day that could be year 'round. An attitude, a heart and a mind of "thanks" every day. A word that may be not easy to say sometimes but keeps a very hard word --unthankfulness -- away from our lives. In Jesus we always find words of strength and life to keep practicing these hard words so they become easily spelled everywhere we go.

Then, joy and gratitude may overflow from our hearts. Not only in words but specially in actions.

quarta-feira, novembro 26, 2008

sobre raiva

“Uma pessoa raivosa, ao abrir sua boca, fecha seus olhos.”

Cato, o Ancião (234-149 AC)

Ulbra TV em Minas

Fonte da imagem


A mais nova retransmissora da Ulbra TV começa a operar na cidade de Munhoz, MG, canal 07.
Mais um estado em que o sinal da Ulbra TV chega levando conhecimento, entretenimento, informação e fé.
Sejam bem-vindos!

O jeito


Dia de gravação, bastante trabalho pela frente, mas não tinha jeito de acertar a regulagem da bateria. Aperta daqui, ajeita dali, tenta, muda, vai de novo.... e nada. Lá pelas tantas, “bom, vou tentar ainda mais este jeito”, disse o operador de áudio. Preocupado com a perda de tempo e consequente atraso da programação, perguntei. ”Tá, mas e se isso não resolver?”. A resposta:

-Ai então a gente se abraça e chora todo mundo junto.

Grande figura o Betinho Amaral. Sempre bem-humorado, sem deixar de ser sério e competente no que dizia respeito ao trabalho, conseguia fazer as horas trancados no estúdio até ficarem mais leves. Nâo teve como não rir. E espantar a preocupação. Ele não estava entregando os pontos, mas apenas dizendo, “calma, que algum jeito sempre tem”. E teve. E a gravação prosseguiu.

Algum jeito sempre tem.
Talvez sua dificuldade no momento seja bem maior do que perda de tempo. Pode ser que você esteja num dos locais severamente castigados pelas águas em Santa Catarina, ou ser próximo a alguém de lá. Pode estar numa região em que falte água, emprego ou luz. Pode estar doente. Pode estar de luto. No nosso caso, estamos em uma realidade em que as dificuldades se avolumam e a apreensão pode se tornar companhia diária.

Mas algum jeito sempre tem. Porque Deus é por nós. Portanto, nada pode ser contra. Nada. Se acontece algum mal, Deus trabalha para o nosso bem. Se aparece uma interrogação, ele trabalha para nossa resposta. Se crescem o medo do futuro e a angústia pelo que virá, é somente Ele quem pode firmar nosso coração para que não seja levado pelas torrentes de tristeza e desesperança. É confiando em Deus que encontramos a Força para não confiarmos apenas em nossas forças, mas caminharmos seguros na palma de Sua mão.

Podemos até nos abraçar e chorar juntos uns com os outros, em alguns momentos. Faz parte de nossa vida. Mas este não é o fim da história. A verdade é que Ele sempre vai nos abraçar muito mais forte para enxugar nossas lágrimas e nos dar o horizonte de que precisamos para não aceitarmos desistir. Mais do que ‘algum’,´este é o jeito de lutar, reconquistar, reconstruir.

E voltar a sorrir.

terça-feira, novembro 25, 2008

Presença

“O amanhã a Deus pertence, mas do hoje ele não se faz ausente."

Carina Colombo

Saber

-Como foi sua consulta ontem, Sandra?
-Bem, Laís, o médico diz que estou com uma doença muito séria no estômago.
-Puxa, então você vai ter momentos difíceis...
-Que nada, o médico é que não está bem. Onde já se viu, ‘estou mal do estômago’? Eu não estou sentindo nada do que ele disse, nenhuma dor. Nenhum sinal. Na minha opinião, ele é que está errado.

Não é uma atitude muito sensata, esta. Se alguém que é especialista no que faz mostra o diagnóstico preciso, é importante confiar e procurar a solução. Ou ao menos uma segunda opinião.

Mas pode ser uma atitude até comum quando não ‘sentimos’ o que não está tão bem em nosso jeito de viver, nossas atitudes e nossas maneiras de nos relacionarmos. É importante lembrar que nâo é porque não conseguimos ver que outros não possam vê-lo e nos mostrar. Não é porque achamos que não é assim que não seja de fato. Não é porque não sentimos, que não esteja presente.

Nem sempre podemos confiar somente nos que ‘sentimos’.

Mas sempre podemos confiar no que sabemos. E isto Deus oferece sempre -- meios para sabermos de nossas imperfeições e ‘doenças’. Mas, principalmente, sabermos da cura e do cuidado que Ele quer manter ao nosso dispor. Às vezes aceitar o diagnóstico e buscar o tratamento para nossas disfunções no lidar com o outro pode ser dificil para nosso orgulho, mas é sempre saudável para o nosso viver. Quando estamos dispostos a mudar, estamos também dispostos a melhorar. Quando estamos abertos a rever, também estamos perto de poder ver melhor.

Frequentar Seu consultório, portanto, nos faz saber o mais importante para nos sentirmos sempre bem.

segunda-feira, novembro 24, 2008

Preocupação


“Tendemos sempre a nos procupar mais com as coisas sobre as quais menos temos controle.”

Archibald Hart

Ao longo da estrada



Às vezes a gente se sente dirigindo numa estrada incerta, sem conhecer direito a direção e cheio de dúvidas sobre onde ela vai dar.

Nessas horas, os olhos não desgrudam do ponteiro do combustível.

Mais algumas curvas e eles procuram o marcador. Mais uma reta que se estende até o horizonte e a diminuição do nível começa a preocupar. À medida em que a viagem continua a mente já imagina o tanque começando a secar.

O grande problema é não saber exatamente quanto mais de estrada existe adiante ou quando haverá um novo posto para abastecer. E como o carro precisa continuar seguindo, a apreensão se volta toda para o painel. O ponteiro baixando a níveis perigosos, uma certa tensão começa a se instalar. Mesmo sabendo que é preciso continuar dirigindo com atenção e cuidado, a pergunta acaba se repetindo sem parar: será que o combustível vai acabar?

Quando se trata de estradas ou projetos humanos, tudo é possível. Pois tudo está sujeito a mudar ou a se reverter.
Quando se trata da fé, entretanto, não há dúvida - a estrada é a certa e o combustível não tem chance de faltar. Pois não dependemos de mãos humanas para continuarmos rodando nem de providências de pessoas para que possamos ter forças para caminhar. É Deus quem fortalece os passos para que os olhos da fé apontem para a certeza, seja o quanto de estrada ainda estiver adiante, que Ele lá vai estar.

Este é o único caminho para o ponteiro apontar esperança e para o coração poder continuar a confiar.

sábado, novembro 22, 2008

Convite


Answers

Do you like every answer that you get to your questions?

-Do you like my new hairstyle?
-Was I clear and effective in my presentation?
-Do you think I’m wrong?
-Is there something I can do?

We usually want to hear, "yes," a compliment or a word of encouragement. We don't want to hear, "well, it's not too bad," or "hmmm, so-so." Or worse. Some answers are very hard to hear...they come in silence but body language and eyes that roll judging us. Justifications are offered, motives given that are supposed to make us feel better. But, we have no defense.

Sometimes answers can hurt more than questions.

Especially when we really mess up. Our words are careless, the mistake was too big, our actions were not thought through. If we ask someone they'd judge us, "You deserve what you get!" "Suffer the consequences." "You deserve to be punished." "You're on your own!" We get bad, unloving and uncaring answers back.

That’s why we need to ask the right Person for the right and precise answer. We need to ask God: “Am I really wrong?” Even though we know that this may leave us uncomfortable, for we have his direct and plain “yes” coming. And probably that’s what our ears and ‘self’ wouldn’t like to hear …But, once we know our wrong, then ask the Lord, He leaves no doubt; why not proceed to the next step? “So, Dear Father, what can I do about this?”
His answer is a loving one. He responds with forgiveness, kindness, new beginning, the words we need the most to reach our ears and hearts.

Still, it’s important to remember that sometimes some things may be not so good now but very good after. That’s why for example we take anesthesia in the mouth to have our teeth fixed, we eat leafy greens mixed with spices red and yellow or face heavy traffic to get to the beach. In certain moments some answers hurt us, later our 'self" finds better ways to do things. For every answer we get in life may teach us 2 things: what to do. And what not to.

At last, trying to be courageous and to test my own point, i finish asking:
-Did you like what you read?

Sustentación

Cuando llegamos delante de un gran río y necesitamos llegar al otro lado, se nos presenta una situación rara: el mismo elemento puede ser apoyo o apuesta. El agua.

Porque para superar esta dificultad, no teniendo un puente, básicamente tenemos dos opciones:
- Podemos intentar seguir caminando, o nadando, para ver hasta donde nuestros pies y brazos pueden nos llevar. En este caso el agua se vuelve en amenaza, y puede sumergir nuestros sueños y convicciones.
- O entonces podemos conseguir un medio de locomoción que sea capaz de enfrentar al agua, como, por ejemplo, un barco o una balsa. En este caso, tenemos sustentación para nuestra jornada, por donde nuestra conducción ciertamente llegará a su destino.

Podemos sumergir o seguir adelante, depende de cómo resolvemos seguir.

La fe en Dios nos pone dentro del barco correcto para enfrentar la vida. Nos da el timón, seguridad y orientación. Cuando rechazamos este ayuda y creemos que podemos resolver todo solos, hay una gran posibilidad de que ocurra un desastre. Cuando navegamos con fe en Aquel que nos crió, amó y salvó, podemos hasta balancear, nausear, y quedar con miedo, pero la confianza de que vamos seguir adelante continúa. Pues lo que era apenas un problema, se vuelve punto de apoyo para una nueva situación. Y solución.

Por lo tanto, ¿Por qué intentar solo, si con El tenemos mejor opción? Navegar con fe en Dios transforma el enemigo en aliado. El agua deja de ser un obstáculo para ser sustentación. Y el escenario que moldura nuestro seguir confiados, seguros y salvos.

Hasta al otro margen.

sexta-feira, novembro 21, 2008

Convite

Sugestão de programa para este fim de semana. II Festival de Coros Evangélicos, promovido pelo Coro Sacro da Ulbra.

Esquisito e normal

Ouça a mensagem de hoje


Uma matéria do website Yahoo reúne as 10 pessoas mais esquisitas do planeta. Dentre elas, há o garoto que não podia dormir, a mulher que não consegue esquecer, a moça alérgica a água, a senhora que desmaia quando ri e o homem que há mais de um ano não para de soluçar.

Seriam 11, se me vissem ao acordar.

Mas ela está muito curta. Aparentemente a pesquisa não foi muito profunda, pois descobririam mais gente para completá-la. Pessoas que:
_destroem o próprio ninho do qual dependem pra viver - a natureza
_compram certas coisas de que não precisam com o dinheiro que não têm;
_comem mais que o necessário para depois buscarem de todo jeito perder o que se acumulou.
_ferem àqueles que amam.
_gastam a saúde para poder ter e depois gastam o que têm para poder ter saúde;
_vivem de maneira errada e depois tentam culpar a pessoa certa;

Para citar apenas algumas de muitas atitudes esquisitas. E pior que não adianta fugir, em algum momento todos fazemos parte - gente esquisita com atitudes desconexas, deixando até na dúvida onde traçar a linha do que é ser normal.

Temos esperança, entretanto. E está num extra-terrestre.
Meio esquisito? Bem, quando veio à Terra de fato Ele fez coisas meio estranhas. Incentivava a dar o outro lado ao apanhar e a orar por aqueles que perseguem, caminhou sobre a água, utilizou cinco pães e dois peixes para alimentar uma multidão, fez aparecer vinho em uma festa, não recorreu de um julgamento criminoso e se permitiu pregar numa cruz.

Mas é Ele que nos recebe e acolhe exatamente como somos, esses seres esquisitos que se estranham seguidamente com Deus e uns com os outros, tomando atitudes que fariam os demais seres da natureza corar de vergonha. É na nossa direção que Ele estende outra coisa ainda mais esquisita. Fé.
Este presente que nos faz enxergar coisas que não se vêem e ter certeza de fatos que ainda vão acontecer. É por meio dela que este homem, Jesus, passa a fazer sentido. Não precisamos mais soluçar, passamos a ter nossos erros esquecidos, extravasamos a alegria sem medo de desmaiar e podemos dormir tranqüilos sob o seu cuidar. Ou seja, ele nos faz pessoas que vivem as ‘esquisitices da fé’ de maneira perfeitamente natural.

E que lutam para que, refletida em nossas ações, esta fé nos leve a contribuir para um mundo um pouco mais....hum...normal

quinta-feira, novembro 20, 2008

sobre preocupar-se

“A preocupação não tira do amanhã nossas tristezas. Ela tira é do hoje nossas forças”.

Corrie ten Boom:

Caminho certo

por Paulo Albrecht


Outro dia eu peguei o ônibus errado. Estava voltando de um compromisso e já passava das 10 horas da noite. O ônibus chegou e eu perguntei pro motorista se a linha passava na rua do lado da minha casa, onde eu precisava descer. Ele disse ‘sim’ e eu então embarquei, feliz da vida de estar no rumo certo.

Só que, durante o trajeto, eu percebi que algo estava estranho. Aquelas não eram as ruas certas pelas quais ele deveria ir para eu chegar onde queria. Só lá no meio da viagem que percebi que ele fazia outro caminho. Só o motorista não tinha me enganado. O ônibus passava de fato pela minha rua, só que não desde o começo dela, como eu precisava, mas somente umas 7 quadras adiante de onde eu desceria. Como resultado, tive que andar todas elas de volta, perto da 11 da noite, sujeito a todos os perigos que as noites nas grandes cidades trazem.

Mais do que isso, este incidente me fez pensar em quantas pessoas embarcam nos “ônibus” errados em suas vidas. Têm um destino fixado em sua cabeça, muitas vezes até corretos e nobres, mas embarcam em maneiras erradas de chegar até lá, que as levam para destinos não desejados.
Muitos de nós buscamos a paz ou o amor, mas em vez de tomar o ônibus com letreiros como “Compreensão”, “Paciência” e “Dedicação”, embarcamos naqueles com “Egoísmo”, “Privilégios” ou “Interesses próprios”. Como chegar ao destino correto se não formos pelo caminho certo?

Seguir na direção certa é o que todos queremos. Para chegar lá, portanto, podemos contar quem é Ele próprio O Caminho. Jesus Cristo sempre sabe nos conduzir exatamente pelo trajeto que nossa vida precisa para jamais se perder, mostrando a direção que vale a pena seguir, sem medo de errar. Pois quando Ele é o motorista, não há dúvida de que o trajeto será o certo e o caminho, perfeito.

Vamos ser levados exatamente para onde precisamos chegar.



Texto do Pastor Paulo Samuel Albrecht
Comunidade Cristo Redentor – Zona Sul
Rio de Janeiro, RJ

quarta-feira, novembro 19, 2008

sem desistir

“Quando você diz que uma situação ou pessoa não tem mais solução, está batendo a porta na cara de Deus”.

Charles L. Allen

Convite

Comunico que em breve o Toque de Vida será suspenso. Aliás, toda a minha atividade aqui na Pastoral.
Acontece que recebi hoje um e-mail do Pedro Bial, com logotipo do BBB e tudo, me convidando a fazer o cadastro para participar e possivelmente ser um dos escolhidos para o programa em 2009. Olhe só:

_________________
De: Pedro Bial [mailto:Pedrobial@globo.com]
Enviada em: terça-feira, 18 de novembro de 2008 15:11
Para: Lucas Albrecht
Assunto: Superdownloads Newsletters

“ATENÇÃO A GLOBO.COM COMUNICA: Este é um convite individual para inscrever-se no BigBrotherBrasil 9, o prazo da candidatura expira no dia 30 de novembro de 2008...”

E há 3 insistências no seguinte tópico: preencher todos os dados pessoais. E de forma correta, “para um futuro contato, caso seja escolhido”. Finaliza cheio de graça: “Parabéns Brother!”

Legal, não?

Não.
Claro que trata-se de mais um ‘golpe virtual’, tentando atrair para um clique com consequencias bem ruins. Felizmente já estou no mundo virtual tempo suficiente para reconhecer estes golpes, mas infelizmente, muitos ainda irão cair. Talvez como eu caí, numa experiência no mundo real.

Eu tinha 15 anos e uma louca vontade de ter um aparelho 3 em 1. Passando na rua, no intervalo do trabalho no supermercado, fui abordado por duas figuras que me garantiram que se eu preenchesse um formulario e pagasse certa taxa, não só concorreria a prêmios como já, de cara, poderia escolher dentre três brindes aquele que eu gostaria de receber em casa. Um deles adivinha qual era? Aparelho de som. Contente por me achar muito esperto para conseguir o que queria por um preço bem menor, paguei o equivalente à metade do meu salário
Lá pelo meio da tarde, trabalhando e pensando, tudo ficou mais claro em minha mente...
Estou esperando o brinde até hoje.

Neste tipo de episódio, em geral há duas pessoas erradas: o criminoso, por estar enganando alguém. E quem aceita a oferta, levado por sua vontade de atalhar. Em geral somos tentados pela nossa propria cobiça e ambição..

O texto bíblico nos orienta, “não deixem que ninguém engane vocês com conversas tolas”*. No contexto, refere-se a quem quer nos afastar da fé, dos principios de nossa vida com Deus. Mas pode ser estendido para as outras áreas da vida, onde somos postos à prova em nossos desejos e ambições. Ofertas tentadoras, fraudes, ‘pegadinhas’, nunca faltarão, seja no mundo virtual ou no real..
Nem sempre é fácil e podemos errar. Mas é bom poder contar com perdão e amor do Brother que nos escolheu de verdade, sem armação, para fazermos parte da Casa do Pai. Ele não é atalho, é o caminho, 24 horas por dia entendendo e acompanhando o nosso jeito de ser. E nos convidando a acessarmos irrestritamente tudo o que Ele tem a nos oferecer.

Este convite, sim, é pessoal e verdadeiro. Podemos clicar sem medo de errar.



*Livro bíblico de Efésios 5.8

terça-feira, novembro 18, 2008

propósito

“A vida é trágica para quem tem muito com que viver, mas nada pelo que viver”

(anônimo)

quem dirige



Se você fosse viajar neste fim de ano e ficasse sabendo que eu seria escalado para dirigir o ônibus em que você vai estar, qual seria a reação?

Provavelmente desistiria, ou solicitaria a troca imediata do motorista. Ninguém gosta de estar nas mãos de quem não é profissional. Seja para dirigir o ônibus, arrancar um dente, ter aulas na faculdade ou construir a casa. Para o que é importante em nossas vidas, preferimos sempre estar nas mãos de quem mais entende do assunto

Definir uma profissão, tratar da saúde, planejar e construir o futuro, tudo é importantíssimo. Mas há algo ainda mais fundamental, que abrange tudo isso: a vida. E aí vem a pergunta: “Quem está dirigindo nossa vida?” Um profissional? Um amador? Qualquer um que aparece com qualquer proposta que pareça atraente? Ou estamos tentando fazer uma coisa que não é muito recomendável – dirigir sozinhos?...

Existe alguém profissional neste assunto: Deus. Sua especialidade é amar e dirigir vidas humanas pela fé. O Salmo bíblico 16 nos diz: “Tu. Ó Senhor, és tudo o que tenho. O meu futuro está em tuas mãos; tu diriges a minha vida”. Nas mãos dele, nossa vida está nas mãos certas. Tanto o presente como o que ainda virá. E, com ele no comando, pela fé em Seu Filho, vamos sempre ter mais clareza e direção para escolhermos nosso futuro e trabalharmos por ele.

Pois dirigir com segurança é com Ele mesmo.

segunda-feira, novembro 17, 2008

Contentamento


“Você não pode ter tudo. Onde iria guardar?”


Steven Wright

E é

Lembra quando seu pai ou sua mãe falavam para não aceitar presentes e doces de estranhos? Eu lembro bem e lembro também que não foi uma nem duas vezes que este conselho foi repetido. Talvez não parecesse fazer muito sentido para nossa mente infantil, já que oferecer um presente parece ser uma boa e nobre atitude. É conforme vamos ficando adultos que começamos a compreender o motivo desta recomendação. Não devíamos aceitar a oferta porque é o tipo de coisa que parece boa; mas não é.

São várias as possibilidades. Balas e doces poderiam ter drogas. Presentes poderiam ‘comprar’ nossa atenção para coisas erradas. Ou até mesmo na paranóia maior, alguém com uma boa conversa poderia nos fazer desaparecer.

Muitos de nós já não somos crianças, mas o tentador ainda gosta de colocar no caminho ofertas personalizadas para, fazendo parecer bom, nos levar para o que é ruim. Nossa atenção é chamada e muitas vezes ‘comprada’ por estas ‘nobres’ atitudes e ofertas convidativas, mas podem ter conseqüências nada boas de se digerir.

Esta é a hora de nos mantermos naquilo que, ironicamente, não parece bom, mas é. Afinal há momentos em que os conselhos de Deus parecem só estragar nossos planos humanos, já que se chocam com nossa vontade de ir além do que convém. Mas é bem ao contrário. São eles o caminho para que tentações não passem do nome, e que provação vire aprovação e fortalecimento. Deus se fez conhecido ao nosso coração para continuarmos e não dar atenção para o que é estranho ao nosso jeito de ser e viver.

È a hora de aceitarmos o presente e confiarmos na proposta sem medo. Pois o que vem de Deus sempre parece bom. E é.

Causa de Vida

Cuando bien cuidado, el es un símbolo de la vida, de la resistencia, del amor, de la entrega y de todo lo que se refiere al vivir.
Cuando no bien cuidado, el se transforma en el mayor enemigo. Pues es posible sobrevivir con la para o ausencia de diversos órganos, pero es imposible cuando el deja de ladrar.

El corazón.

Así es que, todos cargamos dentro de nosotros aquel que puede salvar nuestra vida o acabar con ella.
Hay una teoría comprobada por la Organización Mundial de Salud (OMS), que muestra las enfermedades cardiovasculares como la mayor causa de óbitos en el mundo. Sea por el órganos en si mismo, sea por sus 'correlatos' – venas y arterias dejan de cumplir sus funciones. O sea que, aquel en quien mas confiamos para nos mantener vivos puede se transformar en aquel que mas amenaza.

Cuidados, tratamientos, y principalmente, prevención son las grandes recomendaciones medicas para con este nuestro órgano tan fundamental. Cambio de hábitos, platica de deporte y buena alimentación están entre ellas. Todo para que de héroe no venga a se tornar villano.

En lo tocante a la fe, nuestro corazón también merece el mismo cuidado. Es fundamental saber lo que le mantiene bien ocupado, alimentado y ladrante en dirección a Dios. Si no, indeseados desechos pueden comenzar a obstruir nuestras arterias, perjudicar nuestra caminada y, cuando no damos cuenta, el, que debería estar fuerte, está sucumbiendo delante de los peligros y tentaciones.

Dios desea cuidar y fortalecer nuestro corazón diariamente, nos ofreciendo alimentación y ejercicios, además de medidas preventivas, para que el continúe siempre como un jovencito, depósito de fe en Jesús, que es la Fuente de la vida y fuerza par ano dejar de pulsar, luchar y sonreír.

Y, de esta forma, en el corazón continuará a estar la mayor causa de vida para el mundo todo.

Traducción: Pastor André Luiz Muller, Canoas, RS, Brasil

sábado, novembro 15, 2008

´How great!

Ouça esta bela letra e canção de Chris Tomlin, "How great is our God", um hino à grandeza e amor de Deus.



Quão Grande é nosso Deus

O esplendor do Rei
vestido em majestade.
Que toda a terra se alegre!
Toda a terra se alegre!
Ele se envolve em Luz
E a escuridão tenta se esconder
pois treme apenas ao ouvir Sua voz

Como é grande nosso Deus!
Cante comigo: como é grande nosso Deus
E todos verão como é grande,
quão grande é nosso Deus!

De eternidade a eternidade Ele permanece
O tempo está em Suas mãos.
Princípio e fim.
A Divindade, 3 em 1
Pai, Filho e Espírito Santo
O Leão e o Cordeiro

Como é grande nosso Deus!
Cante comigo: como é grande nosso Deus
E todos verão como é grande,
quão grande é nosso Deus!
O nome acima de todos os nomes
Digno de todo louvor.
Meu coração cantará quão grande é nosso Deus

Como é grande nosso Deus!
Cante comigo: como é grande nosso Deus
E todos verão como é grande,
quão grande é nosso Deus!

sexta-feira, novembro 14, 2008

nas mãos certas

"Tive muitas coisas nas mãos e as perdi todas. Mas aquilo que fui capaz de colocar nas mãos de Deus, isto ainda possuo."

Martinho Lutero

Mel



-Vou te dizer mais uma vez: deste jeito você não vai acabar bem!

-Eu te amo muito, sabia? Como é bom viver ao seu lado!

Qual das duas frases é como mel para a vida de alguém?
E se a resposta fosse: ‘as duas’? Seria possível?

Creio que sim. Pois, como lembrou hoje num e-mail o leitor Daniel Feld, existe o tipo mel que é mais doce e suave, como o de flor de laranjeira. E existe aquele que aparentemente é mais amargo, como
o de bracatinga. Este, aliás, pode servir muito bem para quem acha o mel algo muito doce e enjoativo pra ser consumido como alimento.

Mas, doce ou amargo, ambos têm uma característica comum: fazem bem a quem os ingere.

O Salmo bíblico 19 compara a palavra de Deus ao mel. No texto fala no tipo que é doce. Mas em alguns momentos, Deus também nos coloca à sombra da
bracatinga, onde degustamos algo que pode ser amargo de digerir, já que nem sempre nossas ações e pensamentos são gotas de verdade ou néctar de compreensão. Em outros, o Pai nos faz saborear favos doces de laranjeira, que nos confortam, deixando um ótimo gosto de amor, cuidado e proteção.

E por isso as palavras daqueles que realmente nos querem ajudar, ou nossas palavras sinceras quando querem construir, podem sempre ser mel na vida de quem nos ouve. Sejam um pouco mais amargas ou extremamente doces, quando vêm de fonte confiável, fazem bem a quem as recebe. Podem até não agradar o paladar no momento, mas fortificam e confortam em toda situação.
Se o mel produzido pelas abelhas na natureza
tem propriedades anti-sépticas, cicatrizantes e curativas, o mel oferecido por Deus à nossa natureza humana, e que podemos compartilhar com o próximo, nos protege das doenças que mais nos abatem, como a ansiedade, a falta de esperança e a solidão.

Doce ou amargo, o mel Divino sempre tem esta característica incomum: faz bem à vida e sustenta o coração.

quinta-feira, novembro 13, 2008

Constância

"O amor é como o violino: a música pode parar de vez em quando, mas as cordas estão sempre lá."

J.Bacher

Perfil

por Tiago Albrecht


Um ‘fake’, na linguagem do Orkut, significa um perfil falso, de alguém que, na maioria dos casos, até tem um perfil verdadeiro neste site de relacionamentos, mas que faz o ‘fake’ para poder transitar por todos os lugares sem ser identificado com o nome verdadeiro.

Algumas pessoas aproveitam ainda para usar o perfil falso para serem alguém diferente do que realmente são. Ou seja, o perfil falso serve para dar suporte a atitudes falsas. Se bem que em alguns casos talvez não seja uma personalidade diferente, mas sim a mais real das “duas caras” que ela tem...

Quantas destas atitudes ‘fake’ existem também na vida real? O chefe que prometeu aumento salarial juntamente com aquela promoção, mas não cumpriu e age como se tivesse esquecido. O marido que trai a mulher e age como se fosse o mais fiel dos homens. O político que prometeu muito, mas depois das eleições lembra de pouco. O cônjuge que mudou totalmente o caráter apos o casamento. Aquela pessoa de nossas relações que, mesmo aparentando confiança, aproveita oportunidades para a fofoca ou a mentira.

Isso quando não somos nós os ‘fakes’, sujeitos de ações e situações como estas.

Existe apenas uma pessoa que teve um perfil e atitudes absolutamente coerentes. Jesus Cristo, quando viveu entre nós, enfrentou sugestões e tentações para que se mostrasse diferente do que era. Mas não cedeu. Continuou a ser ele mesmo. Não mudou nada em seu perfil justo, coerente e amoroso.

E é com este perfil verdadeiro que o Mestre estende constantes convites para adicionar amigos, já que a capacidade não se esgota em mil pessoas. Ele quer trocar scraps(recados) diários, para nos animar e ajudar, fortalecer e encorajar, dar sugestões e confortar nossa vida. Guiados por este Perfil, também nossa vida pode ser o mais verdadeira possível, real, confiável. Inclusive quando agimos de maneira ‘fake’, tendo a humildade de reconhecer e recomeçar.

Para que as pessoas que nos conhecem de perfil, conheçam também de corpo e vida inteiros.

Texto do Teologando Tiago J. Albrecht
Seminario Concórdia, São Leopoldo, RS
Concordia Seminary – St. Louis, EUA