quarta-feira, setembro 30, 2009

Prosperidade

Existe uma concepção de fé que diz que ser próspero materialmente é o grande sinal de fé, de presença verdadeira de Deus e suas bênçãos na vida de uma pessoa. Quanto mais se tem, mais sinal de que se tem Deus.

Ponto de vista bem questionável, este. Pois qual é a medida de prosperidade necessária poara indicar tal fato?

Alguém tem uma casa, mas outro tem duas e mais uma na praia. Fulano tem um carro, mas o vizinho tem dois. Alguém mora numa casinha de bairro pobre, com um carro usado na garagem; outro, numa casa grande, com carro do ano. Um é diretor de uma empresa, mas outro, de uma multinacional. Um ganha x reais. O outro, x vezes 10 e ainda outro, x-100. E agora, qual é a medida que indica a presença de Deus, a fidelidade, a certeza de se abençoado? Bens materiais são mesmo o critério que demonstra mais ou menos fé, mais ou menos presença de Deus na vida de alguém?

Impossível.

Primeiro, porque são medidas humanas, não divinas. Nós, e não Deus, que inventamos a comparação e medição por quantidades de bens que produzimos como critério de sucesso/fracasso.

Segundo, porque esta contagem não teria mais fim. Quanto é ‘o suficiente’ para dizer que agora sim, está provado que Deus me abençoa? Se tenho x, e alguém tem x + 4x, é porque Deus gosta mais dele do que de mim? E se outro tem x –y, Deus gosta mais de mim do que dele? Tenho....tenho.......

Terceiro, e mais importante, porque não é bíblico.

Não é assim. Deus escolheu outra medida. Fé. Ela é o sinal de presença de Deus na vida de todos nós, o verdadeiro critério que estabelece, sem qualquer dúvida ou necessidade de quantidade, quem somos: filhos, acompanhados pelo Pai. Esta fé traz com ela a prosperidade e os bens que realmente nos identificam, e de valor incalculável: perdão, paz, amor, esperança, ação. Vida eterna. E aí não há discriminação ou distinção. Está ao alcance de todos, do mais rico ao mais pobre. Confirmando que prosperidade, do ponto de vista de Deus, começa com ser. O ter é capitulo posterior.

Bens materias? São sim, úteis e sinal de progresso material, profissional. Em vários casos, também de crescimento em esperteza e malandragem. Mas é melhor deixarmos que a sabedoria de Deus nos conduza neste terreno que sabe ser escorregadio. O verdadeiro sinal da presença de Deus é a fé em Jesus Cristo presente no coração.

Pois este é um bem oferecido a todos por igual. E que nunca falta pra ninguém.

segunda-feira, setembro 28, 2009

“A infelicidade é não saber o que se quer e fazer um esforço enorme para conseguí-lo”.

D. Herold

Ganhadores – Promoção ‘Música e Mensagem’

São estes os 10 nomes. O sorteio foi ao ar sábado, 26.09, na Ulbra TV.

_Vivian Becker - Campo Bom, RS
_José Aírton Rodrigues – Porto Alegre, RS
_Adriana Gonçalves de Oliveira – Porto Alegre, RS
_Edino Krug
_Graciela Franco Dória – Porto Alegre, RS
_Jairo Daniel Seidel – Novo Hamburgo, RS
_Adilson Magedans – Duque de Caxias, RJ
_Adriana Lacerda Martins – Porto Alegre, RS
_Alda Regina de Mattos Vargas – Sapucaia do Sul, RS
_Jucélia Bueno – Alvorada, RS

E teve mais. Dois brindes extras foram sorteados, mais 2 livros do Toque de Vida. E as ganhadoras foram:
_Elizete Marques Cavalheiro – Porto Alegre, RS
_Fernanda Ribeiro Valerão – Cachoeirinha, RS

Parabéns aos ganhadores. E obrigado a todos os que participaram!
Em novembro o Toque de Vida faz 5 anos na Ulbra TV. Aguarde mais promoções, portanto!

Vergonha faz bem

Algumas semanas atrás, quando todos na grande Porto Alegre receberam um alívio do frio e da chuva, meus filhos estavam loucos para sair da casa e andar de bicicleta. Creio que o calorzinho do sol inspirou Karis, nossa filha de 5 anos, e Lucas, o filho de 7. Os dois resolveram tirar as rodinhas das suas bicicletas no mesmo dia.

Aconteceu assim: de repente, meu filho de 7, Lucas, entrou em casa e anunciou, “Tenho boas noticias! Karis já esta conseguindo andar sem rodinhas!” Eu, minha esposa, e mais alguns amigos nos reunimos na quadra de basquete no pátio da escola para ver nossa lourinha andando pela primeira vez sem rodinhas. Que coisa linda!

Porem, aí aconteceu o momento de tristeza. Um dos amigos de Lucas falou, “Olha só, Lucas. A Karis só tem 5 anos e já consegue andar sem rodinhas. E tu tens 7 e não consegue!” Como as palavras podem machucar! O rosto de nosso filho se transformou e lágrimas começaram rolar em suas bochechas. E ele exclamou, “Ele me fez sentir vergonha.”
Consolei o Lucas explicando que ele não precisava ter pressa para tirar as rodinhas e que, no momento, certo ele iria conseguir.

Vergonha não e algo bonito. Vergonha dói. Quando a sentimos, queremos nos esconder ou reagir. No entanto, vale a pena lembrar que a vergonha é importante em nossas vidas. Ela tem a função de nos avisar quando erramos e pode até salvar nossa vida. A Bíblia diz que, “Para ser sábio, e preciso primeiro temer a Deus.”

Deus utiliza este sentimento para que reconheçamos os nossos erros, peçamos perdão e tenhamos uma vida mais acertada. A pessoa que não tem respeito por Deus vai passar por muitas dificuldades pela falta de sabedoria e falta de vergonha. E, mesmo que machuque, eu prefiro sofrer momentos de vergonha e me tornar mais sábio do que ser sem vergonha e burro.

Mais uma coisa: nem bem passaram 15 minutos que meu filho falou que sentiu vergonha e ele começou andar sem rodinhas também.

Ou seja, às vezes um pouco de vergonha faz bem.



Paul Lewis Lantz
Estudante de Teologia, Estagiário da Celsp
Comunidade Luterana “São Paulo”, Canoas, RS

sábado, setembro 26, 2009

“Primeiro pese as considerações. Depois corra os riscos”.

Helmuth Von Moltke

Paitrocínio

O esporte está cada vez mais profissional. Os atletas contam com infra-estrutura, planejamento, organização, análise de desempenho, e por aí vai. Muito disso, aliás, só se tornou possível pelo aumento constante dos patrocínios, isto é, empresas, fundações ou sociedades que pagam para terem os seus nomes divulgados por um atleta, equipe ou clube. Os maiores beneficiados são os próprios atletas, que assim podem se dedicar exclusivamente aos treinos e competições (embora muitas vezes também tenham que dividir o seu tempo com campanhas publicitárias).

Entretanto, nem sempre foi assim. E, ainda hoje, muitos atletas encontram muita dificuldade para se dedicarem exclusivamente ao esporte. Isso acontece constantemente no nosso país com aqueles atletas de esportes menos conhecidos, ou que não têm tanto apelo popular na mídia. Muitos, especialmente os mais jovens em começo de carreira, só podem contar com o "paitrocínio". A ajuda e suporte financeiro provido pelos seus pais, que são seus maiores entusiastas.

Nós não somos atletas profissionais, mas também precisamos correr atrás daquilo que precisamos para nossas vidas. De vez em quando é necessário até nos virar e dar algumas piruetas para conseguir cumprir com todos os deveres profissionais sem descuidar da família. Como atletas da vida diária, só podemos contar com um "Paitrocínio". Alguém que investe "pesado" em nós e que acredita no nosso potencial. Ele investe o que tem de mais precioso e valioso, para que continuemos lutando, amando, sorrindo, trabalhando, confiando.

Este "Paitrocínio" não nos faz acreditar em nós mesmos, mas sim naquele que por nós morreu e ressuscitou e colocou a Sua "logomarca" em nós por meio da fé. E ele é muito caro: para o Pai Celeste, pois custou a vida do seu próprio Filho. E para nós, pois é por meio dele que temos a certeza de que corremos para a linha de chegada. Para receber o prêmio que valor algum pode pagar.




Rev. Paulo Samuel Albrecht
Comunidade Luterana “Cristo Redentor”
Rio de Janeiro, RJ
Devoção publicada aqui.

Light

It's true: many of us want more than we need.

That kind of longing for excess is part of our human condition. Because we want enough and more than enough, we don't desire daily bread as much as we want a bakery running 24/7.

And this kind of attitude doesn't begin and end with a desire for a lot to eat; such a desire can touch any aspect of our lives.

You know people who are not content to get a good night's sleep, or have a sound roof over their heads. What they're looking for is an ironclad guarantee the hurts and pains of this life will be kept at bay and the good and pleasant joys will always remain in their possession.

This may be why we would do well to learn a lesson from the glowworm.

Yes, a glowworm. In case you've forgotten your high school science class, the glowworm is a small insect, an insect that generates light to illuminate its path.
Understand, the glowworm doesn't light up the entire pathway or brighten the total road. What the glowworm does is this: as it takes its very small steps, as it moves across the fields, it produces enough light to illuminate the next step.

In short, the glowworm doesn't generate a lot of light -- just the light necessary to move forward.

As I said, some people can learn a valuable lesson from the glowworm. Rather than worrying about things situated far beyond their visible horizon, they should trust the Lord.

Why? Jesus' perfect life, His terrible death, and His glorious resurrection from the dead say He is a Man of His Word. If He says, as our text records, that He is with us always, then we ought to believe Him.

His presence is enough to take us safely through the unknown future to our blessed eternity.


Pastor Ken Klaus
Speaker of The Lutheran Hour
Lutheran Hour Ministries
Devotion published
here

sexta-feira, setembro 25, 2009

Dependencia

La independencia es un sueño casi todos los seres humanos. Pero, en realidad, es un sueño imposible.

Un país jamás consigue independizarse plenamente del restante del mundo. Necesita de los demás. Una empresa jamás es independiente de su red de sucursales y consumidores. Un partido político, un líder, un equipo de futbol. En él medio financiero, político, administrativo, emocional… Independencia es una palabra que hasta puede hacer parte de los vocablos, pero no hace parte de la vida real. No hay como ser diferente. Somos dependientes, desde que hemos nacidos y hasta el momento de morirse.

Ya que, inevitablemente, vamos depender, ¿Por qué no hallar esta dependencia en el lugar correcto?

Malos lugares existen muchos. Problemas en el pasado, disgustos en el presente. Dinero, poder, estatus social. Personas que piensan tan solo en ventajas. Sexo, trabajo, juegos, vicios, engaños. Cuando uno de estos es la causa de nuestra dependencia, nuestro futuro entonces independe de nuestra voluntad.

Lugar cierto, también existe. O mejor, Persona cierta. Aquel que alimenta nuestra vida, sustenta nuestro cuerpo, fortalece nuestro ser y da sentido para nuestros pasos. La dependencia de Dios es certeza de vida segura, constante y con propósito. Por medio de la fe somos conectados a Cristo y, a partir de esto, las demás dependencias de nuestra vidas ganan nuevas perspectivas. Las esenciales, reciben nuevo valor. Las prejudiciales, reciben balazos.

En este caso, el futuro también independe de nuestras ganas. Pero ahora, está dentro de la voluntad de Dios, que sabe como el futuro será mejor. Así, esta Voluntad se torna también… nuestra voluntad.

Independientemente de lo pase.






Traducción:
Pastor André Luiz Muller
Canoas, RS, Brasil

quarta-feira, setembro 23, 2009

Posso não concordar com uma só de suas palavras, mas talvez não defenderei até à morte seu direito de não pensar o como dizê-las.

(parafrase de uma citação de Voltaire)

Desentendimentozinho

Aquela discussão foi superficial mesmo? Ou poderá ter maiores consequências?
Aquele briga foi pouca, de fato, ou vai trazer resultados nada agradáveis?
Tem certeza de que foi só um desentendimentozinho? Ou o sufixo que virá depois não seria o ‘ãozão’?

De vários desentendimentozinhos diários é composta nossa caixa de entrada de raiva, de amargura dos fins de dia, fins de semana, fins de linha. Nos perguntamos como é que chegamos a esse ponto. E a vida diária nos ilustra o que nã é dificil de perceber. Olhe para o saco de lixo que você recolhe em suia casa, por exemplo. É composto de vários ‘pequenos lixinhos’. Considere a bagunça das gavetas e dos armários. São várias ‘pequenas baguncinhas’ formando o todo que incomoda. Observe a derrota do seu time. Frequentemente é feita de pequenas chances desperdiçadas.

A bagunça e excessos da vida diária, também. Começam como quem não quer nada e depois tomam conta de tudo. E nos perguntamos como tudo foi parar assim. E tudo o que mais queremos é poder de alguma forma consertar o que não precisaria ter acontecido.

O contêiner pode ser esvaziado. Os inhos podem permanecer diminutivos. Mas desde que não tentemos sozinhos.

Lançar desentedimentozinhos - e também os grandes problemões - para o cuidado de Jesus Cristo alivia a vida, organiza o ambiente, acalma a situação, Porque o ‘ão’ que o perdão concede é sempre maior do que qualquer quantidade de sentimentos negativos. A paz que Ele proporciona supera qualquer conteúdo de ressentimentos. A fé que nos liga a ele nos conecta ao melhor caminhos para o coração. E, assim, trocarmos os ‘inhos’ que se avolumam pelo carinho que se agiganta, e o cuidado que coloca principios, e não meros sentimentos, no controle da situação

Enchendo nosso contêiner de bom conteúdo.

terça-feira, setembro 22, 2009


“A ‘procura pela felicidade’ é uma expressão infeliz. Pois, se perseguir a felicidade, nunca vai encontrá-la “

C.P. Snow

Mesmo quando discordar

A divergência era inegável. Um pensava de um jeito, o outro, um pouco diferente. Um usava palavras num sentido, o outro, sentia-se discordar. Tinham um objetivo comum, é certo- o bem maior - , mas acabavam divergindo na maneira de o todo ser executado.

Após vários dias de conversas, numa volta pra casa, veio a ponderação. Oportuna e relevante, dada a importância da situação:
- Tudo bem se nos discordamos. Mas o mais importante é que, no meio disso tudo, a gente não perca a nossa amizade. Certo?

Que frase bem situada. Que pensamento oportuno!
Quantas amizades perdemos porque não sabemos discordar? Ou não sabemos respeitar.
Quantos amigos ferimos porque não sabemos ouvir? Ou ao menos escutar.
Quantas pessoas magoamos porque não sabemos conceder? Ou ao menos ponderar.
Em quantos corações pisamos porque simplesmente julgamos que o nosso é o único jeito certo de pensar?

Tudo bem, podemos estar mesmo certos e o outro não está conseguindo enxergar. Mas a prova maior desta verdade é não precisar destemperar. Afinal, se estamos certos mesmo, porque brigar? Toda verdade sempre acaba sendo auto-evidente.

Quando o Mestre decidiu vir em nossa direção, felizmente Ele agiu diferente. Sabia desde logo que nós estavamos errados e Ele, certo. Mas no fim, parecia que o ser humano é que estava certo, e Jesus Cristo completamente enganado. Afinal, acabou sentenciado a uma cruz.

Tudo para nos mostrar o valor de uma amizade: Ele nos tornou amigos de Dus. Como amigos, temos proximidade, temos acesso, temos paz. Temos conversa, ouvidos a nos escutar. E, principalmente, um Amigo que compreende, mesmo estando sempre certo. Pois quer nos ver acertar, trocar o erro pelo perdão, trocar a vida orgulhosa pelo viver com aceitação. E viver esta consideração e cuidado com os amigos que valem a pena guardar.

Tudo bem se nós erramos. O mais importante na vida é continuarmos a ser amigos. De Deus, pela fé. E dos amigos, pelo amor e compreensão.

Mesmo quando a gente discordar.

sexta-feira, setembro 18, 2009

“Siga seu coração”. E se ele estava seguindo você?

Culto Gauchesco

(Foto: Paulo Pons)




Neste domingo, o Toque de Vida traz um momento especial: o Culto Gauchesco da Comunidade São Paulo, gravado no Galpão Crioulo da Ulbra. Participação do cantor nativista Carlos Magrão.




A Palavra de Deus e o louvor dentro do linguajar tradicional gaúcho.




Confira! 8h da manhã.


“Uma mulher estava passando por momentos muito difíceis. Problemas no casamento, emprego insatisfatório, saúde um pouco abalada.... A dificuldade era tanto que ela estava a ponto de desistir. Sentia-se sozinha, rejeitada, muito isolada. Tentara de tudo para melhorar, mas nada parecia dar certo. Finalmente, chegou a um ponto de concluir que não havia mais saída. Nunca mais teria alegria em sua vida.

Um dia, depois de um longo tempo sentada na cozinha chorando, notou que um pardal, de alguma forma, entrara no recinto. Ela então abriu a porta, para que ele pudesse voar embora. Para sua surpresa, o pássaro começou a tentar sair pela janela fechada que havia logo acima da porta! Várias vezes ele tentou atravessar a janela fechada, colidindo com o vidro. O animal foi ficando cada vez mais fraco a cada tentativa. E voava cada vez mais baixo, até que nem conseguia mais voar. Foi então que, fraco demais para voar, ele simplesmente caminhou porta afora. Enquanto ela observava, o pardal foi recuperando suas forças e, finalmente, conseguiu voar novamente.

Foi como se Deus literalmente abrisse seus olhos da fé. Ela estava agindo exatamente como aquele pássaro, tentando do seu jeito sair da situação difícil em que se encontrava. Cada vez que simplesmente reagia do seu jeito ao que acontecia, - blam! de encontro ao vidro. Ela agora se dava conta de que precisava fazer como o pardal – humildemente caminhar no poder da graça e misericórdia de Deus e deixar que Ele, do jeito Dele, cuidasse de seu coração, suas dores e dificuldades”.

Sozinhos, só vamos encontrar muitos vidros contra os quais bater a cabeça.

Caminhando em Cristo, com humildade e fé, nunca nos faltarão portas abertas pelas quais caminhar, seguir a vida

Voltar a voar.


Fonte da ilustração:
Sermon Central

10 meros


10 metros. Esta distancia pudo salvar mi vida.

Yendo al trabajo, necesitaba, en dado momento, decidir en cual de dos calles doblar a la izquierda. Diez metros de distancia una de la otra. Últimamente acostumbraba ir por la segunda. Pero he resuelto entrar en la primera.

Bajé la velocidad, accione el señalero y, por esta en la faja principal, apenas seguí mi camino. No veía que, desde mi derecha, sin ni siquiera frenar, un camión, de estos con carreta, invadió la pista pasando quizás a menos de 2 metros de mi coche. Si tuviera escogido la segunda calle, en aquel exacto momento estar en su camino de choque.
Podría tener acontecido apenas daños materiales. Y podría no.

Es la clase de situación que nos hace recordar motivo para agradecer a Dios. Agradecer por la vida y por tener cada nuevo día como un regalo suyo.

“Hum… mas es fácil agradecido al librarse”, quizás alguien hablaría. Correcto. Pero, aun si el accidente tuviera ocurrido, habría motivos para agradecer. Sea por el daño apenas materia. O por daño físico no tan grave. O, aun todavía, por la razón de que, caso fuera llegada mi hora de partir, seria directo para los brazos del Padre.

E esto no porque se me antoja, sino porque El escogió venir en mi dirección. En dirección de todos los seres humanos. El hecho de Jesucristo tener escogido caminar la distancia que le separaba de la cruz nos garante Dios con nosotros en cualquier situación. Cuando la fe está presente, tenemos vida, sea aquí o en la eternidad.

Fe que no libra y nos da estas certezas: podemos vivir agradecidos, en cualquier situación. Y podemos escoger cualquier camino teniendo siempre la certeza de su orientación. Puede que no sea una calle, una esquina o camino. Pero puede ser un gesto, una acción, una prueba de amor. Tocar al freno de la lengua, prender el señalero cuando la calle es sinuosa y cambiar la dirección. Manejar por Camino Seguro. Agradecer por cada mero de suelo.

Escojas que pueden diminuir a milímetros muchas de las distancias entre las personas. Y engendrar mucho más que 10 metros de alegría y gratitud.



*****************************

Traducción:
Pastor André Luiz Muller
Canoas, RS, Brasil

Future me

Futureme.org is a website where you can send messages to yourself. But in the future, that is, your future self. The guys who invented it wrote: “it's sorta cool to receive a letter from yourself about where you thought you'd be a year (two years? more?) later. FutureMe.org is based on the principle that memories are less accurate than emails. we strive for accuracy.”

That's an interesting exercise, in fact, to wonder how your life is gonna look in 3, 4 or 5 years.

So, if you were to write something, what it would be?
_Dear Future Me: I hope you're out of that huge debt that you are in right now.
_Dear Future Me: Are you happy now that the mortgage is paid? Thanks to both of us!
_Dear Future Me: Congratulations! Thanks to my efforts right now you are living according to your dreams!
_Dear Future me, how does David Letterman’s life looks like in retirement?

Or other more serious feelings:
_Is the pain about my past gone? Please tell me that you let it go.
_Please tell me that you didn't quit working on that important relationship.
_I hope that you finally got rid of that rotten behavior from the past.
_Who did I marry? I hope I chose well.

When we try to look into the future there's little that we can write being 100% sure. It's too unpredictable.

Well, almost nothing is that way. Because if there's something that you can write in an email, carve in a stone or indent in steel it is: "Dear Future Me: I'm sure that God is with you right now just as he's here with me now."

God is the same always. And always will be. In Christ, our complete past, he provides our secure future. By faith He assures our heart that no matter what comes next, He will come first. In the sense that everything is his loving care and planning. We can step into next day, next week – into the future – knowing that His words carved in our hearts by faith will sustain us in whatever future the future will bring.

In His hands then both you and your Futureyou have quite predictable days to come.



Text revision:
Kim Starr
Milwaukee, Wisconsin, US.

quinta-feira, setembro 17, 2009

“Todo grande problema foi um dia uma pequena incomodação”.

(Desconhecido)

Toque de vítima

Ela está lá, dentro de cada um de nós. Aquela fagulha, faísca, ou mesmo a imensa chama que, mais hora, menos hora, nos arrasta para este sentimento: nos fazermos de vítima.

Sentimento que, de alguma forma, também nos dá um certo grande prazer.

Pois fazer-se de vítima é confortável. Transfere a responsabliildade que, conforme a vida segue, começa a pesar.
Sentir-se vítima é prazeroso. Faz o ego ter chance de tripudiar sobre aqueles que se considera como vilões.
Agir como vítima é oportuno. Gera possibilildades de, no futuro próximo, a vitima assumir o controle. E tornar-se vilã.

Aparentemente, o toque de vítima que todos temos guardado em algum canto do coração sempre espera pacientemente. Então, em algum momento, uma critica, alguma situação, uma opinião discordante criará o terreno fértil para a semente da auto-complacência. Que vem forte, saudável e carregando alguns frutos.

Mas dentro de cada um de nós também pode morar não um complexo, mas a Vítima Ela mesma. Um homem que foi inocente de tudo quanto lhe acusaram. Mas que escolheu seguir até o fim no que queria fazer. Não sentou e chorou, não agrediu e acusou, não reclamou gratuitamente. Jesus Cristo, a vítima mais inocente da História, trouxe vida para o coração. Pela fé, aquela vítima que se escorre pelas veias de cada um de nós pode perder seu espaço. Ter diminuída sua força. Ser expurgada com doses de Seu amor, segurança e firmeza.

Amor que nos coloca dentro de uma vida dependente de Deus, mas independente do que nos prende. (E vitimização, não há dúvida, é uma das maiores prisões de cela aberta de que se tem noticia). Livres para viver com alegria e responsabilidade, temos também condições de estender a mão. Olhar para tantos ao nosso redor que ainda não descobriram que podem sair pela porta da cela na qual escolheram se enclausurar. E viver a vida de coração cheio do ‘complexo de vitaminas’ que a Palavra oferece para nossa fé.

Dentro de cada um de nós, portanto, Jesus quer mudar este toque de vítima. Quer fortalecer a certeza de vida que somente Seu toque pode dar.
“Muitas das verdades básicas da vida parecem absurdas quando ouvidas pela primeira vez”.

Elisabeth Goudge

Vê-los lá


“Quando o Bispo Philip Brooks estava seriamente doente, solicitou que nenhum de seus amigos viesse vê-lo. Mas quando um conhecido seu, chamado Robert Ingersoll, famoso propagandista anti-cristão, veio para vê-lo, Brooks permitiu que ele entrasse imediatamente.

“Aprecio muito sua consideração”, disse Ingersoll. “Especialmente sabendo que você não está permitindo nem que seus amigos mais próximos o visitem.”

Philip Brooks respondeu:

‘Oh, é porque estou confiante de que vou encontrá-los no mundo que há depois desta vida. Mas quanto a você, talvez seja minha última chance de vê-lo.’ “

Existe vida depois da vida. Eterna. E ela é definida já nesta vida, que é a única que temos para viver. Que bom saber que, pela fé em Jesus, Deus vem nos ver diariamente aqui. E que, no mundo que vem, nós vamos vê-lo lá. Junto com todos os que fazem parte desta grande família de fé.




(Fonte da ilustração)

terça-feira, setembro 15, 2009

“A ingratidão prova: Não há nada que envelheça tão depressa como um benefício".

Aristóteles

Progredir

Sábado foi dia de participar da Feira do Livro da Escola São Pedro, de Cachoeira do Sul, RS. Evento bem organizado que, no seu último dia, abriu espaço para o Toque de vida, a convite da Diretora Fabiana. Um talk show organizado por alunos, sob a coordenação da professora Lisane, no qual se conversou desde escolha profissional até conceitos religiosos e teológicos.

Sobre o momento, um comentário da professora chamou atenção. Ela relatou que tudo foi criado e formatado pelos próprios alunos. Ela apenas orientou e ‘aparou as arestas’. A idéia era que tudo fosse deles para que o resultado final ficasse do jeito deles. E, como consequência, a responsabilidade de zelar para que tudo desse certo - água para os falantes, silênco no auditório, participação do público... - , também.

Isto me levou a pensar nas vezes em que nos enganamos, achando que podemos fazer alguém progredir. Errado. Podemos tentar ajudar, orientar, sugerir e até mesmos não falar nada, apenas estar ao lado. O resultado, entretanto, não acontece se não parte de dentro. Se as próprias mãos, mente e coração não estiverem dedicadas a esta construção, a coisa não anda. E os sentimentos começam a bater à porta: vítimização, culpa, frustração....

A parte mais dificil da vida Jesus Cristo já fez – nos reconstruiu por dentro, dando paz com Deus pela fé. Para que, na menos dificil, mas sempre desafiadora, partindo de dentro tenhamos orientação, força e coerência para seguir. Reconhecer o que está errado. Seguir em frente buscando o certo. Para que a responsabilidade esteja presente na vida pessoal. Sempre sustentados pelo Pai, presença sempre acessível. Não para um talk show, mas para que em nosso cotidiano não falte a conversa que nos fortalece para viver.

Por falar em cotidiano, uma das perguntas dos alunos foi: “Os exemplos do Toque de Vida o sr. inventa ou são fatos reais?”

A mensagem de hoje ilustra parte da resposta.

sexta-feira, setembro 11, 2009


Cachoeira do Sul


_Pastor Lucas participa da Feira do Livro da Escola Ulbra São Pedro, em Cachoeira do Sul, a convite da Diretora Fabiana. É no sábado, 12.09, pela manhã.

A programação inclui um talk show liderado por alunos do Ensino Médio, sob coordenação da professora Lisane


___________________________________


Frase:

“Mais poderoso é aquele que mantém a si mesmo sob controle”.

Sêneca

Ligações

Em 2004, conhecemos a família Kimball, quando estiveram aqui na Ulbra. Moradores do Brooklin, NY, criaram uma ligação muito forte com o Brasil.
Em fevereiro de 2006, durante a nossa viagem aos EUA, o Pastor Paulo e eu tivemos a oportunidade de estar em Nova Iorque. Conhecemos não apenas a residência e um pouco da vida de nossos amigos como também vários pontos da cidade. Estivemos no Ground Zero, em Manhattan, local onde uma vez estiveram as Torres Gêmeas.
Em março deste ano recebi uma sondagem de uma comunidade luterana em Nova Iorque, perguntando sobre a possibilidade de aceitar um chamado para ser seu pastor. Era parte de um processo de consulta a vários pastores, normal na Igreja por lá.

De várias maneiras, portanto, minha vida, como certamente a de muitas pessoas, tem uma forte ligação com a cidade.

11 de setembro, portanto, é mais um dia em que esta ligação vem à tona. A frase específica de relembro hoje é da Dorcas Kimball. Na época, comentando os ataques terroristas, disse: “A cidade nunca mais foi a mesma depois daquele dia. Tudo ficou diferente”.. A cidade e esta geração de nova-iorquinos, testemunhas oculares da história, tiveram suas vidas mudadas para sempre.

Um fato trágico mudou para sempre a história de uma cidade, deixando no ar um clima constante de ansiedade e medo. Já a morte trágica de Jesus Cristo mudou para sempre a humanidade também. Mas deixando não no ar, mas para os corações, um clima de paz e segurança. Mesmo frente aos piores terrores. O mundo não foi mais o mesmo depois daquele dia na Palestina, no marco da História que dividiu a própria História. Jesus Cristo escolheu Ele mesmo ir contra a morte – e vencer - para que nós pudéssemos ter vida.

Assim temos força e confiança frente aos terrorismos do cotidiano. E da vida inteira. Pois este fato, quando passa a fazer parte da nossa vida pela fé, muda completamente a nossa história pessoal. E, tendo a Ele como nosso fundamento, nossas ligações cotidianas são fortes, duradouras e próximas. Conexões que compartilham a fé e a alegria de sermos chamados a pertencer a esta ‘cidade eterna’, mesmo morando em cidades distantes. Pertencermos à mesma família, ainda que em residências afastadas. Termos nacionalidades distintas, mas um só coração, um só Piloto, um só destino final.

Depois deste encontro pessoal, portanto, tudo fica diferente. E jamais seremos os mesmos.

Follow Friday

It's a regular movement on Twitter every week. The Follow Friday (# ff ). Twitters suggest other twitters' profiles to their followers.

In case you are not familiar with, on Tweeter you make a profile of yourself, then you can follow someone's profile. You can then be followed, too. So you can have a crowd of followers. Another feature of this social media network is that you can retwitt the posts (twitts) of others, that means share many profiles (of those you know and don't know) with all of your followers. Now it became a Friday tradition among twitters worldwide to retwitt several profiles...known as Follow Friday.

Followers are in the Christian faith, too. But in this case, all the followers must go after One single Profile, Jesus Christ. He alone has the 'posts' that lead us to Salvation. He brought this to people worldwide on a Friday, Good Friday. Christ 'retwitts' forward to everyone who by faith in him is connected to God's real network. That's our new profile: Child of God.

Not many followers retwitt His profile very often, though. They don't even regularly forward his profile. Many skip Fridays, Sundays and don't even contact him by tweet once a year. But He doesn't get angry by blocking or clicking 'unfollow' to any one at all. (That's our way of blocking on Twitter.) He is always loving and forgiving, because he understands our 'offline' moments, far from his Word. Then His voice comes not in a tiny tweet but in a sound woofer to tell our hearts that by faith he makes us his followers.

He promises to follow with us wherever we go. Our profile is never blocked from his sight and from his love. It's kind of a Follow Freely Everyday.

So what about following Him Friday...to Friday?



Text revision:
Kim Starr
Milwaukee, Wisconsin, US.

quinta-feira, setembro 10, 2009

“Um copo cheio precisa ser carregado com cuidado”.

Provérbio inglês

Experiência

Uma das minhas irmãs trabalha na Microsoft, em Curitiba, PR, e outro dia enviou um email: “Em breve a Microsoft lançará uma nova tecnologia no jogo Xbox. Quando tiverem um tempinho, entrem nesse link para conferir how amazing it is *. Chama-se Projeto Natal.”

Trata-se de jogos de videogame que não precisam de controles. Tudo feito com as mãos, com os pés, a cintura – com o corpo. Mas é realmente algo impressionante. Para jogar boxe, você ‘soca o ar’. Para jogos de corrida, você senta e ‘segura o volante’ virtual. E assim por diante. Sem fios, sem controles. Este não é um texto pago, estou comentando livremente porque, visitando o site promocional, uma frase me chamou a atenção. Para jogar esta nova tecnologia, a empresa afirma: “A única experiência necessária é a experiência de vida”.

A vida é um game que não se joga sozinho, se não, ele logo vira ‘over’. Para dar sentido e vida plena ao nosso ser, existe um outro projeto Natal, mais abrangente, mais completo e definitivo. O Projeto Natal do próprio Deus, no qual Jesus Cristo vem ao mundo para nos livrar os fios e amarras, do controle do pecado. E pagou isto com sua vida. A Sua experiência de vida.

É esta experiência, esta obra, que nos dá, pela fé, existência livre, e mesmo assim, conectada a ele. É a experiência certa para um jogo da vida que realmente valha a pena. Pois adquirirmos experiência de vida jogando com todas as forças, habilidades, conhecimento, sabendo que, em última análise, o controle remoto – mas sempre presente – está nas mãos Dele.

A única experiência necessária, portanto, é experimentar este Amor que preenche o coração e move nossos pés, mãos, coração - corpo inteiro - a crer, lutar e sorrir.

How amazing it is!



(*como é incrível!)

terça-feira, setembro 08, 2009

"É difícil ser livre sozinho; precisamos de alguém para abrir o cadeado".

Erivaldo Júnior

Ordem

Aniversário do seu carro. Você já pensou em celebrá-lo com uma festinha - amigos e parentes e tudo o mais? Hum, talvez não seja uma boa... Provavelmente seria considerado loucura... Ou não? Às vezes, na sociedade moderna, não se sabe se a distância que nos separa de algumas loucuras não é menor do que achamos que seja.

Por exemplo, já existe festa de aniversário para cachorro. Há rostos, pernas e outras partes do corpo de pessoas que recebem mais investimentos do que famílias inteiras. Pessoas gastam milhares de reais em apenas uma noite de festa, para proveito próprio (enquanto talvez se critique quem dá sua oferta para uma igreja séria - proveito do coletivo).
E mais. Pessoas matam pessoas apenas para terem cargos. Pessoas passam por cima de pessoas apenas para adquirirem mais bens. Pessoas desprezam pessoas para manterem o que têm. Pessoas exploram pessoas para poderem acumular mais bens. Pessoas amassam a cara de pessoas que eventualmente tenham feito um amassadinho na lata de seu automóvel.

Isso me lembra a história de uma leitora do toque de vida, enviando um exemplo do seu cotidiano. “Estávamos todos no carro numa auto-estrada. De repente, um caminhão carregado com muito material na carroceria começou a nos apertar contra o acostamento. Um de nós disse: "Bah! esse caminhão tem uma baita carga. Ele é muito mais importante do que nós” (no caso de um acidente e sua carga se perdida). Mas, então, discutimos: será que ele é mais importante mesmo?! Afinal ele está transportando bens materiais e nós temos vidas dentro do carro! Nós sim, temos muito mais a perder!”

De fato, qual é a carga mais importante? Esta pergunta é reveladora. E necessária. Pois é mais importante conservar os passageiros do que a lataria do veiculo. Amar mais as pessoas do que os bens que elas têm. Ter mais consideração pelas pessoas e não pelos cargos que ocupam ou vantagens que pareçam sinalizar. Precisamos dar mais valor ao conteúdo do que calcular o valor da forma.

Por isso, precisamos todo dia mais do valor que o Pai nos concede, pela fé: somos fihos. Somos únicos. É com este conteúdo oferecido por Jesus Cristo que colocamos as celebrações e valorizações de nossa vida na ordem de prioridade correta. Cada uma no lugar que merece estar. E todas como presentes de Deus para o nosso bem e do nosso semelhante.

Isso não ser promoção de concessionária, mas é uma oferta imperdível. De Deus. E que não é só esta semana, não. Vale pra vida toda.

sexta-feira, setembro 04, 2009

“O princípio do amor é deixar aqueles que amamos serem eles mesmos, e não mudá-los para se ajustarem à nossa própria imagem. Se não, amamos apenas o reflexo de nós mesmos que vemos neles’’.

Thomas Merton

Sorteio

Confira o sorteio da promo~ção "Tenho 100o ídéia', alusiva ao Programa 1000 do Toque de Vida na Ulbra TV.
Os 2 primeiros ganhadores levam Livro do Toque de Vida (Editora da Ulbra), caneta da Ulbracom e DVD do Planeta Gospel (Editora Concórdia); a terceira leva Livro, caneta e CD do Planeta.

A promoção foi exclusiva para os leitores do Toque de Vida por email. Quer participar-se das próximas? Peça seu cadastro! toquedevida@ulbratv.com.bnr


video

Dependência

A independência é um sonho de praticamente todo o ser humano. Mas, na prática, é um sonho impossível.

Um país não consegue ser independente do resto do mundo. Precisa dos demais. Uma empresa nunca é independente de sua rede de fornecedores e consumidores. Um partido politico, um lider, um time de futebol. Financeira, politica, administrativa, emocional... Independência é uma palavra que pode até fazer parte do vocabulário, mas não faz parte da vida real. Não há como ser diferente. Somos dependentes, desde que nascemos até o momento de morrer.

Já que, inevitavelmente, vamos depender, porque não derivar esta dependência do lugar certo?

Lugares errados existem aos montes. Problemas do passado, mágoas do presente. Dinheiro, poder, posição social, aparência. Pessoas que só tiram vantagem, desvalorizam, desencaminham. Sexo, trabalho, jogo, vicios, erros. Quando algum deles é a fonte da nossa dependência, nosso futuro então independe da nossa vontade.

Lugar certo, existe também. Ou melhor, Pessoa certa. Aquele que alimenta nossa vida, sustenta nosso corpo, fortalece o nosso ser e dá sentido para nossos passos. A dependência de Deus é certeza de vida segura, constante e com propósito. Pela fé somos conectados a Cristo e, a partir daí, as demais dependências de nossa vida ganham nova perspectiva. As essenciais, recebem novo valor. As prejudiciais, recebem chumbo grosso.

Neste caso, o futuro também independe da nossa vontade. Mas agora, está dentro da vontade de Deus, que sabe como o futuro será melhor. Assim, esta Vontade torna-se também a nossa.

Independente do que venha acontecer.

Comment spread

Every now and then I receive Facebook messages in my inbox showing me a ‘comment thread’. That refers to a specifc 'post' I've made in someone's profile with other people doing the same. That lets me read what others say: agree, disagree, think about that topic. When I've read it bad words or offensive thoughts have never been used. Nor even harsh disagreement.

But what about the comment thread in the face to face relationships? Well, actually in the ‘behind your face’ daily networks?

Well, in this social networking we sometimes sadly see a book of bad faces with bad tongues. This comment thread leads to harm and not the original intention. It gives us a look over our neighbor's fence. Into our neighbor's life. This kind of judgment comes too fast - what we "think we know well." Opinions we commit ourselves to that can be as deep as a drop of water on the ground!

Yep, that's us. Words said without thinking. Judgments made without pausing. Condemnation.

Fortunately for us our heavenly Father doesn't do the same. Otherwise our life would be a 'hanging thread' because His judgment would correctly be fast and sharp. None of us can escape his Word that condemns our sinful nature, our failure thread.

Yet, He shows another way. The Way. The Truth. The Life. Christ, which in His Thread of Action culminates on the Cross. The thread has a new beginning with Him. Now through faith He calls us to a different thing: a comment spread. A different content spreading a different way of life. In Him we can be fast to love and delay the criticism. Fast to help, slow to judge. Slow to keep it inside, fast to make it a spread. Spread of the Word, the Way, the worth we have when having the thread of our life woven by His Love.

That’s not for every now and then. But for every day now.


__________________________

1000th

‘Touch of life’, the daily show presented on Ulbra TV (Porto Alegre, Brazil) approaches its edition number 1,000! It will be aired on Sunday, 09.06. The show presents daily six minutes of Christian music and message. On Sundays it brings the Lutheran Sunday Service (60 minutes) recorded at Ulbra’s University Chapel.

Touch of Life is on air since nov, 2004 when Ulbra TV was launched. It is the channel’s longest running program. Ulbra TV’s signal reaches 7 States of the Nation reaching a potential public up to 4,000,000.

“The LORD has done great things for us; we are glad” (Ps 126:3)




*****************************

Text revision:
Kim Starr
Wisconsin, USA.

Espumadera


La esposa fritaba croquetas de arroz en la cocina. Pero no sólo eso, pensaba también en como estaba difícil la situación con el hijo adolescente. Preparaba las papas para la fritura en otra palangana y no conseguía olvidar aquella compañera maldosa del empleo. Mantenía un ojo en el arroz y el otro en la carne, pero sin dejar de mirar hacia el futuro financiero, que parecía no ser provisor para la familia.

“¿Que haré ahora? Era su pensamiento constante. Mirando a su frente la paila caliente, sintiéndose como aquellas croquetas. O como aquellas papas crudas, casi a enfrentar el calor del aceite.

El marido entro en la cocina y hablando, escuchó las lamentaciones de la esposa. Con paciencia, comprendió la angustia de ella. Y le sorprendió la repetición, por tres o cuatro veces, la frase: “¿Que haré ahora?”

Después de un rato, ofreció ayuda y se acercó al fogón. Entonces, alcanzó la mano para sacar las croquetas de la paila. Llevó una tapa en la mano y escuchó la represión:
‘¿estás loco? Si hacer eso quemarás tus dedos!”

- ¿Como haré entonces? Pregúntale.
(Paréntesis: Maridos son medio tontos, confeso, para cuestiones de cocina, pero esto ya era demasiado. Seguro que estaba confabulando algo. Y tenía.)
Ella se recordó:
- ¡Usted necesita usar la espumadera!
El hombre tomó el objeto, retiró las croquetas y, entonces, dijo;
- Mi amor, es eso que vos estás intentando hacer en este momento. Enfrentar la ‘fritura’ con la propias manos.
Con un suspiro, ella entendió. Y se puso de acuerdo;
- ¡Si, tienes razón!....
- Piense bien, nosotros no tenemos como enfrentar evitar la ‘fritura’ financiera, o familiar, sea cual fuera. Necesitamos enfrentar, inevitablemente. Pero no necesitamos quemar las manos. Tenemos maneras, espumaderas a nuestro al alcance de las manos con todo eso que está te preocupando.

Y por fe, colocada por Jesús en nuestras manos, lo mejor, en nuestro corazón, que podemos mirar de un modo diferente para nuestros días. No para huir del calor de las responsabilidades, mas para enfrentar bien aparejados. Puede haber un respingo de aceite aquí, o algo un poco quemado allí. Pero sin duda es mejor ser seguro. Orientación y seguridad para no estar desatento.

Es así que se hace. Sea la temperatura, grado de fidelidad el tamaño de desafío que eso significa.



Traducción:
Pastor André Luiz Muller
Canoas, RS, Brasil

quinta-feira, setembro 03, 2009

“Não sejam apenas ouvintes dessa mensagem, mas também praticantes”.

(Livro de Tiago 1.22)

Fale mais sobre isso

Na vida diária, esta frase clássica emprestada da psiquiatria (mesmo que hoje já não seja tão usada sob este chavão) pode ou não ser utilizada com frequência. Depende do contexto.

Sobre quais assuntos não gostamos do “fale mais sobre isso”?
_Ameaça de demissão
_Derrota do time
_Crise financeira
_Erros pessoais

Mas há outros, mais profundos:
_Doença
_Culpa
_Amargura
_Decisões que precisamos tomar, mas não queremos
_Pessoas que precisamos confrontar, mas não queremos
_Morte

Todos temas muito difíceis de se aguentar ouvir, ainda que, em certos momentos, inevitáveis.

Por outro lado, há os assuntos sobre os quais estamos sempre prontos a ouvir. ”Fale mais sobre...”
_Aumento de salário
_Viagem de férias
_Proposta de emprego
_Churrasco com os amigos

Mas tem mais. “Fale mais sobre...”:
_Perdão
_Apoio
_Compreensão
_Seu amor por mim
_Por que você é meu amigo
_Orientações práticas para a vida
_Fé.

Neste último quesito, não é apenas querer. Precisamos ouvir falar. Quando se trata da Palavra, podemos e precisamos ouvir muito, muito e mais ainda. Precisamos ouvir todo o ‘isso’ que ela tem a falar, pois se trata o fundamental para o nosso ser. Quando Jesus Cristo fala, nosso coração precisa estar pronto para ouvir.

E não apenas ouvir. Também praticar. Pois, fundamentados Nele, decisões podem ser tomadas, compromissos podem ser honrados e riscos podem até ser corridos com mais segurança. E inclusive os temas ‘não fale sobre isso’ são melhores encarados, pois Aquele que fala também é Aquele que age, protege e abraça. Orienta. Conduz.

Fé em Deus, vida com Ele. Fale mais sobre isso.

E também coloque em prática.

terça-feira, setembro 01, 2009

10m


10 metros. Esta distância pode ter salvado minha vida.

Indo para o trabalho na segunda-feira, precisava, a certa altura, decidir em qual de duas ruas dobrar à esquerda. Dez metros de distância uma da outra. Ultimamente costumava ir pela segunda. Mas resolvi entrar na primeira. (A mesma rua do
Toque de Vida sobre o amigo que recebeu os ‘avisos’).

Diminuí a velocidade, acionei a seta e, por estar na preferencial, apenas segui meu caminho. Não vi que, da minha direita, sem nem ao menos beliscar o freio, um caminhão, destes com caçamba, invadiu a pista passando talvez a menos de 2 metros do meu carro. Caso eu tivesse escolhido a segunda rua, naquele exato momento estaria em sua rota de colisão.
Poderia ter acontecido apenas danos materiais. E poderia não.

É o tipo de situação que nos relembra motivos para agradecer a Deus. Agradecer pela vida e por ter cada novo dia como um presente Seu.

“Hum...mas é fácil ser grato no livramento”, talvez alguém diria. Correto. Mas, ainda que o acidente tivesse acontecido, haveria motivos para agradecer. Seja pelo dano apenas material. Ou pelo dano físico não ser grave. Ou ainda, em ultima análise, pelo fato de que, caso fosse minha hora de partir, seria direto para os braços do Pai.

E isso não por minha escolha, mas porque Ele escolheu vir na minha direção. Na direção de todos os seres humanos. O fato de Jesus Cristo ter escolhido caminhar a distância que o separava da cruz nos garante Deus conosco em toda e qualquer situação. Quando a fé está presente, temos vida, seja aqui ou na eternidade.

Fé que nos liberta e nos dá estas certezas: podemos viver agradecidos, em toda e qualquer situação. E podemos fazer escolhas sob Seu cuidado e direção. Pode não ser uma rua, esquina ou estrada. Mas pode ser um gesto, uma ação, uma prova de amor. Beliscar o freio da língua, ligar a seta quando a estrada é enganosa e mudar de direção. Dirigir pelo Caminho Seguro. Agradecer por cada metro de chão.

Escolhas que podem diminuir a milímetros muitas das distâncias entres as pessoas. E gerar muito mais que 10 metros de alegria e gratidão.