terça-feira, abril 29, 2008

Promoção "ganhe a agenda'

Foi sorteada hoje a agenda 2008 da SBB, promoção exclusiva para os leitores do Toque de Vida por e-mail.

E a ganhadora foi a leitora Lilian Nobre Murlik, que respondeu na sexta-feira mesmo, 25.04, às 16:33. Parabéns Lilian, e obrigado a todos os que participaram!

Abaixo, o vídeo do sorteio, com a presença do Pastor Gerhard Grasel, capelão Geral da Ulbra.



Em breve, mais promoções exclusivas para os leitores.
Quer participar? Cadastre-se no Toque de Vida por e-mail:
toquedevida@ulbratv.com.br

Conte-me como

Conta-se que um ministro tinha na porta de seu escritório a seguinte frase; “Se você tem problemas, entre e conte-me a respeito deles. Se você não tem problemas, entre e conte-me como você consegue isto”.

O humor da frase revela o alívio que sentimos quando podemos dizer: ‘sim, eu sou normal. Eu tenho problemas’. Pois neste mundo visualmente orientado, onde aparência e sucesso contam mais que essência, nossa maior neurose é a ânsia por parecermos sempre bem. Até mesmo quando perguntamos para alguém “e aí, tudo bem?”, nem sempre paramos para ouvir a resposta, pois pressupomos que tudo está, ou tem que estar bem. Até em circulos religiosos a moda pegou com força, quando ter fé é sinônimo somente de vitórias, sucesso, conquistas. O que pode deixar sérias dúvidas, especialmente quando olhamos para personagens biblicos como Pedro, que negou a Jesus, Paulo, que teve que conviver com um espinho na carne, ou os discipulos de Jesus, que chegaram até ‘disputar beleza’ diante do Mestre.

Ainda bem que o parâmetro correto vem da Palavra, e ele não deixa dúvida:. “todos pecaram e precisam da glória de Deus”. O que significa que todos temos problemas. Se alguém não tem, é provável que também já não seja alguém, isto é, já partiu. Pois enquanto estamos vivos, continuamos com a sensação de que sempre há algo mais a fazer, alguma dificuldade a mais a superar, alguma questão a resolver.

O bom é que sabemos que o principal problema, Jesus resolveu, quando nos deu a oportunidade de, pela fé, termos paz com Deus, vida plena, conteúdo para o coração. Com este definido, todos os demais entram em perspectiva. Até não somem, mas ganham outra aparência. Bem menos monstruosa por sinal.

Sim, nós somos normais. Temos problemas. Mas pela fé, somos também filhos.
O que nos traz a melhor solução.

segunda-feira, abril 28, 2008

sinal

“Sempre que ouço ‘isso não pode ser feito’, sei que estou perto do sucesso”.

Michael Flatley

Herói

Michael Monsoor era combatente de elite da Marinha no Iraque. Estava em determinada posição na cidade de Ramadi, em 29 de setembro de 2006, com mais alguns soldados, quando seu peito foi atingido por uma granada, que caiu no chão de onde estavam. Monsoor tinha duas opções: salvar a si mesmo ou salvar seus amigos. Ele poderia ter corrido, mas preferiu a segunda opção. Atirou-se sobre a granada e absorveu no tórax todo o impacto.

Matou no peito. E deu sua vida pelos amigos.

Um dos colegas cuja vida foi salva declarou: “Naquele dia, Michael olhou a morte nos olhos e disse: ‘você não vai levar meus amigos. Eu irei no lugar deles’ ”.

Um gesto heróico que talvez poucas pessoas fariam. Ou, fariam por bem poucas pessoas em sua vida. Sob esta ótica, fica claro o grande amor de Jesus Cristo. Quando foi pregado inocentemente a uma cruz, olhou a morte nos olhos e disse: “você não vai pegar meus irmãos. Eu irei no lugar deles”. E não apenas por 3 ou poucos amigos. Deu sua vida pela humanidade inteira. Inimigos, inclusive.

Ele matou no peito a tarefa para a qual veio, e combateu até o fim.

No início deste mês, Michael Monsoor recebeu uma medalha de honra póstuma. Já o Mestre não recebeu prêmios, mas o que Ele mais quer, sem dúvida, é receber corações agradecidos, confiantes, lutadores . E que ‘matam no peito’ as dificuldades que a vida apresenta por serem combatentes liderados pelo Grande Herói.




Ilustração via LHM

sexta-feira, abril 25, 2008

Pêndulo


Fonte da imagem

Um tribunal de nova Jersey decidiu que o técnico de uma equipe escolar, durante a oração dos atletas, não pode mais baixar a cabeça ou ajoelhar-se com os atletas.
O treinador não estava defendendo nenhuma religião especifica. Não fez ele mesmo a oração, e nem obrigou os alunos a fazerem. Apenas queria demonstrar respeito pela vontade da maioria.

Mas os juízes não pensam assim. Acham que ele pode fazer tudo: olhas pros lados, pra cima, conversar com alguém, até sair da roda, mas não pode fazer um gesto que poderia dar a entender que ele concorda com aquilo, para não ‘ofender’ o princípio de laicidade do Estado. Ou seja, para não ‘concordar’ com a oração, ele deve desrespeitá-la.

Um caso claro de que o pêndulo está indo demais para o outro lado.


Via LHM
Noticia

por escrito

Foi um momento que todos os que estiveram lá ainda devem recordar.

Era inverno de 2003 e os jovens de Campo Bom realizavam seu retiro anual. Para o sábado à noite, a organização, mais especificamente a Eloise e a Elena, apareceu com envelopes para cada um dos presentes. Nominais. Após distribuírem, o conteúdo foi aberto.

Uma surpresa para todo mundo. Elas conseguiram, com os pais de cada um dos participantes, uma carta. De amor, certamente, pois quando um pai ou mãe escreve para um filho, quase não há palavras que descrevam o que o coração quer dizer

As reações foram as mais diversas, e ao mesmo tempo, parecidas. Cada um, do seu jeito, não pôde conter reações diversas; sorrisos, choro. Boca entreaberta, olhos atentos... emoção. Aquela sensação de ver confirmado em palavras a certeza de ser amado. Para alguns, talvez a primeira vez que liam por escrito algo tão pessoal, de alguém a quem tanto amavam.

A carta de amor de Deus para nossa vida é Sua Palavra. E ela quer provocar também uma reação. Uma resposta de fé, amor e de certeza de que existe alguém que nos ama tanto, que fez questão de deixar isto por escrito. Não pode haver dúvidas de que para onde quer que nos retiremos, para lá também nos segue este amor incondicional, único, e perfeito.

Já nós, seus filhos, não costumamos muito escrever o que sentimos e pensamos. Mas poderíamos. Repartir este amor do Pai com aqueles que nos cercam. Um gesto que é capaz de transformar um minuto comum em um momento maior. Um contato distante em uma amizade duradoura. Uma briga doída em um esquecimento contínuo. Uma palavra gentil em uma frase sem fim.

Por escrito, o amor se torna ainda mais definido. Sem deixar de ser infinito.

Faça o teste. Escreva.

quinta-feira, abril 24, 2008

Cuidado

O vídeo abaixo é de um acidente acontecido às 12:40 de 23 de maio de 2004 em Dayton, Ohio (EUA). Recebi com o seguinte texto:


“APENAS REPASSANDO... Veja como o homem que atravessa a rua à esquerda está confiante de que o caminho está livre e seguro. Qualquer pessoa faria esta travessia como sendo segura.

Traffic camera video


VIDEO CAPTURADO POR UMA CÂMERA DE TRÁFEGO.
O acaso acontece sem avisar. Sendo assim, viva cada dia intensamente, como se fosse o último. A vida é curta demais para acordar de manhã com problemas, preocupações e mágoas desnecessárias. Então seja gentil com as pessoas que te tratam bem, perdoe as que não o fazem, e acredite que tudo acontece por algum motivo. Se aparecer alguma oportunidade na sua frente, aproveite-a. Se ela mudar a sua vida, aceite. Ninguém nunca disse que a vida seria fácil. Somente que ela valeria a pena.

Apesar de ser impossível vivermos cada dia como se fosse o último, pelo nosso senso de ajuste à rotina, o texto complementar tem seu valor Dá pra tentar, ao menos às vezes.
Mas nem tudo é o que parece. Vejamos
_O rapaz não morreu, Fico seriamente ferido, mas foi plenamente ressuscitado pelos médicos.
_Os demais envolvidos tiveram ferimentos leves.
_O sinal estava vermelho para ele, portanto não deveria estar atravessando a rua. Se não estivesse, não teria sido atingido.

Talvez o recado final poderia ser, portanto:
“Viva com cuidado. Um pouco de atenção e de obediência às regras pode salvar seu dia”

Fonte

Aposta

Conta-se que um homem pedia a Deus todas as noites para ganhar na loteria. Invariavelmente, em algum momento da oração, a frase apareceia. “...E, por favor, Deus eu preciso muito. Faça-me ganhar na loteria!”

Aconteceu que um dia, finalmente, uma voz veio do céu respondendo à sua oração. Era Deus, dizendo: “Tudo bem, meu filho, eu quero te fazer ganhar na loteria. Mas poderias, por favor, ir fazer a aposta ao menos uma vez?”

É fácil pedir a Deus por sustento. Difícil é manter o emprego mesmo quando as coisas não vão bem.
É fácil pedir a Deus saúde. Difícil é proteger nosso corpo de vícios e descuidos que as paixões nos trazem.
É fácil pedir reconciliação com o próximo. Difícil é dar o primiero passo na direção do perdão.
É fácil pedir a Deus o pão. Difícil é ir até a padaria.

Existe o que é de Deus. E isto é impossível ao nosso alcance. E existe o que está ao nosso alcance. E é o que Deus quer tornar possível em nossa vida.

Não se trata de “cada um fazer sua parte”. Nem mesmo de “O que é de Deus, o homem não tem como fazer. Mas o que é do homem, Deus não move uma palha”. A primeira parte está certa. Mas se a segunda fosse assim, jamais teríamos qualquer palha; Nunca completaríamos nossa parte. Para qualquer coisa na vida, continuamos sempre na dependência de nosso Pai.
Mas a verdade é que Deus quer nos oferecer a oportunidade de sermos parceiros seus na construção da nossa vida e na preservação de nosso mundo. Veja que privilégio temos em nossas mãos! Deus poderia fazer tudo sozinho. Mas preferiu contar com nossa companhia, capacidade e vontade de agir. Nos dá o privilégio da responsabilidade.

Fazer essa aposta, estar com Deus, é acumular tesouros não-perecíveis, que a ferrugem não consome, terremotos não destroem e que nem a morte pode roubar. Pois vida eterna é o prêmio maior.

Neste caso, difícil, então, é contar as bênçãos.

quarta-feira, abril 23, 2008

Solidão

“A solidão é a mais terrível pobreza”

Madre Teresa

Pessoa assim

Alguém que devolve o dinheiro ou os documentos que encontrou. Um gesto de gentileza sem interesse pessoal. Políticos com boas intenções. Promessas cumpridas sem registro em cartório. Anunciantes que falam a verdade.
“Não, este tipo de pessoa não existe hoje em dia”.

Em quantas coisas deixamos de acreditar em nossa vida?
Nos vizinhos, nos vendedores. Nas instituições, nos profissionais. Na ascensão profissional, na possibilidade de voltar a estudar. Na bondade, no amor, na amizade. Num futuro melhor. Às vezes, deixamos de acreditar em nós mesmos. E no meio disso tudo, podemos até desconfiar de Deus. Porque Alguém que nos oferece de graça, na porta de casa, ou melhor, do coração, todo perdão, amor, paz e alegria de que precisamos... hum... acho que este tipo de Pessoa não existe mais...

Mas acredite, existe. Podemos até deixar de acreditar em criaturas. E até normal e, dependendo do que for, não podemos confiar mesmo, pois são falíveis. Mas não dá pra deixar de crer no Criador. Ele é o tipo de Pessoa que é capaz de fazer as coisas mais inesperadas. Uma ligação quando não esperávamos, uma ajuda quando já estávamos desistindo. Um carinho quando estávamos ressecados. Uma oportunidade quando só enxergávamos dificuldade. Perdão para o pior erro. A vida de seu Filho para termos acesso á Vida.
Não creio, portanto, que o melhor seja desistir, mas sim, confiar que Ele nos encontra onde estivermos. Pois é a Aquele que conhece nosso endereço, nosso nome. Sabe nosso DNA. Alguém em quem acreditar até de olhos fechados.

O tipo de Pessoa que não se encontra em qualquer lugar.

Teachable

Em português

“It’s very important to keep yourself teachable”. This was the remarkable phrase in our meeting, today, with Rev. Dean Lueking and his wife, Beverly. They are in Brazil in the last day of their Latin America trip. They left home from Chicago, EUA, in march, 7th, and tomorrow they are flying back, after visiting 8 countries

Wise words of this Christian minister, doctor in History. Keep yourself teachable. Something that he takes seriously in his own life. Only in the past 2 years, he has been in cities of the 5 continents, listening to people. He gathered over 250 conversations for his 13rd
book, about the experience of living the Christian Lutheran faith in daily life.
Next june, he turns 80.

Keep yourself teachable. This only isn’t a secret for life because it’s not a secret, everybody can get to know it. And I feel that most people, even though not practicing it, knows the theory. While we keep open to be taught, we live the best things one can live. Among them, humility, wisdom, knowledge, discovery, passion, joy….

And mainly, faith. Jesus Christ teaches us every day, in many ways – His Word being the Main one. The Master has always something new to remind us the importance of keeping ourselves teachable. As long as we think we don’t need this teaching anymore, we start to stagnate and slowly lose even the ability to teach.

By the way, that’s how Rev. Lueking completed his quote. “And he who stops being teachable, should stop teaching as well”. A good reminder for times in which everybody knows there’s so much to learn, but most people only want to teach. Even though when they have not so much to say.

Keeping ourselves teacheable guarantees that we’ll always have the essential to our faith – the Word of God – and a fundamental meaning for life: learn always

Until we turn 80. And even far more.

Mais terremoto

Fonte da imagem


Por volta das 17h desta terça-feira, 22.04, foi enviado o texto Terremotos, para os leitores do Toque de Vida por e-mail. A ilustração comentava o tremor de Terra ocorrido semana passada na cidade de St. Louis, Missouri, EUA.

Algumas horas depois, o Brasil registra tremores de terra que foram sentidos na região sudeste e também no Paraná.
Não apenas o tema foi coincidente, mas também o tamanho do abalo. O terremoto no Brasil atingiu exatamente a pontuação do ocorrido em St. Louis: 5.2 na escala Richter.

Tema e pontuação que estão trazendo vários visitantes ao Toque de Vida, via mecanismos de busca.

terça-feira, abril 22, 2008

três tarefas

“As três tarefas mais difíceis no mundo não são obras físicas nem conquistas intelectuais, mas sim atos morais pagar o ódio com amor, incluir o excluído, e dizer: ‘Eu errei’.”

Sydney J. Harris

Terremotos

Meu irmão mais novo, Tiago, escreveu semana passada relatando uma experiência de vida inédita. Ele está residindo em St. Louis, nos EUA, no programa de intercâmbio de Teologia, e pela primeira vez teve a sensação do que é passar por um terremoto.
Um não. Dois. Trechos do relato:

“O primeiro ocorreu as 4:30am, bem forte. Eu estava dormindo, acordei com fortíssimo barulho nas janelas, mas achei que fosse o vento e fui dormir. Mas meu vizinho de quarto disse que tudo tremia bastante! Loucura! O terremoto teve 5.2 graus na escala.
O outro foi bem mais ameno; eles chamam por aqui de ‘aftershock’, mas este eu senti, tanto ouvindo o barulho na jenela, como o chao do meu quarto (moro no 3o. andar do meu predio) tremer. Eu estava on-line com a [minha namorada] Aline bem naquela hora..... Foi bem engracado e uma loucura tb!”

O chão tremeu sob os seus pés.
Para o Tiago, passando por isso pela primeira vez, o susto e a apreensão devem ter sido enormes. Já para para os moradores da região, a não ser em tremores muito fortes, talvez a preocupação não seja tão intensa. Provavelmente seguem com calma os passos aos quais já estão acostumados.

O fato é que tremores sempre nos pegam de surpresa. Também na vida pessoal. E quando nossa estrutura treme, nem sempre podemos prever as consequências.
Entretanto, podemos enfrentá-las, com força e coragem. E a diferença está entre achar que nunca vamos passar por isso, ou vivermos preparados para os tremores que a vida apresenta. Porque terremotos vão acontecer, em algum momento, em algum lugar. Portanto, quanto mais estivermos cientes disto, maior será nossa busca por preparação, auxilio e orientação de quem já está acostumado.

O que, inevitavelmente, nos leva a Jesus Cristo. Ele não só causou um ‘terremoto’ com sua obra, na vida de muitas pessoas, como também muitas pessoas quiseram fazê-lo tremer diante de ameaças. Mas ele não se intimidou e foi até o fim. Para nos dar a certeza de que contamos com alicerces firmes e fundamento confável, enquanto permanecemos na fé. A surpresa até acontece. Mas como, de certa forma, já é esperada, estamos preparados para enfrentá-la. E todos os afterschocks que por acaso seguirem.

Não importa a intensidade do terremoto em sua vida. Na escala de Deus, proteção, segurança e amor têm sempre o grau mais alto.

sábado, abril 19, 2008

Gol contra

Quando erramos, Deus nos perdoa e sempre dá uma nova chance de tentar. É verdade.
Prestar solidariedade a quem erra, ajudando a acertar, é sem dúvida um gesto nobre. Também é verdade.

Mas quando estas duas verdades são aplicadas no futebol, aí é bem mais difícil de haver perdão...



sexta-feira, abril 18, 2008

Arte

“Arte é uma obra colaborativa entre Deus e o homem. E quanto menos o homem fizer, melhor”

Andre Gide

Verbo

Qual é o verbo que está diante dos particípios de sua vida?
Já notou como isso faz diferença? Por exemplo:

Cansado
Abatida
Deprimido
Insegura

Se o verbo que vem antes for no presente, é um tipo de situação. E só imagino como está sendo o seu agora... Mas se for no passado, creio que a situação está começando a melhorar.

Os particípios, muitas vezes, vêm acompanhados de verbos indicando ações ou que estão em curso ou que foram encerradas. E isto faz diferença. “Estou ferido” é diferente de “fui ferido”. “Estou errado” significa algo não tão igual a “estava errado”. “Fui feliz” muda muito ao dizemos “sou feliz”.

Deus nos propõe o melhor verbo para preceder a vida, o único capaz de jogar no passado o que mais nos incomoda.. No evangelho de João está escrito que Jesus Cristo é o Verbo, a palavra, de Deus, na forma humana. Diante de nosso coração, ele muda o quadro. ‘Errado, perdido, desesperançado’, são acompanhados de um verbo no passado, ‘estava’. Pois ele troca por um presente diferente. Estamos perdoados, somos renovados, somos amados, somos impulsionados a viver.

Claro, nem tudo vai estar sempre certo. Às vezes o ‘fui ferido’ ainda permanece sem troca verbal, insistindo em nos machucar. O que ressalta ainda mais a importância de utilizarmos o Verbo sempre. Por nos ligar a Ele de maneira definitiva direta, a fé nos torna objetos diretos e constantes de seu amor, apontando um presente com mais ações positivas. E revelando um futuro cheio de bons predicados.

Com este verbo diante do coração, todos os demais verbos de nossa vida ganham um sentido que nenhuma outra palavra dar.

quinta-feira, abril 17, 2008

Luteranos pelo mundo




Dados da Federação Luterana Mundial (FLM) indicam que em 2007 o número de cristãos luteranos chegou a 71,8 milhões de pessoas no mundo. A cifra representa um acréscimo de 2,3% em relação ao ano anterior. A África e a Ásia são os continentes com maior crescimento. Nas demais partes do mundo os números de membros estão caindo.

Na África, a missão tem conquistado muitas pessoas para a Igreja. Em um ano o crescimento foi de 12,3% ou quase 2 milhões de pessoas. Países como Tanzânia, Gana, Quênia e Nigéria aumentaram sua membresia em mais de 20%. Na região, Etiópia e Tanzânia tem, cada uma, mais de 4 milhões de pessoas luteranas. A Ásia também apresenta números positivos de 1,22%. A Igreja da Indonésia é a maior com 3,7 milhões de luteranos.

Alternativas

Na aula de direção, o instrutor propôs a situação:

- Bem, o cenário é o seguinte: você está dirigindo o caminhão subindo um morro, seu companheiro dorme ao lado. Atrás de você, dois caminhões. Quando está quase lá em cima, o caminhão de trás começa a ultrapassagem, mas nisso, vêm dois no outro sentido. O que você faz?
- Eu acordaria meu companheiro – disse um aluno.
- Ué, porque? – foi a pergunta com surpresa
- Porque tenho certeza de que ele nunca viu uma batida de caminhões como esta.

Desistir antes de tentar as possíveis alternativas. Não são raras estas ocasiões em que esta tentação se aproxima. E não são poucas as vezes, portanto, que podemos deixar de aprender ou de superar a batida por entregarmos os pontos antes do final.
Como na história do missionário, atravessando uma mata rumo a um compromisso, que se deparou com uma cobra em cima de uma pedra. O reptil fez seu cavalo parar e e ele, pensar em desistir. Por 40 minutos, o homem ficou indeciso entre cumprir ou não seu trabalho até descobrir que ela estava morta.

Há muitos caminhões vindo no sentido contrário, é certo.Quase todos os dias. Mas isso quer dizer que não haja possibilidades. Ao contrário, pela fé, temos a maior alternativa para qualquer impossiblidade. Ele é a grande alternativa em qualquer das piores estradas que possamos enfrentar. Ele e nossa visão para enxergarmos os problemas que nos ameaçam antes mesmo de tentarmos.
Afinal, como sabemos, nosso Deus já fez uma virgem dar à luz. Cinco pães de dois peixes alimentarem uma multidão. Um cego voltar a ver. Uma mãe receber de volta a vida de seu filho. Um grande perseguidor do cristianismo virar um de seus maiores defensores. Fez até seu proprio Filho, dar sua vdai em nosso lugar, resolvendo a morte, o maior de todos os problemas.

Quando estamos neste Caminho, portanto, não são dois ou três ‘caminhões’ a mais que vão nos fazer desistir.

quarta-feira, abril 16, 2008

Ensinável

“É fundamental manter-se teachable (ensinável)”. E esta frase marcou nosso encontro, hoje, com Rev. Dean Lueking e esposa, Beverly. Eles estão no Brasil em seu último dia de visita à America Latina. Sairam de casa em Chicago, EUA, em 7 de março, e amanhã retornam, depois de visitarem 8 países.
Sábias palavras deste ministro cristão, doutor em História. Manter-se ensinável. O que ele mesmo leva muito a sério. Só nos últimos 2 anos, já esteve em cidades dos 5 continentes, ouvindo pessoas. Está compilando mais de 250 conversas para o seu 13º livro, sobre a experiência de viver a fé cristã luterana no dia a dia.
Em junho, ele faz 80 anos.

Manter-se ensinável. Este só não é o segredo da vida porque não é secreto, qualquer um pode saber. E desconfio que, a maioria, mesmo sem pôr em prática, conhece esta teoria. Enquanto nos mantemos abertos para sermos ensinados, vivemos as melhores coisas que se pode viver. Entre elas humildade, sabedoria, conhecimento, descoberta, paixão, alegria...
E principalmente fé. Jesus Cristo nos ensina todos os dias, de várias maneiras – a principal, sua Palavra. O Mestre sempre tem algo novo para nos lembrar na importância de nos mantermos teachable. Na medida em que achamos que não precisamos mais deste aprendizado, começamos a estagnar e a perder gradativamente a até mesmo a capacidade de ensinar.
Aliás, foi assim que o Pastor Lueking completou a frase:. “E aquele que não é mais ensinável, também deveria parar de ensinar”. Uma boa lembrança para tempos em que todos sabemos que há muito que se aprender, mas a maioria pensa mais em ensinar. Mesmo quando não se tem muito a dizer.

Manter-se teachable nos garante jamais deixarmos de termos o conteúdo essencial para a fé – a Palavra de Deus - e um sentido fundamental para a vida: aprender sempre.

Até os 80 anos. Ou ainda mais.

Cravo

segunda-feira, abril 14, 2008

Missão no Quênia

No início do ano, acompanhamos em textos a situação no Quênia e também do casal gaúcho, Rev. Carlos Winterle e esposa, Lídia, missionários da Igreja Luterana no país africano.

Abaixo, você pode conferir também em imagens, na matéria que foi ao ar no Ulbra Notícias em fevereiro de 2008, um pouco do que representou este momento de tensão.

A reportagem é de Ricardo Azeredo.

Sobre luteranos

Regularmente recebemos emails pedindo informações sobre a Igreja luterana, sua origem e fundamento.
Se você também tem este interesse, conheça mais sobre a Igreja Luterana Brasileira
nesta ótima matéria de Naomi Vieira para o site da Revista Enfoque Gospel.


Sugestão da leitora Lígia Albrecht, de Curitiba, PR

Frase

“Se voltares as costas à luz, nada mais verás além da tua própria sombra."

(Autor desconhecido)

Cheque em branco

Alissa e Barry faziam uma refeição no Salami's Café in Pella, Iowa, EUA, em fevereiro deste ano, quando um homem desconhecido entrou no local e puxou conversa. Após algum tempo de papo, o estranho colocou um cheque em branco em cima da mesa e disse: “preencham com a quantia que quiserem”.

Pensando tratar-se de um a brincadeira, o casal escreveu US$ 100.000,00. Como condições para o presente, o estranho pediu que eles nunca revelassem seu nome; que construíssem ou comprassem uma casa. E que, se tivessem algum filho juntos, que colocassem o nome dele, já que nunca tivera o privilégio de ter netos.
Assinou e foi embora.

No dia seguinte, Barry e Alissa ainda estavam na dúvida sobre o que fazer com o cheque. Resolveram tentar descontar e... o cheque tinha fundo! Agora, ambos planejam o que fazer com o presente inesperado. E dizem que pretendem manter a parte do nome do futuro filho.
.“Por que não sou eu o sortudo de ganhar um presente assim?...”, pode ser um de nosso pensamentos.

Entretanto, nós somos, sim.

Basta pensar que cada dia de vida que Deus nos dá é uma espécie de cheque em branco, para ser bem utilizado.
Cada pessoa que Deus coloca em nosso caminho tem um coração que pode ser preenchido com valor e consideração, sem brincar com seus sentimentos, mas investindo em seu caráter e valor individual. Compensando deficiências e creditando amor e consideração.
Cada oportunidade que Ele coloca diante de nossos olhos - e que em muitos casos levamos na brincadeira... - pode nos render grande saldo positivo
A nossa vida em si se torna um grande e maravilhoso presente quando recebemos o nome de Seu Filho. Nas mãos de Deus, por meio da fé, torna-se liquidez de valor acima de qualquer medida. Não dá, então, para considerá-la uma brincadeira, mas sim levá-la a sério sob os Seus princípios e orientações. Claro, sem perder a alegria e o espírito de descontração, mas sabendo que temos um grande presente em mãos, para ser utilizado conforme a orientação Daquele que já não é mais estranho ao nosso coração.

Um presente para ser preenchido com o mais alto valor hoje. E continuamente.
Pois, como todo cheque bom, também a vida nunca volta.



Ilustração via LHM
Notícia:
ABC News / Em português

sexta-feira, abril 11, 2008

Meditação

“Está difícil o dia a dia no trabalho? Então medite”, é uma das chamadas de capa do UOL nesta sexta feira.

Apesar de a linha do autor do artigo ser outra, em linhas gerais confirma aquilo que muitos leitores têm retornado. O Toque de Vida tem sido, há um ano e meio, uma alternativa em meio a um dia agitado.

E não apenas de meditação. Ação também sempre está na pauta.

Você pode, portanto, prezado leitor, levantar a plaquinha: “Eu já sabia”.

limite

"Não há maior prova de ignorância do que acreditar que o inexplicável é impossível."

(S. Bilard)

Criança

Fonte da imagem

Minhas duas irmãs mais velhas, Lucrécia e Candace, com as respectivas famílias, e eu aproveitávamos a visita do nosso pai ao sul. A conversa, como sempre, fluía sem pausa, e lá pelas tantas o Henrique, filho mais novo da Lucrécia, saiu do local, chorando. Quando a mãe perguntou o porquê, a resposta foi simples e sincera.
-“Ah, mãe, ninguém está tentando me agradar hoje!...”

De uma criança de 5 anos, uma atitude normal, mas infelizmente o sentimento da falta de atenção, em alguns casos, segue por mais tempo na vida. Hà um grande número de ‘crianças emocionais’ circulando por nossas ruas, e em muitos momentos, podem morar exatamente no nosso endereço. Começamos a pensar que estamos esquecidos no corredor da existência, sem nenhum rosto com tempo disponível para abrir uma porta ou fresta de luz.

Mas podemos ter certeza de que Alguém nunca esquece de nós - e não estou falando da Receita Federal, como brinca um e-mail que recebi hoje. Este alguém até poderia não fazê-lo, pois deve haver aqueles dias em que olha pra baixo e pensa, “puxa, quase ninguém está tentando me agradar hoje.” E se olharmos para a realidade urbana, ambiental, relacional da humanidade, vamos concordar.

Entretanto Deus é um Pai amoroso, que não faz birra, e sim, age com paciência. O que Ele mais quer é que este tipo de momento ‘5 anos de idade’ não dure sempre. Por isso, nos cobre de atenção e amor. Por mais que pareça estar ocupado demais, podemos ter certeza: Ele quer nos agradar sempre, todos os dias. E nós podemos fazer o mesmo em Sua direção, com palavras, gestos e ações, como filhos amados que confiam plenamente no carinho e cuidado de seu querido Pai.

Este é o lado criança que, de fato, nunca deve deixar de residir em nosso endereço.

quinta-feira, abril 10, 2008

Sabedoria

“Se o conhecimento pode trazer problemas, não é pela ignorância que vamos resolvê-los”.

Isaac Asimov

Concertos diários

Fonte da imagem

Você já notou que existem jeitos diferentes de se olhar para uma mesma letra de música?
Por exemplo: leia o trecho abaixo:

Eu tenho tanto
Pra lhe falar
Mas com palavras não sei dizer
Como é grande o meu amor por você.

Nunca se esqueça nenhum segundo
Que eu tenho amor maior do mundo
Como é grande o meu amor por você.


Agora, este:

O sol se ponto ali perto
Lápis e idéia na mão
Talvez quisesse um papel
pra passar pro violão
O dia entrou noite adentro;
o café sobre o balcão.
Um rio de luz inspirando,
uma letra um som um refrão
Inverno, não ficou no coração,
eterno amor, sei que muitos o verão
Só expresso assim porque
Cristo em mim fez o sol nascer.


Aposto que o primeiro trecho você leu diferente. Isso porque conhece a música (se não conhece esta, pense em qualquer uma do seu repertório). Então, de alguma forma, ele já foi meio cantado em pensamento, ou ao menos lido na métrica da canção. É quase inevitável. E, se estivesse faltando qualquer palavra, notaria imediatamente.
Já o segundo, você não conhece. Se está completo e correto, não há como saber. Apenas dá pra ler e ficar imaginando, ‘como será que se canta essa letra?”

Dependendo do quanto conhecemos a música, o seu toque é diferente.

Dependendo do quanto conhecemos alguém, conseguimos entender melhor suas dificuldades. Suas angústias. Evitamos o julgamento precipitado e temos mais chance de ajudar. Dependendo do quanto nos conhecemos, podemos agir de uma forma receptiva. Ou então, com completo estranhamento. Não fazemos nem idéia de como tocar.

Dependendo de como lemos as palavras que Deus dirige à nossa vida, também. Quando estamos dentro do contexto da fé, soam com uma melodia certa, que dá vontade de cantar, que gruda no ouvido e não sai do coração. Palavras de um amor maior do mundo; da mão que nos guia, das letras que inspiram, da voz com mansidão.

O que faz diferença para os concertos diários, que de fáceis não têm nada. Cheios de dissonantes, acordes complicados, temas complexos. Mas que sempre têm um jeito de serem resolvidos. Porque o centro tonal da vida com Ele é cheio de notas que impulsionam a vida e alimentam o coração.

Conhecendo cada dia mais sua Letra, chegamos á inevitável conclusão: nosso Deus toca. Toca muito.

quarta-feira, abril 09, 2008

objetivo

“O grande alvo da educação não é o conhecimento, mas sim a ação”

Herbert Spencer

Conclusões e julgamentos

“Não julgueis e não sereis julgados’, disse Jesus. É uma das palavras mais difíceis de aplicar para o que conhecemos como ‘opinião pública’. “Julgai, e depois vede no que vai dar”, parece ser o raciocínio.
No
caso da menina Isabella, que morreu depois de uma queda do sexto andar em São Paulo, parece ser o caso, novamente. Além da sede/necessidade da imprensa de, periodicamente, criar imensas câmaras de eco em casos policiais.

Neste sentido, muito interessante a opinião do jornalista Guilherme Fiúza, que também perdeu um filho em circunstâncias semelhantes em 1990.
Alerta para o cuidado de se evitar conclusões precipitadas e julgamentos sem provas.


Clique para ouvir a íntegra da entrevista concedida à Rádio Band News.

Preenchido

Fonte da imagem
Buraco negro.
Região no espaço que contém tanta massa concentrada que nada escapa de sua atração gravitacional. Podemos dizer que e um lugar onde tudo o que ‘cai’ nele não consegue mais sair. E, de certa forma, ‘suga’ tudo o que está à sua volta, inclusive a luz. Atrai tudo para dentro de si, e não devolve nada ao universo.
E continuamente. Nada é o suficiente para que sua ‘sede’ seja satisfeita.

Existe um buraco dentro do coração humano que parece uma versão em miniatura do que acontece no universo. Tem sede de tudo, tem dificuldade em retribuir e parece não se contentar com nada.
Podemos tentar com trabalho. Por um tempo funciona, mas logo já estamos insatisfeitos. Talvez com lazer. Mas tudo o que ele vai querer é sempre mais. Dinheiro, então, nem se fala. Não há quantidade suficiente desta facilidade que acabe com a vontade humana de querer sempre mais. Podemos tentar até mesmo com experiências que nos fazem pensar que somos deus, como gerar ou acabar com a vida.
Nada funciona.

Quase nada, quer dizer. Porque a paz que Jesus oferece, por meio da fé, é a única que tem a exata medida deste ‘ralo’ insaciável do coração. Quando ela toma conta de nosso ser, nossa vida fica completa. À luz da vida com Ele, sabemos que o que temos na vida, não é mau em si. Mas precisa ser administrado com sabedoria e aproveitado com equiilíbrio. São presentes que fazem parte de um todo, para evitarmos que a ansiedade nos reduza a nada.

Com o coração completado desta forma, não vamos apenas ‘absorver’. Podemos também espalhar, lançar ao nosso redor toda esta alegria e sentido de uma vida bem preenchida, por viver em Seu amor.

Em todo universo, não se encontra nada assim.

Música na capela


segunda-feira, abril 07, 2008

Cura

“Às vezes, a cura para a falta de descanso é descansar”

Colleen Wainwright

arremesso



Outdoor muito interessante que retrata o perigo de andar sem cinto no banco traseiro.
“O banco de trás não é mais seguro que o da frente
Use o cinto”,
diz o texto.

Fonte

Primeira lei

Fonte da imagem

O princípio da Inércia, também chamado de primeira lei de Newton, refere-se à tendência de um corpo dotado de massa em manter a sua velocidade. Fala da resistência que um corpo oferece à mudança do seu estado de repouso ou de movimento. Ou seja, se está parado, permanece parado. Se está em movimento, assim continua.
Para ilustrar: quando um carro arranca, os corpos dentro dele são “puxados” para trás. Quando freia, projetados para frente.

Viver por inércia é a tendência que todos temos de ‘deixar a vida nos levar’, ao invés de a levarmos com mão firme. Isso é ilustrado pelo fato de que não é raro nos pegarmos pensando ‘quando criança, sim, eu era feliz!...”. Provavelmente porque não tinhamos quase nenhuma responsabilidade, apenas seguiamos a tendência do movimento. A idade adulta, no entanto, nos arranca no banco do passageiro e nos joga para o volante. Agora é conosco. E tomar decisões e arcar com consqüências dói. Especialmente diante dos obstáculos que estão adiante.

Dependendo de como nos portamos diante disso, recebemos melhor o impacto. Quem está num carro com o cinto bem afivelado, dirigindo com atenção, vai absorver melhor qualquer curva brusca, freada repentina ou até uma batida. Quem estava só de carona e ainda sem cinto e distraido, corre mais risco de sofrer danos mais sérios. Claro, assim como no princípio da inércia, isso varia de corpo para corpo e depende da massa corporal. Mas que é mais complicado, não há dúvida.

Por isso, Deus nos capacita a tomarmos o volante e dirigirmos com responsabildade, dentro do modelo que ele nos dá: fé em Jesus. Este vem com cinto, airbag, barras de proteção e tudo o mais. E o mais necessário é nossa atenção constante e nossa direção responsável. Com Ele, estamos melhor preparados para os impactos e surpresas que a vida nos apresentar.

Esta é a primeira Lei de Deus, o princípio do amor: Seu desejo de que todo corpo andando em Sua mão, permaneça neste estado.
Constantemente.

sexta-feira, abril 04, 2008

Nova logo

Aí está.
O layout completo da abertura do programa na Ulbra TV estréia dia 14 de abril, mas aqui no blog você já confere antes. No final da semana que vem, o novo layout estará no cabeçalho. Volte pra ver!
Novo layout, com o conteúdo de sempre. Música e mensagem para o seu dia.

Frase



“Parei de ir ao meu terapeuta porque me dei conta de que, se você analisa tudo tanto assim, nada parece ser bom o suficiente.
Viva.”

Anonimo, do blog Post Secret

Pequenos presentes

Fonte da imagem

Sérgio comentava com Paulo, na mesa do restaurante, as mazelas do seu ambiente de trabalho. A que ele destacou foi a falta de reconhecimento.
-Meu chefe é um carrasco!, desabafou. Na hora de cobrar é muito bom. Mas nunca diz um elogio. Nem mesmo um ‘obrigado’.
Nisto chegou o garçom, serviu a mesa. Sérgio nem olhou. Paulo disse:
-Obrigado, chefe!
Após ele se retirar, Sérgio, o amigo, comentou:
-Você sempre diz isso?
-Sim, por que, você não?
-Nâo. Acho desnecessário. Ele está sendo pago pra isso, não fez mais do que a obrigação.
Paulo pensou um pouco, escolheu as palavras para não magoar o amigo, e comentou
-Sérgio, acho que você, no lugar do seu chefe, não seria muito diferente dele.
-Por que?
-Agora mesmo você teve oportunidade ser gentil e não o fez. Se você não consegue fazer isso por alguém que, de certa forma, é seu subalterno aqui, como não entende que seu chefe seja assim?

É mais fácil tratar bem quem é bonito, tem personalidade agradável ou - principalmente – que poderá nos prestar um favor ou dar uma maozinha. Difícil é praticar a gentileza, amabilidade ou tratamento respeitoso para com qualquer um. A maneira como tratamos aqueles que provavelmente não nos serão de nenhuma utilidade revela também um pouco de quem nós somos.

Diante desta constatação notamos o quão grande foi a pessoa, a obra, o amor de Jesus Cristo na direção de quem nada poderia fazer que Ele próprio não pudesse. E foi além, orou até por quem o pregava na cruz. Curou a orelha do soldado que o prendia. Tratou com consideração uma adúltera prestes a ser apedrejada. Foi amoroso com quem o traiu. E não foi apenas amabilidade ou gentileza. É amor profundo, que transforma definitivamente nosso relacionamento com Deus e, por conseqüencia, com o próximo.
Tudo bem, não somos Jesus Cristo. Mas, na fé, recebemos condições de nos esforçamos na direção do próximo em amor. Se não amor, ao menos em amabilidade, gentileza ou educação. Elogio, sorriso, consideração. Pequenos presentes, reflexos do grande presente de Deus, servindo ao próximo de bandeja um dia um pouco melhor.

Presentes que não custam nada para quem dá e têm um valor incalculável para quem recebe.

quinta-feira, abril 03, 2008

Virtude

“Bendito é o homem que, não tendo nada a dizer, abstém-se de dar evidências deste fato”

George Eliot

Conhecer

Como se faz para conhecer alguém?
Talvez ouvir seu discurso. Receber um e-mail. Conhecer seus amigos
Entre as várias maneiras, pode estar ler um livro de sua autoria. Conhecer suas idéias no papel. Saber como se expressa e então, saber como é.

Bom, talvez não. Às vezes, quem dá conselhos em um livro, pode estar precisando ser aconselhado. Aquele que escreve a verdade, pode muitas vezes viver na mentira. Alguém que mostra muita consideração pelo ser humano no papel, pode tratá-lo como um animal na vida real. Li o relato de uma pessoa sobre uma situação assim. Leu um livro de aconselhamento por curiosidade, para conhecer mais sobre o autor. “Mas descobri que conhecemos melhor as pessoas quando sabemos o que elas pensam no seu intimo”, relatou. Parece que o escritor não consegue aplicar em sua vida a própria fórmula da felicidade sugerida.

Isto até é compreensível, pois nós, seres humanos, somos incoerentes por natureza. Não escapa ninguém desta prova da verdade de ‘palavras x ações’. Em algum momentos, ‘incoeremos’.
Mas que algumas situações um tanto exageradas incomodam, isso não há dúvida.

O livro que conheço que melhor fala de amor e felicidade é a Bíblia. E Deus, o seu autor, é absolutamente coerente: demonstrou isto na prática, quando deu seu próprio Filho para escrever a história que nos dá examente o que Ele descreve em sua obra.
A coerência é tão grande que mesmo quando nós, incoerentes com nossa fé, caimos em erro, nos afastamos, perdemos o rumo, Jesus permanece no mesmo lugar. Imutável. Seguro. Renovando seu perdão e a segurança de uma vida onde as ações ficam cada vez mais perto das Palavras. E nos dando também força para lidarmos com as incoerências diárias. As dos outros. E também as nossas.

Para conhecer este Autor, portanto, neste caso não há dúvida da melhor maneira: ler o Seu livro.

Fundamento

Fonte da imagem


Quantas pessoas já viram alguma vez o fundamento sobre o qual sua casa está construída? Ou a escola, ou local de trabalho? Eu aposto que quase todos nós nunca fizemos isso. No entanto, ficamos por horas dentro destas construções humanas sem ficarmos nos preocupando se ele existe e é confiável. Se não vai cair. Se podemos realmente confiar em uma edificação da qual nunca na vida vamos ver a fundação.
“Ah, mas eu sei que está lá, porque a casa está em pé.
E bastaria cavar para encontrá-lo”, poderia ser a resposta.

Pelo que vemos no mundo, sabemos que existe o que não vemos – o Criador que lançou o fundamento de tudo. No entanto, no campo da fé sempre surge o argumento: “Eu não vejo Deus, como vou confiar?”. Acreditamos rapidamente em mãos humanas. Mas para lançar confiança sobre o fundamento de fé e vida que é Jesus Cristo, a resistência é muito maior.

Mas basta observar. Nosso mundo e nossa vida continuam de pé. Por isso, assim como numa casa que não cai, podemos ter certeza de que Deus está lá, dando fundamento à nossa vida. E podemos também desde já cavar as páginas da Bíblia e lá encontrar, entre várias palavras, promessas e propostas, a frase “Assim, a fé e a esperança que vocês têm estão firmadas em Deus”. Por causa de Cristo, que executou o projeto proposto pelo Pai, temos condições de construir nossa casa sobre a rocha firme de sua Palavra, e não sobre a areia das meras idéias humanas. Nunca vamos ver a Deus com estes olhos humanos, a vida inteira. Mas podemos confiar. O fundamento está lá. È seguro.

E, ao contrário de nossas casas, escolas e prédios, nossa vida é uma construção que dura para sempre.

terça-feira, abril 01, 2008

Incômodo

“Poucas coisas são tão difíceis de suportar como o incômodo de um bom exemplo”

Mark Twain

Mentira e Verdade

O dia da mentira, primeiro de abril, nos lembra que ninguém de nós consegue ficar longe dela. Seja por nós ou pelos outros. Houve quem disse, inclusive, que se ela for repetida mil vezes, torna-se verdade.

Será?

De várias mentiras que poderiam ser comentadas, gostaria de comentar três, muito repetidas hoje em nossos dias, que às vezes fazem parecer que podem virar verdades incontestáveis.

“Se eu estou sentindo, deve ser verdadeiro.”

Outra forma de dizer isso é “Siga o seu coração”. A pergunta é “E se nosso coração estiver errado?”
Algo bem possível. Sentimos muitas coisas diferentes, às vezes num mesmo dia. Não temos condições de estar certos sempre. Nem toda a raiva que eu sinto é justa. Nem todo sentimento que tenho em relação a outro pode ser certo.
O mais perigoso é que isso pode nos levar para longe de Deus. “Estou me sentido só, desamparado. Me sinto como se ninguém soubesse de minha existência. Sinto como se Deus tivesse me abandonado.” E esta é mesmo a verdade?
Não. Ao menos não enquanto estamos na fé. Pois neste caso, ainda que o mundo inteiro nos deixe, temos um Pai verdadeiro, que jamais nos abandona, que reafirma nosso valor. Nestes casos somos como uma nota de 100 reais amassada. Podemos estar nos ‘sentindo’ um nada. Mas continuamos com o mesmo valor para o nosso Pai.

“Não posso controlar meus sentimentos”
Em certa medida, é até verdade. Mas diante das situações da vida temos, sim, escolha. Sempre temos. Por isso é importante que nossa vida esteja firmada em princípios. Pois eles não mudam. Errado é sempre errado. Honestidade é sempre honestidade. Azul é sempre azul, e não amarelo.
Princípios são uma âncora que seguram nosso barco quando as tempestades de emoções nos atormentam. Elas passam, a âncora fica. Agora, se estivermos soltos, podemos ser levados, e nos despedaçarmos contra a rocha.

“É impossível que Deus exista, pois não podemos vê-lo”
Uma das mais constantes, especialmente no mundo acadêmico e científico. E o pior é que nossa razão parece ter razão. Não parece racional acreditar em algo que não se pode ver.
Mas a verdade é que ninguém fica sem acreditar. Em ao menos alguém ou alguma coisa colocamos nossa confiança. Seja nas três batidinhas na madeira, no engenheiro que construiu nossa moradia ou no outro que não vai furar o sinal enquanto passamos no verde.
Já que vamos de qualquer forma ancorar nossa fé em algum lugar, porque não fazê-lo na verdade que liberta? E mais seguro, mais sólido, mais verdadeiro permanecermos em Cristo. Ele nos dá um coração com sentimentos e capacidades. Que nos ajuda a controlar nossas emoções. E principalmente, nos dá a certeza de que ancorados em seus princípios, não há tempestade que possa nos fazer afundar.

Dia primeiro de abril é dia de lembrar que, de fato, ninguém consegue ficar sem mentir. Mas mais do que isso, é dia de reafirmar existe perdão, recomeço e verdade, perto daquele é o caminho, a verdade e a vida.

Uma Verdade que já foi contada mais de mil vezes. E vai continuar a ser verdade.