quinta-feira, janeiro 30, 2014

Ar condicionado para todos

por Marcos Schmidt

Devemos nos preparar, a previsão é de muito calor nos próximos dias, temperaturas que poderão ser as mais altas deste século, conforme registros meteorológicos na região de Porto Alegre. Para aqueles que não tem ar condicionado em casa ou no trabalho, vai ser um sufoco. Segundo dados do IBGE, apenas 11% dos brasileiros possuem sistema de climatização em seus lares. Ainda é um conforto para poucos. Mas, e se faltar luz, der um blecaute geral? Daí nem ventilador! Dependemos completamente da energia elétrica até para beber água. Nem conseguimos imaginar o que seria de nós sem este poder invisível que vem por fios e condiciona a nossa vida em situações de sobrevivência e de conforto.

Depender de coisas que podem nos deixar na mão implica em perigo inesperado e constante. Paulo tentou dizer isto aos moradores de Atenas, conforme relata o livro bíblico de Atos, capítulo 17, ao falar de falsas esperanças. Depois de ver a cidade repleta de ídolos e um altar onde estava escrito "ao deus desconhecido", o apóstolo discursou na Câmara Municipal que o Deus real não é parecido com um ídolo de ouro, de prata ou de pedra. Apontou para o Criador de todas as coisas, de Jesus e da ressurreição, o Deus em quem "vivemos, nos movemos e existimos", e "manda que todas as pessoas, em todos os lugares, se arrependam dos seus pecados". Paulo advertiu contra um apagão.

Depender deste Deus é a melhor coisa do mundo, sobretudo quando vem o calorão. Era isto que Davi quis dizer no Salmo 23: "O Senhor é o meu pastor, nada me faltará. Ele (...) refrigera-me a alma". Os 40 graus da vida - sofrimentos, dores, luto, agonias - cedo ou tarde vem a todos. É uma previsão que não falha. Mas daí o ar condicionado divino: "Certamente a tua bondade e o teu amor ficarão comigo enquanto eu viver. E na tua casa, ó Senhor, morarei todos os dias da minha vida". Este conforto é para todos, sem custos e tempo de espera para instalação. E o melhor, nunca sofre blecaute.


Rev. Marcos Schmidt
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo, RS


quinta-feira, janeiro 09, 2014

Comprar a paz?

Toque de vida no Facebook


Estava lendo sobre uma pesquisa com pessoas que ganharam na loteria e que, no fim das contas, se não foram menos, também não foram mais felizes que nós. Muitas delas, inclusive, com o tempo, voltam ao que eram antes, gastando tudo o que ganharam.

Dois mil anos atrás, um imperador romano passou por algo parecido. Tornou-se ‘o cara’, estava no topo. No entanto, sua vida pessoal e familiar acumulavam problemas e dificuldades que lhe tiravam o sono. Conta a história que, certa vez, ele descobriu um homem humilde o qual, diziam, conseguia dormir em paz. Sabe o que imperador fez? Comprou a cama do sujeito.

Se olharmos ao redor, perceberemos algo parecido. Prateleiras de farmácias com promessas de paz, livros superficiais prometendo o topo. Quilos e quilos de promessas de alegria, contentamento e um sono tranquilo.

Sabemos muito bem, que não funciona assim. Paz parte de dentro, e tranquilidade vem do coração. Enquanto ele não achar descanso, o restante custa a se acomodar. A alma fica com insônia e não há nada comprável que possa nos acalmar. Aquilo que realmente resolve não tem preço: é presente. Pessoas amigas, palavras amigas, corações amigos. Palavras de fé que nos sustentam e confortam.
Aí, nem precisamos fazer pesquisa. Porque teremos uma paz que ultrapassa qualquer compreensão humana.
A paz de Jesus Cristo.

(Minuto TdV desta quinta na Mix FM POA.
Texto adaptado de uma reflexão do P. Ken Klaus - LHM)

quarta-feira, janeiro 01, 2014