quinta-feira, outubro 31, 2013

Reforma

A data de hoje tem se pautado pela festa importada do norte, que fala de bruxas, abóboras, monstros e afins. No entanto está é uma...hum... ‘celebração’ incomparavelmente menor do que outra, que impactou a sociedade mundial: a Reforma Protestante, que tem como marco o dia 31 de outubro de 1517.

E quando olhamos para a trajetória do principal líder do movimento, vemos que muito da vida de Martinho Lutero pode ser inspirador para a nossa.

Um dos motivos: ele tinha consciência de que podia não estar certo. Foram anos de pesquisas e debates antes de tomar uma posição mais definitiva. O que mostra a importância do interesse de unir, não separar.

Outro, foi sua obstinação pelo estudo e conteúdo. Não bastava contestar. Era preciso ter conhecimento, conteúdo. Não só querer falar e discutir mas principalmente ter o quê falar, com maior exatidão e clareza possíveis. A importância do conhecimento.

Ainda outro, dentre muitos, foi sua fidelidade à Palavra. Em seus escritos e documentos, procurava fundamentar tudo com o Fundamento da Vida, de onde realmente se podem buscar ensinamentos para uma vida inteira. A importância da Palavra.

E também sua coragem em enfrentar, apoiado por muitos amigos, as maiores adversidades possíveis, permanecendo firme na fé em Jesus Cristo e nos seus ideais. Ficar de pé para defender aquilo que acreditava. A importância da fé, que leva à coragem e ousadia.

Não foi passe de mágica nem bruxaria. Lutero lutou com as armas que estão disponíveis também ao nosso alcance: fé, perdão, coragem, conhecimento, amor. O mundo ainda hoje precisa de constante Reforma. Sem deixar pra trás o que não faz bem e manter o que faz, constantemente, a vida se torna uma eterna repetição. Isto é ser reformador todos os dias, sem medo dos fantasmas da tristeza, desespero e frieza que insistem em assombrar e tentar fazer desistir. A história pessoal daquele monge está aí para apontar o fato: de Deus vem nossa sustentação e o nosso querer reformar.

No dia 31 de outubro, portanto, se nossa vida precisa de sentido, sustentação, força e orientação, já sabemos qual das duas celebrações aponta Quem realmente tem o poder de nos encantar. 



P. Lucas André

Bruxas ou Lutero?

por Marcos Schmidt

Bruxas ou Lutero? Permitam-me falar sobre o monge alemão, até porque para as bruxas está faltando vassoura. Se bem que os dois assuntos se cruzam nas questões históricas e religiosas - ocultismo com cristianismo - e se chocam naquele 31 de outubro de 1517.  A superstição e o medo assolavam os corações da Idade Média, e a própria igreja vivia os tempos obscuros de inquisições e abusos. Por outro lado, lembrar as 95 teses de Lutero contra o comércio do perdão dos pecados, requer hoje diálogo, respeito e coerência num ambiente cristão fragmentado, mas com a mesma missão e desafios. Quando Lutero jogou as teses na internet - a porta do Castelo de Wittenberg - ele não queria dividir nem reformar. Apenas estava escandalizado. Por isto a tese 24: “Daí segue-se que a maior parte do povo está sendo enganada por essas promessas indiscriminadas e liberais de libertação das penas”. Nada diferente destes tempos quando o povo é ludibriado com promessas de prosperidade e por outras fraudes. Assim, a tese 27 é atualíssima: “Os que afirmam que uma alma voa diretamente para fora do purgatório quando uma moeda soa na caixa das coletas, estão pregando uma invenção humana”.

O erro hoje é valorizar a fachada da igreja e menosprezar o Evangelho que carrega. E nisto Lutero não vacilou, tanto que nem queria uma nova igreja, mas uma igreja nova. Ao descobrir que a autêntica religião é divina, explicou que "a cristandade verdadeira e essencial consiste no Espírito, e não em alguma coisa exterior, seja lá como for chamada". Por isto a explicação: "O Espírito Santo chama, congrega, ilumina e santifica toda a cristandade na terra, e em Jesus Cristo a conserva na verdadeira e única fé". Ficou contrariado quando seus seguidores são denominados "luteranos", argumentando que a igreja não era dele mas de Jesus. Mas a história já estava escrita. Faltam quatro anos para fechar cinco séculos de um fato que precisa ser interpretado à sombra da cruz de Cristo.



Rev. Marcos Schmidt 
pastor luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo, RS


quarta-feira, outubro 30, 2013

ULBRA comemora Reforma Luterana

Data será lembrada com inauguração do Jardim de Lutero



Para lembrar a obra de Martinho Lutero e marcar a comemoração da Reforma Luterana, a Universidade Luterana do Brasil (ULBRA)  oferece um novo espaço a partir desse ano: o Jardim de Lutero. Será construído em cada uma das unidades de ensino superior e escolas até 2017, quando a publicação das teses que baseiam a doutrina religiosa luterana completa 500 anos. No campus Canoas, o jardim se localiza entre os prédios 11 e 14, próximo à Capela Universitária.
Pró-Reitor Adjunto Valter Kuchenbecker, idealizador
do Jardim de Lutero no campus Canoas.

A iniciativa, como lembra o pró-reitor adjunto de Extensão e Assuntos Comunitários, Valter Kuchenbecker, se integra às celebrações feitas no mundo inteiro em alusão à data. A inspiração é o jardim que está sendo erguido na cidade de Wittenberg, na Alemanha, berço do luteranismo. Quinhentas árvores serão plantadas, em um formato que lembra a rosa de Lutero (símbolo da religião). “A vida cristã está relacionada a dar frutos. Isso tem a ver com a teologia de Lutero: através da fé, produzimos bons frutos”, resumiu Kuchenbecker, afirmando que diferentes  espécies serão plantadas nos jardins.

Na ULBRA Canoas, o Jardim de Lutero foi construído com a participação da equipe de Paisagismo da Universidade e o curso de Agronomia. O projeto foi incluído na Agenda Eco Sapiens. As árvores plantadas são nativas das regiões.
A inauguração integra a comemoração da Reforma, em 31.10. A cerimônia começará no saguão do prédio 10, às 14h30, com confessional da Pastoral Universitária e apresentação de hinos religiosos executados pela Orquestra de Câmara da ULBRA. Logo em seguida, os presentes se deslocarão até o jardim, onde será descerrada a placa de inauguração, com a presença da Reitoria.

Legado para a sociedade
A Reforma Luterana é um marco religioso de contestação à Igreja Católica, que deu as bases para a criação do luteranismo. O movimento foi liderado pelo monge e professor alemão Martinho Lutero e é lembrado até hoje por seu impacto na sociedade medieval e as mudanças que provocou. Mais do que na religião, a reforma ajudou a desencadear uma nova realidade social do século XVI confrontando, por exemplo, a venda de indulgências. “A reforma procurou corrigir abusos cometidos pela Igreja, que até então era dominante na sociedade”, resume o pró-reitor Acadêmico e estudioso de Martinho Lutero, Ricardo Willy Rieth. “Com isso, também teve reflexos na política, na sociedade e na economia”.
Com a crítica à supremacia que a Igreja exercia até então, Lutero abriu o caminho para o desenvolvimento do capitalismo: o catolicismo tradicional não aceitava o livre mercado. Além disso, a valorização da educação, como forma de desenvolver o potencial humano e capacitar as pessoas para cumprir um papel na sociedade também fazia parte do ideário defendido pelo religioso.
O incentivo à educação, aliás, é um dos maiores legados do luteranismo. Como observa Rieth, o Brasil, a partir do início do século XIX, passou a receber imigrantes europeus, dentre os quais muitos alemães. Cerca de 60% destes eram luteranos, e aqui fundaram escolas, nas quais praticavam os mesmos preceitos de excelência pregados por Lutero. “Principalmente na educação básica e no ensino superior, muito do que temos em educação no Brasil tem origem no contexto luterano”, relaciona o pró-reitor.  Mesmo que, enquanto comunidade religiosa, o luteranismo seja considerada pequena no Brasil (cerca de 1 milhão de praticantes), sua contribuição para o país é inegável. “Uma pessoa só pode desenvolver plenamente sua função no mundo se tiver acesso à educação. E essa é a principal obra dos luteranos para a comunidade”, diz ele.
Atualmente, o Brasil conta com duas igrejas luteranas: a Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) e a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB).

Atividades nas unidades

As unidades da ULBRA terão atividades especiais alusivas à Reforma. Confira algumas abaixo.

ULBRA Carazinho
Culto em conjunto com a IECLB
Dia 31.10, à noite
Na Igreja de Cristo

ULBRA Santa Maria
Exposição: A Reforma Luteranae seu legado (livros antigos e edições atuais de Lutero, traduções da Bíblia, quadros explicativos e réplicas de obras de arte do período, exibição de multimídia sobre o tema)

De 21 a 31.10 - das 14h às 21h
Capela do campus
Encerramento da exposição, com atividade musical e mensagem especial
Dia 31, 20h30
Saguão do campus

CEULP - Palmas
Momentos de louvor com coral e outros cantores
Dia 31.10, no início dos turnos letivos da manhã e noite
Saguão do campus
Rede de escolas
Semana Cultural Luterana
 28.10 a 1º.11
- See more at: http://www.ulbra.br/imprensa/noticia/acontece/5028/ulbra-comemora-reforma-luterana/#sthash.ATOB4RbA.dpuf

sexta-feira, outubro 25, 2013

Capelão da Música atua também como professor

Além de comandar a capelania de Música da Pastoral da ULBRA, este ano o pastor Paulo Brum ganhou mais uma missão: contribuir com a formação dos futuros pedagogos que estudam na ULBRA. Ministrando a cadeira Educação Musical, novidade do currículo do licenciatura em Pedagogia EAD da Universidade, Paulo acredita contribuir com o fortalecimento da formação do professor.
Prof. Ms Paulo Brum,  Maestro e pastor.

O convite surgiu após a conclusão do mestrado que o pastor cursou no Programa de Pós-graduação em Música do Instituto de Artes, na UFRGS. Ele obteve o título defendendo a dissertação a suíte para órgão do oratório Sete Palavras de Cristo na Cruz, Opus 257 de Amaral Vieira: uma Abordagem Retórico-Analítica da Relação com seu Oratório, Opus 255A.
Com a pesquisa, Paulo Brum analisou a forma com que o compositor usou a música para traduzir um discurso sacro. “Amaral Vieira traduziu as sete palavras de Cristo em música, e isso é muito intenso”, resume o mestre em Música. O estudo pode ser conferido no endereço http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/76732 

O órgão de tubos da Capela Universitária teve papel importante no mestrado de Paulo: foi onde aconteceram os recitais públicos, necessários para a obtenção do título. Além disso, o pastor também atuou pela reforma do instrumento, e evidencia sua importância dentro da capela. “Com o órgão, possibilitamos ações litúrgicas, durante os cultos, de ensino, através de visitas de diferentes cursos e artísticos, promovendo concertos abertos à comunidade”, relata. “Devemos manter viva essa cultura.”

Continuar os estudos em Música no doutorado está entre os planos de Paulo, mas por enquanto ele se dedica a terminar o segundo mestrado, em Teologia, no Seminário Concórdia, em São Leopoldo (RS). Ele acredita que, no ambiente universitário, o pastor deve estar próximo à academia. “Integrar a pastoral com o ensino traz mais movimento”, conclui.

Fonte: ACS Ulbra

quinta-feira, outubro 24, 2013

Ajuda aos desalojados na Grande Porto Alegre


Prezada Comunidade

Desde o dia 22.10, a Grande Porto Alegre está sob intensa chuva, que deve estender-se até o fim de semana. Como resultado, muitas famílias de diversas cidades estão desalojadas, residindo em abrigos temporários. Em contato com o Tenente Terra, da Defesa Civil do RS, fomos informados das necessidades para o momento: Roupas, cobertores, alimentos não perecíveis, água, colchões e colchonetes.

Assim, a Pastoral da ULBRA está liderando arrecadação específica destes itens para serem enviados às famílias. As contribuições podem ser doadas em um dos postos de arrecadação, nas Pastorais dos campi e escolas da Universidade em Canoas, Sapucaia do Sul, Cachoeirinha, Gravataí, Porto Alegre e Guaíba.

Desde  já agradecemos!

Pastoral da ULBRA

quarta-feira, outubro 23, 2013

Escrito

Sentir – verbo bastante associado à fé e à existência de Deus. Não é raro afirmarmos que sentimos que temos fé e que Deus está conosco. O que é algo verdadeiro.

Mas... e quando não sentimos? Aquelas horas em que nada em nós dá a sensação da existência Dele?

Imagine que você fez um concurso, mas se sente muito mal porque não estudou o suficiente. No dia da prova, sente que não está bem e que não vai dar. Ao sair do local, sente que não passou e que não conseguirá a vaga. Em resumo, não sente que vai dar.

Se, em alguma semanas, o seu nome estiver na relação dos aprovados, o que valerá mais? Seu sentimento ou o nome na lista?

Existem dias de terrível tristeza e solidão. Existem instantes de loucura, de indecisão. Há o momento do pedido não atendido, ou de nos sentimos abatidos que sentir já não é mais nem uma opção. Ainda, as horas em que a raiva domina, ou a desesperança quase preenche o coração. Ou seja, os dias em que nem sempre conseguimos sentir que Deus está por perto, segurando nossa mão.

Nessas horas, o que vale mais, o que (não) sentimos ou o que está escrito?

E está. Está tudo lá,. A existência de Deus, a certeza de sua presença, a obra de Jesus Cristo. A fé como presente e elo com este Deus de amor e de presença diária. Não precisamos nos apoiar somente no que conseguimos sentir, mas no que a Palavra nos faz saber. Inclusive, que os nomes estão na lista, isto é, escritos nos céus. Sem precisar de concurso, a aprovação é plena, por meio da fé. Se, além do saber, anda pudermos sentir, vibrar, perceber em cada ponto de nosso ser a presença de Deus, tudo fica completo! É a expressão de vida de um coração que recebeu a Palavra para saber e sentir o que é vida plena.


Pois quando a fé está em Cristo, cada dia a mais, mais viver.


P. Lucas André 

terça-feira, outubro 22, 2013

Nota de solidariedade

          A Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) manifesta solidariedade à bióloga brasileira Ana Paula Alminhana Maciel, bem como sua família, frente aos acontecimentos que culminaram em sua prisão no mar de Pechora, Rússia e indiciamento por pirataria. Ana Paula graduou-se no ano de 2007 em Biologia-licenciatura em nossa Universidade e tem se dedicado à defesa do Meio Ambiente em diversas regiões do mundo como ativista do Greenpeace.

        Espera-se que esse grave impasse seja resolvido diplomaticamente e que Ana Paula possa retornar brevemente ao Brasil.

terça-feira, outubro 15, 2013

A gente sabe

Final da conversa, no corredor. A situação não muto boa, grandes dificuldades para serem enfrentadas. Um abraço, uma despedida.
-Até mais... fica com Deus, que Ele te dê forças sempre, tá bom?
-Tá certo, obrigado!...
E o complemento:
-...Ele tem dado muita força, sim. A gente às vezes chora, desanima ou fica com medo. Mas sabe que Ele sempre vai dar forças.

A gente sabe.

Sabemos que quando levantamos, Ele já estava de pé, esperando nosso primeiro olhar.
Sabemos que quando escovamos os dentes ou arrumamos o cabelo, Ele já tinha nos visto antes do espelho, sabendo que somos belos até quando acabamos de acordar.
Sabemos que à medida que o nosso dia segue Ele mantém o vagão preso aos trilhos, já que só por nossas forças, começaria  a descarrilhar.
A gente sabe que cada vez que nossos pés encontram o chão, o caminho está observado de perto, com tranquila precisão.

Sabemos. Mas mesmo assim fraquejamos.
O que é um bom sinal.

Se você fraqueja, mesmo sabendo que Deus existe. Se você chora, mesmo sabendo que a alegria no Senhor é nossa força. Se você, irado, reclama, mesmo sabendo que Nele temos paciência. Se você, em alguns momentos, pensa em desistir, mesmo sabendo que sempre é possível lutar, é um bom sinal.
Porque mostra que você não está se entregando a promesas fáceis de felicidade, nem está enxergando o mundo como um grande tobogã. Não faz da vida um parque de passeio nem acredita que, só por ter fé, precisa sorrir de tarde, de noite e de manhã.

E sinal melhor ainda é olharmos pelos Seus olhos, quando os nossos já não conseguem enxergar. Caminhar pelos Seus pés, quando os nossos já não sabem onde andar. E principalmente, estarmos ligados a Jesus Cristo pela fé, quando o coração quiser tentar parar. Sinal de que continuaremos em frente, descendo ladeiras e subindo montanhas, confiando que Nele está o nosso querer e o nosso realizar.


Porque, ligados a Ele, a gente sabe, confia e segue em frente. Sabendo que, na fraqueza, forças nunca vão faltar.

sexta-feira, outubro 11, 2013

5 mitos sobre o perdão

por Herivelton Regiani


1º Mito: Se ele(a) se arrepender, pedir perdão e mostrar que está arrependido(a), aí eu perdoo.

Esse mito se baseia na ideia de que o perdão é um benefício para quem o recebe, e que só deve vir quando essa pessoa merecer. Mas o perdão liberta primeiro quem perdoa, dando paz ao coração e livrando dos sentimentos ruins que se acumularam. O maior beneficiário do perdão é você mesmo, por isso não espere o outro merecer para poder desfrutar.

2º Mito: Eu até perdoo, mas não esqueço!
Perdoar significa anular a dívida que a pessoa tinha conosco. Não faz sentido dizer que perdoou e guardar numa gaveta mental o comprovante, para usar depois. Ele já não tem mais valor, está cancelado, e por isso não pode ser trazido à mesa em futuras discussões ou negociações. Isso é fundamental para que o relacionamento ainda possa sobreviver.

3º Mito: Se você ainda lembra, é porque não perdoou de verdade...
Parece que esse mito contradiz o segundo, mas não é bem assim. A ofensa perde o efeito de dívida quando perdoamos, mas isso não significa que não haja consequências ou cicatrizes. A diferença é como vamos lidar juntos com isso. O processo é semelhante ao do luto. A gente não esquece, mas lembra de um jeito diferente, como aprendizado e gratidão.

4º Mito: Eu perdoo uma vez ou duas, mas três é demais!
Jesus “matou essa” ao explicar para Pedro que não era o caso de perdoar sete vezes, mas setenta vezes sete (Mateus 18.21-22). Naquele contexto, o sete era um símbolo da perfeição divina. Ou seja: perdoe sempre! Isso nos ajuda a pensar naquelas situações de difícil luta contra vícios, em que recaídas fazem parte do processo. Claro que a gente deve estabelecer limites aceitáveis para a convivência, mas não precisa limitar o perdão no coração. Mesmo que um dia aconteça o afastamento, perdoar sempre é o que apaga a mágoa e sela a paz.

5º Mito: Perdoar é coisa de gente fraca.
Se Deus é descrito como aquele que é Amor, rico em perdoar, e que lança fora as nossas ofensas, então não dá para pensar no perdão como fraqueza. É força que vem de alguém Todo-poderoso, garantida na maneira como Jesus suportou e venceu as nossas verdadeiras fraquezas: entre elas o ódio, o egoísmo e o orgulho.




Rev. Herivelton Regiani
Capelão da ULBRA Santa Maria, RS

quinta-feira, outubro 03, 2013

terça-feira, outubro 01, 2013

Nota da ULBRA


A Reitoria da Universidade Luterana do Brasil, pautada no princípio do diálogo e da transparência, diante da decisão da assembleia do Sindicato dos Professores realizada ontem (30.09), em paralisar suas atividades no dia de hoje (1º.10), comunica que:
a) reconhece a dificuldade no cumprimento do pagamento dos salários, conforme estabelecido no Acordo Coletivo de Trabalho firmado em dezembro de 2012;
b) sempre procurou informar, através de um diálogo franco e aberto com o corpo docente e técnico-administrativo, sobre a real situação da Universidade e as ações que estão sendo adotadas para o seu saneamento financeiro;
c) o equilíbrio financeiro da Universidade já foi restabelecido, porém enfrenta dificuldades pontuais de caixa decorrentes de bloqueios judiciais em sua conta corrente em função de dívidas antigas não pagas e que têm seu reflexo atualmente;
d) encaminhou uma solução para o passivo tributário da Universidade através da adesão ao Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento das Instituições de Ensino Superior (PROIES) e está empenhando ações para o saneamento dos demais passivos herdados;
e) está envidando esforços necessários para a regularização dos pagamentos dos salários, conforme Acordo Coletivo anteriormente mencionado.
f) reitera a certeza de que as medidas adotadas para o saneamento econômico-financeiro estão sendo bem sucedidas, principalmente em razão do comprometimento e da dedicação do corpo docente e técnico-administrativo.

Atenciosamente,
A Reitoria

Fonte: http://www.ulbra.br/imprensa/noticia/reitoria/4857/nota-da-ulbra---dia-de-paralisacao-dos-professores
Existem aqueles que vão rir da sua dificuldade. E existem aqueles que vão te fazer sorrir em meio à dificuldade.