sexta-feira, dezembro 26, 2014

Mix FM Poa está entre as dez rádios mais ouvidas da região

Mix FM está entre as 10 rádios mais ouvidas da Grande Porto Alegre.
Para o Minuto Toque de Vida, é uma grande alegria fazer parte deste trabalho!



Mix FM Poa está entre as dez rádios mais ouvidas da região
publicado em 23/12/2014 16h15
Índice de audiência chegou a 4,73 em novembro

A Rádio Mix FM Poa conquista a cada dia novos ouvintes e está se firmando entre as rádios preferidas do público jovem de Porto Alegre e Região Metropolitana. Em um ano e três meses de existência, a Mix já alcança 4,73 pontos de audiência, de acordo com a última pesquisa do Ibope. Com este índice a Mix alcança o 7º lugar no ranking das rádios da grande Porto Alegre. O crescimento da audiência tem sido constante. Em agosto o índice era de 3,86, passando para 3,99 em setembro, 4,16 em outubro, chegando aos 4,73 em novembro.
Para o diretor da Rádio Mix FM Poa e da ULBRA TV, Mauro Borba, este é o reconhecimento do trabalho e da dedicação dos locutores e de toda equipe da Rádio, que entenderam bem a proposta, aceitaram o desafio e que estão engajados neste novo trabalho. “Atingir este índice é surpreendente. O mérito é da Rádio Mix que tem uma programação ajustada com o seu público e dos trabalhadores locais, locutores e equipes, que estão empenhados neste projeto.”
Borba lembra que há pouco mais de um ano, quando aconteceu a mudança das rádios, mudou-se não só o nome da emissora, mas também a programação, a história, conceito e o público. Essas alterações causaram uma estranheza inicial aos ouvintes, o que tornou ainda maior o desafio para quem faz a rádio diariamente. “Mas a partir do sexto mês a aceitação da Mix FM já começou a subir. O crescimento que atingimos é expressivo, principalmente pela rapidez que está acontecendo”, enfatiza Borba.  Segundo o diretor, não se esperava que o crescimento fosse tão rápido e nem que se alcançaria este índice em pouco mais de um ano. Lembra que a antiga rádio Pop Rock, em seu pico máximo de audiência, atingiu o índice de 5,75.
A programação local da rádio acontece diariamente das 7h às 19h e é voltada para o público jovem. Entre os programas está o Cafezinho, um dos mais populares do Estado, que vai ao ar de segunda a sexta-feira, ao meio dia, no dial 107.1 FM.

ACS ULBRA
- See more at: http://www.ulbra.br/imprensa/noticia/variedades/6564/mix-fm-poa-esta-entre-as-dez-radios-mais-ouvidas-da-regiao/#sthash.foELDGyN.KSJPaWWp.dpuf

Fim de ano - Continue Andando

O texto "Continue Andando", do Toque de Vida, foi utilizado como mensagem de fim de ano do MBM Escritório de ideias, de Piracicaba, SP.
Ficou muito legal, confira!




Link para o texto:

http://toquedevida.blogspot.com.br/.../continue-andando.html

terça-feira, dezembro 23, 2014

Inclusivo

Imagine a festa do Oscar mencionando e celebrando apenas arte, cultura e expressão, sem menção ao cinema, para ser genérico com as demais artes.
Imagine o desfile de Carnaval incluindo o rock, o clássico e o sertanejo para não ofender quem não gosta de samba.
Imagine uma Oktoberfest com uma celebração genérica de ‘cultura’, sem celebração da tradição germânica, para não ser exclusiva com as demais.
Imagine, no dia da consciência negra, não podermos mencionar Zumbi dos Palmares ou Nelson Mandela, para não ser exclusivo com ícones de outras etnias.
Imagine na semana da saúde bucal falarmos apenas do corpo humano em geral, para não melindrar médicos de outras especialidades
Imagine as matérias e propagandas da Copa do Mundo falarem apenas do Esporte em geral, para ser inclusivo com as demais modalidades. E a das Olimpíadas, celebrarem genericamente a arte, música e outros talentos, para não parecer que falar de esporte é discriminar outras manifestações humanas.

Imagine no Natal não falar de Jesus Cristo, mas apenas das festas, papai Noel, luzes e paz.

Bom, esta último sabemos que não precisamos imaginar.

Em alguns contextos, aparentemente se torna até regra e norma. Nada de Jesus Cristo e cultura cristã no Natal, isto pode ser ofensivo e exclusivo. Assim caminha a ‘evolução’ em nosso ocidente cristão. Até onde ainda conseguir caminhar.

De qualquer forma, o Natal, enquanto for Natal, permanece a festa cristã celebração do nascimento de Cristo. Para todas as etnias e culturas. Em todos os jeitos e ritmos. Na direção de todos os corpos e almas humanas. O Natal é a festa inclusiva por excelência, pois se trata de Deus oferecendo a todos o seu amor, paz e toda e qualquer palavra que, nesta época, queira celebrar tudo o que há de bom. Ao mesmo tempo, uma festa exclusiva – só Um é o motivo e o centro de tudo.

Mostrando ao mundo de que luz, paz, festa, celebração, alegria, cultura, tudo isso tem nome, centro e sentido na manjedoura de Belém.


(P. Lucas André)

segunda-feira, dezembro 15, 2014

O sucesso do Natal

por Marcos Schmidt

O personagem pré-natalino João Batista está longe de ser um homem bem sucedido. Usava roupas de pelos de camelo, comia gafanhotos e montou o seu negócio longe do público, no deserto. A propaganda? Sem a atração dos milagres, solução dos problemas, prosperidade: "Arrependam-se dos seus pecados”. O final da história desse cara esquisito e destinado ao fracasso está num vídeo terrorista: a cabeça cortada e exibida numa tigela. Coitado! Vida curta, infeliz, desastrosa.

João Batista nunca deveria ser alguém para preparar o Natal. Natal é festa, alegria, comida, presentes, ruas enfeitadas, magia. João Batista é um estraga prazeres, se mete onde não é chamado,  manda as pessoas mudarem de vida. Quem é ele para dizer que isto ou aquilo é pecado? Quem ele pensa que é? É um estraga prazeres. Teve um fim bem merecido. Se tivesse ficado quieto tudo seria diferente.

Mas o anfitrião do Natal pensa diferente: “Eu afirmo que vocês viram muito mais que um profeta. João Batista é o maior de todos os homens do passado” (Mateus 11). Jesus não só devolve a cabeça de João, mas todo o corpo dele, os pés, a boca, as cordas vocais, o cérebro, a mensagem, a missão. E coloca um tapete vermelho lhe conferindo o sucesso num reino que está próximo das pessoas e ao mesmo tempo longe delas. Uma voz que continua gritando no deserto: Vocês aí nesse mundo dos negócios, metas, conquistas, vaidades,  preparem-se, porque o reino de Deus está chegando.


Nessa hora é a minha cabeça que rola - da arrogância, auto suficiência, domínio. Para que Cristo tenha o comando e traga a vida. Por isto o testemunho de outro João: "Houve um homem chamado João, que foi enviado por Deus para falar a respeito da luz. Ele veio para que por meio dele todos pudessem ouvir a mensagem e crer nela. João não era a luz, mas veio para falar a respeito da luz, a luz verdadeira que veio ao mundo e ilumina todas as pessoas" (João 1.6-8). Quem disse que este cara não foi um homem de sucesso?


P. Marcos Schmidt
Novo Hamburgo, RS

quinta-feira, dezembro 11, 2014

Novamente


É novamente o tempo da história ser contada
Que, mesmo repetida, consegue renovação.
Gerando as respostas mais variadas
Novidade ou antiguidade para o coração.

A história do menino que responde
ao principal anseio da humanidade
que, em grande parte, meio que não ouve
a resposta do que pergunta com ansiedade.

A história da manjedoura em que repousa
A esperança de justiça que leva à paz
mas que em parte é esquecida, em parte ignorada
por quem pensa que é de outro jeito que se faz.

A história da família confiante
que acredita no que vai acontecer
Diferente de muitas vidas que, hoje em dia,
acreditam poder controlar o que vai ser.

A história que responde, mas nem todos perguntam
A história que acalma, quando muitos querem correr.
A verdade que liberta quando muitos se prendem
ao que a história sempre trata de evanescer.

Mas ainda é tempo, é hora, é dia.
É a sinfonia que reúne amor e paz
que conserta o coração em harmonia
E que oferece novamente ao mundo mais.


(P.Lucas André)


Imagem: P Paulo da Rosa, ULBRA Ji-Paraná, RO. 
Presépio de garrafas PET.


sábado, dezembro 06, 2014

Anjos Santos a Cantar

Temos todos os motivos do mundo para celebrar o Natal. Jesus nasceu! Os anjos cantam! Vai entrando no clima do Natal com o novo clip do Projeto Líder de Louvor - Anjos santos a cantar!

Clique e assista!


sexta-feira, dezembro 05, 2014

Reter o perdão?

Mas...é possível reter o perdão?

De fato, há situações onde, infelizmente, isto pode acontecer.

O outro vai ter que reter o perdão, primeiramente, se você é alguém não se arrepende. Porque neste caso, em vez de bem, o outro faria mal a você, levando-o a crer que é possível agradar a Deus fora de arrependimento e fé.  

O perdão poderá acabar tendo que ser retido quando o seu arrependimento apresenta evidências de não ser sincero. Atitudes incongruentes com o pedido de perdão. Isto ajudaria na sua dissimulação, fortalecendo o sentido de que basta aparentar que já é possível enganar a todos. E, no entanto, você vai enganar o seu próprio coração.

É possível que ele acabe tendo que ser retido se for percebido que você tenta pedi-lo apenas para se beneficiar externamente do perdão obtido, enquanto dezenas de outros podem sofrer as consequências desta encenação.

Talvez o perdão acabe sendo retido quando se nota que a necessidade do perdão ainda não aconteceu. Antes do anúncio da cura, o Evangelho, é preciso a Lei para o reconhecimento da doença. Se não, fica afastada a medicação.

No fim, todas as situações se reportam à primeira. E reter o perdão é pressuposto bíblico, da boca do próprio Jesus. O perdão é precedido de arrependimento que acaba, de uma ou de outra forma, se manifestando de forma clara.

Mas não com uma intenção de punição sádica, um jogo de egos ou uma tentativa de manipulação. Única e exclusivamente como um levar à reflexão profunda, a um reconhecimento sincero. Um abrir caminho com a Lei Divina procurando tocar o coração, para que ele seja conduzido ao sincero arrependimento – que se apresenta, inclusive, com atitudes que confirmam essa sinceridade -  e então, não tenha retido o pedido de perdão. Ao contrário, o receba abundantemente, sendo lavado completamente por Cristo, que obteve esta remissão.

A partir daí, podemos manter uma certeza constante. Não vamos querer nos afastar nunca desta fonte de amor.

E sermos perdoados sem retenção. 


(P. Lucas André Albrecht)

quinta-feira, dezembro 04, 2014

Sentir paz

A professora deu uma tarefa a seus alunos no dia da não violência: escrever que tipo de coisa os fazia sentir paz.

Jeanine, uma menina de 8 anos, relatou: “Eu sinto muita paz quando vejo meu pai saindo pro trabalho. O trabalho dele faz com que me sinta assim.”
A professora, então, perguntou qual a profissão dele. “Um ministro religioso? Um professor? Um enfermeiro?”

- Não professora”, foi a resposta. Ele é tenente do exército..

Não costumamos vincular as duas coisas não?  Exército lembra guerra. Outras profissões, como professor, pastor ou enfermeiro é que são mais facilmente conectar-se com paz. Mas a verdade é que, para pensarmos em não violência de forma completa, precisamos lembrar de todas as profissões de nossa sociedade que contribuem para que tenhamos um pouco mais de paz. Até mesmo as que combatem a violência de forma mais rígida.

Jesus Cristo elogiou os que trabalham pela paz*. Isso inclui todos aqueles que trabalham em uma profissão digna de maneira honesta. Mas ele estava falando também de algo além - a paz que termina com a insegurança do coração. E aí, somente uma profissão chega lá: Salvador. Para ela, somente uma pessoa preencheu os requisitos: Ele mesmo, Jesus. Ele deu conta de tudo, até o fim. E quando terminou seu trabalho, havia conquistado a possibilidade de uma vida em paz para cada cidadão do planeta.

Assim, quando falamos em não violência, temos a oportunidade para lembrar que, em paz com Deus por causa deste trabalho de Jesus, não precisamos levar a vida na base do “bateu, levou”. Porque viver com Ele é nos sentirmos em paz.

Mais que isso: é termos e vivermos a paz  de Deus - que ultrapassa nosso entendimento, mas chega em nosso coração.


(P. Lucas André Albrecht)