segunda-feira, dezembro 15, 2014

O sucesso do Natal

por Marcos Schmidt

O personagem pré-natalino João Batista está longe de ser um homem bem sucedido. Usava roupas de pelos de camelo, comia gafanhotos e montou o seu negócio longe do público, no deserto. A propaganda? Sem a atração dos milagres, solução dos problemas, prosperidade: "Arrependam-se dos seus pecados”. O final da história desse cara esquisito e destinado ao fracasso está num vídeo terrorista: a cabeça cortada e exibida numa tigela. Coitado! Vida curta, infeliz, desastrosa.

João Batista nunca deveria ser alguém para preparar o Natal. Natal é festa, alegria, comida, presentes, ruas enfeitadas, magia. João Batista é um estraga prazeres, se mete onde não é chamado,  manda as pessoas mudarem de vida. Quem é ele para dizer que isto ou aquilo é pecado? Quem ele pensa que é? É um estraga prazeres. Teve um fim bem merecido. Se tivesse ficado quieto tudo seria diferente.

Mas o anfitrião do Natal pensa diferente: “Eu afirmo que vocês viram muito mais que um profeta. João Batista é o maior de todos os homens do passado” (Mateus 11). Jesus não só devolve a cabeça de João, mas todo o corpo dele, os pés, a boca, as cordas vocais, o cérebro, a mensagem, a missão. E coloca um tapete vermelho lhe conferindo o sucesso num reino que está próximo das pessoas e ao mesmo tempo longe delas. Uma voz que continua gritando no deserto: Vocês aí nesse mundo dos negócios, metas, conquistas, vaidades,  preparem-se, porque o reino de Deus está chegando.


Nessa hora é a minha cabeça que rola - da arrogância, auto suficiência, domínio. Para que Cristo tenha o comando e traga a vida. Por isto o testemunho de outro João: "Houve um homem chamado João, que foi enviado por Deus para falar a respeito da luz. Ele veio para que por meio dele todos pudessem ouvir a mensagem e crer nela. João não era a luz, mas veio para falar a respeito da luz, a luz verdadeira que veio ao mundo e ilumina todas as pessoas" (João 1.6-8). Quem disse que este cara não foi um homem de sucesso?


P. Marcos Schmidt
Novo Hamburgo, RS

quinta-feira, dezembro 11, 2014

Novamente


É novamente o tempo da história ser contada
Que, mesmo repetida, consegue renovação.
Gerando as respostas mais variadas
Novidade ou antiguidade para o coração.

A história do menino que responde
ao principal anseio da humanidade
que, em grande parte, meio que não ouve
a resposta do que pergunta com ansiedade.

A história da manjedoura em que repousa
A esperança de justiça que leva à paz
mas que em parte é esquecida, em parte ignorada
por quem pensa que é de outro jeito que se faz.

A história da família confiante
que acredita no que vai acontecer
Diferente de muitas vidas que, hoje em dia,
acreditam poder controlar o que vai ser.

A história que responde, mas nem todos perguntam
A história que acalma, quando muitos querem correr.
A verdade que liberta quando muitos se prendem
ao que a história sempre trata de evanescer.

Mas ainda é tempo, é hora, é dia.
É a sinfonia que reúne amor e paz
que conserta o coração em harmonia
E que oferece novamente ao mundo mais.


(P.Lucas André)


Imagem: P Paulo da Rosa, ULBRA Ji-Paraná, RO. 
Presépio de garrafas PET.


sábado, dezembro 06, 2014

Anjos Santos a Cantar

Temos todos os motivos do mundo para celebrar o Natal. Jesus nasceu! Os anjos cantam! Vai entrando no clima do Natal com o novo clip do Projeto Líder de Louvor - Anjos santos a cantar!

Clique e assista!


sexta-feira, dezembro 05, 2014

Reter o perdão?

Mas...é possível reter o perdão?

De fato, há situações onde, infelizmente, isto pode acontecer.

O outro vai ter que reter o perdão, primeiramente, se você é alguém não se arrepende. Porque neste caso, em vez de bem, o outro faria mal a você, levando-o a crer que é possível agradar a Deus fora de arrependimento e fé.  

O perdão poderá acabar tendo que ser retido quando o seu arrependimento apresenta evidências de não ser sincero. Atitudes incongruentes com o pedido de perdão. Isto ajudaria na sua dissimulação, fortalecendo o sentido de que basta aparentar que já é possível enganar a todos. E, no entanto, você vai enganar o seu próprio coração.

É possível que ele acabe tendo que ser retido se for percebido que você tenta pedi-lo apenas para se beneficiar externamente do perdão obtido, enquanto dezenas de outros podem sofrer as consequências desta encenação.

Talvez o perdão acabe sendo retido quando se nota que a necessidade do perdão ainda não aconteceu. Antes do anúncio da cura, o Evangelho, é preciso a Lei para o reconhecimento da doença. Se não, fica afastada a medicação.

No fim, todas as situações se reportam à primeira. E reter o perdão é pressuposto bíblico, da boca do próprio Jesus. O perdão é precedido de arrependimento que acaba, de uma ou de outra forma, se manifestando de forma clara.

Mas não com uma intenção de punição sádica, um jogo de egos ou uma tentativa de manipulação. Única e exclusivamente como um levar à reflexão profunda, a um reconhecimento sincero. Um abrir caminho com a Lei Divina procurando tocar o coração, para que ele seja conduzido ao sincero arrependimento – que se apresenta, inclusive, com atitudes que confirmam essa sinceridade -  e então, não tenha retido o pedido de perdão. Ao contrário, o receba abundantemente, sendo lavado completamente por Cristo, que obteve esta remissão.

A partir daí, podemos manter uma certeza constante. Não vamos querer nos afastar nunca desta fonte de amor.

E sermos perdoados sem retenção. 


(P. Lucas André Albrecht)

quinta-feira, dezembro 04, 2014

Sentir paz

A professora deu uma tarefa a seus alunos no dia da não violência: escrever que tipo de coisa os fazia sentir paz.

Jeanine, uma menina de 8 anos, relatou: “Eu sinto muita paz quando vejo meu pai saindo pro trabalho. O trabalho dele faz com que me sinta assim.”
A professora, então, perguntou qual a profissão dele. “Um ministro religioso? Um professor? Um enfermeiro?”

- Não professora”, foi a resposta. Ele é tenente do exército..

Não costumamos vincular as duas coisas não?  Exército lembra guerra. Outras profissões, como professor, pastor ou enfermeiro é que são mais facilmente conectar-se com paz. Mas a verdade é que, para pensarmos em não violência de forma completa, precisamos lembrar de todas as profissões de nossa sociedade que contribuem para que tenhamos um pouco mais de paz. Até mesmo as que combatem a violência de forma mais rígida.

Jesus Cristo elogiou os que trabalham pela paz*. Isso inclui todos aqueles que trabalham em uma profissão digna de maneira honesta. Mas ele estava falando também de algo além - a paz que termina com a insegurança do coração. E aí, somente uma profissão chega lá: Salvador. Para ela, somente uma pessoa preencheu os requisitos: Ele mesmo, Jesus. Ele deu conta de tudo, até o fim. E quando terminou seu trabalho, havia conquistado a possibilidade de uma vida em paz para cada cidadão do planeta.

Assim, quando falamos em não violência, temos a oportunidade para lembrar que, em paz com Deus por causa deste trabalho de Jesus, não precisamos levar a vida na base do “bateu, levou”. Porque viver com Ele é nos sentirmos em paz.

Mais que isso: é termos e vivermos a paz  de Deus - que ultrapassa nosso entendimento, mas chega em nosso coração.


(P. Lucas André Albrecht)

quarta-feira, novembro 26, 2014

10 anos no ar!

Neste dia 26.11, o Toque de Vida completa 10 anos. Desde o primeiro dia em que a ULBRA TV foi ao ar, em 26.11, 2004, são mais de 2500 programas diferentes, levando música e mensagem, todos os dias, para milhares de telespectadores.

Motivo de gratidão a Deus. E motivo para continuar a fazer cada vez mais e melhor!









sexta-feira, novembro 14, 2014

DVD ao Vivo



Projeto Líder de Louvor lança DVD ao vivo no Cristo Redentor

A Banda do Projeto Líder de Louvor lança seu primeiro DVD, gravado ao Vivo em Sumaré (SP), neste sábado e domingo, dias 15 e 16.11, às 19h30, no Colégio ULBRA Cristo Redentor, em Canoas, RS. São composições inéditas, como O amor de Deus faz e músicas do repertório cristão, como Grande é o Senhor, Luz em meu viver e Me refez.
cid:ii_i27lj0zs2_1498a80cb1dc20aa
 Segundo Paulo Brum, maestro e cantor, o repertório de músicas cristãs contemporâneas, em sua sequência, enfatiza a importância de uma vida constante junto a Deus. Brum ainda destaca: “São arranjos que investem tanto no projeto mais simples de banda (teclado, cordas e bateria), como canções que agregam metais e Coro Gospel”. O objetivo, segundo o músico, além de proporcionar musica de qualidade para ser ouvida no dia a dia, é trazer uma mensagem positiva. “O mundo anda cheio de intolerância, desrespeito, julgamentos precipitados, raiva... as canções trazem uma mensagem que apontam para um Deus que se faz presente na vida humana como fé, amor e paz”, comenta.
 O lançamento acontece no anfiteatro do Colégio ULBRA Cristo Redentor e a entrada é franca. O local possui estacionamento. Os participantes podem acessar o espaço pela Av. Inconfidência, número 1.231 e pela rua lateral São Pedro.

SERVIÇO
Lançamento DVD, Banda do Projeto Líder de Louvor  
Dias: 15 e 16.11.2014
Horário: 19h30  
Local: Colégio ULBRA Cristo Redentor, Canoas, RS    
Endereço: Av. Inconfidência, 1.231, bairro Marechal Rondon
Entrada Franca


Lançamento DVD PLL.jpg

O PROJETO

Líder de Louvor surgiu em 2006 com o objetivo de levar música cristã de qualidade aos mais diversos lugares. Em 2012, percebendo as necessidades da igreja e das pessoas, ampliou seus horizontes e estrutura, formatando um processo de música e educação continuadas.
         Em sua essência, o Projeto, que conta com o apoio da Pastoral da ULBRA, tem como missão promover um modo contemporâneo de conduzir a música cristã, focado no ensino, testemunho e louvor.
            Para o grupo, é fundamental compartilhar o conhecimento adquirido com outras pessoas que se identificam com este mesmo objetivo. Por isso, possui uma equipe para o ensino, multiplicando conhecimento, vivencia e vida cristã. São workshops com oficinas que incluem instrumental, postura de palco, coro gospel e composição, ministrados em diversas cidades e regiões do pais.     
            Acreditando que o louvor é um momento com Deus, muito além da música, o Projeto Líder de Louvor conta, além de músicos experientes, com equipes de áudio, vídeo, cenário, figurino e comunicação que, integradas, trabalham para que a experiência da adoração seja o mais completa possível, fazendo com que não se limite a um momento apenas, mas que tenha real impacto na vida diária.


Fonte: ACS ULBRA

sexta-feira, novembro 07, 2014

Convite


Pressa expressa


Na era da pressa, não conseguimos mais esperar.

Telefone, mensagem. trânsito, fila. Promoção, crescimento, amadurecimento, oportunidade;
Esperar a sua vez.

Quase não temos mais paciência para as coisas que não levam o tempo que gostaríamos que levassem. O programa a ser baixado, a mensagem a ser enviada, o contato a ser feito, a resposta aguardada. A impaciência se torna, então, uma companheira de todas as horas..

De tanto estabelecermos  tempo, esquecemos que relacionamentos, pessoas, oportunidades, e até mesmo o clima, não obedecem relógio humano nenhum. E, então, trazemos para dentro de nossas vidas frustrações que não precisariam estar lá, se apenas lembrássemos que o tempo de algumas coisas importantes não têm a mesma pressa de andar.

Podemos trocar essa pressa expressa pelo expressar confiança Naquele que é o dono do tempo. Especialmente, do tempo exato de as coisas aconteceram. Ele já deu provas disso. Quando “veio a plenitude do tempo”, enviou aquele que conquistou todo o tempo do mundo – a vida eterna. Caminhando neste passo, a impaciência cede espaço à segurança e a confiança de que o relógio está sempre a nosso favor. Pois não estamos mais presos a um mero cronos, e sim conectados a Cristo, o dono dele. Seu amor é sempre pontual. Em todos os sentidos.

Amor expresso em atos precisos, e impressos com precisão em nossos corações. Amor que pode ser compartilhado com quem nos cerca de maneira um pouco mais precisa, sem tanta impaciência, respeitando tempo e o jeito de quem precisa do nosso olhar, do nosso gesto. Pessoas que precisam muito de alguém que não se prenda a um tempo exato quando o assunto é se relacionar

Na era da pressa, ainda vale a pena esperar. Pois o que é mais importante continua acontecendo sempre no tempo certo.

 P.Lucas André Albrecht


Fonte da imagem

Hypocrisy

It is not rare to hear and see generic comments about "others flaws." Hypocrisy seems to be at the top of the list of them.
Have you seen these comments?
“This world is full of hypocrites.”
And some variations:
“This world is so full of arrogant people.”
“This world is so full of false people.”
“This world is so full of stupid people.”
Well this is the plain, naked truth. Verify it easily at www.worldometers.info/br. Last time I checked it surpassed 7.2 billion.
Now go to www.lds.org/scriptures/bible and you'll understand why God came in the person, Jesus. We are a false, hypocritical, petty, arrogant, egotistical people. God's compassion was profound for his created ones. All of them, all of us. He provided the mirror to show us our flaws. Yet, the cross of Christ is where we direct our eyes so that we can view the perfect and authentic God-human. Jesus Christ.
This is not to say that justifying others' flaws or even tolerating sin is the message. Rather it is about pointing the finger at our own inner being. Looking within and knowing Jesus Christ, The Way, The Truth and The Life releases us from hypocrisy and all other finger pointing.
God transforms the world of hypocrites because of His love and forgiveness granted through faith in Jesus.
This phrase is generic. But there’s no doubt that its effects are specific, objective.
And permanent.
P  Lucas André Albrecht
Canoas ,RS, 
Brazil 
Text  edition:
Ms. Kim Starr
MA Practical Theology & Deaconess Certified
Pleasant Prairie, WI, USA

quinta-feira, novembro 06, 2014

Mão estendida - Minuto Toque de Vida

Mensagem do Minuto Toque de Vida, da Mix FM Poa.




Leia esta mensagem:
http://toquedevida.blogspot.com.br/2008/02/mo-estendida.html

quinta-feira, outubro 23, 2014

“Só aquele que nada contra a corrente conhece a força dela.”

(W. Wilson)

quarta-feira, outubro 22, 2014

Vale a pena ser honesto?


por Marcos Schmidt


Vale a pena ser honesto? A dúvida tem dois mil e quinhentos anos, do tempo do profeta Malaquias: “A gente vê que tudo dá certo para os maus; quando põem Deus à prova, eles não são castigados” (3.15).  Mas será que é assim mesmo? Conhecemos o ditado: “a justiça tarda mas não falha”. E isto fica evidente na experiência do profeta: “E mais uma vez o meu povo verá a diferença entre o que acontece com as pessoas boas e com as más” (3.18).  A parábola do empregado (Lucas 12.41-48) que faz as coisas certas só quando o patrão está na frente dele traz um recado de Jesus para os que nem estão aí com a ética, honestidade, fidelidade, justiça: o patrão voltará no dia em que o empregado infiel menos espera.

Dias atrás li o artigo “Enganar as pessoas no trabalho pode arruinar uma carreira”, de um diretor de empresa. Ele baseia-se na famosa frase “pode-se enganar a todos por algum tempo, pode-se enganar alguns por todo o tempo, mas não se pode enganar a todos durante todo o tempo”. Entre várias situações de desonestidade e corrupção, cita o caso de empresas que manipulam seu balanço financeiro e lembra o que aconteceu com Eike Batista. “Se você quer crescer profissionalmente de forma duradoura, não engane ninguém”, conclui o autor. O recado é oportuno especialmente aos nossos políticos, os eleitos e os que serão eleitos.
                                           
Agora, não podemos esquecer que quando a Bíblia fala em "pessoa boa e pessoa má", ela é categórica: “Todos pecaram e estão afastados da presença gloriosa de Deus. Mas, pela sua graça e sem exigir nada, Deus aceita todos por meio de Cristo Jesus, que os salva” (Romanos 3.23,24). No entendimento bíblico, só é espiritualmente bom e justo aquele que está unido pela fé com a única pessoa que foi honesta e perfeita na face na Terra, o Deus-Homem. É nesta e por esta nova vida que a Bíblia conclama: "Sejam filhos de Deus, vivendo sem nenhuma culpa no meio de pessoas más que não querem saber de Deus" (Filipenses 2.15).


Rev. Marcos Schmidt
Novo Hamburgo, RS

sexta-feira, outubro 10, 2014

Diagnósticos

“Criamos um sistema de diagnóstico que transforma problemas cotidianos e normais da vida em transtornos mentais.”
 
Esta é uma das afirmações contundentes de Allen Frances, que dirigiu por vários anos o Manual Diagnóstico e Estatístico (DSM), documento que define e descreve as diferentes doenças mentais.  Apontando uma inflação diagnóstica que causa muito dano, especialmente na psiquiatria infantil, indica que fármacos são, sim, importantes para transtornos mentais severos. Mas, segundo Frances, “o excesso de medicação causa mais danos que benefícios. Não existe tratamento mágico contra o mal-estar”. A entrevista toda está aqui.
 
Tudo agora é doença. Se estou triste ou chateado, deve ser depressão. Se como um pouco demais, é transtorno alimentar. Se costumo ser animado ou agitado, devo ser hiperativo. E com uma população tendo acesso a nomes e descrições genéricas, sem real e profundo conhecimento do tema, temos milhões de médicos receitando, com rapidez, transtornos, síndromes e tratamentos.
 
Curiosamente, a única doença que, de fato, todos têm dentro de si, cujo diagnóstico é definido e cujos sintomas e consequências são nefastos, esta poucos,ou ninguém, quer admitir que tem. Já está mapeada e é conhecida pelo nome cientifico de Pecado. Pode ser associada também a erro, desvio, imperfeição. Mas está lá, desde o nascimento, e se desenvolve por toda a vida. Só que, então, não queremos aceitar a constatação. E frases como “Eu erro como todo mundo”, “não me arrependo de nada do que fiz “ e “pago em dia minhas contas,não mato e não roubo” parecem ser o comprimido mágico mais do que suficiente para saná-la, controlá-la ou eliminá-la.
 
Não é assim. Não existe tratamento mágico contra este estar-mal. O que existe é tratamento gratuito.
 
Um tratamento eficaz, consistente e duradouro. A cura para esta doença foi extraída do sangue -  o sangue mais perfeito que já circulou na Terra. Uma cura que nenhuma industria de fármacos teria condições subsidiar, fabricar e vender. E que é estendida absolutamente de graça, por meio de um receptor de duas letras – Fé. Jesus Cristo não mediu esforços e designou meios para que tanto o diagnóstico da doença como a noticia da cura cheguem a cada vez mais pessoas. Especialmente, as que ainda não sabem que são doentes.
 
Uma cura que nos leva além de não matar, não roubar e pagar as contas em dia. Garante vida completamente nova.
 
 
((P. Lucas André Albrecht)

sexta-feira, outubro 03, 2014

quarta-feira, outubro 01, 2014

Ele não esquece

·         Ouça esta mensagem


Os pais que já tiveram a experiência de deixar o filho na escola no primeiro dia de aula sabem que pode ser uma experiência difícil pra criança. É o momento em que elas se afastam da segurança da familia para um lugar que poderíamos chamar, olhando pelos olhos da criança, de solitário e hostil.

Do ponto de vista do adulto não parece grande coisa. Ele deixa a criança no inicio da manhã, ou da tarde, e, no fim, está lá para buscá-la. Apenas um turno de 4 a 5 horas… Mas, e para ela?... Pois, a gente lembra muito bem: quando somos crianças, a noção de tempo é diferente. Tudo parece que demora mais. Para ela, é uma manhã que parece que não vai acabar. E aí, pode surgir a dúvida, a ansiedade, o medo. ”Onde está meu pai, minha mãe? Será que viraram as costas, será que esqueceram de mim?”

Depois do que parece uma eternidade, chega o momento em que lá estão eles para nos buscar. Alivio. Paz. Segurança da presença deles.

Podemos lembrar  desta ilustração nos momentos mais duros e solitários de nossa existência, aqueles em que a sensação é de que o Pai nos largou em algum lugar e virou as costas. Esqueceu-se de seus filhos. Nossa noção de tempo é diferente, e podemos nos angustiar demais. Podemos nos sentir inseguros.Podemos ficar com muito medo...

Mas o Pai jamais nos esqueceu. Jesus Cristo jamais deixa de ter seu olhar em nossa vida, nem sequer por um minuto.

Ele sempre esteve lá e sempre vai estar.

E no Seu tempo, vai trazer Alivio, Segurança e Paz.

  

(P. Lucas André Albrecht)

Ele não esquece - Minuto Toque de Vida

Concerto reunirá 240 vozes na Capela Universitária

Atividade musical terá participação da orquestra de sopros


Numa parceria da Pastoral Universitária, do Curso de Teologia e do Distrito do Vale do Rio Gravataí (DIGRA) da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB), será realizado o Concerto na Capela – Onde está o teu Irmão?, nesta quarta-feira, 01.10, às 20h, no campus Canoas. A atividade faz parte da programação do XIII Fórum de Teologia e VII Simpósio Internacional de Missão.
O concerto terá a participação de 240 coralistas da região, acompanhados de orquestra de sopros, percussão, órgão de tubos, banda contemporânea do Projeto Líder de Louvor e solistas convidados, como a soprano Suelen Scholl Matter, Jean Regina e Vinícius Silva, regidos pelo maestro Paulo Brum. No programa constam músicas do repertório tradicional e contemporâneo cristão, bem como músicas populares brasileiras alusivas à temática do fórum.


 Fonte:  ACS ULBRA

quarta-feira, setembro 24, 2014

Estacionados

Vi um vídeo curioso no Facebook, mostrando um senhor tentando estacionar seu carro. Era algo simples: o veículo era pequeno e a vaga, bem grande. Mas ele ia pra frente, e pra trás, repetidamente, e nada de conseguir resolver o problema. Até que, por fim – acredito que por desistência -, meio que atirou o carro onde estava mesmo, e se foi a seu compromisso. O detalhe do vídeo é que ele foi gravado de cima, a partir de um dos andares do prédio em frente. As pessoas assistindo chegaram a se divertir com a cena.

Observando a cena, é possível notar que, para quem olhava de cima, estava mais do que clara a facilidade. Mas para o senhor lá embaixo, lidando com a situação, talvez nem tanto. Ainda mais se ele possui alguma limitação física ou de percepção.

Às vezes estamos lidando com situações semelhantes. Um desafio ou problema que parece muito difícil de solucionar, ou para o qual temos limitações. Mas que, se pudéssemos ouvir, ou se déssemos ouvidos ao apoio e conselho de quem vê de cima, isto é, vê de outra perspectiva, poderíamos resolver com menos dificuldade. 

O problema é o chato do orgulho, que, raramente, nos deixa pensar.

Deus nos conhece muito bem. Ele, por meio de Jesus Cristo, resolveu nosso maior problema, nos dando lugar certo e seguro dentro da família da fé. E mais: Ele vê nossa vida não apenas de cima, como por todos os ângulos, conduzindo pelo caminho, conforme prometeu. Quando, em fé, sabemos disso, e confiamos plenamente, vamos lembrar de deixar de sermos orgulhosos, ficando pra lá e pra cá, sem resolver nada. Vamos deixar de nos apoiar em nossas limitações de capacidade e percepção, e confiar Naquele sempre tem uma vaga para nossas necessidades no Seu coração.

Isto é garantia de facilidade e todos os problemas resolvidos? Claro que não. Mas é certeza de que, seja qual for o desfecho, estaremos, em segurança, estacionados em Suas mãos.


(P. Lucas André Albrecht)

quarta-feira, setembro 17, 2014

Primeira Lei

princípio da Inércia, também chamado de primeira lei de Newton, refere-se à  tendência de um corpo dotado de massa em manter a sua velocidade. Fala da resistência que um corpo oferece à mudança do seu estado de repouso ou de movimento. Ou seja, se está parado, permanece parado. Se está em movimento, assim continua. Para ilustrar: quando um carro arranca, os corpos dentro dele são “puxados” para trás. Quando freia, projetados para frente.

Viver por inércia é a tendência que todos temos de ‘deixar a vida nos levar’, ao invés de a levarmos com mão firme. Isso é ilustrado pelo fato de que não é raro nos pegarmos pensando ‘quando criança, sim, eu era feliz!...”. Provavelmente porque não tínhamos quase nenhuma responsabilidade, apenas seguíamos a tendência do movimento. A idade adulta, no entanto, nos arranca no banco do passageiro e nos joga para o volante. Agora é conosco. Tomar decisões e arcar com consequências dói. Especialmente diante dos obstáculos que estão adiante.

Dependendo de como nos portamos diante disso, recebemos melhor o impacto. Quem está num carro com o cinto bem afivelado, dirigindo com atenção, vai absorver melhor qualquer curva brusca, freada repentina ou até uma batida. Quem estava só de carona e ainda sem cinto e distraído, corre mais risco de sofrer danos mais sérios. Claro, assim como no princípio da inércia, isso varia de corpo para corpo e depende da massa corporal. Mas que é mais complicado, não há dúvida.

Por isso, Deus nos capacita a tomarmos o volante e dirigirmos com responsabilidade, dentro do caminho que ele nos dá: fé em Jesus. Este tem todos os itens de segurança. Mantendo a atenção constante e nossa direção responsável, com Ele, estamos melhor preparados para os impactos e surpresas que a vida nos apresentar.

Esta é a primeira Lei de Deus, a Lei do Amor: Seu desejo de que todo corpo andando em Sua mão, permaneça neste estado.

Constantemente.



(P. Lucas André Albrecht)