segunda-feira, outubro 31, 2011

Lutero e Jobs - semelhanças entre dois reformadores. E a diferença.

Martinho Lutero, líder da Reforma Protestante, viveu quase 500 anos antes de Steve Jobs. Mas a distância pode não ser tão grande quando se trata do impacto que causaram na história.


A morte de Steve Jobs, o gênio da era digital, aconteceu no mesmo mês em que se celebra a Reforma Protestante, liderada pelo monge alemão Martinho Lutero. O evento do século XVI teve efeitos permanentes, algo semelhante às revoluções causadas pelo norte-americano, cujos inventos e adaptações atingem o mundo inteiro. Lutero morreu no mês em que Jobs nasceu e ambos viveram na época em que uma novo e revolucionário meio de comunicação se estabelecia  - a imprensa e a internet. Serão somente estas as semelhanças? Ou há algo mais em comum entre estes dois reformadores com quase 500 anos de diferença? Nesta entrevista, o Pastor Lucas Albrecht, capelão da Ulbra em Canoas, RS, por ocasião do início da celebração dos 500 anos da Reforma Luterana, comenta algumas relações marcantes entre o trabalho de Martinho Lutero e a reforma de Steve Jobs.


BDU – Pastor Lucas, porque relacionar Martinho Lutero, personagem do Seculo XVI, com Steve Jobs, que viveu quase 500 anos depois?


PLucas – Apesar da distância no tempo, estes dois ícones da história têm alguns aspectos em comum. Há algumas semelhanças menores, mas é possível traçar pelo menos 3 grande paralelos revolucionários na vida de ambos: a tradução da Bíblia, a música e a composição de uma língua nacional em Lutero com, respectivamente, o PC, Ipod e Iphone em Jobs


BDU – Como é possível relacionar a tradução de Bíblia e o lançamento do PC?

PLucas – Em 1984, a Apple de Steve Jobs lançou no mercado o MacIntosh, computador de uso pessoal que foi considerado um marco na história digital. Muitas coisas podem ser ditas deste momento, mas a principal, do meu ponto de vista, é a de que o computador começou a, definitivamente, entrar na casa e  na vida das pessoas. A interface gráfica que dispensava linhas de comando tornou mais fácil e dinâmico seu uso. Jobs, de certa forma, foi quem colocou o computador ao alcance das pessoas em geral. Ele deixou de ser um objeto para especialistas ou empresas e tornou-se um eletrodoméstico na vida cotidiana.
No século XVI, a Bíblia era um ‘objeto’ de uso exclusivo de especialistas, que dominassem as "linhas de comando" originais, o grego e o hebraico, ou pelo menos o latim. Martinho Lutero decidiu, então, traduzir o texto sagrado para o vernáculo, dando ao povo acesso direto ao texto sagrado. A Bíblia começou a entrar na casa e na vida das pessoas. Claro que a uma velocidade bem menor do que o PC,  até mesmo pelas altas taxas de analfabetismo de então, mas deixando de ser privilégio de poucos para fazer parte da vida cotidiana.


BDU – E de que forma se pode relacionar Jobs e Lutero quanto ao uso da música?

PLucas – É opinião de muitos especialistas de que Jobs revolucionou a indústria da música com a criação do Ipod e também do ITunes.  Não apenas o jeito de ouvir, mas até mesmo de fazer e distribuir música. Jobs não inventou o tocador de mp3, mas inovou e influenciou a maneira dos usuários fazerem uso desta ferramenta. No século XVI, a música já sofria os ventos de mudanças do renascimento. Lutero não as inventou, mas fez uso capaz e competente desta ferramenta como compositor (36 hinos), instrumentista (alaúde) e cantor (tenor). Segundo relatos, o papa estaria mais preocupado com os estragos que a Reforma estava causando por meio das canções do que por meio de sermões. A exemplo de Jobs, que com o iPod colocou a música na mão das pessoas de uma maneira fantástica, Lutero também tirou a música somente dos clérigos e colocou na boca do povo, daqueles que vinham à Igreja. Utilizava melodias populares, de fácil assimilação e no vernáculo. Foi o início da popularização da música sacra, com a ênfase no canto congregacional.
Algumas décadas mais tarde, coube a um luterano, Johann Sebastian Bach, influenciar fortemente a música mundial, sedimentando as bases da música tonal. Guardadas as proporções de velocidade, os luteranos influenciaram a história e a ‘indústria da musica’ na mesma proporção e rapidez que Jobs o fez.


BDU – O sr. mencionou que Lutero compôs uma nova língua. Como isso aconteceu?

PLucas – De fato, historiadores e linguistas consideram Lutero como o pai do alemão moderno. Ao realizar a tradução da Bíblia, ele procurou escrever de uma forma que todo o povo alemão, fragmentado em dialetos de norte a sul do país, pudesse compreender. Ele chegava a ir aos mercados e praças públicas para ouvir a língua do dia a dia, em busca dos vocábulos mais adequados. Da mesma forma, Jobs revolucionou o jeito de conversarmos, nos comunicarmos, ao transformar a indústria da telefonia com o Iphone. De certa forma, gerou uma linguagem unificadora, inclusive copiada por outras empresas, para a comunicação entre as pessoas.


BDU – Quais outros aspectos o sr. vê em comum na vida e obra de ambos?

PLucas- Poderíamos citar outros exemplos, como a ‘grande lacuna’; ambos estiveram por um tempo fora e viram seu empreendimento original quase naufragar. Lutero, depois de quase um ano escondido em um castelo, teve que voltar à cena, pois os objetivos originais estavam se perdendo.  Jobs, depois de ser demitido da Apple em 1985, voltou à empresa em 1997 para salva-la da falência.
Tanto Jobs como Lutero eram líderes firmes, comunicativos e obcecados pelo trabalho. A obra que Lutero deixou escrita, por exemplo, levaria vários anos só para ser copiada. Ambos fizeram uso de um meio revolucionário de sua época para suas ideias, a imprensa e a internet.  Ambos pensavam em como o ser humano pensaria/reagiria/utilizaria a "nova tecnologia" a ser empregada e disponibilizada. E um fator fundamental: Os dois tiveram parceiros, amigos e liderados muito importantes, sem os quais talvez quase nada tivesse acontecido, Em Lutero, podemos mencionar, entre outros, Melanchton, linguista, excelente redator e diplomata e o príncipe Frederico, Eleitor da Saxônia.
Outro detalhe interessante: Jobs, segundo algumas fontes, teria sido confirmado numa Igreja Luterana em Palo Alto, Califórnia. Se isto aconteceu, ele foi instruído no Catecismo Menor, de Martinho Lutero, e teve contato desde cedo com as ideias e ideais do Reformador, especialmente os 3 pilares da Reforma: Sola Gratia (Somente a graça de Deus salva o homem), Sola Fide (a salvação acontece somente pela fé) e Sola Scriptura (Somente a Escritura é fonte de doutrina). E, ainda, o Solus Christus Somente Jesus Cristo como o caminho verdade e vida. Talvez, segundo o autor norte-americano Andy Crouch, daria para imaginar que o símbolo original da Apple, uma maça mordida e um arco íris, seja uma representação de algo fundamental no luteranismo: Lei e Evangelho. A maçã mordida lembra o pecado e a condenação (Lei). E o arco-íris lembra as promessas de Deus para o ser humano (Evangelho).


BDU - Em 2017,  completam-se 500 anos da Reforma. As celebrações já está sendo planejadas?

PLucas - Sim, os luteranos deram início em 2011 a uma série de celebrações para marcar esta data. Uma comissão das duas principais Igrejas Luteranas (IELB e IECLB) foi composta para conduzir os festejos. E, fazendo mais uma relação, não há dúvida de que, para divulgá-la, os luteranos, além de seguir o exemplo de Lutero, utilizando a imprensa como forma de divulgação, vão contar também com as facilidades de comunicação da era digital que Jobs ajudou a disponibilizar.


BDU – PLucas, o sr falou em semelhanças, mas haveria também alguma diferença significativa?

PLucas  - Sim. A primeira importante diferença é o foco do trabalho. Jobs foi da linha de pessoas que apontam para o seu trabalho. Criou uma universidade para repassar seus ensinamentos, preservando sua imagem e mito. Já Lutero, apontou sempre para o trabalho do seu Mestre. O reformador do século XVI teria dito com exagero, perto do final da vida, para que queimassem todos os seus livros, antevendo um possível culto á sua imagem, deixando bem claro que o alvo era Jesus Cristo.
Outro aspecto importante: Steve Jobs focou, a partir da ‘leitura’ dos usuários, mudar a história das ferramentas. Lutero, a partir das ferramentas, procurou atingir a vida dos usuários, falando Daquele que mudou a sua história.
Por fim, Jobs começou a vida como cristão (luterano) e encerrou como budista. Lutero começou a vida como monge, encerrou como pastor protestante, permanecendo cristão. Lembrando o ICloud, lançado este ano por Jobs, é de se perguntar se ambos, agora, compartilham a mesma nuvem.


Para saber mais:
_IELB
_IECLB
_Youtube: Programa Cristo Para todos - Reforma Luterana

Luther and Jobs – the connection of two reformers. And the difference.


Martin Luther, the main leader of the Lutheran Reformation lived almost 500 years before from Steve Jobs. But this distance may be not that far when it comes to the impact they both caused on History.
Source: Ulbra’s Press Office

The death of Steve Jobs, referred to as the digital-era genius, happened in the same month as the celebration of The Protestant Reformation, led by a German monk, Martin Luther. The 16th century man left permanent changes as did the revolutions of the latter 20th and early 21st century North American, S. Jobs. His inventions and adaptations criss crossed the globe. Luther's work did the same thing. February stands out as Jobs's birth month while Luther died then. They both lived in eras when breakthroughs in communication systems advanced the world, the printing press (Luther's era) and the internet (Jobs's era). There are other similarities are there about these two?. But, how can this be for two reformers living 5 centuries apart? In this interview, Rev. Lucas Andre Albrecht, campus chaplain at ULBRA (The Lutheran University of Brazil), anticipating the 500th anniversary of The Christian Reformation in 2017, speaks to ULBRA's Press Office regarding remarkable connections between the "job" of Martin Luther and the "reformation" of Steve Jobs.
ULBRA - Pastor Lucas, Why is it important to make this connection, that is, between Martin Luther of the 16th century and Steve Jobs who lived nearly 500 years later?
Pr. Lucas - Even though there is an immense time span separating these two icons of history there are things they have in common. Minor similarities exist, however 3 major revolutionary parallels can be drawn: Bible translation to Macintosh, music and birth of national language to IPod and IPhone.
ULBRA – How can we relate the translation of the Bible to Apple’s Macintosh?
Pr. Lucas - In 1994, Steve Jobs's Apple released Macintosh to the market. The personal computer is considered a landmark in digital history. This invention became available to all people for personal use within their homes. The graphic interface without command lines made handling of the PC easy, user friendly. Jobs helped put PC's within reach of everyone. No longer were specialists the only ones with access, instead it entered daily applicance status.
Prior to the 16th Century and Luther's time, The Bible was an 'object' used exclusively by specialists. Only those who knew the "command lines," Greek and Hebrew or Latin, at the very least, could handle it. Martin Luther translated the Holy Writings of The Bible into German, the local language. And the printing press's typed transcription of the translation gave full access to everyone.
ULBRA– What’s the musical connection we can make from Jobs to Luther?
Pr. Lucas - There are those who believe Jobs revolutionized the music industry with the launching of IPod and ITunes. The influence of the way we listen to music and the way music is produced and distributed has changed dramatically. As a composer (36 hymns), an instrumentalist (lute), and vocalist (tenor) Luther proved very competent and skillful in terms of his lasting influence of Christian music. Some accounts claim The Pope, at the time, was concerned that Protestants' music had a greater impact than their sermons. Luther placed music into the hands of clergymen and then to the lips of the people whereas Jobs's use of the IPod gave people greater access to music. Luther's music was taken from popular tunes, easy to learn and sing, to their German language and idioms. The major change and emphasis was to congregational singing of sacred music.  
Decades later, Johann Sebastian Bach (a Lutheran Christian), permanently influenced classical and church music from a Christian standpoint. These two, Luther and a later Luther follower Bach, changed history and the 'industry' of music in their time as did Jobs today.
ULBRA – You mentioned that Luther managed to give birth a new language. How did that happened?
Pr. Lucas - In fact, scholars consider Martin Luther as the father of the modern German language. His translation of The Bible into German gave those with varied dialects Scripture in an understandable format. He frequented public places to record the everyday language used. This gave him the words. Jobs's IPhone revolutionized the way we talk and communicate with each other. This unifying language connects people at great distances and has been copied and magnified by rival mobile companies.

ULBRA - What other aspects of common life connect these two men?
Pr. Lucas - "The big gap," for one. There were spans of time when neither of these men were heard from. Their original achievements were taking a dive. Luther, in hiding due to threats on his life, returned due to other leadership straying from the original Reformation objectives. Jobs, fired from Apple in 1985, resurfaced in 1997 to lead the company from near collapse.
Both Jobs and Luther were firm, communicative and work-obsessed leaders. Luther's written works took years to copy (not to mention how long it took to create these). Revolutionary inventions, the Printing Press and the Internet, gave them the advantage to spread their ideas faster and farther. Both anticipated that the "new technology" would impact people as to how they would think, react and use it. And fundamentally, both had partners, friends and individuals important to them who assisted in making the changes happen. Luther, for example, had Melancthon - a linguist, excellent writer, diplomat and Prince Frederick of Saxony - an influential and powerful leader in government.
Another detail: Jobs, according to some sources, received his Confirmation of beliefs in a Lutheran Church in Palo Alto, CA. That means he would have been instructed in the Small Catechism written by Martin Luther giving Jobs direct contact with the thoughts and teachings of the Protestant Reformer. In addition, the young Jobs would have learned Luther's 3 pillars of the Christian faith: Sola Gratia (only God's grace saves us), Sola Fide (salvation comes through faith in the Trinity) and Sola Scriptura (The Bible alone is the source of God's Truth). Also, Solus Christus - Jesus Christ alone is The Way, The Truth and The Life. Christianity Today's, Andy Crouch, wrote that we can imagine Apple's original logo, a bitten apple with a rainbow inside, is the representation of something essential to Lutheranism: Law and Gospel. Bitten apple refers to sin and condemnation (Law). Rainbow points to God's promises to us through Jesus Christ (Gospel).
ULBRA - October, 2017 is the 500th anniversary of The Reformation. What celebrations are planned?
Pr. Lucas - Lutherans around the world have been anticipating this major celebration for a few years already. Here in Brazil, the two major Lutheran Synods (IELB and IECLB) created an interdenominational commission. One more Luther and Jobs connection is: Lutherans will use The Press along with various digital servers and services.
ULBRA - Pastor Lucas, you mentioned many similarities. What are some differences?
Pr. Lucas - The first main difference is focus. Jobs was deliberately focused on technology. He even creaed a university that passes on what he knew and how he worked, therefore preserving his image and even his myth. Luther focused on The Work of his Master. The 16th Century Reformer is believed to have stated and even overstated, that all his books should be burned. This came close to his time of death when he forsaw a cult image of himself being formed. Martin Luther left a very clear message that The Goal is Jesus Christ." Martin Luther would not be pleased that a Christian denomination has used his name as their own, Lutheran.
In addition, Steve Jobs paid close attention to the users and therefore focused on how to change the history of the tools. Martin Luther, by using the tools, focused on changing the lives of the users telling them of The One who changed their history - Jesus Christ.
Finally, it appears as though Jobs began his life as a Lutheran Christian yet ended it as a Buddhist. Luther began his life as a Roman Catholic Christian and ended it as a Protestant Pastor, remaining Christian. ICloud, released this year by Jobs leaves us wondering: Do they share the same cloud?

To know more:
_LCMS
_LHF
_
IELB – The Lutheran Church in Brazil

sexta-feira, outubro 28, 2011

Celebrações da REforma

A Celsp Igara realiza este sábado, 29.10, a partir das 15h30, um evento especial pelos 494 anos da Reforma.

Entrevista: Reitor Marcos Ziemer no Ulbra Noticias

Reeleito pela Celsp como reitor da Ulbra, Ziemer fala a Vanessa Trindade sobre o presente e o futuro da instituição.

video

quinta-feira, outubro 27, 2011

Movimento Luterano na Tribuna Livre

O espaço público da Tribuna Livre na Câmara Municipal de Curitiba foi cedido, nesta quarta-feira (26), para que o pastor Celio Raul Meier, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, falasse a respeito da data consagrada ao Movimento Luterano, no município e no país. Em Curitiba, o próximo dia 31 de outubro é reservado à celebração por indicação do ex-vereador Jorge Bernardi, integrante deste segmento evangélico. A estada na Casa do pastor Meier e também do pastor Carlos Frank Ucker, da Comunidade da Paz, com sede na Vila Antonieta, Pinhas, foi um convite dos vereadores Pedro Paulo e Jonny Stica, ambos do PT.

Leia o texto na íntegra

quarta-feira, outubro 26, 2011

Função

Noticia do portal UOL mostra uma igreja na Holanda que foi transformada em um loft minimalista. A chamada diz que o antigo templo, sem função, acabou recebendo este novo direcionamento. Em vez da demolição, os novos proprietários optaram pela redefinição do ambiente.

Podemos elogiar o interesse na preservação de monumentos históricos. Fazer também a inevitável relação de que o cristão, na Igreja, deve se sentir em casa, pois é filho do Pai. Mas a noticia traz certa tristeza por conta do “sem função”. Para uma igreja chegar a este ponto, dá para imaginar o histórico de definhamento gradativo dos eventos, atividades, até que a capela ficou deserta e solitária. A função original se perde, uma nova função toma seu lugar.

Sem função. Foi o templo ou as pessoas que formavam aquela comunidade que ficaram assim?

Apostaria na segunda opção. Igreja, no sentido verdadeiro da palavra, não são as paredes, são as pessoas. Não são os bancos, são as vidas. Não são os ornamentos, são os corações. Igreja é sinônimo de pessoas. E se uma comunidade fica sem função, não é porque uma edificação ficou vazia, mas sim porque pessoas deixaram de viver umas das funções a que foram chamadas pela fé: viver a vida em comunidade.

Felizmente, ser Igreja não depende de templos humanos, mas sim do santuário do Espírito Santo que são as pessoas, o coração dos cristãos onde a fé em Jesus Cristo é viva. E, enquanto for Igreja, sempre terá função. Vida em comunidade, de adoração, ensino, ação - uma vitrine do amor de Deus. Uma casa de acolhimento, amor e comunhão. Lugar de minimalismo nos julgamentos e preconceitos, e de maximização da Palavra que perdoa, fundamenta e edifica.

Por isso, templos podem até ficar sem função. Mas Igreja, no sentido da palavra, não.



Pastor Lucas André Albrecht

terça-feira, outubro 25, 2011

Reforma 500 anos

Pastor Lucas conversa com Bivis e Renuska, no Garajão Ulbra TV, sobre a Reforma Luterana, em virtude da celebração dos 500 anos deste marco histórico até outubro de 2017.

segunda-feira, outubro 24, 2011

Carregar rancor é como ser ferroado mortalmente por uma única abelha.

(William Walton)

sábado, outubro 22, 2011

Culto celebra aniversários da Mantenedora e Reforma Luterana

Culto ocorre no domingo 23 de outubro


A Comunidade Evangélica Luterana São Paulo (CELSP), mantenedora da ULBRA, celebra seu aniversário neste mês de outubro com um culto especial dia 23.10, domingo, às 20h, na capela do campus Canoas. Orquestra e Coro com mais de 200 músicos se apresentarão neste momento, que também é alusivo aos 494 anos da Reforma Protestante. Pastores, Reitoria da ULBRA e diretoria da mantenedora participam do ato, que é aberto à comunidade acadêmica e em geral.
Músicos luteranos e de diversas denominações protestantes, conduzidos pelo reverendo Paulo Brum, capelão de música da ULBRA e pastor da CELSP, entoarão canções como Vim para Adorar-te, Preenche o Ser e o tradicional hino da Reforma, Castelo Forte. A pregação estará a cargo do pastor da CELSP no município de Nova Santa Rita, reverendo Eliseu Krummenauer, e a condução do culto será dos demais pastores da Comunidade, Gerhard Grasel, Ângelo Elicker, Luiz dos Santos, Lucas Albrecht, André Muller e Marco Jacobsen. Haverá, também, um momento especial para as crianças. O culto será gravado pela ULBRA TV e exibido no domingo, 30.10, às 8h.
Liderada pelo pastor norte americano Henry Stiemke, a CELSP iniciou suas atividades de forma oficial no ano de 1905. De lá para cá, cresceu de um pequeno grupo de famílias para cerca de 2.000 membros filiados, com seis locais de culto e diversos departamentos, comissões de trabalho, grupos de estudo e atividades. Ao longo da história, gerou também outras comunidades que, hoje, são independentes em suas atividades. Além disso, seguindo a vocação luterana pela educação, é a mantenedora da maior Universidade Luterana do Mundo, a ULBRA, presente em todo o Brasil.
Esta vocação vem do século XVI, com o início da Reforma Protestante. Liderados por Martinho Lutero, muitos cristãos desejavam mudanças e redirecionamentos na Igreja, mas sem a intenção de dividi-la. No entanto, a divergência acabou culminando em separação e surgiu o ramo protestante dentro do cristianismo. Os três pilares da Reforma foram a afirmação de que a salvação acontece somente pela graça (Sola Gratia), somente pela fé (Sola Fide) e que a Palavra de Deus é a autoridade final em assuntos teológicos (Sola Scriptura). A data de 31 de outubro foi escolhida como símbolo deste momento histórico.
Presentes em todo o mundo, os luteranos somam hoje cerca de 71 milhões de fiéis. No Brasil, as duas maiores denominações, a Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) e a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), somam pelo menos um milhão de membros.  No mês de outubro de 2011, em Porto Alegre, foi realizado pelas duas Igrejas o lançamento das festividades dos 500 anos da Reforma Protestante, que se estenderão até 31 de outubro de 2017.
Para saber mais acesse:
http://www.celsp.com.br/
http://www.ielb.org.br/
http://www.luteranos.com.br/
http://www.lcms.org/

Fonte: ACS Ulbra

Eu peço, Senhor

Eu peço, Senhor,
Que eu considere um perfil valioso menos pelo número de amigos na rede social, e mais pelo conteúdo de sua rede real.
Que eu valorize as pessoas menos quando aparecem na TV, e mais quando auxiliam alguém sem ninguém ver.
Que eu abra a boca quando tiver algo bom para falar, e a feche imediatamente se for apenas para julgar.
Que eu diga que estou feliz menos quando tenho dinheiro na conta, e mais quando tenho amigos no peito.

Eu peço, Senhor,
Que eu acorde para o que é necessário, mesmo querendo dormir.
Que eu sinta a força e a coragem, quando estiver difícil prosseguir.
Que eu experimente o importante, mesmo quando for difícil de tentar.
Que eu tenha tua presença constante, enquanto continuar a caminhar.

Eu peço, Senhor,
Que a fé não me seja uma mera ferramenta para obter favores, mas o elo pessoal ao Teu favor.
Que a vida não seja medida pelo que as mãos acumulam, e sim pelo que abrange todo o coração.
Que eu creia em ti não pelas provas que alguém apresenta, e sim pela prova de amor que Jesus Cristo já demonstrou.
Que a vida seja completa quando os olhos enxergam o que não está ao alcance da visão

Eu peço, Senhor,
que o que peço não sejam meras palavras,
nem frases de efeito a favor da corrente
Mas expressões do que sinto, penso e faço,
amparado em teus braços, caminhando em frente,
Traduzido em ações carregadas de amor.


Pastor Lucas André Albrechtwww.twitter.com/lucasdje

Apples

Of the many thoughts I've read on the Web lots of thoughts due to the death of Steve Jobs, Apple's co-founder. The one that caught my attention was, "Three apples changed the world: Adam's, Isaac Newton's and Jobs' apple." (After all, Steve Jobs is considered a genius who changed history.) Even though The Bible doesn't specify which fruit was forbidden it's still an interesting idea. The apple is a symbol of great and permanent change.


But the 1st apple is different from the other two! The story of Adam and Eve changed humankind to evil. It's the beginning of the sad story of sin, erring, imperfection. In a way, the other two apples brought changes for good. Yet even if they changed the present and the future they cannot reverse the consequences of the first one. Instead, only to suffer its consequences. So everything that's human-made is imperfect, needing improvements and updates...only to be imperfect again.

The real change of life for us by the 1st apple came with 'Blood.' The Blood that Christ shed taking our place. Our present and future were and are changed forever. Humankind received the oppportunity of a New Software - reset, to start over. This never seen or done before Transformation requires no need for or possibility of copy/paste. It's unique. Complete. Because of Christ, The Holy Spirit touches the monitor of our hearts directly connecting us to The Father God and filling our hearts with salvation and peace.

Yes, the 1st apple, Adam's, changed history. It's taste was sin and death. But, Jesus Christ changed that apple story. His gift is the best Web connection we can ever long for: Forgiveness and Eternal Life.




Rev. Lucas André Albrecht
www.twitter.com/lucasdje



Text revision:
Ms. Kim Starr
MA Practical Theology & Deaconess Certified

quarta-feira, outubro 19, 2011



Frase:

O dinheiro pode até trazer felicidade, mas não consegue fazê-la permanecer.

terça-feira, outubro 18, 2011

Status

“Dinheiro não traz felicidade. Status, sim”. Um estudo realizado por duas universidades inglesas mostra as pessoas não ficam mais felizes quando ganham mais dinheiro. Segundo a matéria, “o que realmente traz alegria é a comparação: saber que seus pares, colegas e vizinhos ganham menos que você dá status e satisfação íntima”. Saber que o vizinho ganha menos, que a fulana não progrediu ou que têm o maior salário da empresa - mesmo que não seja o maior salário do mundo.

Coisa triste isso, não? O coração depender de comparação.

Mas isso porque é uma pesquisa britânica. Alguém aqui foi chamado a dar opinião? Porque, se nós fôssemos responder a este estudo, o resultado seria diferente. Estamos contentes com o que temos, sabemos que dinheiro é muito mas não é tudo, detestamos comparações e não dependemos da grama do vizinho para saber se a nossa está verde ou cinza...certo?

Bom, não tenho tanta certeza. No fundo, não somos tão diferentes dos ingleses, somos humanos como eles, sujeitos às mesmas fraquezas.

Nessas horas, vale a pena lembrar do amor sem comparação que Deus demonstra em nossa vida, nos dando o status que realmente nos faz diferentes: sermos filhos. Comparar-se com outros a partir de paradigmas humanos produz uma frustração sem comparação. A única comparação de que precisamos é com a vida sem esta fé; aí vemos o quanto já somos felizes. E o quanto o amor do Pai, em Jesus Cristo, nos faz semelhantes, próximos, únicos. Ricos.

Coisa boa isso, não? O coração depender deste amor sem comparação.
E sempre com o mesmo status: feliz.



Pastor Lucas André Albrecht


domingo, outubro 16, 2011

Mixagem pronta

A Mixagem do projeto Mais Viver está finalizada. Em breve, a Banda Mais Viver, da Pastoral da Ulbra, realiza lançamento on-line das canções.
As cinco faixas que compõem o trabalho são:

1 - Cada dia  (Lucas Albrecht)
2 - Preenche o ser  (Djenane e Lucas Albrecht)
3 - Mais Viver  (Lucas Albrecht)
4 - Me prende a te querer  (Gera Jost/Lucas Albrecht)
5 - Vem de ti (Lucas Albrecht)

esq-dir: P. Lucas, Djenane, Eduardo e P.Paulo
Confira também a letra da canção título do Projeto, "Mais Viver"


MAIS VIVER


(Lucas Albrecht)


Em tudo vejo Tua mão.
Em mim há tanta gratidão
que só sei sorrir.

Na dor posso silenciar,
contanto que possa gritar
só para Ti.

olhando o que há de bom na vida
há muito que se pode ver!
Pois quando a fé está em Cristo
cada dia a mais, mais viver.

Ó Deus, escuta minha voz!
cantando o que fizeste em mim
Jesus, contigo a minha vida
tem tudo, só não tem mais fim.

Feliz, mesmo se ondas vêm,
contente, ainda que nada bem,
Como explicar?
É fé, não há explicação,
é força, é vida, gratidão
no Seu amar.

olhando o que há de bom na vida
há muito que se pode ver!
Pois quando a fé está em Cristo
cada dia a mais, mais viver

Ó Deus, escuta minha voz!
cantando o que fizeste em mim
Jesus, contigo a minha vida
tem tudo, só não tem mais fim

sábado, outubro 15, 2011

Culto Alternativo, Celsp Igara


A capela da Celsp Igara fica na Rua Tocantins, 315, no bairro Igara, em Canoas.


Banda Mais Viver
esq-dir: Pastor Lucas, Djenane, Eduardo e Pastor Paulo
Jesus mudou nossa história para que tenhamos a fé que não muda

sexta-feira, outubro 14, 2011

Dia do Professor


Nesta sexta, ás 18h, um momento devocional especial alusivo ao Dia do Professor, na capela Univérsitária, em Canoas.

Imutável

A idéia virou um grande chavão da nossa sociedade do inicio do século XXI: Nada é mais certo do que a mudança. Precisamos aceitar a verdade de que tudo muda o tempo todo. Abraçar a mudança, se não por outro motivo, é necessário até por sobrevivência.

De fato, mudar é necessário. Voltar ao passado não melhora nosso presente, apenas nos impede de nos adaptarmos melhor ao futuro. Mudar é inevitável e, muitas vezes, fundamental. Por outro lado, vemos também mudanças lamentáveis em nossa sociedade, que em nada refletem melhoria ou progresso. Costumes, comportamentos, distorção de valores, imposições politicamente corretas. Ficamos nos perguntando em que isso está mudando a sociedade para melhor...

No meio disso, podemos acabar esquecendo algo fundamental: nem tudo muda. Existem coisas que são perenes, jamais sofrerão mudança.  Princípios, por exemplo. Honestidade, justiça, respeito, amor, dignidade, confiança... Sempre foram os mesmos e não há qualquer indicativa de que irão mudar.

Mas, especialmente, a Palavra de Deus. As pessoas podem mudar, Deus não muda. E que bom que não. Esta é a nossa segurança de que o mesmo Deus que nos amou, nos salvou em Cristo e prometeu continuar conosco todos os dias, nunca vai mudar o que disse. Jesus mudou nossa história para que tenhamos a fé que não muda. Por isso, Seus ensinos não estão sujeitos a adaptações e interpretações conforme o olhar de cada um. Estão escritos e claros, orientando e dando segurança nestes tempos do hoje é assim, amanhã já não é mais.

Se nada é mais certo do que a mudança, portanto, também é fundamental gravar: nada é mais imutável do que a Palavra e o amor de Deus..




Pastor Lucas André Albrecht

segunda-feira, outubro 10, 2011

Steve Jobs mudou a história das ferramentas. Jesus Cristo mudou a história dos usuários.

sábado, outubro 08, 2011


Frase:

“Seu tempo é limitado, então não percam tempo vivendo a vida de outro.”

(Steve Jobs)

sexta-feira, outubro 07, 2011

as maçãs



Dentre as muitas frases ditas por ocasião da morte de Steve Jobs, considerado uma das pessoas que causou mudança na história, uma das que me chamou a atenção foi esta: “Três maçãs mudaram o mundo: a de Adão, a de Isaac Newton e a de Steve Jobs”. Tirando o fato de que a Bíblia não especifica que o fruto proibido era uma maçã, a relação é interessante. Um símbolo de três grandes e permanentes mudanças na história da humanidade.

O primeiro fruto é bem diferente dos outros dois. A história de Adão e Eva mudou a humanidade para pior, pois é o inicio da triste história do pecado, erro, imperfeição. Os outros dois, de certa forma, para melhor. Mas, por mais que este tenham mudado o presente e o futuro, não conseguiram reverter as consequências do primeiro; antes, sofrem suas conseqüências. Tanto que tudo o que é produzido pelo ser humano tem defeitos, sempre precisa de aperfeiçoamento. Para, ali na frente, vermos que continua com defeitos.

A mudança da situação do primeiro fruto veio somente com o fruto do amor do Pai. Jesus Cristo dando sua vida para que a humanidade pudesse ser transplantada para um terreno fértil. Foi aí que a história mudou para sempre, e o homem recebeu a chance de ter o programa mudado. Resetar, começar tudo de novo, conectado a Deus pela fé. Transformação sem precedentes e sem possibilidade de ctrl+c ctrl+v. Única e completa, ao simples toque da fé na tela do coração, e gerando frutos que duram pela vida inteira.. 

A primeira “maçã”, aquela de Adão, mudou a história, sim. Seu fruto foi o pecado e morte.

Mas o que Jesus Cristo fez mudou a história da “maçã”.  Trouxe o fruto que mais podemos desejar: perdão e vida.





Pastor Lucas André Albrecht

quinta-feira, outubro 06, 2011

Concerto de Órgão de Tubos

Rev. Paulo Brum, Capelão de música da Ulbra e mestrando da UFRGS


Órgão Speidt, da Igreja Bom Jesus - praça Rui Barbosa, Curitiba/PR
6 de outubro de 2011, 19.30h


No programa obras de J. S. Bach, Felix Mendelssohn, Alexandre Guilmant, Felix Borowski e Amaral Vieira.



Currículo


PAULO BRUM iniciou seus estudos de órgão e teoria musical na Escola “Recital” em Santa Rosa/RS.


Formado em Teologia pelo Seminário Concórdia de São Leopoldo em 1997, e em Música, regência pela UFRGS em 1999, composição em 2001, com especializações nacionais e internacionais na área da Música (UFRGS) e Teologia (Seminário Concórdia de São Leopoldo, Escola Superior de Teologia e Universidade Luterana do Brasil - ULBRA).


Gravou trabalhos fonográficos com o Coro Masculino do Seminário Concórdia, Coro Misto e Feminino do Instituto Concórdia de São Leopoldo, Coro Infantil, Juvenil e Vocal Carpe Diem da ULBRA, Coro e Orquestra Sacra da ULBRA, Banda SONs, Coro da CELSP, Grupo CÍMBALLUZ, entre outras participações em cultos, uniões corais e orquestrais, concertos e gravações como maestro, arranjador, instrumentista, cantor e compositor.


Regeu grandes obras do repertório sacro para coro, orquestra e solistas como Cantata BWV 80 “Cantata da Reforma” de J. S. Bach e também “Glória” de Antônio Vivaldi. Adaptou, orquestrou e conduziu a Cantata cênica “O Filho Pródigo” de Valdo Weber, que a cada temporada é interpretada na universidade com a Orquestra de Câmara da ULBRA, Coro Sacro da ULBRA, solistas e músicos convidados.


É Capelão de Música da ULBRA (Mestre de Capela) e Pastor da CELSP (Comunidade Evangélica Luterana “São Paulo”) atuando como Orientador Musical-litúrgico com os grupos e músicos da paróquia na área coral e orquestral, bandas gospel e organistas, bem como, com os diversos grupos musicais e vocais existentes na universidade e na sociedade, contribuindo para o desenvolvimento da música sacra na região.


Estudou Órgão de Tubos com o prof. Valério Huwer e Hans-Gerhard Rottmann. É o atual Vice-presidente da Associação de Organistas do Rio Grande do Sul, participante e conferencista de Encontros Nacionais e Internacionais de Organeiros e Organistas. É aluno do programa de Pós-graduação de Mestrado em Órgão de Tubos na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) “práticas interpretativas” sob a orientação da Profa. Dra. Any Raquel Carvalho.
Frase:

“Não tenha medo de dar um grande passo quando for necessário. Não se pula um grande buraco com dois pequenos saltos.”

(David Lloyd George)


quarta-feira, outubro 05, 2011

Expostos

Quando acontece que alguém sofrer uma fratura, ficamos bastante preocupados. Se ela for exposta, então, não são muitos os que terão coragem de olhar. Uma fratura exposta é algo que realmente assusta, e mais que isso, aumenta em muito a preocupação, dada a gravidade da lesão.

Pena que o mesmo sentimento não acontece com as fraturas expostas de caráter que presenciamos na sociedade. As coisas vão acontecendo, muitas coisas erradas viram costumes, maus costumes viram padrão e, quando vemos, quase ninguém mais tem medo ou vergonha de olhar para o que se faz. O que está exposto já não causa repulsa, e, quando não causa admiração, ao menos já não incomoda tanto.

A figura exposta de Jesus Cristo numa cruz, que seria uma cena cruel para se ver, é o retrato do perdão e mudança que a fé provoca. A Bíblia expõe este amor imenso de forma simples, direta, para alcançar todo coração. Mudança para começar de dentro e para se refletir no exterior, com palavras e ações que exponham aquilo em que acreditamos, a Palavra da Vida. E que não deixe nos conformarmos com o que o mundo insistir em expor.

Esta Palavra é quem faz a mudança. Leva a abandonarmos o mal exposto e vivermos expostos ao amor de Deus.




Pastor Lucas André Albrecht

Começa hoje o X Fórum de Teologia

O sofrimento e suas interfaces será tema de debate na ULBRA


Inicia nesta quarta-feira (05/10) o X Fórum de Teologia na ULBRA, que abordará O sofrimento e suas interfaces: desafios e perspectivas para o cuidado humano. O encontro será realizado a partir das 8h30 no auditório do prédio 11, no campus Canoas.

O objetivo do X Fórum de Teologia é promover reflexões sobre o sofrimento em suas múltiplas interfaces e analisá-lo sobre e sob diferentes ângulos e perspectivas, considerando a integralidade do ser humano: espiritual, afetivo/emocional, físico e social. Outro aspecto relevante é canalizar as reflexões no preparo de pessoas para que saibam lidar com seu próprio sofrimento e capacitar profissionais para o aprimoramento do cuidado aos que sofrem, em cumprimento ao preceito bíblico de Hebreus, capítulo 13 versículo 3: "Lembrem-se dos que estão sofrendo, como se vocês estivessem sofrendo com eles".