domingo, outubro 31, 2010

“A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.”


(Martinho Lutero)

Reforma Luterana

Dia 31.10 completa 493 o movimento que mudou o mundo para sempre. A Reforma Protestante.



- Saiba mais

-- Martinho Lutero

---”Reforma: eu e o Senhor somos Maioria”. Texto do Rev. Rubens Ogg, Secretário Nacional da IELB.

sábado, outubro 30, 2010

Mensagem - Dia da Reforma Protestante

FESTA DA REFORMA LUTERANA

Já se passaram 493 anos desde aquele memorável dia, em que Deus, despertou Martinho Lutero para servir como instrumento em Suas mãos, na recondução da verdade que liberta e da justificação pela fé. Assim, ele afixou as 95 teses na porta da igreja de Wittenberg, na Alemanha. Começava ali uma luta, o empenho firme e decidido baseado em três grandes pilares: Sola Gratia, Sola Fide e Sola Scriptura, ou seja, baseado na Bíblia, a Palavra de Deus, sabemos e cremos que a nossa salvação não é por méritos nossos, mas unicamente pela fé no Senhor e Salvador Jesus.

Hoje louvamos a Deus por aquele 31 de outubro de 1517. Louvamos a Deus, que usou e usa fracos, limitados e falhos seres humanos, como foi Martinho Lutero, para através deles realizar Sua obra nesse mundo. Hoje louvamos a Deus, porque depois de 493 anos, ainda continuamos pregando, confessando e proclamando que o “Justo viverá por fé.” (Rm 1.17). Louvamos a Deus que conservou a doutrina pura e clara em nosso meio.

Nosso pedido e nossa súplica é que Deus, por sua misericórdia nos conserve firmes e fiéis às Sagradas Escrituras. Nesse mundo de tantas tentações, de tantas adequações e tantas acomodações, que Ele jamais permita que o liberalismo, costumes, praxes, tradições e ou adaptações deste mundo, se sobreponham a verdade única e absoluta da Bíblia Sagrada.

Não cansemos de agradecer, compartilhar e refletir essa mensagem da graça de Deus, pela fé em Cristo. Nessa graça, nessa fé, podemos olhar para frente tranqüilos, serenos, esperançosos e, com Lutero dizer: “Se vierem roubar os bens, vida e o lar, que tudo se vá, proveito não lhes dá, os céus nos são deixados.”


Rev. Egon Kopereck – presidente da IELB
(pela Diretoria Nacional)

Reforma: Eu e o Senhor somos maioria

Usei esta frase outro dia em um devocional: “Eu mais o Senhor somos maioria!” Esta é uma frase de efeito, mas não é só isso. Ela contém uma verdade fundamental, e uma afirmação de fé muito consistente. Quando aplicamos essa frase à Reforma podemos ver a ação de Deus na história, usando Lutero como instrumento na restauração da verdade.


Quando pensamos na Reforma falamos do movimento religioso que propunha reformar uma série de doutrinas e práticas que estavam em vigor na Igreja e que não estavam de acordo com princípios cristãos expostos na Bíblia. Lutero não queria e nunca foi sua intenção fundar uma nova Igreja, mas sim que a Igreja reconhecesse seus erros e os coibisse. Muitos não vêem neste período mais do que um movimento de oposição político-religioso, mas queremos lembrar que ele foi bem mais do que isso, ele foi um movimento de fé, motivado e empurrado por ela para o resgate de uma verdade necessária e fundamental para todo o ser humano, de que nós somos salvos, vivemos e somos perdoados por um ato da misericórdia e da bondade de nosso Deus, que veio ao nosso encontro no seu Filho o Salvador Jesus. Não foi porque fizemos alguma coisa, mas porque Deus nos amou.

Conta a história que Lutero, já professor e Doutor, numa das noites de 1514 fez uma grande descoberta. Estava trabalhando em suas anotações sobre o livro de Salmos. O salmista tinha citado as palavras que Jesus proferiu sobre a cruz: “Deus meu, Deus meu porque me abandonaste?” Lutero estava intrigado, porque haveria o santo filho de Deus sentir-se abandonado pelo Pai? Lutero tinha se sentido assim muitas vezes, mas ele era pecador e Jesus era puro e sem pecado. A única resposta é que Cristo tomou sobre si mesmo os nossos pecados. Certamente o Deus que fez isso por nós é um Deus misericordioso! No entanto Deus não é apenas misericordioso; ele é também santo e justo. Lutero já tinha se deparado com as palavras, “Justiça de Deus!” Para ele isso mostrava que Deus demonstra a sua justiça e sua retidão castigando os pecadores, essas palavras eram motivo de temor. Como Paulo muitas vezes desenvolve esse conceito, Lutero se volta para as suas cartas na tentativa de entendê-lo melhor. Em Romanos 1.17 podemos ler: “Visto que a justiça de Deus se revela no Evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé”. Lutero pode perceber o real significado do termo “Justiça de Deus”, que não significa a bondade que o próprio Deus tem, mas sim a bondade que ele nos outorga, essa justiça não é uma recompensa, mas sim um presente gratuito dado a todo aquele que crê que Jesus sofreu e morreu pelos seus pecados, em seu lugar. Lutero ficou emocionado com essa redescoberta e disse: “Senti-me exatamente como se tivesse nascido de novo”. Pela primeira vez em sua vida Lutero pode ter a certeza de que os seus pecados estavam perdoados. Deus não deixou de ser justo, ele castigou o pecado, mas não em nós, ele castigou o pecado em seu Filho.

Deus, em sua sabedoria, providenciou um momento histórico propício para que a Reforma pudesse acontecer. No dia 31 de Outubro de 1517, Lutero fixa na porta da Catedral de Wittemberg, 95 despretensiosas teses. Lutero se propunha a um debate acadêmico sobre o valor das indulgências e seus efeitos na vida dos cristãos, das Comunidades Cristãs e da Igreja Cristã. A partir desse momento, nem Lutero poderia ter previsto o que iria acontecer. Os fatos se desenrolaram de tal forma que Lutero foi levado a defender e aprofundar cada vez mais as verdades que defendia. Ele estava se indispondo contra a autoridade máxima do Império. O fato é que a Reforma se desencadeia e Lutero em pouco tempo se vê diante do próprio Imperador defendendo essas verdades.

Apesar do Papa ter excomungado Lutero em janeiro de 1521, quem poderia declarar Lutero um fora-da-lei era o Imperador Carlos V, mas o Imperador precisava do apoio da Alemanha contra a França e os Turcos e não podia se indispor contra os príncipes eleitores da Alemanha. Lutero, como poucos, viveu a frase acima. “Eu e Deus somos maioria!” Muitas vezes ele questionou se estava de fato certo. Mas amparado pela Palavra de Deus e pela certeza de que estava de acordo com ela, compareceu diante do Imperador na dieta de Worms para defender as verdades bíblicas e doutrinárias redescobertas na Palavra e expostas em seus escritos. Os seus amigos insistiram para que ele não fosse, ao que ele respondeu: “Cristo ainda vive, e eu entrarei em Worms a despeito dos portões do Inferno e dos poderes das trevas.” Num primeiro momento, em que estavam presentes todas as autoridades do Império, e o próprio Imperador, lhe lançaram uma pergunta de duplo sentido em que cabia a ele apenas se retratar, “Dr. Lutero, o senhor admite que esses livros são seus e que estava errado no que escreveu?” Os títulos foram lidos e Lutero pede um tempo para pensar, pois argumenta que a questão diz respeito a Deus e a fé das pessoas. No dia seguinte Lutero, mais seguro, responde sobre a questão, e diz: “A menos que me convençam pela Escritura ou por razões claras, de que estou errado, eu permaneço constrangido pelas Escrituras. Não posso me retratar, Deus me ajude. Amém.” Ali estava Lutero! Sozinho? Não, com a maioria que é Deus. Deus estava no contexto histórico e político, nos amigos que o apoiavam, nos príncipes cristãos que reconheceram em seus escritos a autoridade da Palavra, ou seja, Lutero mais Deus era maioria!

Tudo isso é mais do que uma boa história. O que a mensagem da Reforma tem a nos dizer ainda hoje? Tudo o que o próprio Evangelho nos diz, e o que relembra o apóstolo Paulo em Efésios 2. 8-9 “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.” O centro do próprio Evangelho é o que Lutero redescobriu de que nós somos salvos por um ato de pura bondade e amor de nosso Deus, a Graça, e que recebemos essa salvação pela fé em Jesus.

Qual a relevância dessa mensagem hoje? – Penso nas muitas pessoas que se sentem culpadas por causa de seus pecados e não tem a certeza de saberem que são perdoadas pela Graça de Deus. - Penso nas muitas pessoas que ainda hoje vivem em sistemas religiosos que não deixam claro o favor de Deus. – Penso nas muitas pessoas que não se sentem amadas e queridas, por não terem a consciência de que Jesus morreu por todo o mundo, mas que morreu por elas individualmente. – Penso nas muitas pessoas que se esforçam muito em suas vidas, e tentam assim comprar a salvação e obter o favor de Deus e não tem a certeza de que o favor de Deus é Graça de graça. – Penso nas muitas pessoas que poderiam viver com alegria a sua fé, capacitadas por Deus, por amor e gratidão ao Salvador, mas ainda tem pavor de Deus. - Penso nas muitas pessoas desesperadas na hora de sua morte por uma consciência atribulada e que morrem em completo desespero. – Penso nas muitas pessoas que vão ser condenadas ao Inferno por não confiarem em Jesus como seu Salvador. - Por todos esses motivos lembrar de que nós somos salvos pela graça de Deus é a coisa mais importante que nós podemos fazer.

Que Deus nos abençoe quando celebramos a Reforma, que não seja apenas o momento de exaltar um herói da fé como foi Lutero, mas seja um momento de gratidão pela salvação que nós temos em Cristo. Amém

“O justo viverá por fé.” Romanos 1.17.


Rev. Rubens José Ogg
Secretário Nacional da IELB

sexta-feira, outubro 29, 2010

Reforma Protestante

Dia 31.10 completa 493 o movimento que mudou o mundo para sempre. A Reforma Protestante.



- Saiba mais

-- Martinho Lutero

---”Reforma: eu e o Senhor somos Maioria”. Texto do Rev. Rubens Ogg, Secretário Nacional da IELB.

O essencial

Nem sempre na vida não prestamos atenção nas coizas mais importantes. E isto não é exeção, mesmo que não queiramos fazer. Por isso que em Jesus Crito encontramos a paz que tanto nos fas bem.


Quantos erros de português nesta frase inicial, não? Pelo menos 3, de cara. Mas agora, diga: você também notou a falta de alguma coisa em alguma palavra? Por exemplo, de que falta um ‘s’ na palavra Cristo?

Alguns podem ter notado. Mas tantos outros não. Os erros de português saltaram à vista, mas o erro no nome de Jesus talvez passou despercebido.

Esta ilustração pode lembrar os momentos em que focamos erros secundários, pequenos ou grandes, mas não damos atenção ao mais importante. E assim, o que é essencial acaba fazendo falta em nosso cotidiano.

No texto, faltou apenas um ‘s’ em Cristo. Mas quando nos falta atenção à vida de fé, muito mais pode faltar. E então podem sobrar medo, angústia e falta de direção.

Não é o que Deus quer. Ao contrário, não nos deixa faltar atenção, cuidado e carinho para que nosso olhar capte sempre o mais importante. Para depois se ocupar de consertar os demais erros, por meio de arrependimento, fé, impulsionados por Ele, que nunca deixa faltar o ‘s’ de serenidade, segurança.

E sorriso.




(Inspirado em uma ilustração do
Rev. Paul Lantz, Detroit, EUA)

terça-feira, outubro 26, 2010

segunda-feira, outubro 25, 2010

Dia 01

Para o que você gostaria de ganhar novamente um “Dia 01”? Começar tudo de novo. Ganhar uma chance de refazer as coisas mal feitas, inacabadas ou que nunca começou a fazer.

Por onde você começaria?

Família – restaurar as palavras mal ditas, as frases inacabadas, resoluções irresolvidas?...
Trabalho – os pré-julgamentos, as frases ríspidas? A preguiça, falta de comprometimento? A palavra de elogio economizada por vaidade?...
Amizade – a ligação não feita, o abraço não dado, a falta de compreensão de um dia difícil?...
Carreira – a perda de tempo com atividades não essenciais? A perda da oportunidade de aperfeiçoamento?...
Pessoa amada – o beijo não dado, o perdão não pedido (nem oferecido). O palavra de ânimo, o gesto de aceitação?...

O tamanho de sua lista não conheço. Não sei tudo o que você gostaria de refazer. Mas uma coisa posso garantir: este dia 01 não precisa ser uma utopia, promessa de campanha, desejo que não vai se concretizar. Ele existe. E pode ser hoje mesmo. Está ao alcance da mão, para quando você decidir começar. Se você quiser fazer de hoje o dia em que tudo muda, não tenha dúvida de que tudo começará a mudar.

Não quer dizer que amanhã resultado já estará pronto, a resposta concretizada, ou que a outra pessoa imediatamente vai começar a concordar. Mas não há dúvida de que amanhã, o dia 02, já será um pouco diferente. O suficiente para você não querer mais parar.

Se estiver em dúvidas, em desânimo, com falta de forças, peça a Deus a ajuda, a vontade, o tudo para começar. Ele, que é único, é Um, é infinito, nunca cansa de nos dar pela fé esta chance de tudo mudar. Sempre. Constantemente.

Um dia após o outro.

Cinto + Estrada - Toque de Vida

sábado, outubro 23, 2010

CELSP 105 anos

É neste domingo dia 24 de outubro o culto especial de aniversário da Celsp (mantenedora da Ulbra) e também celebração da Reforma Luterana. A celebração começa às 20h, na Capela da Ulbra, com 250 músicos, somados o grande coral e a orquestra.

A Ulbra TV grava o momento e leva ao ar domingo, 31.10, 8h da manhã.
“Anote o conselho daquele que o ama, mesmo que no momento você não goste de ouvi-lo.”



(Provérbio inglês)

sexta-feira, outubro 22, 2010

105 anos Celsp

É neste domingo dia 24 de outubro o culto especial de aniversário da Celsp (mantenedora da Ulbra) e também celebração da Reforma Luterana. A celebração começa às 20h, na Capela da Ulbra, com 250 músicos, somados o grande coral e a orquestra.

A Ulbra TV grava o momento e leva ao ar domingo, 31.10, 8h da manhã.

Segurança

Algumas horas são mais dificeis, sem saída
Algumas estradas são mais dificeis de trilhar.
Porque nem sempre o que pensamos é o mais certo.
Nem sempre o melhor caminho é o mais perto.
Tentando esconder a nossa vida,
esperando tudo, assim, se encontrar.

São horas mais escuras, de mais medo.
Ou dias bem mais claros, e solidão.
São tempos em que a vida dá um tempo
Momentos em que as palavras vão ao vento.
Fechamos nossas mãos com um segredo,
Trancamos as saídas do coração.

Quantos passos ainda é preciso empreender
Quantas noites nossos olhos vão chorar?...
Tanta fuga para longe de nós mesmos.
Tantas noites de vagar, andando a esmo.
Tentando algo, alguma coisa, entender.
Tentando simplesmente não chorar.

Mas quantas portas podem já estar abertas
ali, bem certas, prontas pra não se fechar
Se olharmos como são atentamente,
Sem queremos nos impor, determinar.
a fé vai ver, vai enxergar, e ter certeza
de que é ali que a segurança vai estar.

A Porta Certa – Ele - sempre está perto,
Abrindo as outras que precisamos para caminhar.
Sempre pronto quando os dias estão contra
Está a favor do que só vai nos alegrar.
È o Caminho de onde o medo vai embora
e por onde a Sua paz nos faz trilhar.

Rescue

In my 12 years as a minister – maybe in my whole life – I think this was the greatest illustration from daily life to the central message of The Bible. The rescue of the 33 miners trapped in a mine in Chile.


The connections overflow. Perhaps you can find even more than these:

-People were in an irreversible situation underneath. They couldn’t save themselves.

-Even if they had positive thinking, strength of will, kept encouraging one another, even If they had strong attitude...their end was predictable.

-All of the sudden a signal came from above. A hole was made in the ground to reach that group. They knew others were trying to help them in this desperate situation and hopefully provide a way to save them.

-Now hope was real. Someone up above with the power and the means to make the rescue made it.

-They don’t know day and time. All they know was to trust, wait and keep going on.

-Then came the rescue. It was a unique and narrow way. There’s no other way out of the situation. Only one way.

-Each of them was saved individually without merit or effort. They were rescued from fear, anguish and despair.

-They were brought from darkness, from the depths, to the high, to the surface light.



A new life began.



That was such an amazing story of human rescue. But most amazing, wonderful, complete IS the story of the rescue made by God Himself! In and through Jesus Christ. He made a way for all of us. We cannot and never will be able to make a way for ourselves. In gratitude we share our faith in his work that all have been given a way out of the deep, dark mine shaft of sin.



A final analogy: as the miners reached the surface, besides meeting their families and loved ones the miners hugged the president of Chile. He was standing there waiting to see each one.



One day when we will be called from down here to live up There. Then we will meet not only our loved ones who departed in faith. We will stand in the presence of the governor of all and everyone will be welcomed into the new and eternal life.



He is, in fact, the Author of the greatest rescue of all time

quarta-feira, outubro 20, 2010

terça-feira, outubro 19, 2010

Vaidade

Poucas coisas são piores para o ser humano.

A vaidade começa a consumir por dentro. E então, se consuma lá fora. Abala a confiança, destroi qualquer tentativa de sanidade. Porque ela convence a pessoa de que ela está certa, ela é tão boa, é sempre tão esperta. Quem pensa diferente - que pena, ainda não atingiu tal grau de sabedoria. Claro, no fundo sabemos: isto não passa de insegurança.

O problema é que a vaidade nunca vem sozinha. Costuma trazer a arrogância, a auto-suficiência. Também a insegurança, desconfiança. E aí vêm também cobrança, destemperança, vingança. E a contaminação de tudo ao redor. Quem acaba indo embora, então, é a esperança. A esperança de que algo possa mudar.

A longo prazo, tudo que a vaidade faz é estipular para seu hospedeiro um prazo de validade.

Se alguém podia ser vaidoso era Jesus Cristo. Ele era tudo de bom. Não apenas tudo de bom, tudo de perfeito. No entanto, não houve alguém que exercesse tão bem a humildade. Olhou nos olhos, buscou aproximação. Ensinou. Sujeitou-se às piores coisas para nos dar o melhor. Sempre inspirando confiança, bonança, temperança. Deixando para nós, humanos, pela fé, aquilo que sempre sabemos que podemos ter: esperança.

Não em seres humanos. Porque a vaidade, sedutoramente, sempre consegue seu espaço para atrapalhar. Mas esperança divina que, quando ocupa o espaço na vida, obriga a vaidade a se render.

E, ainda, nos dá um novo prazo de validade: a eternidade.

quinta-feira, outubro 14, 2010

Resgate

Nestes 12 anos de trabalho pastoral - e talvez em minha vida toda -, creio que esta foi a ilustração mais completa que já vi, a partir do cotidiano, da mensagem central da Bíblia. O resgate dos 33 mineiros chilenos

Os paralelos são vários. Talvez você possa listar outros mais:

-Pessoas presas em uma situação irreversível. Não podiam salvar a si mesmas.
-Por mais que tivessem pensamento positivo, força de vontade, e animassem uns ao outros, tivessem atitude... o final era previsível.
-De repente, vem do alto um sinal: Uma abertura é feita para chegar até aquele grupo. Alguém se preocupa com eles e vai providenciar uma maneira de salvá-los.
-Agora a esperança é real. Pois alguém lá em cima, em condições de fazer o resgate, vai fazê-lo.
-Eles não sabem o dia nem a hora. Mas sabe que devem confiar, esperar, e continuar mantendo a vida lá onde estão.
-O resgate chega. Por um caminho único e estreito. Não há outra forma de serem salvos daquela situação. Somente um caminho.
-Cada um deles foi salvo individualmente. Sem esforço ou mérito. Foram resgatados, puxados para cima, libertados da situação de medo, angústia e desesperança em que se encontravam.
-São tirados da escuridão, das profundezas para o alto, a superfície, a luz.

Uma nova vida começou.

Uma bela história de resgate humano. Mas ainda mais bela e perfeita é a história do resgate feito por aquele que é o próprio Deus! Jesus Cristo fez tudo o que não poderíamos fazer para nos habilitar a fazer muito, tudo o que pudermos, movidos pela fé Nele.

Por fim, ainda uma analogia: ao atingirem a superficie, além de encontrar familiares e amigos, os mineiros puderam abraçar ninguém menos do que o próprio presidente da República. Nós, quando formos chamados daqui onde estamos, vamos reencontrar nossos entres queridos que já partiram na fé. E, melhor do que isso: vamos poder abraçar, ver face a face, aquele que é o governador de tudo e de todos.

Ele, sim, de fato o Autor do maior resgate da História.

quarta-feira, outubro 13, 2010

Vida real

Enfim o final de um Big Brother que todos ansiávamos por assistir.

Pois este sim era, involuntariamente, um verdadeiro reality show. Trinta e três homens, confinados em um pequeno espaço por 69 dias. Tendo que enfrentar as dificuldades pessoais, de convivência, de higiene, de alimentação, de sanidade... Sem ter a certeza de quando finalmente poderiam sair do claustro.

No entanto, este era diferente. Cada um estava ajudando o outro. Animando, dando força. Provavelmente uma tensão aqui e ali, mas todos queriam que todos se dessem bem. torciam para que chegassem juntos ao fim. Não estavam em busca de outro prêmio que não fosse a própria vida. Aqui fora, todos nós querendo que, um a um, todos deixassem o confinamento com segurança para serem saudados como guerreiros, vencedores, que, de cima, receberam o resgate.

Algo que não precisa acontecer somente nos extremos. Pode acontecer na normalidade. Hoje, agora. Auxilio, paciência, tolerância. Estimulo. Compreensão. Exemplo dado pelo próprio Gran Hermano quando esteve entre nós, para realizar o resgate que só poderia vir de cima. E que nos dá a vida na qual conhecemos a profundidade do Seu amor.

O grande desejo daqueles 33 mineiros era sair da profundidade, voltar à superfície. Agora, provavelmente cada um deles não vai se contentar esta superficialidade que contamina nosso cotidiano. Vão querer viver com profundidade, priorizando o que vida tem de mais importante. Vão viver o reality show que não precisa ser manchete mundial para ser importante: a vida normal.

A vida real.

sábado, outubro 09, 2010

sexta-feira, outubro 08, 2010

Making of

Pra você que tem curiosidade, conheça os bastidores de uma quarta-feira de gravação do Toque de Vida.


video

Palavras

“A professora começava a ensinar a letra cursiva (emendada). De início, perguntou:
- Quem tem medo de escrever com letra cursiva?
Alguns iam levantar a mão, mas quando ninguém levantou, os outros acabaram desistindo. Ela ficou olhando e insistiu:
- Ninguém tem medo? Então é fácil?...
- Não! É difícil! - responderam em coro
A professora ficou um tanto confusa. E foi um dos mais novos da turma que esclareceu a situação:
- Eu não fico com medo, professora. Mas fico nervoso, porque eu acho que é difícil!
Os demais disseram a mesma coisa.

Era isso. Eles não sentiam medo. Mas sim, ficavam nervosos.”

A professora iria ensinar, mas acabou também por aprender. Muitas vezes não conseguimos entender o que as pessoas têm pra dizer porque queremos ditar-lhes as palavras que devem usar. Desta forma, corremos o risco de distorcer o que sentem. Talvez façamos com que expressem aquilo que nós queremos que falem.

Às vezes somos tentados a fazer isto até com Deus. Pedir algo e já ir determinando como deve ser a resposta. Mas é sempre melhor se deixarmos que Ele fale conosco na linguagem que Ele considera apropriada – e que sempre será a mais adequada para nosso viver.

Da mesma forma, sempre é melhor ouvirmos nosso próximo com as palavras que ele tem a nos dizer. A compreensão será mais precisa. E ajuda, se necessária, também.

Sem falar em tudo que ainda nem sabemos que vamos aprender..

 
(texto a partir de ilustração enviada pela leitora Candace L. Lassig)

What's your sign

Yes, I have a sign. It is strong and it is ascendant over me. It shows a lot about my profile, my condition. It speaks about my past and present. And if I live under what it represents in my life I’ll know a brilliant future.

Every time I see my sign and its prediction and directions for life, then my day is different. I recall that I can live confidently. I’m remembered that I’ll find good in people and a great love will be maintained. My emotional life can be stable and my financial and professional life will have great support.

Let me introduce you to my sign. I was born to it on September, 24th. However the truth is that everyone who has been born again on any other given date also share this sign.

I’m speaking about the cross.

Signum, in Latin means sign, signal, symbol. The cross is the sign of the ones who live under the Theoscope. Because through faith in Christ we are under the sight (scopéw) of God (Theós). The cross speaks of Jesus Christ who is ascendant over our hearts.

He takes our lives in His hands and makes sure randomness is not the rule. We are firmly saved and guided by the Creator of heavens, Earth, stars, man – everything. That means we are not guided and protected by chance. The cross is the sign that He is taking care of our steps.

What’s your sign? I hope it is only one.

The one which is the reference of all that have been born of faith.





Text revision:
Rev. Paul Lantz
Detroit, MI

Biblioteca Virtual

Um mundo de novos conhecimentos e entretenimento abriu-se aos mais de 135 mil alunos do ensino superior de todas as unidades da ULBRA, nas regiões Sul, Norte e Centro-Oeste do Brasil, a partir do acesso à Biblioteca Virtual Pearson. Desde terça-feira, 05.10, os alunos podem acessar milhares de obras disponibilizadas na Biblioteca Virtual Universitária 2.0 pelo convênio com a Pearson Education do Brasil Ltda.

A Reitoria da ULBRA, reafirmando a sua decisão de priorizar o foco no ensino, ampliou o acesso à Biblioteca Pearson que já estava disponibilizado aos alunos do ensino a distância de todo o país.


Saiba mais

quarta-feira, outubro 06, 2010

Estepe

Viajar de carro em férias com a família, com toda a legria e entusiasmo, pode ter um momento desagradável caso fure um pneu. Nessas horas, se não houver assistência na estrada, já sabemos o que vem pela frente. Parar o carro, sinalizar, abrir o porta malas(nos casos em que ali está ali), tirar toda a bagagem, ferramentas....

E aí lembramos de algo que estava totalmente esquecido. O estepe, agora, não apenas é lembrado como passa a ser nossa grande esperança de seguir viagem. Nesta hora, rezamos para que ele esteja em condições. Mas e se descobrimos que ele está murcho, muito gasto, ou até com um furinho que você nem tinha percebido que aconteceu? As palavras que virão a seguir talvez não possam ser ditas na frente de crianças...

Assim, às vezes, o ser humano age em relação a Deus. Viajamos milhares de quilômetros até que, de repente, “fura um pneu” e precisamos do ‘estepe”. Aí, tudo o que queremos é que ele esteja lá, pronto, preparado para ajudar. E ai dele se não estiver. Poderá levar toda a culpa por tudo de errado que está acontecendo. “Se Deus existe, porque?...” “Onde está Deus que...”? E várias alternativas de perguntas para tentar passar adiante a culpa pelos furos pessoais.

Mas Deus não age assim conosco. Não. Mesmo com nosso esquecimento, Ele permanece guiando nossos passos, enchendo nosso coração com sua graça. Conserta nossos furos com seu perdão e nos mantem no caminho que leva ao lugar certo. Viver a fé é não pensarmos em Deus como um estepe para a dificuldade, mas como o esteio de vida e do coração.

Conferir o estepe regularmente é um procedimento importante. Conferir o coração junto a Deus, constantemente, é fundamental. Porque o caminho ainda pode ser bem mais longo do que podemos pensar.


(baseado em uma devoção do Rev. Ken Klaus,da LHM)
 

terça-feira, outubro 05, 2010

segunda-feira, outubro 04, 2010

Qual é o seu signo?

Sim, eu tenho um signo. Ele é forte, ascendente sobre mim. Ele fala muito sobre quem eu sou, meu jeito, minha condição. Fala do meu passado e presente. E, vivendo sob o que representa em minha vida, sei que tenho um futuro brilhante.

Sempre que consulto este signo e o que ele indica em meu coração e minha vida, meu dia é diferente. Sou lembrado de que posso viver confiante. Vou encontrar pessoas boas. Um grande amor será mantido. Minha vida sentimental tem grande suporte. Minha vida financeira e profissional tem outra dimensão.

Ah, me permita revelá-lo a você. Nasci para ele dia 24 de setembro. Se bem que todos os que nascem de novo em qualquer outro dia, também são dele.

Estou falando da cruz.

Signo, em latim, significa sinal, símbolo. A cruz é o sinal, o símbolo de quem vive sob o Teóscopo. Pois pela fé, estamos sob o olhar(scopéo) de Deus (Teós). Ela fala de Jesus Cristo, que tem ascendência sobre nosso coração. Ele toma em Suas mãos nossas vidas e não deixa dúvida de que a aleatoriedade está descartada. Somos salvos e guiados firmemente pelo Criador do céu, da Terra, dos astros, das estrelas, do ser humano – de tudo. Ou seja, não é o acaso que vai nos proteger. A cruz é o sinal de que Ele exerce cuidado e proteção.

Qual é o seu signo? Tomara que seja um só.

Aquele que é a referência de todos os que nascem para a fé.
 

domingo, outubro 03, 2010

Que tenham misericórdia nestas eleições!

por Tiago Albrecht
publicado no Jornal A Gazeta

Estamos a menos de uma semana das eleições. No próximo domingo, eu e vocês vamos às urnas eleger aquelas pessoas que vão nos representar pelos próximos quatro anos (oito no caso dos senadores). Por estarmos neste período eleitoral, me veio à cabeça a palavra misericórdia.

Eu sei, a palavra misericórdia é mais usada no contexto religioso. Porém, se formos a fundo no significado desta palavra, vocês vão concordar comigo de que esta palavra tem tudo a ver com o que está por vir. Esta palavra tem o seu emprego muito bem feito ao falarmos de quem vamos escolher para nos representar. Mais ainda: misericórdia tem tudo a ver com o que nos deve levar a escolher um candidato.

A palavra misericórdia vem do latim. Miser, a primeira parte da palavra, significa miséria. Córdia significa coração. Assim, ter misericórdia é sentir a miséria de outra pessoa no próprio coração. Assim, quero dizer que você e eu precisamos escolher candidatos que tenham misericórdia de nós quando eleitos, isto é, políticos que sintam a nossa miséria em seu próprio coração e esse sentimento levem-os a nos governar com justiça e honestidade.

Porém, quando falo de "sentir a miséria no coração", não é apenas sentir a miséria de não ter o que comer, não ter onde morar, não ter um emprego. Isso tudo deve ser levado em consideração, sem dúvida, pois um governo tem de olhar pelos menos favorecidos. Mas será que ter um filho entregue às drogas, uma pessoa com uma doença terminal, escolas caindo aos pedaços também não seriam "sentir a miséria no próprio coração"? É claro que sim. Não importa se ricos ou pobres: todos vivemos numa situação de miséria. Ela pode ser física e pode ser psicológica, de valores e até espiritual.

A palavra misericórdia é atribuída a Deus. E não é pra menos. Ele sentiu a nossa miséria em seu próprio coração, isto é, viu que somos pecadores perdido e condenados. Todavia, agiu rápido, criou um plano B lá mesmo no Jardim do Éden e prometeu que viria o Messias para nos salvar.

Quando você for votar, lembre-se de Deus. Ele não ignora a nossa situação. Pelo contrário, nos ajuda sempre que necessitamos. Assim, eleja candidatos "parecidos com Deus", que têm misericórdia de você e sua gente. Vote em pessoas comprometidas em ter misericórdia de você e da população amapaense. Em 3 de outubro, faça da misericórdia a campeã de votos!

*Tiago é pastor luterano em Macapá, AP
cristoparatodos.amapa@gmail.com

sexta-feira, outubro 01, 2010

Encontro de músicos

"Tema Geral: CRIANDO LETRA E MÚSICA
DIA 02 DE OUTUBRO na capela do Seminário Concórdia


• 08:30 – Inscrições.
• 09:00 – Devoção: Rev. Rony Ricardo Marquardt, integrante da Comissão de Culto da IELB.
• 09:20 – Palestra: Criando Letra e Música. Rev. Lucas André Albrecht da Pastoral da ULBRA
.• 12:00 – Almoço
• 13:00 – Depoimentos e reações dos participantes.
• 14:00 – Oficinas de música:o
Guitarra elétrica: Maurício Leonardo Saul

Contrabaixo elétrico: Nilson Araújo

Violão: Moisés Hermeto Dornelles

Violino: Dérick Jagnow
Percussão: Carlos Josué de AlmeidaRegência coral: Raul BlumTeclado (banda): Hélio AlabarseProduções musicais: Paulo BrumCanto: Suellen Scholl Matter• 16:00 – Apresentações informais das oficinas.• 17:00 – Encerramento: Palavra do Prof. Gerson Linden, diretor do Seminário Concórdia.

Eleição

Se estivesse prestes a ser eleito presidente do Brasil no próximo domingo, o que você faria?

Acredito que devemos ter a resposta na ponta da língua. Moralização, melhora do sistema de saúde, mais atenção aos pobres, segurança. Faríamos um pais mais justo, acabaríamos com os corruptos, etc.... Afinal, não é isso que gostaríamos que fizessem os candidatos que aí estão? Então, por coerência, seria também a nossa linha de ação.

Pena que, então, encontraríamos com o ser humano. Nós mesmos e os outros. Os interesses, as vantagens. A preguiça, a malandragem. A corrupção, a ameaça. O mesmo ser humano que encontramos no espelho toda manhã e nas ruas todos os dias. O ser humano, que sabe melhor dizer o que o outro está fazendo errado do que ele mesmo fazer o que é certo.

E a coisa seria mais difícil do que parece...

Claro, alguém que é investido de um cargo público passa a ter responsabilidade maior. Se quis algo grande, será também grandemente cobrado. Mas é importante não nos enganarmos. Em dias de eleição, não estamos elegendo só os outros. Nós mesmos estamos em questão. Vale pensar, portanto, se em vez de desejos utópicos perfeccionistas, o que podemos fazer é escolher alguém que faça o melhor ao alcance e o menor mal possível para a nação.

Mas o que quero no texto de hoje é pedir o seu voto. Abertamente. Um voto na continuidade. Mas também na mudança. Um voto ecológico, mas também social. Um voto pelos menos favorecidos, sem descuidar de todos. Um voto que só pode ser dado porque alguém já nos elegeu. O voto de permanecer na fé em Deus. Pois só ele é o Governante que realmente entende de ser humano. O único capaz de conduzir, cuidar de cada cidadão que, por causa do FIlho, está preso à liberdade de viver nesta fé. E também o único que garante nosso futuro.

Porque eleições humanas são passageiras, nem sempre confiáveis. E seguidamente vão nos desiludir.

Já este Voto, pode ter certeza, é o único que nunca vai nos decepcionar.
 

To be positive

Paul was talking to a friend about his last medical appointment.

“The doctor said that my eyes are perfect. My lungs are correctly functioning, my kidneys work fine and my heart couldn’t be better. Ah, and about cholesterol and blood pressure... nothing wrong with them!”
“Oh, wow,” said the friend, “But Paul…didn’t you go to see the doctor because of a back ache?”
“That’s right.”
“So why did the doctor tell you only what’s good? Didn’t he point out what’s wrong so you can cure it?”
“Oh, yes, he did try to talk about what is bad, but I wouldn’t listen. I like only to hear about what is good.”

Well, that seems to be an x-ray photo of our world. Many people won’t hear anything about what’s really wrong and needs change. You cannot talk about sin, guilt, lack of responsibility, depression, death… Nor discuss any other thing showing the truth that we are imperfect. “Hey, let’s change the issue, man”. “Be positive!” “Show the bright side of things!”...

But do we go to the doctor to hear about what’s good or to know what’s wrong so we can fix it? If someone denies what is ill in his/her body, we all know where it may end…

Jesus Christ points out our imperfection. Yes, He does. It is known by the name “sin.” But unlike many in our days who have delight in finding sins only to hammer the sinner, He forgives. He loves and recovers our hearts. He brings us the cure for our worst illness. The follow through of the appointment with The Doctor is a new life where treatment and prevention walk together. He wants us to be always taking care of the most important health… spiritual health. Because that is our source of life everlasting.

That is the way one can really be positive: point the sin and give the solution. If we think that ‘to be positive’ is only ‘to talk about what is good,’ well, we’ll find ourselves more often than not, trying to cure a cardio vascular problem with tea, honey and rest.


Text revision:
Rev. Paul Lantz
Detroit, MI

USA