terça-feira, agosto 26, 2014

Celebração Cristã na 1ª Semana da Pessoa com Deficiência

Fonte: ACS Ulbra

Integrando as atividades da 1ª Semana da Pessoa com Deficiência da Universidade Luterana do Brasil, foi realizada uma Celebração Cristã, na tarde de segunda-feira, 25.08, na Capela Universitária do campus Canoas.

A celebração teve por objetivo conscientizar sobre as temáticas relacionadas à pessoa com deficiência e à inclusão. O evento partiu de uma iniciativa do auxiliar da Biblioteca da Universidade, Paulo Fernando Soares Pires, que é cego. Dentro da temática proposta, Paulo e sua banda realizaram apresentação musical. Já a colaboradora da ACS-Internet da Instituição, Pâmela Moreira, que é surda, fez uso da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) para citar um versículo bíblico enfatizando que Deus ensina que devemos amar a todos, independente de a pessoa ser deficiente ou não. A tradução da mensagem de Pâmela foi feita pela tradutora intérprete de LIBRAS do Programa Permanente de Acessibilidade (PPA), Geruza Barbiere Pasternak.

O capelão do Hospital Universitário, Mário Sonntag, fez uma leitura bíblica que ressaltava o fato de que todas as pessoas fazem parte da igreja de Cristo, tal qual um corpo que é formado por muitas partes. Também auxiliaram na condução do devocional, o capelão geral, Lucas Albrecht e o capelão de música, Paulo Brum. Em sua participação, o diretor do campus Canoas, Erivaldo Diniz de Brito, agradeceu a todos que trabalharam para a realização do evento na Capela, além de afirmar que a celebração constitui-se em um momento de aprendizagem. “Essa atividade contribui para que possamos aprender, entender e compreender que as pessoas são ser humanos em sua totalidade”, disse Erivaldo.

Além de colaboradores da Instituição, estiveram presentes à Celebração o pró-reitor adjunto de Pós-graduação, Pesquisa e Inovação, Erwin Francisco Tochtrop Júnior; o pró-reitor adjunto de Extensão e Assuntos Comunitários, Valter Kuchenbecker; e o diretor de Extensão, Gustavo Becker.

1ª Semana da Pessoa com Deficiência

A ULBRA, através da Pró-reitoria Adjunta de Extensão e Assuntos Comunitários, está realizando a 1ª Semana da Pessoa com Deficiência, até o dia 28.08. O evento integra a Semana Nacional e, em Canoas (RS), também faz parte da programação da 17ª Semana Municipal da Pessoa com Deficiência. A proposta envolve os campi universitários e a Rede de Escolas, além dos Polos EAD. A programação completa que acontece na Universidade está disponível no site http://www.ulbra.br/semana-pessoa-com-deficiencia.

segunda-feira, agosto 25, 2014

Quem está ao lado

Você olha ao lado, no restaurante, e pessoas estão no celular. Talvez estejam falando com a familia.
Em casa, você olha  e vê pessoas, com a familia, teclando e conversando virtualmente. Talvez estejam falando com os  amigos.
Você olha na festa e nota muitas pessoas digitando ou fotografando com o celular. Talvez falando com colegas de trabalho.
Você olha para o ambiente de trabalho e nota muitas pessoas com celular, talvez conectando-se a amigos em outro lugar.

Às vezes, a impressão que temos é que, hoje em dia, a pessoa mais importante ou interessante com quem falar é sempre aquele que não está presente.

Vivemos com uma certa impressão de que nos mantermos conectados nos conecta a mais pessoas. O que pode ser verdade, por um certo ângulo. Mas que pode ser completamente equivocado se as pessoas que estão presentes para um momento de convívio são aplicativos que estão sempre em segundo plano.

Deus nos criou para nos relacionarmos com as pessoas, seja eletrônica ou presencialmente. Claro que não há nada de errado em relacionamentos virtuais, mas vale a pena também olhar ao redor e ver se não estamos sempre deixando de lado quem mais precisa da nossa presença. Quem mais gostaria de olhar em nossos olhos, ouvir a nossa voz sem ser mediada por um equipamento eletrônico, ou poder nos abraçar de verdade, e não contentar-se com “um abraço”’ no visor do telefone.

Pode ser a familia, o amigo, o colega de trabalho. Mas, todos os dias, Jesus Cristo nos dá muitas oportunidades únicas de nos comunicarmos.

E – acredite – pode até ser, e também dá certo, sem o visor do celular.


(P. Lucas André Albrecht)

sexta-feira, agosto 08, 2014

Presente de pai

O que você pediria de presente para o seu pai neste dia dos Pais?

“Opa, acho que ele se enganou. Os pais é que ganham presentes. Até já comprei a gravata e o par de meias”.

Não, não foi engano. O que você pediria de presente para ele?

De ganhar ele gosta, tenho certeza. E vai ser legal poder alegrá-lo nem que seja com uma ligação telefônica. Mas olha, eu posso apostar que ele gostaria muito é que você estivesse com toda vontade do mundo de receber.
E não tanto pelo lado material. Desconfio que seu pai está mesmo é preocupado com o mundo que o cerca. E bem preocupado. Pois você está recebendo estímulos constantes para ser guiado por impulsos,prazeres, sentimentos de momento, a opinião da maioria, um revoltado contra qualquer coisa. Alguém confuso etica e moralmente num contexto em que às vezes se mistura todos os conceitos disponíveis para que ninguém tenha mais nenhuma ideia clara do certo e errado.
Por isso, suspeito que ele quer muito é poder dar presentes. Ele gostaria de poder lembrar a você a importância do caráter, de seguir princípios corretos. A importância do respeito ao outro e à natureza. O carinho e o amor que se pode e deve ter com a família. A responsabilidade com o amanhã, e não viver apenas o hoje. Principalmente, a segurança que é avançar neste mundo de mudanças com o centro imutável e mais confiável que existe: fé no Filho que sempre foi fiel ao seu Pai.

O melhor presente que você pode dar, portanto é seu carinho, atenção, seus ouvidos. Seja a seu pai biológico, seu pai de criação ou aquela pessoa que é como um pai pra você.

Acima de tudo – especialmente no caso daqueles cuja experiência é negativa com o pai na infância, ou até hoje –, lembre-se que isso vale principalmente para o Pai do céu. Faz ideia de como ele gostaria de te encher de presentes não só nesse dia, mas sempre?
Então permaneça perto Dele. Permaneça na fé, permaneça filho.

Permaneça recebendo presentes, todos os dias
.
  

P. Lucas André

sexta-feira, agosto 01, 2014

O que penso

E se o padeiro colocasse à venda, sempre, tudo o que produziu? Provavelmente não seria boa ideia, pois nem tudo dá certo. Ele precisa selecionar as melhores receitas e produtos para expor.
E se a fábrica de calçados colocasse à venda tudo o que projetou e tudo o que o produziu? Perderia clientes em não tão muito tempo.
E se o repórter de televisão utilizasse tudo o que gravou? Bem, também não parece ser boa ideia. É melhor colocar no ar aquela que traz o melhor conteúdo, na melhor forma.
Se a mãe ou o pai falassem ao filho tudo o que pensam quando ele comete um erro, ou não aprende o que poderia ter aprendido? A consequência possível desta atitude os faz ponderar o quê e como falar, para auxiliar a crescer.

E se o seu melhor amigo, seu namorado(a), seu chefe ou seu vizinho falassem tudo o que pensam, as relações seriam melhores? Ou nem tanto?

Quem de nós já não ouviu, ou utilizou, a expressão “eu falo o que penso”? No sentido de não medir nem filtrar as palavras, “falar com sinceridade”. Às vezes, até mesmo exibimos como uma virtude-troféu, Ela pode vir acompanhada também de ‘eu sou sempre sincero’ e ‘eu sou assim mesmo’.

Pensando bem, por que deveria ser assim? É possível que eu pense  coisas boas? Todas as nossas opiniões, especialmente quando expressas através de sentimentos de momento, e não raciocínios embasados, são sempretão coerentes e corretas a ponto de o mundo não pode ser privado delas?

Para piorar, estamos, cada vez mais, nos submetendo à velocidade em detrimento da segurança. A partir disso, sem checar fatos, fontes, formas e frases,  respondemos falamos, digitamos e gravamos em vídeo ‘o que pensamos’. Mas...tudo o que pensamos é útil, aproveitável, sensato, bom para ajudar o próximo?

Obviamente, não. Tem muita coisa que achamos, sentimos, definimos, divagamos, e até raciocinamos, que são produtos que não dá pra vender..Precisam ser descartados, ou melhor trabalhados, para gerar algo mais consistente, saboroso e que, de fato, vá contribuir.

Nem mesmo Jesus Cristo falou tudo o que pensava. Logo Ele, o único que só pensou e fez o que valia a pena. Diante de Pilatos, por exemplo, quando poderia ter falado todas as verdades contra os hipócritas que o condenavam, silenciou. Também na cruz, durante seis horas, se limitou a 7 frases. E ali estava realizada a obra mais importante em que alguém pode pensar. A fala mais eloquente foi a de um coração cheio de amor pelo ser humano

Amor que pode ser vivenciado, pela fé, na forma tanto de palavras pensadas como de pausas necessárias. Em gestos que aproximam. Em olhares que comunicam. É claro que podemos, sim, falar o que pensamos (não vivemos em uma ditadura,graças a Deus). Mas sempre podemos pensar se, precisamos, mesmo falar tudo. Fica irresistível, então, concluir que, melhor do que falar o que penso, é pensar no que falo.

E que há momentos nos quais um bom silêncio comunica com clareza tudo o que precisamos dizer.


(P. Lucas André Albrecht)