sexta-feira, outubro 31, 2008

O 'Bruxo' e a Reforma

O data de hoje para muitos está virando o dia do feriado importado do Norte, que fala de bruxas, abóboras, monstros e afins. No entanto está é uma...hum... ‘celebração’ incomparavelmente menor do que outra, que impactou a sociedade mundial: a Reforma Protestante, que tem como marco o dia 31 de outubro de 1517.

Mas se formos utilzar uma giria moderna, até que há um ponto de contato entre as duas festas. Porque, no caso da Reforma, entre outras coisas, são lembradas a grande coragem e vontade de lutar do ‘bruxo’ Martinho Lutero. ‘Bruxo’, na gíria moderna, é o cara parceiro, camarada, grande amigo. “Meu bruxo!” Neste sentido, Lutero tem tudo para ser ‘nosso bruxo’. Porque muito de sua vida pode ser inspirador para a nossa.

Um dos motivos, ele tinha consciência de que podia não estar certo. Foram anos de pesquisas e debates antes de tomar uma posição mais definitiva.
O que mostra a importância do interesse de unir, não separar.

Outro, foi sua obstinação pelo estudo e conteúdo. Não bastava contestar. Era preciso ter conhecimento, conteúdo. Não só querer falar e discutir mas principalmente ter o quê falar, com maior exatidão e clareza possíveis.
A importância do conhecimento.

Ainda outro, dentre muitos, foi sua fidelidade à Palavra. Em seus escritos e documentos, procurava fundamentar tudo com o Fundamento da Vida, de onde realmente se podem buscar ensinamentos par auma vida inteira.
A importância da Palavra.

E também sua bravura e coragem em enfrentar, apoiado por muitos amigos, as maiores adversidades possíveis, com a coragem de permanecer firme na fé em Jesus Cristo e nos seus ideais. Permanecer de pé para defender aquilo que acreditava.
A importância da fé, coragem e ousadia.

Não foi passe de mágica nem feitiço. ‘Nosso bruxo’ Lutero lutou com as ‘armas’ que estão disponíveis também ao nosso alcance: fé, paz, coragem, conhecimento, amor. Porque o mundo ainda hoje precisa de constante Reforma. Sem deixar pra trás o que não faz bem e manter o que faz, constantemente, a vida se torna uma eterna repetição.
Isto é ser reformador todos os dias, sem medo dos fantasmas e bruxas da tristeza, desespero e frieza que insistem em nos querem assombrar e fazer desisitir. ‘Nosso bruxo’ Lutero está aí, com sua história pessoal, que é uma demonstração de que de Deus vem nossa sustentação e o nosso querer reformar.

Bruxa ou ‘bruxo’, afinal?

Bem, se nossa vida precisa de orientação, inspiração, coragem e força, já sabemos qual das duas figuras aponta Quem realmente tem o Poder de nos encantar.

Repairs and Reformation


Repairing is something quite usual in Copacabana, the neighborhood where I live. There are old buildings all around; most of them were built around the forties and fifties. So being, people need to repair them frequently: electric system, pipe system, to make a new room in the apartment, etc. Sometimes they need to change the architecture that is old to a more contemporary style. As I’m writing this I can hear two or three different saws and some hammers. This week there are three buildings under repair in my street.

Copacabana is well known worldwide. You can see people from all over the world as you walk down the streets. They come here because they want to know what is so special about it and want to feel the tropical weather we have here. I don’t know if you have ever come to Rio de Janeiro, but I think one would never think about old buildings when hearing about Copacabana. Of course, the hotels, where the tourists stay, are nice and new. But most buildings where most people live, the residents, not the tourists, are old. They need repairs in order to be livable.

Something like that happened with the Church at the time of Martin Luther with the Protestant Reformation, in the 16th century. It appeared to be a great institution, beautiful, powerful and strong, but it was weak on the inside. It needed repairs in order to be what it was supposed to be: the place where Jesus is presented as our Lord and Savior. Luther wanted to make things right by using the Scriptures, the Architect’s Guide Book.

Repairs are really disturbing. I can tell you that. There are some days it is really difficult to get focused on my work with all that breaking, sawing and building going on. I wish they would stop it. But they can’t. They need to do that in order to improve the place where they are living in.

Many people in Luther’s time wished that he hadn’t started to repair what was wrong in the Church. It would cause too much trouble. It was comfortable the way it was, at least for some people. But it was necessary. They needed to listen to the true message of Jesus Christ and salvation by faith instead of the religion of self-justification that had invaded the Church.

The need for repairing also involves our lives. We constantly need to think about what we are doing: what we believe, the way we behave, how we treat other people, our commitment to work. Repairing what is wrong is an essential part of self-improvement. With God is just a little different though: through His Word He gives us the courage to examine what is wrong in our life and the strength to correct it.

A good way to start repairing our lives might be celebrating the right event on the 31st: The Protestant Reformation, not Halloween. You have far more benefits from the first one. Like freely talking about faith and life.



Text by Rev. Paulo Samuel Albrecht
“Cristo Redentor” Lutheran Congregation
Zona Sul - Rio de Janeiro, Brazil
Browse the Website (in English)

Llegar


Volvían de un paseo a Buenos Aires un grupo navegando sobre el Río de la Plata. En determinado momento, la embarcación empezó balancear anormalmente. En el lugar donde todos estaban, no había visibilidad hacia fuera, pero la deducción fue rápida: tempestad.

Y la barca balanceó. Por cierto. Como consecuencia, los integrantes del equipo de tripulación empezaron a marearse. Algunos, bien mareados. Cuando llegaron, rápidamente algunos salieron para tomar aire, mientras otros se sentaban en los barcos al aire. Algunos mal conseguían se levantar.

Mirando este escenario, el líder del grupo comento con quién estaba cerca:
-Que raro, fui tomado de miedo…
El otro respondió:
-De hecho… e yo me tomo pensando: si casi todos se marearon dentro de la barca, imagine si alguien estuviera fuera de ella…
-Pero, aun con toda dificultad, felizmente el principal sucedió – responde el líder.
-¿Lo principal? ¿Y que seria?
-Llegamos seguros al otro lado.

Es inevitable, usted va balancear. En varios momentos. Por lo cierto, ya que el río de oro de tu vida no es hecho tan sólo de viajes tranquilos, pero también de momentos turbulentos. En algunos, nada se ve bien. Aun solamente se navega.

¿Cómo lo estás cruzando? ¿Y, hacia donde?
Bueno es tener una embarcación segura. Cuando estamos con Cristo, estamos bien. Está cierto, podemos sentir miedo, hasta podemos nos marear. Aun, no pararemos. Porque lo sabemos que siempre hay un lugar seguro después de la oscuridad. Siempre hay espacio donde reencontrar la tranquilidad y recuperarse las fuerzas. Siempre hay aire puro después de la angustia de la falta de aire.
Es allí, dentro de la barca, pretejida del viento, cerca del corazón de Dios. Con un ingreso de gracia - fe. Esta es la manera de llegar al otro lado. Dentro del amor, cuidado y dirección del Capitán.

No es promesa de solamente aguas tranquilas. Pero es una promesa real de lo que más necesitamos: llegar.



Traducción:
Pastor André Luiz Muller
Canoas, RS, Brasil

Novo satélite

Fonte da imagem


Desde quarta, 29.10, a Ulbra Tv mudou de satélite. Agora que usa antena parabólica pode direcioná-la para o satélite Brasilsat B4, o mais utilizado por canais brasileiros, com as seguintes espcificações:

Freqüência: 04063,0
MHzBanda: C
Taxa de símbolos (s/r): 02929 KS/s
Polaridade: Vertical
PID de Vídeo: 33
PID de Áudio: 34
Codificação: DVB-S (MPEG2)


Para ler mais sobre satélites e parabólicas, visite o Exploradores de Satélites.

quinta-feira, outubro 30, 2008

não ver

“Além de aprender a ver, existe outra arte a ser aprendida - não ver o que não existe.”

Maria Mitchell

Diálogo

Outro dia encontrei a seguinte frase na internet: “Um é pouco, dois é bom, seis é demais”. Achei interessante não só ela como também o que estava logo abaixo:

“Oliver Wendell Holmes, célebre jurista, disse que quando duas pessoas estão conversando, há, a rigor, seis "pessoas" envolvidas:
1. Você, como eu penso que você é.
2. Eu, como você pensa que eu sou.
3. Você, como você pensa que é.
4. Eu, como eu penso que sou.
5. Você, como realmente você é.
6. Eu, como realmente eu sou.”

Nossa! Quanta gente envolvida num diálogo a dois!

As “pessoas” descritas nos pontos 1 a 4 eu diria que são os pré-julgamentos, pré-conceitos. Eu julgando o próximo ou o próximo me julgando. Em resumo, não se resolve nada. É um diálogo de aparências.

As duas últimas é que tem maior chance de conduzir um diálogo verdadeiro: “5. Você, como realmente você é”. “6.“Eu, como realmente eu sou”. Que bom se fosse sempre assim. Não gastaríamos tanto tempo com rodeios.

O ideal na verdade, é sempre um diálogo a três. Sim, um diálogo a três: Eu, Deus, próximo. Próximo, Deus, eu. Inserir Deus na conversa como mediador e orientador. Colocar Deus no diálogo pode ser orar pelo meu semelhante; orar por mim para ser verdadeiro na conversa. Colocar Deus no diálogo pode ser levar em conta os seus ensinamentos e usar estes princípios em nosso agir. Veja só o que Deus diz para pessoas que estão por desenvolver um diálogo:
Perdoe as nossas dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores...
É preciso renascer, recomeçar, uma nova chance...
Nós amamos porque Deus nos amou primeiro...
E ainda, conforme o autor bíblico Tiago: “Esteja pronto para ouvir, mas demore para falar e ficar com raiva.”

Colocar Deus no diálogo é relembrar para mim mesmo e para o meu semelhante de que Jesus insere amor e compreensão na vida dos dois que estão conversando, conversaram ou vão dialogar.

Um é pouco, dois é bom, seis é demais.
Um é pouco, dois é bom, três é o ideal!

Eu, Deus e o próximo.
O próximo, Deus e eu.




Texto do Pastor Marco Antônio Jacobsen
Celsp - Capela da Ulbra, Canoas, RS

terça-feira, outubro 28, 2008

ingratidão

“Aos que não querem ter gratidão, nunca faltam motivos para não tê-la.”

Gustave Flaubert

Dilatar


Em determinadas ocasiões, nosso oftalmologista precisa nos submeter a um procedimento que não está na lista dos mais agradáveis: dilatar a pupila. Ele recorre a esta medida porque precisa examinar nossos olhos mais profundamente. Então, após um anestésico, pinga nos olhos aquele liquido que nos deixa com a visão turva. Como a pupila se retrai diante da luz, precisa ser ‘dilatada à força’ para poder ser examinada.

Interessante que permitamos esta ação, já que não só será um momento que nos trará incômodo, como, até certo ponto, um pouco de risco, já que se tratam dos olhos, órgãos delicados de nosso corpo. Sem falar que, por algumas horas, não conseguiremos contar muito com nossa visão.

A resposta está na confiança. Sabemos que a pessoa que está nos tratando sabe o que está fazendo.

Em alguns momentos, nossa alma também precisa de ‘dilatação’, porque nosso orgulho costuma ser resistente e nos impede de enxergarmos o que precisa de correção. É quando precisamos então de luz para revelar o que está errado e apontar o caminho da solução.

Esta é a hora de dilatarmos nossa confiança, nos entregamos a Quem sabe o que fazer. Porque dependendo do consultório ou do ‘especialista’, o problema pode ficar maior do que quando começamos a perceber. A luz de Deus é a lâmpada certa para nossos olhos e também fonte de cura e orientação. É o caminho seguro, consulta que traz resultados para nossa vida, nosso corpo e coração.

Com Ele nosso olhar ganha mais vida e enxergamos bem melhor por onde os pés podem andar.

segunda-feira, outubro 27, 2008

força


“Não tema, porque eu, o Senhor, estarei com você em qualquer lugar para onde você for.”


(Livro de Josué 1.9)

medir e Mudar


Se você fosse abrir um negócio próprio, que produto escolheria?

Talvez calçados, afinal todo mundo usa. Ou alimentação, pois igualmente todo mundo precisa comer. Quem sabe um produto diferenciado, um ‘nicho de mercado’, algo que só você tem ou que tem um toque exclusivo de sua autoria.

Muitas são as opções que poderiam ser consultadas. Mas eu tenho uma sugestão infalível. Um produto que tem venda certa e atinge uma grande clientela. Não tem muito custo de produção e sempre traz algum tipo de lucro para quem vende.

Se você quer um produto de venda certa, aconselho você a vender medo.

Um negócio próprio deste produto não tem erro. Sempre há gente disposta a comprar. Sempre se consegue tocar as pessoas. E se tiver um jeito todo especial de fazê-lo, então, não só terá muitos clientes como talvez até seja convidado para ser chefe de seção ou colunista de jornal.

É muito fácil vender medo, especialmente em tempos como este. As pessoas acreditam. As pessoas se impressionam. As pessoas se deixam tocar. O lucro pode não ser financeiro, mas o capital pessoal e social é incalculável, já que ao vender noticias ruins sempre tem a chance acertar alguma. De cada 10 tiros de previsão apocalíptica, em pelo menos uns 3 ou 4 se consegue acertar a cabeça da besta. O que vai torná-lo conhecido, requisitado e respeitado..

A forma de medir o medo e de mudá-lo está no que Jesus Cristo estende – não vende- ao nosso coração. Segurança e fé. O medo pode ser grande, mas ele muda a medida diante do Amor. Em Deus temos confiança e coragem para olharmos pra frente sem medo de ficar pra trás. Pois nosso futuro se prevê com o passado: Ele jamais falhou. Portanto não precisamos temer. Não será diferente hoje nem amanhã.

Talvez você não consiga muito espaço no mercado ao ser portador deste produto. O medo tem um marketing violento, ocupando muitos espaços. Mas conseguirá sempre ter espaço no coração para viver a segurança do Seu amor. E, ao viver, certamente atrairá pessoas que, vendo que é possível mudar o medo, também vão comprar muito desta coragem de quem está seguro em Sua mão.

Comprar, entretanto, sem precisar pagar nada. Podem colocar na conta, porque Ele já pagou.

sexta-feira, outubro 24, 2008

Toque de livro


Toque de vida, o livro, teve origem no programa diária da Ulbra TV, que leva música e mensagen pela manhã e à noite a milhares de telespectadores. Nesta seleção, o leitor encontra mensagens do programa em seu característico estilo informal, dirteto e bem-humorado. Os textos são curtos, objetivos e procuram aplicar a relevante mensagem do amor de Deus no dia-a-dia.

Além de assitir a programa de TV, agora também é possivel guardas os toques de vida na estante. E no coração.




Toque de vida
(Editora da Ulbra – 205 páginas – 22,00)

Para adquirirContato
Michele – micheleg@ulbra.br
http://www.editoradaulbra.com.br/
Preços especiais para quantidades.

palavras


“Lembre-se de não apenas dizer a coisa certa no lugar certo, mas – ainda mais difícil – não dizer a coisa errada no momento de tentação.”


Benjamin Franklin

atrás de uma resposta

Nunca tinha pensado desta forma, mas a frase que a leitora Fernanda compartilhou não deixa de ser verdadeira para alguns contextos: “Atrás de cada pergunta, tem sempre uma pergunta pior.”.

Pense apenas na tradicional pergunta “e aí, tudo bem?”. Quantos, por trás dela, escondem muito mais. “Será que vou conseguir ficar bem?“ “E se eu não melhorar? “Como faço para conseguir ficar bem?”

Outra pode ser “Como posso saber que Deus existe?” Talvez haja mais. “Como posso falar disso com convicção?” “Como me portar diante dos que não acreditam e até riem? ‘Se Ele existe, porque tenho a impressão de que me abandonou?”

Passando pelo cotidiano. “Por que você não me ajuda?”, que pode ser a superfície de “Você ainda se importa comigo? “Será que eu poderia ter alguma palavra sua de carinho?” “Você consegue perceber que faço isso porque me importo?”

Pior porque no nosso íntimo, muitas destas perguntas nos machucam. Então, para o exterior, mandamos como ‘batedoras” algumas menos pesadas, na esperança que alguém perceba e o diálogo se estabeleça. Mas não é fácil achar alguém assim. Ao menos olhando no sentido horizontal.

Se olharmos para cima, no entanto, encontramos Aquele que já sabe da pergunta antes das palavras. Até mesmo conhece as respostas. Mas Ele quer muito nos ver expressar, externar. A pergunta pode ser a pior possível - faça. O motivo pode ser horrível - fale. O medo da resposta pode assustar - vença.
Porque existe uma diferença entre as respostas humanas e a de Deus. Quando alguém capta nossas perguntas submersas e se aproxima, nem sempre consegue responder e ajudar. Às vezes as respostas podem até dificultar a situação. Já as respostas de Deus são sempre para o melhor. Podem não ser as que queriamos ouvir naquele momento. Mas inevitavelmente vão nos conduzir ao que de fato precisamos. E que podem também servir de estímulo para fazermos o mesmo pelo nosso próximo.
Respostas na prática.
“Eu serei contigo por onde quer que andares”
“Antes de formar os montes e de começar a criar a terra e o Universo, Ele existe.”
”No mundo você passam por aflições, mas tenham ânimo, eu venci o mundo”
“Ainda que uma mãe esqueça de seus filhos, eu jamais me esquecerei de você” *
“Com a força que Ele dá, posso enfrentar qualquer situação.”
Algumas, dentre as centenas, que são diretas, corretas e não se esgotam. Se renovam a cada manhã.

Pois atrás de uma resposta de Deus normalmente vem uma ainda melhor.


*Referências bíblicas
Josué 1.9
Salmo 90.2
João 16.33
Isaías 49.15
Filipenses 4.13

quinta-feira, outubro 23, 2008

Caráter


“O caráter pode se manifestar nos grandes momentos, mas ele é formado nos pequenos."

Phillip Brooks:

Quem inspira confiança

A decisão das eleições em 2º turno acontecem no próximo domingo em diversas cidades do país, como Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. Em cada cidade, diferentes partidos políticos disputam a prefeitura, com diferentes propostas e atrativos.

Entretanto, o que não muda em todas as propagandas políticas é que, à medida que a corrida eleitoral vai chegando ao fim, maior é a ênfase para os eleitores de que o candidato tal realmente conhece a cidade e, portanto, tem as melhores propostas. Você, então, pode confiar a ele o seu voto. O pressuposto é que você confie naquele que tem o conhecimento da situação e o melhor plano de ação, especialmente para sanar os problemas.

O mesmo pressuposto parece bastante razoável e deveria ser transportado para outra esfera da nossa vida: a espiritual. Por que não confiar nAquele que nos conhece por inteiro? Visto que foi Ele quem nos criou, Ele sabe o que é melhor para o nosso "funcionamento". Qual o melhor plano de ação. Deus realmente conhece a você e a mim. Sabe onde estão os problemas e tem a solução. Ele fala com a experiência de Quem conhece aquilo que administra desde o começo.

Dificilmente entregamos algo importante a quem não inspira confiança. Muitas vezes os candidatos, nos deixam com um pé atrás, desconfiados. É possível ter 100% de certeza que votamos na pessoa certa? Diferentemente, podemos confiar nAquele que nos conhece desde o começo e que desde lá nunca mudou o Seu discurso de amor, com o qual nos diz: "Você é importante. Quero você do meu lado."

Isto, sim, traz confiança e certeza para a nossa vida.




Texto do Pastor Paulo Samuel Albrecht
no site da Comunidade Cristo Redentor – Zona Sul
Rio de Janeiro, RJ

quarta-feira, outubro 22, 2008

O Livro


TOQUE DE VIDA DA ULBRA TV VIRA LIVRO

A Editora da ULBRA acaba de lançar mais uma obra. Toque de Vida, assinado pelo capelão da Pastoral Universitária do campus Canoas, Lucas André Albrecht, apresenta mensagens retiradas do programa homônimo apresentado diariamente, pela manhã e à noite, no canal 48 UHF. Com o mesmo estilo informal, direto e bem humorado do Toque de Vida da ULBRA TV, o livro procura aplicar a mensagem do amor de Deus no dia-a-dia.

A obra já tem sessão de autógrafos agendada para o dia 9 de novembro, às 14h30, na Praça da Alfândega, durante a 54ª Feira do Livro de Porto Alegre.


Fonte: ACS/Ulbra.

Sabedoria


"Todo homem é um tolo por pelo menos 5 minutos todos os dias; a sabedoria consiste em não exceder este limite."


Elbert Hubbard

Respeito

“João era um motorista de caminhão que ia duas vezes por semana ia da capital para o interior. Nestas viagens, normalmente parava na lanchonete do Paulo, daquelas convidativas à beira da estrada. Um dia João estacionou, entrou no estabelecimento, sentou-se num canto do balcão e pediu o almoço.

A uma certa distância começou então um forte zumbido que, à medida que se aproximava, revelou ser um grupo de 12 motociclistas. Estacionaram suas máqunas e entraram no local, chamando bastante atenção. Olharam para João, aproximaram-se e reseolveram começar a provocá-lo. O caminhoneiro fez de conta que não era com ele e continuou almoçando.

Então o lider pediu silêncio, fez um gesto para dois de sua gangue, que pegaram um copo de bebida e derramaram na cabeça de João. Outro pegou um pouco de sua porção de comida e jogou no rosto. Outros do grupo o empurraram e ele acabou caindo no chão,.
Durante tudo aquilo, João não disse uma só palavra. Levantou, arrumou-se, pagou e saiu.

O lider da gangue, cheio de razão, falou para Paulo, o dono do local.
- Aquele cara não é um grande homem! Nem ao menos tentou se defender!”
- Parece que não... - respondeu Paulo, olhando para fora da janela. - E pelo jeito também não é um grande motorista. Acabou de passar por cima de 12 motocicletas.”

A idéia não é estimular a vingança. A melhor vingança é o perdão.
Também não é afirmação de que precisamos aceitar tudo que nos fazem sem abrirmos a boca.

Mas a idéia principal é não deixarmos nosso orgulho e falta de respeito nos levarem a situações embaraçosas, desncessárias e até mesmo de risco. Nestas horas, quando achamos que estamos no controle da situação é que mais temos chance de estar a um passo de cair.

Respeito. Até Jesus Cristo exerceu. Prova de que não faz mal a ninguém, inclusive o respeito por si mesmo e os próprios limites. Ao contrário, promove ambientes com menos provocações e com mais promoções de amor fraterno e consideração.

Sem falar que em muitos casos conserva a vida, os bens e os dentes por mais tempo.


Fonte da ilustração

terça-feira, outubro 21, 2008

Controle

"Seja senhor da tua vontade e escravo da tua consciência."

Aristóteles

Acontecer


A criança estava orando à noite, antes de dormir. A mãe, passando perto da porta, ouviu a frase final.

“...Abençoa o papai, a mamãe, os manos e a mim. E, querido Deus, cuide também muito bem de Você mesmo. Porque se alguma coisa acontecer com Você, nós estamos fritos.”

Ela tem razão. O que pode ser de nossa vida se alguma coisa acontecer com Ele?

-Ah, mas nada nunca vai acontecer com Ele, vamos argumentar.
Verdade. Mas pode acontecer alguma coisa conosco em relação a Ele.

Porque sabemos que há muitas coisas que podem nos fazer descreditar. Nosso dia está cheio de rumores que podem nos fazer desisitr, a semana tem acontecimentos que podem nos fazer duvidar. Nosso próprio intelecto, quando acredita demais que o conhecimento pode gerar auto-suficiênciaente, desacredita de que precisa de Alguém a lhe ensinar. Em alguns momentos, de fato ‘alguma coisa pode acontecer’ com Deus em nossa vida. E se isso for real e constante, a menininha está certa. Estamos fritos.

Para não temermos o calor da frigideira, Deus não quer deixar que isto aconteça. Por isso seus convites, por isso seu cuidado, por isso o calor certo - do Seu amor. Ele sabe quantas vezes fraquejamos e duvidamos, até mesmo questionamos se vale a pena continuar. Ele quer que aconteça em nossa vida de vivermos em Seus braços, confortados em nosso temor. E o mais importante, garantir que mesmo que muita coisa aconteça,.o coração pode permanecer na fé no que Jesus prometeu. Seu cuidado continua perto, Sua mão continua a proteger. Porque acontece que com Ele podemos contar para tudo.

Aconteça o que acontecer.

segunda-feira, outubro 20, 2008

Competição


“Em vários casos, quanto mais você compete, menos competitivo se torna”.

Kathy Siera

Se beber

A campanha conta a mistura álcool + volante tem sido intensa e com razão. Os resultados dela preocupam e, principalmente, machucam, ferem e matam.

Mas achei interessante o que destaca e relembra um folheto da Secretaria de Segurança Pública gaúcha. Os problemas vão além do “se beber, não dirija”. A população deveria ser conscientizada de outras conseqüências do pós-alcool. Algumas delas:

“Se beber,...
-Não pratique violência contra a mulher a familia;
-Não cometa violência sexual;
-Não pegue em armas;
-Nâo ameace outra pessoa;
-Não ofenda a honra das pessoas;
-Não pratique atos de vandalismo;
-Nâo perturbe o sossego alheio;
-Nâo cometa erros que o levam a perder seu emprego;
-Não sacrifique a própria vida e a de outros;

Em geral as estatísticas de trânsito são as mais divulgadas e comentadas, mas geralmente não lembram que muitas pessoas, sob a influência de álcool também perturbam o sossego, agridem verbal e moralmente, ficam mais valentes, passam dos limites, em suma, enchem o saco de todos e qualquer um. É certo que todos temos uma certa medida de estupidez e inconveniência guardadas em nosso íntimo, mas o álcool tem a propriedade não só de abrir as suas comportas como fazê-las espirrar para todo o lado.

Pedro, o apóstolo bíblico, recomenda em uma de suas cartas “desejem sempre o puro leite espiritual para que, bebendo dele, vocês possam crescer e ser salvos” *. Esta bebida também transforma e deixa diferente quem a ingere. Mas para melhor. Dá crescimento saudável, aperfeiçoa o juízo, melhora os reflexos na direção do próximo e principalmente, nos mantém sóbrios e vigilantes. Porque primeiramente somos guiados por Deus, para então também dirigirmos pelo caminho que, mesmo tendo dificuldades, não conduz à tragédia ou desastre.
Quando bebemos regularmente deste precioso alimento para a fé, maiores são as chances de boas ações na direção do próximo. Pois esta bebida combina cem por cento com vida, alegria, respeito, honra e amor.

Neste caso, não tenha dúvida:.se beber, continue dirigindo, siga firme pelo Caminho.
E ofereça carona.

*2ªPedro 2.2

domingo, outubro 19, 2008

sábado, outubro 18, 2008

Futuro Perfeito

Quando nos referimos a um evento futuro, confirmando que ele será uma realidade, utilizamos esta forma verbal.
“Semana que vem, a esta hora, eu terei comprado a casa.”
“Daqui a um ano eu já estarei formado.”
“Até lá eu já terei atingido meu objetivo”.
“Em pouco tempo já teremos resolvido esta crise.”

Futuro perfeito do indicativo. Uma composição interessante da Língua Portuguesa. Fala de algo duvidoso expressando certeza. Ou seja, falamos com convicção, de algo que vai acontecer daqui a algum tempo. Mas, ao mesmo tempo, não sabemos se as coisas serão exatamente como estamos determinando. Uma dúvida expressa em certeza. Uma convicção que não descarta a indecisão.
Já no Brasil, o nome ficou diferente. “Futuro do Presente composto”. Parece que do lado de cá do Atlântico, não temos tanta certeza assim de que o nosso futuro será perfeito. No máximo nos arriscamos a dizer a falar em composição.

É só uma brincadeira com as palavras, mas ilustra e nos lembra de o quanto nossas certezas são frágeis sobre o que ainda está porvir. Planejamos, visualizamos, tentamos projetar. Mas a verdade é que, enquanto o tempo adentra o futuro, não temos garantia nenhuma de que tudo será tão perfeito como as nossas mãos tentam determinar.

As nossas.
Porque as Dele têm com precisão o que o futuro vai trazer e mostrar. Por isso que nossas melhores projeções de futuro perfeito, de idéias fantásticas e planos afins precisam contar com a presença de quem tem ambos: Deus tem o futuro nas mãos e a perfeição na essência.

Essência que também é composta de amor. O que nos garante segurança para abraçarmos cada nova hora, compondo nossa vida a partir da fé com equilíbrio e ousadia, com confiança e planos, admitindo o que não dá e lutando pelo que nossas mãos podem tocar. Pois com Jesus, o futuro perfeito é possível. Sempre acontece.
_Daqui a um ano ele terá conduzido nossos passos e preces.
_Na semana que vem ele terá mantido seu cuidado sobre nossa vida
_Dentro em breve já teremos compreendido onde Seus planos queriam nos levar.

Acima de tudo, sabendo que perfeito terá sido o futuro que Ele escolher nos entregar.

quinta-feira, outubro 16, 2008

Atitude


"Uma atitude positiva pode não resolver todos os seus problemas, mas ela irá incomodar uma quantidade suficiente de pessoas para valer o esforço."


H. Albright

conserto

O pneu furou. Precisei parar, estrear o macaco e o estepe, fazer a troca. Depois, achar um borracheiro, já que aquele no qual sempre levava o carro, pelo qual rodei algum tempo com o pneu furado, não estava mais lá. Depois de encontrar, ainda esperar a troca. Tudo isso mais ou menos a 20 minutos de iniciar o horário de gravação. Tendo que rodar pelo menos 15 minutos até Porto Alegre.

Um furo pequeno. Mas que comprometeu todo o resto, impedindo de se mover.

Fiquei um pouco chateado. Mas confesso que tenho uma certa vantagem diante de momentos complicados: sempre é possível fazer um Toque de Vida a partir da situação.

Pequenos furos e vazamentos nas relações diárias podem não colocá-las no chão tão imediamente como acontece com o pneu de carro. Mas não há dúvida, em breve não passarão mais despercebidos. Pior, vão aumentar. Incomodar. E aí, a coisa vai se complicar bem mais do que precisar usar o estepe. Poderão levar a mudanças que podem nos deixar arrependidos de não termos dado bola antes. Quando a solução ainda estava mais ao alcance das duas mãos.

Quando fura o pneu, não adianta oficina ou posto de gasolina. O que o carro precisa é o lugar certo - a borracharia - para consertar o pequeno estrago que impede todo o veiculo de desempenhar suas funções. Quando o erro perfura nossa alma, seja pequeno ou seja grande, ignorar é a alternativa errada. O prejuízo não está longe de chegar.

Atenção é o remendo certo. Perdão, conversa, compreensão. Tentar sempre, logo em seguida, o caminho da solução. Não mero estepe, mas restauração. Não mero tapa-buracos, mas conserto integral. Com Deus, não temos meros remendos, mas recomeços, reconquistas, rodovias para o coração. Pois Ele não nos quer ver logo adiante parados em uma possível solidão.

Sem deixar pequenos vazamentos esvaziarem relacionamentos. E sempre contando com Seu Toque em nossa Vida, nos animando a enfrentar e vencer a situação.

Dia do professor

As duas frases de hoje são em homenagem aos nossos mestres, nossos eternos professores. O exigente, o carinhoso, o sério, o brincalhão. O atarefado, o próximo, o distante, o professorzão. Para os especiais, nunca falta espaço nem carinho em nosso coração.

“O propósito da educação é substituir uma menta vazia por uma aberta “
Malcolm Forbes

“O professor abre a porta.
Quem entra por ela é você.”

Provérbio Chinês

A gente sabe


Final da conversa, já no corredor. A situação não muto boa, grandes dificuldades para serem enfrentadas. Um abraço, uma despedida.
-Até mais... fica com Deus, que Ele te dê forças sempre, tá bom?
-Tá certo, obrigado!...
E o complemento:
-...Ele tem dado muita força, sim. A gente às vezes chora, desanima ou fica com medo. Mas sabe que Ele sempre vai dar forças.

A gente sabe.

Sabemos que quando levantamos, Ele já estava de pé, esperando nosso primeiro olhar.
Sabemos que quando escovamos os dentes ou arrumamos o cabelo, Ele já tinha nos visto antes do espelho, sabendo que somos belos até quando acabamos de acordar.
Sabemos que à medida que o nosso dia segue Ele mantém o vagão preso aos trilhos, já que só por nossas forças, começaria a descarrilhar.
A gente sabe que cada vez que nossos pés encontram o chão, o caminho está observado de perto, com tranquila precisão.

Sabemos. Mas mesmo assim fraquejamos.
O que é um bom sinal.

Se você fraqueja mesmo sabendo que Deus existe. Se você chora mesmo sabendo que a alegria no Senhor é nossa força. Se você, irado, reclama, mesmo sabendo que Nele temos paciência. Se você em alguns momentos pensa em desistir mesmo sabendo que sempre é possível lutar, é um bom sinal. Porque mostra que você não está se entregando a promesas fáceis de felicidade, nem está enxergando o mundo como um grande tobogã. Não faz da vida um parque de passeio nem acredita que só por ter fé precisa sorrir de tarde, de noite e de manhã.

E sinal melhor ainda é olharmos pelos Seus olhos, quando os nossos já não conseguem enxergar. Caminhar pelos Seus pés, quando os nossos já não sabem onde andar. E principalmente, nos ligarmos a Ele pela fé quando o coração quiser tentar parar. Sinal de que continuaremos em frente, descendo ladeiras e subindo montanhas, confiando que Nele está o nosso querer e o nosso realizar.

Porque, em fé, a gente sabe. E, assim, na fraqueza, forças nunca vão faltar.

quarta-feira, outubro 15, 2008

Trabalho

“Deus dá a cada pássaro sua comida, mas Ele não a joga dentro do ninho”

J.G. Holland

terça-feira, outubro 14, 2008

Convergência

Algumas coincidências entre o casamento da cantora Sandy e o da Djenane, minha esposa

_Ambas casaram com um Lucas.
_Um é profissional, o outro, amador, mas os dois maridos são músicos.
_Ambas tiveram uma cerimônia luterana.
_O Pastor que oficiou a cerimônia luterana de Sandy é colega de turma e formatura((1970) de Teologia do Pastor que oficiou o casamento da Djenane.
_Os pais de ambos os maridos cantaram no casamento de seus filhos.

Mas o principal ponto em comum de ambas, na minha opinião, é a importância dada à Palavra de Deus em um momento importante da vida como é o casamento.

A vida tem vários outros momentos importantes. Alguns realmente muito decisivos. Nos chamam a atenção, nos chamam reflexão e decisão. Podemos acreditar apenas em coincidências, depositar fé no acaso, constatar que nada podemos além de aceitar.
Ou podemos agir fundamentados e guiados pelo amor Daquele que dirige nosso escolher.

E aí, quando a Palavra e orientação de Deus fazem parte da vida, não há mais coincidência. Há convergência. Pois não é acaso sua presença na vida daqueles que estão na fé. Nâo é por coincidência que proteção, carinho e amor nos conduzem no caminharmos em segurança. Nâo é mera sorte ou destino encontrarmos tantas vidas transformadas quando embasadas pela força que Jesus Cristo dá. Viver este relacionamento em fidelidade e amor leva ao bem-estar dos que O amam por toda a vida, até que a morte nos separe.
Separe deste mundo, pois vamos nos unir a Ele, em alegria eterna.

Para os momentos importantes, portanto, coincidências podem até chamar a atenção. Mas é a convergência para a fé que pode, de fato, preencher o coração.

sexta-feira, outubro 10, 2008

Direção

“Para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve.“

Lewis Caroll

Sinais

Algumas pessoas a gente conhece só pelo jeito de caminhar. Basta ouvir o barulho dos sapatos no corredor e já sabemos quem está se aproximando. Outras, pelo jeito que abrem e fecham a porta da casa ou do escritório. Na escrita, o estilo de determinados textos, antes mesmo de conferirmos seu nome, já nos denuncia seu autor. Alguns amigos jamais conseguem nos enganar ou fazer uma surpresa, pois de longe reconhecemos o seu jeito de agir e o jeito de (não) esconder o que estão tramando.

Sinais idenfificam, anunciam, antecipam.
Mas desde que seja alguém a quem conhecemos muito bem

Há outra Pessoa que também reconhecemos por sinais. Mutos deles. Quando sobra força mesmo quando falta coragem. Quando a fé não desmonta mesmo quando tudo parece desabar. Receber um abraço, uma notícia, ou ao menos um recado quando a solidão parecia não permitir mais nenhum contato. Ter para onde olhar mesmo em meio à escuridão. Quando precebemos que há vida nos momentos em que as esperanças parecem morrer.

Desde que Ele seja alguém a quem conheçamos muito bem.

Porque então também Sua aproximação, presença e permanência podemos perceber, antecipar e saber pelos sinais. A fé nos faz conhecer a Jesus e, ao termos esta proximidade, já sabemos que Ele está por perto. Pelos gestos, pela ajuda, pela maneira de Ele agir. Você pode estar dentro do buraco, no fundo do poço, remando na tempestade. Ou deitado ao sol. Se prestar atenção, vai saber que Ele está perto, pronto para agir. Pronto para se importar. Sempre para nos fazer crer e continuar a andar.

Algumas pessoas, de fato, podemos reconhecer por alguns sinais.
Deus, por todos.

quinta-feira, outubro 09, 2008

Honra

“Uma honra não é diminuída por ser compartilhada.”

Lois McMaster Bujold

Profundidade horizontal

Na aula de ontem o professor Nunes explicava a diferença entre notícia e reportagem. Pela definição, notícia trabalha o fato em si e mais alguns fatores periféricos, mas sempre ligados ao evento principal. Já a reportagem acrescenta o elemento profundidade, indo buscar outras conexões cada vez mais distantes do fato, mas tendo ainda algum vínculo com ele.

Mas, destacou nosso professor, a profundidade aqui não é pra baixo, “para o fundo”, como poderíamos pensar. Ela é horizontal. Para os lados. A reportagem meio que ‘se alastra’, indo cada vez mais longe buscar elementos conectados ao tema em questão.

Por exemplo, quando há um terremoto. A notícia vai tratar do que, quem, quando, como, onde e por que, e mais alguns fatores periféricos da mesma notícia, como as famílias envolvidas, as crianças que estavam na escola, cidades mais distantes que sentiram o abalo, etc.
Já a reportagem aprofunda o tema para os lados, indo atrás do histórico de outros terremotos, como é feita a medição de um abalo sísmico, quais os fatores que podem gerar um tremor de terra, o que fazer em situações como esta, e assim por diante.

Profundidade horizontal.

Partindo desta definição, as grandes e boas notícias de Deus para nossa vida não querem ser apenas notícia; querem virar reportagem. Pois a profundidade do Seu amor não apenas vai fundo em nosso coração, mas também se alastra, vai mais longe. Faz novas conexões. Ele quer chegar às pessoas. E isto inclui a nós, repórteres deste fato maravilhoso, que temos em mãos a partir da fé todos os elementos para construir esta bela reportagem de vida, na vida e para a vida. Nossa, e daqueles que nos cercam.

E olha que não é preciso muito para uma notícia assim se alastrar. Há tantas pessoas que, abaladas em suas vidas, anseiam por uma materia de conteúdo, que lhes traga sustentação e amparo. Em Jesus Cristo temos não apenas o conhecimento de um fato, mas suas relações e conexões, para que nos leve sempre ao viver com alegria e vigor. Uma notícia que leva horizonte profundo e preciso para a vida de muitos. Inclusive a nossa.

Reportar é aprofundar horizontalmente. Viver com Deus, portanto, é ser repórter da Boa Notícia que a vida se encarrega de ilustrar.
.

40.000



Mais uma marca atingida graças à sua visita.

Obrigado!



Amigos


“A vida escolhe seus relacionamentos. Mas você escolhe seus amigos.”

Jacques Delille

Para cima

Clique e ouça a mensagem de hoje


Alguns estabelecimentos comerciais já estão utilizando esta estratégia para comunicarem-se com possíveis clientes: colam os anúncios, ofertas e promoções na calçada em frente à loja. Imagino que a idéia por trás desta idéia é que, uma vez que grande parte das pessoas caminha olhando para baixo na maior parte do tempo, funciona mais utilizar o chão do que investir na placa pra chamar a atenção.

É uma constatação um tanto triste esta, ao menos em minha opinião, Caminhamos demais de cabeça baixa, sem enxergar muito do horizonte e também sem ver muitas das faces nas ruas. Pode ser sinal de que estamos evitando os tropeços. Mas pode ser sintoma de cansaço, vazio, desesperança, desilusão.

“Busquem as coisas lá do alto, onde Cristo está”. Este conselho do autor bíblico Paulo, em uma de suas cartas do Novo Testamento, oferece uma postura diferente quando nossos olhos se sentem muito atraídos pelo chão. Porque se nossa alma anseia pelo produto que nos preencha o vazio, é do alto que pode vir a melhor oferta de carinho e ajuda, o melhor anúncio de presença, a melhor promoção de cuidado e atenção.
De Deus recebemos o estimulo para seguirmos caminhando, ainda que muitas vezes olhando para baixo. Mas sem cuidar demais quantos frisos tem a calçada ou quantos papeis estão jogados pelo chão. Talvez seja mais interessante olhar em frente e perceber quantos rostos nos cercam, quantas oportunidades estão mais adiante. Quantas esquinas ainda podem nos trazer novidades ou quantas ruas vão mudar nosso andar.
Ou ainda notar como o céu costuma ser bonito e como as nuvens podem inspirar a reflexão.

Olhar para baixo, portanto, pode até ajudar a não tropeçar. Mas olhando para cima, seguimos seguros em frente, sabendo que dificilmente vamos parar de caminhar.

terça-feira, outubro 07, 2008

Aprendizado


“Há algumas coisas que você aprende melhor na calmaria.
Outras, na tempestade.”


Willa Cather

Confiança




Parece não haver dúvida de que o fundamento do mercado financeiro é algo palpável e concreto: dinheiro. Sendo assim, tão visível e certo, transmite maior segurança e tranqüilidade. O complemento criado para a frase “dinheiro não traz felicidade, manda buscar” parece sedimentar esta convicção.

Bem, talvez nem tanto. Hoje pela manhã, uma comentarista de economia afirmou, sem medo de errar, que toda esta crise está acontecendo pela perda do maior capital do sistema financeiro: confiança.

O mercado financeiro funciona na base da confiança!
Quem diria?... Tantos papéis, notas, títulos palpáveis. Tudo parece tão concreto, direto, pragmático. E de repente a verdade de que, sem confiança, toda a economia mundial está no caminho de falhar.

A grande noticia é que você e eu, todos os que confiamos plenamente em nosso Deus, entregamos nossas vidas em Suas mãos, sabemos que bens materiais não são garantia de felicidade e que a confiança Nele nos faz superar qualquer crise, estamos todos nós absolutamente certos! Não há bem mais importante – nem para o mercado financeiro – do que confiar! Neste caso, confiar de que nas mãos de Deus estamos seguros e que junto a Ele temos conforto e consolo para qualquer situação.

Com uma vantagem fundamental sobre dinheiro, bens e qualquer outro ambiente em que a confiança humana, frágil e volátil esteja envolvida: a confiança em Deus nunca falha. Por isso, liquidez de fé e amor jamais vão faltar em nossa ‘bolsa’ interna. Crises podem abater e derrubar muitos mercados. Podem viajar o mundo todo. Mas não vão deixar exposto um local especifico: nosso coração.

O mercado financeiro é palpável, mas não é seguro. A fé em Deus não é palpável, mas é extremamente segura. Uma constatação que nos dá a indicativa de onde nossa confiança última pode se firmar.

segunda-feira, outubro 06, 2008

Religião


“Quanto eu li a respeito dos perigos de ser vinculado a uma religião... parei de ler.”

Adaptado de uma citação Henny Youngman

Manchetes


Em tempos como estes, as manchetes nos assustam. Os temas que elas abordam podem gerar um certo medo do futuro. Crise na economia. Queda nas bolsas. Dinheiro escasso. Futuro incerto.

Sejam elas escritas, faladas ou até as que ‘ouvimos falar’. Aliás, estas normalmente são as mais populares. “Você ouviu falar que vai ser uma quebradeira geral?” “Ouvi dizer que o salário não vai sair”. “Olha, pelo que ouvi dizer, a coisa vai ficar feia”. “Pelo que se ouve por aí, não vai ser nada fácil”.

Dá pra ficar preocupado, de fato, em face de crises como esta. E tantas outras. Afinal, não sabemos do futuro, não alcançamos o passado e temos dificuldades para controlar nosso presente. O medo e a preocupação, portanto, acabam sendo companhias de muitas horas. Para alguns, de todas.

Mas, se nos deixamos abalar demais pelas chamadas do momento, o problema está em esquecermos de que já conhecemos a principal característica das manchetes: elas vão embora. Terminam. Evaporam. São substituídas por outras. Caem para a nota de rodapé. Se nossa memória nos ajudar, foram inúmeras as que passaram por nossos olhos e ouvidos, deram adeus, e aqui estamos nós, seguindo nossas vidas. Arranhados muitas vezes, machucados em outras, mas vivendo, ou sobrevivendo, e seguindo olhando para cima e para frente.

Esta é a hora de tirar do rodapé e trazer para a chamada principal o que Deus nos ‘mancheteia‘ e informa já há muito tempo. Sou sempre o mesmo. Eu darei ordens aos meus anjos a teu respeito para que te guardem. Eu estou contigo por onde quer que andares. Até o fim de teus dias eu te carregarei em meus braços.
As Suas palavras não são apenas de se ‘ouvir dizer’ - estão registradas nas páginas da Bíblia. Farol seguro para qualquer navegação, sinal sempre forte que garante cobertura em qualquer região. O lastro onde nossas ações repousam seguras. A âncora que impede crise alguma de nos arrastar. Vale a pena permanecer nesta fé.

Pois as manchetes vão diminuir. Sempre diminuem. E passam.

Deus, não.

sexta-feira, outubro 03, 2008

Cura


“A verdade, como a cirurgia, pode doer. Mas cura.”


Hab Suyin

Ações


A especulação nas Bolsas de valores podem fazer com que ações que não valeriam nada em termos absolutos, recebam um valor elevadíssmo, sem se saber ao certo onde estão lastreadas. Por isso, diariamente, mlhares de pessoas preocupam-se com o valor das ações no mercado. E também milhões sofrem indiretamente o efeito delas.

São papéis de altíssimo risco. Do dia da noite, podem também ficar “podres”, como recentemente presenciamos. Ações que valiam milhões num dia, dali a pouco transformaram-se em mero papel, sem valor algum na mão de ninguém.

Estas são as ações que nos deixam inseguros e apreensivos. Mas há ações que dão segurança ao nosso viver. As de Deus. Especialmente a grande ação de Jesus Cristo, pois é uma ação tomada na direção do ser humano que mudou a história, mudou vida, e continua mudando.. A fé Nele nos dá valor.

Ações que limpam nosso coração dos papéis podres, que só nos prejudicam, desestabilizam e nos levam o que temos de mais precioso. Não são mera especulação, pois estão lastreadas no Amor, capital mais confiável do mundo. E, ao invés de serem adquiridas, são recebidas gratuitamente por todos os que vivem na fé.

Esta ‘empresa de Deus’ não é limtada, não. Tem capital aberto. Todo ser humano pode tornar-se acionista e desfrutar do seu valor incalculável.

Mas não é sociedade anônima. Pois quem detém estas ações não consegue esconder os efeitos em sua vida.

Axis

A father and son were in the car making their way to school. A large truck drove right beside them heading on its way. Looking at the big vehicle in admiration, the boy noticed the number of wheels.
-Dad, look at the number of tires this truck has in the back. Two axis with four wheels each!
Glancing quickly at the truck, the father replied,
-That’s right, son. And do you know why?
-No, dad.
-Because trucks usually carry a ton of weight. And the bigger the weight, the bigger the support they need to move.

There is one thing we can apply this to our lives.

Maybe some would do it in a negative way by saying that life adds tons of weight onto our back. So we need more and more axis and wheels to keep going. Otherwise life will be too hard.

I would rather a positive one. We can’t help having loads on our back. That’s life, that’s world. That’s sinful world. Then, as we move in life, God gives us axis, wheels, tires, and more and more ability to support the load on us. This ability we used to call experience. Yet every load we carry is a result from faith which is given for us to bear everything on. And we know there are always such things. Without having a strong axis and carts there will always be loads and weights that we can’t bear. Our Lord always supports us giving us just what we need to carry the load.

Another interesting point: if you notice trucks on the road sometimes some of the tires are not touching the ground because that specific load does not demand them to. But anytime they are needed they are ready to hold the load. Neither do we always have only heavy loads to carry. Jesus, the central axis of our life gives us also rest and renewal. When we need them there are: calibrated tires, trustworthy wheels and a strong axis that give us our speed safe and appropriate support.

Still, it’s important to emphasize that this support is for any amount of weight. Any. For our God has promised we’ll never have a burden we cannot carry. Which means that in Him we’ll always have the right axis to depend on.

Termóstato

De algún modo, todo ambiente tiene una temperatura. Trabajo, familia, estudio, tiene cierto "clima emocional" predominante. Que sueles ser en estos lugares: ¿termómetro o termóstato?

Termómetros solamente miden la temperatura.
Personas termómetro saben medir la temperatura del ambiente. Y con precisión. Ven lo que ocurre y saben identificar lo que pasa. Reconocen si la temperatura del ambiente emocional está calentando o se enfriando. Algunas hasta son especialistas en ver todos los defectos del sistema, pudiendo enumerar uno a uno, caso solicitadas. O no.

Tan sólo miden la temperatura.

Termóstatos influencian en la temperatura.
Personas termostato modifican el clima del ambiente. Ellas son personas termómetro también, pero con algo más. No leen solamente la temperatura, mas saben lo que hacer con el resultado. Actúan, trabajan para intentar ayudar en el clima ideal para el ambiente y momento. A veces las cosas estás calentando, precisan ser resfriadas. A veces, están demasiado frías, necesitando de una calentada. La búsqueda es por la temperatura mas próxima del ideal, que deje el ambiente humanizado.
Influencian en la temperatura.

De hecho, todos nosotros tenemos un poco de termómetro. Pero no necesitamos nos contentar tan sólo con eso. Podemos ser “termóstatos” actuando, movidos por la fe en Dios, centrados en bases cristianas, para influenciar el ambiente donde estamos. Ayudar a criar el clima adecuado para que predominen la fe, el respecto, el cariño, la consideración, el incentivo, y tantos otros elementos que componen una temperatura ideal para cualquiera ambiente. No obstante, la fe en Jesús es un óptimo modelo. Ella es termóstato, pues influencia el mundo por intermedio del amor. Y estas acciones en amor son el termómetro de lo que ocurre en nuestro corazón.

¿Como está la temperatura ahí en tu ambiente, ahora?

quinta-feira, outubro 02, 2008

Placas e aplicações

As placas de trânsito, além de fundamentais para organização das ruas e estradas, podem também servir de boa ilustração de verdades para a fé e vida.

Foi o que fez professora Vaneska, da Escola Ulbra São Marcos, com seus alunos de ensino religioso. Veja algumas das boas idéias que surgiram da atividade intitulada “Sinais de trânsito-nossas atitudes – vontade de Deus”.

PARE com as más ações.
CUIDADO E ATENÇÃO para não se perder do Senhor.
LIVRE para espalhar a palavra de Deus.

(Sara - 6ª Série)


Não tente passar a frente. Ninguém é melhor do que ninguém. Deus nos fez assim. Ficar aonde o amor está já é estar na frente.

(Luiza Melo - 6ª Série)

Está cansado, então se alimente da Palavra.

(Rafael dos Santos Alves - 7ª Série)


Construa amizades. Construa uma vida com Deus. Construa o amor com as pessoas e o mundo.

(Wagner Lobo - 7ª Série)


Proibido estacionar no caminho dos maus costumes.

(Gabriel - 8ª Série)


Caminhe com segurança, mas sempre Deus guiando seus passos.

(Richard - 8ª Série)


Deus pode dar voltas e voltas no seu caminho mas sempre pensando no seu bem,

(Camila - 8ª Série)


Cuide bem de seus familiares.

(Luiza Ribeiro - 5ª Série)


Vá reto no caminho de Deus.

(Julian - 5ª Série)


Ajude os amigos.

(Théo - 5ª Série)


Proibido brigar com o colega.

(Alexandre - 5ª Série)



Boas ilustrações para as ótimas orientações que recebemos Dele para jamais sairmos do Caminho.



Confira mais idéias dos alunos no blog da professora.

Opiniões

“Seja cuidadoso sobre quais as pessoas que você vai deixar que digam o que é bom pra você.”

Lois Bujold

Estradas e escolhas

Para chegarmos a Gramado no fim-de-semana passado, a Djenane e eu tinhamos duas opções. Quando se sai de Porto Alegre via BR-116 rumo à serra gaúcha, os dois principais caminhos são: via RS 239, passando, entre outras cidades, por Campo Bom, Taquara e Três Coroas. Ou continuar pela 116, via Nova Petrópolis.

Escolhemos uma delas, na nossa opinão, a mais bonita. E a viagem de fato foi bela, tanto de ida como de volta, ainda mais com tardes ensolaradas.
Mas podia não ter sido assim. Justamente o caminho que escolhemos poderia ter nos trazido problemas, dor de cabeça, frustração ou até algo mais grave. Afinal, sabemos pela realidade de nosso trânsito que estrada soa muito parecido com estrago.

Estradas e escolhas.

Escolhemos caminhos na vida. Alguns deles bem mais cruciais do que uma saída de fim-de-semana. Sejam duas ou várias alternativas, a escolha está ali, à nossa espera. E, não bastasse a dúvida, também a angústia e incerteza pegam uma carona. “Vai dar certo? Vou conseguir superar? Esto na estrada certa? Vou ter forças até o fim?”

Por isso, não só a alternativa é importante. Onde ela vai nos levar, também. No caso do nosso passeio, qualquer dos dois caminhos, com suas alegrias e dificuldades, teria nos levado à cidade desejada..Bastava não nos desviar dele.
Olhar para Cristo em nosso caminho dá o norte e o ponto de chegada de que precisamos para nos ajudar a decidir e nos fazer confiar. Quando seguimos nesta direção, o caminho até pode ter muitas dificuldades. Mas Aquele que nos orienta e nos da força é maior do que qualquer uma delas.

Sim, sempre que escolhemos, podemos errar. E vamos errar. Outras vão nos trazer resultados surpreendentes. O principal é seguir confiando, sem desviar da estrada. Colocando a fé na certeza de que tudo o que acontece está diante de Seu olhar e cuidar. Por mais inconstante que o futuro pareça diante dos olhos, em ultima análise quem dirige nossas escolhas porque conhece o que vem pela frente é o nosso Pai. Vivendo neste Caminho, sempre chegamos ao lugar certo - perto de Deus.

E a vista para a vida a partir deste lugar seguro, não há dúvida, nem as belas paisagens da serra gaúcha conseguem superar.