Sinais

Algumas pessoas a gente conhece só pelo jeito de caminhar. Basta ouvir o barulho dos sapatos no corredor e já sabemos quem está se aproximando. Outras, pelo jeito que abrem e fecham a porta da casa ou do escritório. Na escrita, o estilo de determinados textos, antes mesmo de conferirmos seu nome, já nos denuncia seu autor. Alguns amigos jamais conseguem nos enganar ou fazer uma surpresa, pois de longe reconhecemos o seu jeito de agir e o jeito de (não) esconder o que estão tramando.

Sinais idenfificam, anunciam, antecipam.
Mas desde que seja alguém a quem conhecemos muito bem

Há outra Pessoa que também reconhecemos por sinais. Mutos deles. Quando sobra força mesmo quando falta coragem. Quando a fé não desmonta mesmo quando tudo parece desabar. Receber um abraço, uma notícia, ou ao menos um recado quando a solidão parecia não permitir mais nenhum contato. Ter para onde olhar mesmo em meio à escuridão. Quando precebemos que há vida nos momentos em que as esperanças parecem morrer.

Desde que Ele seja alguém a quem conheçamos muito bem.

Porque então também Sua aproximação, presença e permanência podemos perceber, antecipar e saber pelos sinais. A fé nos faz conhecer a Jesus e, ao termos esta proximidade, já sabemos que Ele está por perto. Pelos gestos, pela ajuda, pela maneira de Ele agir. Você pode estar dentro do buraco, no fundo do poço, remando na tempestade. Ou deitado ao sol. Se prestar atenção, vai saber que Ele está perto, pronto para agir. Pronto para se importar. Sempre para nos fazer crer e continuar a andar.

Algumas pessoas, de fato, podemos reconhecer por alguns sinais.
Deus, por todos.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida