terça-feira, março 31, 2009

frase

“Puritanismo: o medo assustador de que alguém, em algum lugar, pode estar feliz”.

H.L. Mencken

O nome

Ouça a mensagem de hoje

Este é o Toque de Vida, produto da Pastoral da Canoas, e que também vai ao ar na Canoas TV diariamente. Agora, aos também aos domingos na Pop Rock, a rádio da Canoas. Um trabalho da Canoas que chega a mais de 700 pessoas em vários lugares do Brasil e do mundo. Algumas delas são colegas do Canoas Saúde e Canoas Esporte. Outros, que conheceram a Canoas via internet, em diversos pontos do país.

Nâo conseguiu entender muito bem o primeiro parágrafo? Sei, ficou confuso. Releia então trocando ‘Canoas’ por ‘Ulbra’ e tudo ficará mais claro.

Ter o nome ignorado, trocado por uma referência genérica, inventada e por interesse financeiro, não deve ser uma sensação das mais agradáveis. Seria como se você passasse a ser chamado oficialmente pelo nome da cidade em que nasceu, a empresa onde trabalha ou a linha de ônibus que pega. Já pensou que nome legal, “Boqueirão”, “Santa Candida-Capão Raso’, “174”?

Se a idéia de inventar um nome genérico acontece na televisão - como está acontecendo com o time de futebol da Ulbra, por uma televisão do Rio de Janeiro e afiliadas - na vida real, sabemos que o nome é pessoal e intransferível. É o maior patrimônio que temos. O nome, podemos dizer, é a pessoa. Não há porque mudá-lo ou ignorá-lo. Omitir o nome ou trocá-lo por fórmulas genéricas significa desrespeito, desprezo e arrogância. Especialmente quando se tratar de pessoas, jóias raras da criação de Deus..

Deus, que mostrou a importância do nome ao revelar-se como “Eu sou o que sou”, não troca nosso nome por nada. Ele se revela em Seu nome e em Seus atos para deixar clara Sua essência – amor e perdão. E para nos dar a garantia de que, pela fé, nosso nome jamais será trocado, esquecido ou mudado. É o maior patrimônio que temos, que nos dá identidade e valor. E nos coloca no Caminho que tem nome certo.

Isto é amor, valorização e respeito com nome e sobrenome.

segunda-feira, março 30, 2009

Verdade

“O que você não vê com seus olhos, não invente com sua boca”.

Provérbio judaico

toques de bolso

Sugestões para construir um toque de vida personalizado.


Olhe para a flor e pense em sua raiz.
Ande pelo trânsito e imagine-o sem sinais
Ouça uma opinião e tente ler qual a história que a sustenta.
Almoce pensando no trabalho de acertar o tempero.
Imagine precisar escrever um email sem ter um teclado.
Visualize um dia inteiro com uma pedra incomodando o calcanhar.
Imagine ter um celular e não ter para quem ligar.
Imagine ter um celular e não ter de quem receber ligações.
Imagine caminhar na praia sem conseguir ouvir o barulho do mar.
Um notebook e conexão sem fio sem bateria para poder utilizar.
Tente ver a manhã de amanhã com o sol nascendo cinza.
Querer experimentar uma nova comida e estar sem paladar.
Pense em sua cadeira sem uma das pernas que a sustenta.
Começar o dia querendo ir, mas notando que precisa parar.


Deus esconde toques de vida até em lugares e momentos inusitados do nosso dia; E os revela também, por meio da fé. Espécie de ‘toques de bolso’. mas que na verdade, são melhores guardados quando no coração.

CaFé Break

“CAFÉ BREAK ESTREIA COM VAGAS ESGOTADAS

A estreia do CaFé Break, momento de prática de inglês e conversação sobre temas de fé e vida, ocorreu no dia 25 de março e preencheu as 15 vagas disponíveis. Sob a condução do professor e teólogo americano Paul Lantz, a conversação fluiu de forma agradável e interativa. Com um trecho do filme Sinais, Lantz conduziu o momento e, aos poucos, os alunos foram se soltando e colocando seu vocabulário para funcionar.

O CaFé Break vai acontecer todas as quartas-feiras das 18h às 19h, até o final de junho, na Capela Universitária do campus Canoas. As vagas para a turma das 18h, entretanto, já se esgotaram. Está aberta uma lista de espera para, caso haja mais interessados, formação de uma nova turma, das19h30 às 20h30, também nas quartas-feiras. Você pode se inscrever ou pedir mais informações através do telefone (51) 3477.9282 ou pelo e-mail pastoral@ulbra.br.”

Fonte: ACS/Ulbra
http://acs.ulbra.br/bdu/?q=noticia&ID=0091&noticia=0877


Diferença

No Brasil


Coloque uma criança para auxiliar em serviços domésticos. Você pode acabar se incomodando com o Conselho Tutelar.
Coloque um jovem menor de 16 anos para trabalhar. Você pode acabar recebendo repreensão do governo ou da justiça.

Coloque uma menina de 6 anos para trabalhar na TV. Ela acaba
recebendo um troféu.

sexta-feira, março 27, 2009

“Não é que eu tenha falhado. Apenas descobri 10.000 jeitos que não funcionam.”

atribuído a Thomas Edison

Hora do Planeta


Escreve a Leitora Daniele Altenhofen:

“Pastor Lucas
Venho através deste solicitar a sua colaboração para divulgação da Hora do Planeta em suas mensagens. Trata-se de uma campanha contra o aquecimento global que implica no apagar das luzes por cerca de 60 minutos no dia 28 de março, às 20:30.
Mais informações através do site:
http://www.horadoplaneta.org.br/. Porto alegre e diversos municípios da redondeza estão aderindo ao ato.
É só informar pelo site que eles divulgam quem esta aderindo.
att.
Daniele Altenhofen“

Está dado o recado. É amanhã 8 e meia da noite.

o que é certo

por Paulo Albrecht


Voltei para casa no mesmo horário da saída da escola pela manhã. Peguei o ônibus com muitas crianças e estava aquele converseiro comum quando muitas delas estão reunidas, com uns gritos aqui e acolá. Contudo, no meio disso tudo, a atitude de dois meninos que estavam na janela me chamou a atenção. Eles estavam cuspindo para fora do ônibus, nos transeuntes que passavam na calçada. Ao ver aquela situação, indignado, pensei: “Será que estas crianças não têm pais? O que será que eles ensinam para elas?”

Daí então eu me dei conta que nós também muitas vezes agimos como se não tivéssemos Pai. Por esquecermos que temos um Pai Celeste, nos comportamos de uma maneira bastante inadequada: egoísta, inconsequente e fria. Agimos sem amor e sem consideração por aqueles que passam na nossa vida. Talvez não cuspamos neles, mas atitudes como indiferença, cobrança excessiva e falta de consideração os humilhem mais do que um cuspe.

Não é raro jovens e crianças se comportarem de uma maneira diferente do que se estivessem sozinhos. É a tal pressão do grupo, quando é preciso agir de uma maneira aceitável para pertencer ao mesmo. Nessas horas pode-se vir a esquecer toda boa educação que se recebeu em casa e a consideração pelas outras pessoas e pelo o que é público.

Estar em grupo pode fazer também nós esquecermos do nosso Pai Celeste que nos ensina a amar ao próximo como a nós mesmos. Pressões externas podem nos fazer agir de uma forma que não agiríamos normalmente, de uma forma a prejudicar a nós mesmos e às outras pessoas. Talvez de maneiras diferentes e não tão ofensivas quanto a daqueles estudantes, mas que assim mesmo machucam – até mesmo a quem mais amamos.

Todavia, o bom é saber que caso não tenhamos aprendido bem ou esquecido o que aprendemos, podemos correr de volta ao nosso Pai, que ele está disposto a perdoar os nossos erros e a nos ensinar novamente! Então quem nos observa poderá pensar: “Este tem um Pai! Ele sabe o que é certo!”



Rev. Paulo Samuel Albrecht
Pastor da Comunidade Luterana ‘Cristo Redentor’
Rio de Janeiro, RJ
www.igreja-cristoredentor.org.br

do Rio

Toque por email de hoje direto do Rio de Janeiro, RJ.

Em instantes,

Hoje

Fonte da imagem

As teclas de um piano nunca estão perfeitamente afinadas... Como o som fica bom?
No Toque de VIda de hoje na Ulbra TV.

quinta-feira, março 26, 2009

tentar

Nunca saberemos como poderia ser se desistirmos de tentar fazer.

na pele

Pronto. Agora eu sou um dos responsáveis pela crise, segundo o presidente do Brasil. Em entrevista a respeito dos responsáveis pela catástrofe financeira que assola o mundo, ele declarou: “É uma crise causada e fomentada por comportamentos irracionais de gente branca de olhos azuis que, antes da crise, parecia que sabiam tudo e agora demonstram que não sabiam nada", conforme o portal Terra.

Que coisa. E eu achando que problemas eram causados por comportamentos irracionais e sentimentos humanos tais como egoistmo, ganância, individualismo, desinteresse, falta de compaixão. E eu achando que este tipo de sentimento acometia as pessoas sem perguntar a cor dos olhos, da pele, a posição social ou o restaurante que frequenta.

Mas não. A causa está na pele. Os vilões do mundo são os brancos de olhos azuis. Como eu, que pareço saber tudo e agora demonstro que não sei nada.

Sou um deles. Sintam-se à vontade, portanto, para mandar emails me xingando, condenando e exigindo que eu dê alguma solução.

Como é mais fácil quando conseguirmos identificar um culpado e dezenas de vítimas, não? Tudo se resolve, tudo se ajeita e mundo pode respirar aliviado.
Ou não.

Quanto à crise financeira, bem, eu discordo do presidente. Homens e mulheres de todas as cores trafegam pelos corredores das decisões. Por exemplo, alguns dos homens mais ricos de muitos países e que têm poder de ação contra a crise, não parecem ser brancos de olhos azuis. Como os presidentes da Venezuela, da Bolívia, dos Estados Unidos, de Israel, do Brasil. Os lideres da China, Japão, Palestina ou Irã aparentemente também não encaixam nesta descrição. E todos eles, pela posição que ocupam, tem ao menos um pouco a mais de possibilidades do que cidadãos comuns, sejam brancos, olhos verdes, pele amarela ou corações cansados.

Sobre a verdadeira crise que precisa ser resolvida, aquela que provoca as outra crises, ela nasce no coração humano. E a luz de esperança está Naquele que conhecemos como branco de olhos azuis, mas que, na verdade, deveria ser retratado como o judeu de olhos escuros e pele morena. Neste líder que não acusou, mas serviu e amou, é possivel encontrar caminhos que vão à raiz da crise, e não ataques simplificadores contra galhos e folhas. Ele assumiu pele humana porque queria mudar o nosso jeito de olhar. E de viver. E de respeitar o próximo.

É uma pena ouvir palavras discriminatórias da boca de um presidente de um país. Mas é uma grande alegria poder estar junto Daquele que tem o mundo sob os Seus olhos e sobre a palma de Suas mãos. Ambos incolores.

quarta-feira, março 25, 2009

alimentar-se


“Sentar-se à mesa não faz de você alguém que janta. A não ser que você relcoma o que está em seu prato.
Sentar-se em um banco da Igreja não faz de você um cristão”.

(adaptado de uma citação de Malcolm X)

Medo e Grace

Viver sob a ira impiedosa do medo pode ser quase enlouquecedor.

Uma moça de 29 anos deu à luz um bebê dentro do banheiro de um avião e depois o jogou no lixo. Uma das funcionárias da empresa, ao fazer a limpeza, percebeu o bracinho erguido em um saco de lixo azul. Não fosse por isso, a criança teria o destino que a mãe tinha intencionado. Grace é o nome da menina que não sofreu danos significativos ou que a afetem permanentemente. A ‘mãe’ já foi identificada e, se condenada, pode pegar até 7 anos de prisão. O fato aconteceu quando esta moça voltava de Samoa para a Nova Zelândia,
conta o site da CNN.

Segundo Su'a William Sio, advogada de origem samoana, esta mulher chegou a este ponto basicamente pelo estigma cultural e pelo medo. Medo da discriminação entre seu povo por ter um filho fora do casamento. Medo da punição por ter cometido o erro de ser uma mãe não casada. O medo foi maior até mesmo que o instinto materno e a consideraçao pela vida.
Enloquecedor.

Se às vezes o medo paralisa, outras pode nos levar a consequências extremas. A que ponto uma carga cultural de não perdão, mas de condenação, pode afetar a vida de um ser humano! E isto não apenas em algum ponto da Oceania, mas em qualquer lugar do mundo.

Lei e a cultura podem ser boas, mas quando pesadas demais, quebram nossa estrutura. O perdão sim, este alivia, levanta, fortalece. Retira a culpa e o medo, e recoloca a fé e a confiança prontas para o recomeço. Auxilia a novos voos e facilita o retorno aos braços do Pai.

Por fim, a policia local declarou: “O destino salvou a pequena Grace de ser jogada no lixo’.Um pequeno engano dos oficiais neo-zelandeses.

Pois não há dúvida de que foi a grande Grace(graça), a de Deus, que estava em ação.

terça-feira, março 24, 2009

Mudança

“Não há nada como retornar a um lugar que está do mesmo jeito de sempre para descobrir o quanto você mesmo mudou”.

Nelson Mandela

Três perguntas


Existe um método conciso e eficaz para descobrir bastante a respeito das coisas. Três perguntas fundamentais que podem revelar mais do que nos damos conta:
_O que é?
_O que significa?
_Para que serve?

Perguntas triviais, mas que muito bem poderiam ser ferramentas básicas do intelecto e do coração, que ajudariam a reposicionar muitos de nossos assuntos, objetivos e ocupações cotidianas. Uma trinca para aplicar a determinados pedregulhos que insisitem em ocupar espaço no tempo de que dispomos poderia ajudar e enxergar melhor.

Por exemplo:
_Televisão
_Alta velocidade
_internet
_ostentação
_(acrescente seu item)

Ou ainda outros itens do dia-a-dia:
_inveja
_ressentimento
_vingança
_agressão
?

Muitos deles talvez passariam bem pelas duas primeiras perguntas. Mas a terceira seria fatal para inúmeros trastes que insistem em trancar nossas tentativas de uma vida menos trivial e mais objetiva naquilo de que precisamos.

Para isso, uma boa indicativa é recorrer àquilo que consegue passar pelas três perguntas com excelentes respostas:
_compreensão
_serviço ao outro
_disciplina
_conhecimento;
_fé;
(acrescente seu item)

É o que Aquele que é Tri, mas é também um só, nos recomenda, aponta e orienta.

Ele que, como ninguém, preenche perfeitamente não só estas três perguntas, como também todo o nosso ser.

segunda-feira, março 23, 2009

A fé nos miolos

por Marcos Schmidt

Agora os cientistas descobriram a maneira como o cérebro ativa a fé religiosa. Isto quer dizer que a fé tem lugar específico nos miolos. Mas, o que me interessou na notícia foi uma frase que li: “Apesar de não ser possível comprovar a existência ou a ausência de Deus, o grupo de cientistas descobriu que se pode analisar a atividade cerebral desencadeada pelas crenças religiosas”. Só mesmo uma pessoa sem o uso completo do cérebro para dizer tal insensatez, de que não é possível comprovar a existência ou ausência de Deus.

Nas férias li o livro “Um ateu garante: Deus existe”. A obra, de famoso filósofo inglês, traz interessantes argumentos sobre a impossibilidade de não existir um supremo criador. Considerado o principal filósofo dos últimos cem anos, Antony Flew defendeu o ateísmo por mais de meio século - uma convicção que abraçou aos 15 anos, mesmo sendo filho de pastor. Por isto a surpresa quando em 2004 a mídia divulgou que ele havia mudado de idéia. No livro, o ex-ateu argumenta: “Minha jornada para a descoberta do Divino tem sido, até aqui, uma peregrinação da razão. Segui o argumento até onde ele me levou, e ele me levou a aceitar a existência de um Ser auto-existente, imutável, imaterial, onipotente e onisciente”.

A Bíblia diz que fé é uma obra divina e não humana (Efésios 2.8). Mas, o que dizer então desta experiência na massa cinzenta do filósofo, e agora desta pesquisa? Na verdade, não é fé, mas conclusões lógicas. E é neste ponto que o livro interessa na discussão com o ateísmo que se agarra nas saias da Ciência e sob o manto do darwinismo, para proclamar: Deus não existe e tudo surgiu do nada. Delírio, loucura, insensatez? Quem sofre deste mal? Davi dispara que irracionais são aqueles que dizem em seu coração: “Não há Deus” (Salmo 53.1). Paulo adverte que tais céticos não têm desculpa nenhuma, pois “desde que Deus criou o mundo, as qualidades invisíveis dele, isto é, o seu poder eterno e a sua natureza divina, têm sido vistas claramente” (Romanos 1.20). Ou, nas conclusões de Flew: “Minha descoberta do Divino tem sido uma peregrinação da razão e não da fé”.

Creio que os sofisticados telescópios e microscópios não estão aí por acaso – igual ao surgimento do mundo na concepção evolucionista. É uma chance do Criador. Mas, até aqui – esta fé cerebral de que existe um ser superior – isto os próprios demônios têm, e por isto tremem as canelinhas (Tiago 2.19).

E se fé é uma coisa que se vive, Jesus tem uma palavrinhas aos crentes: Se nesta época de incredulidade e maldade um cristão tiver vergonha dos meus ensinamentos, eu terei vergonha desta pessoa quando vier na glória de meu Pai – para exigir os direitos autorais (Marcos 8.38). Penso que nem é preciso de fé para dizer: “Creio em Deus Pai todo-poderoso, Criador do céu e da Terra” – porque isto a Ciência confirma. Agora, afirmar: “Creio em Jesus Cristo, seu único Filho...”, isto não vem dos miolos, vem de cima e mora no coração.

Postagem original


Rev. Marcos Schmidt
Comunidade Luterana 'São Paulo', Novo Hamburgo, RS

marsch@terra.com.br

sexta-feira, março 20, 2009

sobre esperteza

“A esperteza serve para tudo e não é suficiente para nada.”

(Henri-Frédéric Amiel)

o quê esperar

Relato de uma leitora.
“Outro dia, na ida para o trabalho, meu carro parou de funcionar e, pelos sintomas, eu imaginei que a gasolina havia acabado. E isso numa avenida bastante movimentada. Ligar para o meu marido não adiantava, ele já estava no trabalho e não poderia me ajudar. Depois de alguns minutos de indecisão sobre o que fazer, telefonei para um amigo, que prontamente organizou-se com seu filho para levar gasolina para meu carro.
Fiquei sentada ao volante, aguardando. Para passar o tempo, fiquei controlando pelo retrovisor a chegada daquele que me socorreria.

De repente, me dei conta de algo: eu não sabia o que esperar!... Lembrei que o amigo que vinha ao meu encontro havia trocado de carro, e eu não fazia idéia de qual era o novo modelo. Como eu iria identificar o que eu não conhecia? Após alguns minutos, então, me tranqüilizei e resolvi aguardar. Pois lembrei que, se eu não sabia qual era o carro dele, ele no entanto conhecia nosso carro. Ele sabia o quê avistar e procurar. Eu podia ficar tranqüila que seria encontrada.”

Lá, no meio do nosso caminho, quando a gasolina ameaça faltar ou a bateria dá sinais que quer se entregar, nem sempre sabemos o que fazer. E podemos, então, pensar. “será que Deus vai me achar e me ajudar?” Podemos esperar e confiar, sim. Ele nos conhece muito bem, de longe. E sabe muito bem como nos encontrar. Pode ser de uma maneira diferente, com um ‘outro’ veiculo, de um jeito que não imaginávamos. Mas é sempre Ele o motorista, aquele que vem ao nosso encontro para não nos deixar sem rumo e para marcar nosso dia com a sua mão.

Sabemos, portanto, sempre, o quê esperar.

Para a Candace, nossa leitora, o final do ‘resgate’ foi uma demonstração adicional da mão de Deus presente no seu dia. “Finalmente, quando o amigo chegou, estava com o carro da empresa em que trabalha e estava saindo de casa para atender um chamado numa empresa.

Exatamente no local onde eu havia ficado empenhada.”



(história enviada pela leitora Candace Luciana A. Lassig,
de São Leopoldo, RS)

quote - New season

Quote:

If you scatter thorns, don't go barefoot.

Italian Proverb


********************

New Season

Touch of life is back to your inbox bringing a new short text for your week every Friday. The text reaches weekly people in Brasil, USA, Dominican Republic, Quenia and Hungary. We are very glad in having you here!

Please feel free to forward the devotions or forward us a friend’s e-mail address (with his/her consent). And also to unsubscribe.

Many blessings in Jesus’ name,


Rev. Lucas André Albrecht
Campus Chaplain
www.toquedevida.blogspot.com

crisis and asnwers


“Will the stimulus work? That's the $770 billion question the new GDP numbers really don't answer.”

That’s the final line
of a CNN report some weeks ago asking if the economic crisis could get worse. Showing that the numbers so far point to a dangerous downhill road leading to 1930s times, the text wonders if the government can do something to make things change. Or at least to stop numbers, jobs and hopes from falling.

Actually, there’s no neither a single coin or billion dollar that can provide a real answer in times of crisis. There’s no government, president, CEO or economist who is able to be precise about how the next semester, the next month or even the day called tomorrow is going to be. No one.

No one but God.

Well, I’m not saying that with the Bible I can foretell anything. Not even that your bank account will be overflowing with dollars next week. Or that 3 job opportunities will knock on your door today. But the answer that He provides is that kind of word that always works. Whether in times of fortune or misery. Whether for the slumdog or the millionaire. By faith in Christ He promises that our future will always be in His hands, so we can have him close to our heart. His stimulus always strengthens our lives and makes us look confidently into the future.

Yes, this stimulus works. For He is the sure answer that “US$ no-money-in-the world” can afford.



Text revision:
Kim Starr, Deaconess Intern
St. Louis, MO, USA.

quinta-feira, março 19, 2009

CaFé Break - English Conversation

Começa dia 25 de março, na Capela da ULBRA Canoas, a oportunidade de você parar para um café e aperfeiçoar seu inglês conversando sobre a vida. O CaFé Break ocorrerá todas as quartas-feiras, até o final de junho, das 18h às 19 horas, na Capela Universitária, em Canoas. O norte-americano Paul Lantz, professor de inglês e teólogo, será o facilitador deste bate-papo para você praticar e socializar. Venha aproveitar e se divertir conversando em inglês sobre fé, vida e assuntos cotidianos.
As vagas são limitadas e a participação é gratuita.
Para reservar uma vaga, ligue para a pastoral, no telefone (51) 3477.9282.


Fonte: Assessoria de Comunicação - Ulbra


Acrescentando: Caso aconteça interesse acima do número de vagas disponível, será estudada a possibilidade de mais um horário nas quartas, das 19h30 às 21h.

Frase

“O mundo que queremos deixar para nossos filhos depende dos filhos que iremos deixar para esse mundo.”

(adesivo de carro)

Adultos infantis

Ouça a mensagem de hoje


Talvez isto também faça parte do “ser como uma criança” de que Jesus falou.

Um dos exemplos, o Pastor Grasel, nosso capelão geral da Ulbra, compartilhou ontem. Chegou em casa, tarde da noite, após um dia de trabalho, tenso e cansado. Entrando no quarto, em cima do travesseiro viu um papel. Nele só havia duas palavras. “Vô”, e, mais abaixo, “Thomas”. Com apenas uma palavra e mais a assinatura, seu netinho de 7 anos, quis dizer.: “Vô, gosto de ti”, “te amo”, “não esquece disso”. Ou muito mais.

O outro, vem do também colega Paulinho Brum, capelão de música. Seu filho de 5 anos, o Daniel, quando acorda de manhã, não desce para a sala de jeito nenhum. Cisca daqui, anda pra lá, mas sempre lá em cima, perto do quarto dos pais. De noite, para dormir a mesma coisa. Choraminga, reclama, mas não sobe para o quarto. O motivo, nos dois casos, é um só: não quer enfrentar a solidão da sala vazia ou ‘os perigos do quarto escuro’ sozinho. Quer a companhia do pai, ou da mãe.

“Vô”, disse simplesmente o Thomas. “Filho’, diz o Pai do céu, para lembrar-nos o quanto nos ama e nos acompanha.
E também é o lembrete para não enfrentarmos sozinhos os ‘perigos do mundo escuro’ nem os desafios dos dias vazios. Ele quer subir conosco para onde a glória nos levar. Quer descer conosco para onde a perda e a eventualmente dor nos conduzirem. Mas quer ir conosco. Ao lado, acima. E também carregando no colo.

É bom ser criança na fé. Pois é assim que vamos nos tornando adultos para a vida.

segunda-feira, março 16, 2009

Liberdade


“Sempre será um escravo aquele que não sabe como viver com pouco”.


Horácio

Caracteres

Em 140 caracteres, responder a uma questão básica: o que você está fazendo?

Esta é a proposta do
Twitter, nova febre na internet. Você se cadastra e está habilitado a fazer postangens de até 140 caracteres. Uma frase de 3 linhas, mais ou menos. Então, pode seguir o twitter de outras pessoas, para ver o que elas estã postando/fazendo/divulgando. E outras pessoas, tornando-se seguidores do seu perfil, podem fazer o mesmo a cada nova postagem sua.

Você observa e é observado na medida em que escreve sobre o seu dia.

140 caracteres. Dá pra imaginar uma conversa de mulheres só com esta quantidade de palavras? Ou homens discutindo sobre futebol? “Ah, deixa de ser bobo, eu estou te dizendo que está na cara que este árbitro não está bem intencionado, porque, se você notar,...” e acabou o espaço. Parece pouco para um mundo onde cada vez mais se quer falar mais e cada vez ouvir menos.

Mas, pensando bem, as principais coisas da vida cabem em bem poucos caracteres. Amor, respeito, fidelidade, compreensão, ajuda. Justiça.. As principais atitudes da vida também podem ser escritas neste espaço. Julgar menos, Ouvir mais. Auxiliar a quem precisa. Respeitar a natureza. E a principal de todas, só precisa de 3: Fé

Caracteres que falam muito sobre o caráter. Quando as pessoas que ‘nos seguem’ semana afora conseguem perceber ao menos um pouco destas pequenas ‘twitadas’ de bom conteúdo - ainda que não consigamos tudo ao mesmo tempo (como twitar, msnar, escrever email, digitar texto e provar pro chefe que estamos trabnalhando...), este poucos podem gerar muito conteúdo para o caráter, muito assunto para boa convesa. Muitas amizades e relacionamentos duradouros.

Bastam poucos caracteres. E nossas atitudes e palavras podem revelar mais do que apenas o que estamos fazendo.

sexta-feira, março 13, 2009

Reações à reação

Leitores comentam o toque de vida de ontem.

“Parabéns, Lucas por teu artigo "a esmo". O comentário que veio da Alemanha é bem interessante.”
******

“Concordo com as colocações do leitor do Toque de Vida, hoje mesmo falando com uma pessoa...sobre violência relacionada ao uso de drogas, ela teve seu único filho assassinado ano passado na frente de casa, ele era motorista de táxi e tinha menos de 30 anos, deixou uma filhinha de 05 anos(...) Já em 1997 em plena luz do dia as pessoas eram assaltadas.
(,,,)
Daí se formos pensar na causa de tanta violência temos que ver como desencadeante principal os fatores sociais, miséria, fome, desamparo, principalmente pela falta de amor ao próximo e daí até mesmo palavras mal ditas e aquelas não ditas.
(...)Obrigada, pela mensagem Tempero. Penso que o melhor tempero para a vida é a alegria de poder servir aqueles que amamos e ao nosso próximo mesmo que não tenhamos qualquer afinidade.

******

“Boa noite PLucas, não lí até o final o texto desta pessoa que mora na Alemanha, interrompí quando começou a falar mal do Brasil, não sei qual a sua intenção, mas o absurdo ocorreu lá, não quero dizer que no Brasil não existem problemas, sabemos que existem e são muitos. Mas não podemos ficar calados quando alguém que é brasileiro e não mora aqui, fica falando mal de nossa Pátria, na Alemanha acontecem sim muitas barbaridades e este episódio é somente uma ilustração, porque um pai de família precisa ter tantas armas de fogo em casa? Não podemos esquecer do holocausto. Por que esta pessoa que se julga acima das barbaridades que ocorrem aqui, não volta e vem fazer algo em prol dos necessitados? É mais fácil viver na Alemanha, um país do primeiro mundo, aonde tudo funciona. Porque não escolheu ir viver na África, aonde crianças morrem de fome todo dia. Ou então que volte para o Brasil e tente melhorá-lo, ou é melhor ficar lá na Alemanha criticando?”

******

“Felicitaciones...

Excelente textos... e esse testemunho, direto da fonte... foi sensacional.”


Texto do leitor da Alemanha.

que dia, mesmo?


Numa rápida passada pelas notícias de ontem, podemos listar:
_Batidas de trânsito, tiroteio e fuga em Porto Alegre.
_Dois onibus se chocam no centro da capital gaúcha.
_Avião monomotor cai em shopping de Goiânia, matando pai e filha.
_Helicóptero cai no Canadá com 18 a bordo.
_Senado quer pagar horas extras a trabalhadores em recesso.

Você certamente acrescentaria mais alguns itens.

E ontem era só quinta-feira 12. Hoje que é a sexta-feira 13... E amanhã é um sábado 14, dia em que infelizmente mais acidentes e tragédias humanas acontecerão. Sem falar na terça-feira 10, com o massacre nos EUA e a quarta-feira 11, massacre na Alemanha. Aliás, 11 de março foi também o dia do atentado em Madri, na Espanha, no ano de 2005.

No fim, fazer relações com dias e datas é apenas brincar com números. Excetuando os acidentes da natureza, é o próprio ser humano que provoca suas sextas-feiras, domingos, seus dias 13 ou 26. E olha que até catástrofes cilmatícas têm cada vez mais o homem como ator coadjuvante.

Satélites se chocam no espaço. Submarinos se chocam no fundo do mar. Aviões se chocam contra a terra, balas perdidas se chocam contra alguém. Tudo resultado do ser humano batendo contra o próximo, como resultado da colisão consigo mesmo e principalmente, de seu rompimento com Deus. Assim, não é à toa que ficamos chocados diarimente com o que os outros, e nós mesmos, somos capazes de fazer.

Ficamos?... Nem sempre.

Mas o fato que é este mesmo dia, hoje, é o tempo adequado para evitar as colisões, afastar as batidas, nos ligarmos de novo conosco mesmo. Deus não deixa de oferecer esta alternativa constantemente a cada coração. Até mesmo para o que estupra, mata, aborta, transgride a lei. Nâo que a justiça humana não precise se feita – e que bom se fosse com mais frequência – mas a justiça divina sempre esbarra em Seu amor, que quer teimosamente oferecer inúmeras chances de mudar. Não fosse assim, quem sobraria, não é verdade?

Que dia é hoje mesmo? Dia de utilizar os números a nosso favor. Pensar duas vezes, ajudar três. Recomeçar, mil.

Acreditar – 1000n

quinta-feira, março 12, 2009

'A esmo' - da Alemanha

Leitor brasileiro do Toque de Vida que mora na Alemanha comenta o texto de ontem, “A esmo”. O massacre de Winnenden desta quarta-feira, 11.03, aconteceu a 2,5 km de sua casa, e teve o desfecho junto ao supermercado que ele e a família mais freqüentam.

Bastante abalado com o fato (basta lembrar que algumas das pessoas mortas estavam simplesmente passando pela rua...), ele escreve seu comentário para o Toque de Vida e você confere abaixo, logo após o texto de hoje.


Boa tarde Rev Lucas,
Gostaria de informar que recebo sempre o “Toque de vida” e me agrada muito em ler pois sempre são textos reflexivos de ótimo conteúdo. Meus parabens, pois creio que não deve ser fácil a redação de mensagens com conteúdos inteligentes com essa freqüencia que seu trabalho exige.

Hoje realmente è um dia especial de muita dor e tristeza para qualquer pessoa do planeta que sonha em um mundo abençoado com paz e amor. Uma forma bestial de vida com 17 anos de idade assassinou varias pessoas e posteriormente suicidou-se depois de um confronto policial a exatamente 2,5 Km de minha casa.

Balanço final desta tragédia: 16 Mortos = 9 crianças (entre 14 e 16 anos), três professores, um passante que estava trabalhando em uma clinica que foi atingido apenas pelo fato de estar no caminho de fuga do assassino, 1 vendedor de carros e um cliente que estavam dentro de uma loja de carros durante a fuga e o próprio “ser” que suicidou-se depois de gritar…”…bem..por hoje è o suficiente (relato de testemunhas – sem confirmação)…e mais 9 alunos + 2 policias feridos com projeteis e uma nação inteira atordoada em busca de um “por que”???

Creio que devido a proximidade da finalização desta tragédia (o supermercado que mais freqüentamos) nos deixou todos bastante abalados e vejo noticiários do mundo inteiro focado para Alemanha.

Li, não sei onde quanto mais quando, o seguinte....quando temos uma pedrinha minúscula dentro do sapato, existe um mal estar gigante que somente se é dado conta da irritação provocada depois do problema ser eliminado...e vem o questionamento......por que não fiz isso antes (a eliminação de um corpo minúsculo provocando uma mau estar destas proporções)???
Pois bem. Moro na Alemanha há 18 anos e pra mim é um choque todas as vezes que chego ao Brasil e vejo a miséria e a falta de respeito com h, m, idosos e crianças...de um lado animais tendo sessões de SPA ...e de outro lado crianças brigando com cães na rua em disputa de restos de alimentos já em estado de decomposição...Assim sendo me veio a comparação com o texto. Como já vivi ai muitos anos, essa visão de barbarismos sociais (onde seres humanos vivem em desgraça total) vai tornando-se a pedrinha no sapato dos olhos e mentes do povo brasileiro que é a imagem a degradação do ser humano e essa imagem vai tornando-se uma cena “normal do dia-a-dia”.........mas não é....cada retorno meu para o Brasil tenho uma “nova ferida” em meus olhos ao ver essas cenas....mas infelizmente tornou-se um hábito das pessoas em anular sentimentos ao verem essa selvageria social...

Infelizmente aqui também ocorrem assaltos e crimes mas é de uma raridade tão grande que, quando ocorre algo, o pais inteiro se abala e soluções de melhorias são buscadas para jamais ocorrer um barbarismo como esse novamente.

Pois bem, li em seu texto « A Esmo » uma colocação que me deixou pensativo e aproveito essa possibilidade de um monólogo eletronico enviar meus comentários.

« A Esmo » …Shooting rampage...... Graças a Deus isso não acontece aqui, não?... Bem, não com armas. Mas shooting rampages em escritórios, salas de espera, salas e salões, e até a céu aberto, destes não escapamos. A arma? A língua....etc..................(aqui chamamos de mobbing...e estudos demonstram que as seqüelas são piores do que uma agressão física).
Me permita uma correção neste texto e meus comentários. Sim!! Com armas SIM!!!

Abaixo uma pequena estatística que mostra que algo deve ser realizado com urgência:
A cada 12 minutos, uma pessoa é assassinada no Brasil. Por ano, são registrados 45 mil homicídios no País. No entanto, a probabilidade de um assassino ser condenado e cumprir pena até o fim no Brasil é de apenas 1%.
O Brasil é, segundo a ONU, o país onde mais se mata com armas de fogo. Todos os anos são mortos 40 mil brasileiros;
O Brasil tem cerca de 3% da população mundial e registra 12% dos homicídios que acontecem no planeta. [Carlos Lopes, coordenador-residente da ONU no Brasil, dezembro de 2003]

Realmente, ontem aqui ocorreu uma tragédia inédita e, graças a Deus, esta havendo uma repercussão mundial e pode ter certeza que medidas serão tomadas. Mas no Brasil, se ouvimos o noticiário, são tantos crimes diários que esse barbarismo tornou-se apenas uma pedrinha irritando o dia-a-dia da população….

Me desculpe…queria apenas escrever sobre a presença de arsenais particulares no Brasil e acabei escrevendo um monte de outras coisas…

Um abraço,

Tempero

Para preparar uma boa comida, alguns passos são importantes. Primeiro, a escolha. Um bom produto tem maior chance de gerar um bom alimento. Depois, os princípios, não só da culinária como da física que estão envolvidos. Fogo, fervura, tempero, preparo... Não adianta tentar mudá-los, o melhor é segui-los. Por fim, não deixa de haver também um pouco de fé de que tudo vai dar certo.

E não dá pra negar que uma boa porção de amor pelo que se está fazendo ou pelas pessoas a quem se vai servir pode fazer muita diferença.

Cozinhar, então, de certa forma se parece com a vida.

Apesar do aleatório, ela oferece também escolhas. Escolher o que é bom sempre gera resultados melhores.
Para quem vive guiado por princípios, e não por sentimentos do momento, as chances de acertar aumentam. Pois princípios não mudam, são um caminho seguro e constante.
E dentre estes princípios, dois são fundamentais: fé em Deus e amor. Pois geram e sustentam todos os outros. Temperos básicos para qualquer receita humana.

Diante destas boas semelhanças entre o sabor da culinária e os sabores da vida, portanto, concluo que deve ser por isso que gosto tanto de viver. E também de carne de panela.

quarta-feira, março 11, 2009

'coragem'

“Qualquer lebre faz festa em cima do corpo de um leão morto”.

Publílio Sírio

A esmo


Shooting rampage. Os americanos convivem regularmente com este tipo de tragédia, onde uma pessoa sai atirando a esmo, matando em massa e geralmente cometendo suicidio no fim. Esta semana, no Estado americano do Alabama, mais um episodio, com 10 mortos. Hoje, também a Alemanha voltou a provar do amargo gosto e resultado deste impulso assassino. Ao menos 16 mortos, além do proprio atirador, Tim K., de 17 anos.

Graças a Deus isso não acontece aqui, não?

Bem, não com armas. Mas shooting rampages em escritórios, salas de espera, salas e salões, e até a céu aberto, destes não escapamos. A arma? A língua. Um músculo tão pequeno, mas tão poderoso, que dispara aleatoriamente, matando, ferindo, agredindo, difamando. E tantos outros males que podem ser causados por esta arma pesada e mortal.

‘Ele está exagerando’, allguém poderá pensar. ‘Não se compara falar a esmo com atirar a esmo. Nâo se tira vidas com a lingua’. Bem, talvez um pouco. Mas também nem tanto.

Atitudes como o
bullying, por exemplo, tem se mostrado eficazes em seu poder de afetar personalidades, pessoas, vidas em formação. Fofocas no emprego podem custar a carreira, e por consequência, a vida de um profisisonal em ascensão. Sem falar nos casos mais graves, onde uma ordem pronunciada pode ser a sentença de morte de muitos. ‘Matar com a lingua’ pode não tirar a vida imediatamente. Mas é também cruel e ferina. E, frequentemente, também covarde. De um atirador a esmo normalmente acaba se sabnendo o nome. Jà o falador aleatório nunca tem coragem de se identificar.

Controlar uma língua, portanto, é muito mais difiícl do que controlar uma arma. Afinal, o número de civis que provocam cenas como as da Alemanha é muito, muito menor do que os faladores que disparam a esmo para atingir e derrubar. Como já alertou o livro bíblico de Tiago: “O ser humano é capaz de domnar todas as criaturas... Mas ninguém foi capaz de dominar a língua”.

Tarefa difícil, esta, impedir o disparo de palavras a esmo. Mas que nunca deve deixar de ser tentada. Pois muitas vidas são salvas quando conseguimos deixar a língua desarmada.

e da

terça-feira, março 10, 2009

prudência

“Aquilo que não puderes controlar, não ordenes”.

(atribuída a Sócrates)

Pai e filho

Surpreendente a história de dois colegas de trabalho em Porto Alegre, RS que, a partir de uma conversa, de repente descobrem que são pai e filho. Lucien Reis, 54, e Lucien Lima, 22 tinham mais do que o nome ‘diferente’ em comum. Lima comentou com Reis que mãe lhe dera o nome em homenagem ao pai, um relacionamento rápido do passado, mas por quem sentira um grande amor.

Chegando em casa, o Lucien mais novo comentou a história com a mãe, que a confirmou. Ela falou que amava o seu pai, mas se separara dele quando descobriu que estava grávida. Agora, os Luciens estão curtindo ainda mais a companhia um do outro. "Não tivemos afinidade nesses mais de 20 anos. Não o peguei no colo. Não pude ensinar os primeiros passos. Mas, quem sabe, os próximos eu possa ensinar", comentou o pai.

Deve ser o sentimento parecido de quem, de repente, se dá conta que o Pai sempre esteve ali ao lado. Por mais que não fosse visto, ou notado, sempre esteve ali. Carregando no colo, cuidando os passos, dirigindo o caminhar. Uma grande alegria e emoção invadem o coração de quem, de repente, sabe-se filho, pela fé, de um Pai de amor imenso.

E pode acontecer até para que, já sabia desta paternidade, mas nos corredores escuros da existência se perdeu, achando que não tinha mais como voltar pra casa.
Mas Ele sempre está lá. De braços abertos, esperando, paciente. Esperando que nossos olhos se abram, que nosso coração reconheça, que nossa vida seja jogada para dentro de seu amor, incondicionalmente. Não para recuperar o tempo perdido, o que é impossível, mas para aproveitar muito mais de todo tempo que ainda virá.

Aproveitar trabalhando, caminhando, vivendo juntos, de mãos dadas. Filhos e Pai.


(sugestão do tema:
leitora Dâmaris Feld – Curitiba, PR)

segunda-feira, março 09, 2009

Futuro

“O futuro é um desconhecido, mas um desconhecido um tanto previsível. Para ver o futuro precisamos primeiro olhar para o passado. É lá que as sementes do futuro foram plantadas”.

Albert Einstein

Um lance

Todos os componentes de um momento esportivo único.
Ronaldo Nazário voltando de uma lesão, participando de um grande clássico. Nos últimos minutos da partida, após uma bola ser lançada para a área, está no lugar certo, na hora certa para cabecear a bola e marcar o gol de empate – que, naquelas circunstâncias, significava uma grande vitória.

Em um lance, em segundos, em uma jogada, quase no final do jogo, o momento fica eternizado. Patrocínios milionários são acertados. Uma partida entra para história. Um atleta recomeça a sua história. Tanta coisa em tão pouco tempo, tão de repente. Um segundo que esquece o antes e abraça um novo depois.
Apenas um lance.

A vida não é uma partida de futebol, e determinadas desvantagens são difíceis de reverter. Mas nem por isso precisamos deixar de acreditar que, a qualquer momento, algo pode acontecer. Também nós recomeçamos diversas vezes, batalhamos tanto...(e por muito menos do que ganha um super-astro do futebol). Por isso também em nossa vida pode haver a expectativa de, enquanto o juiz não apitar o final do jogo, mudar o todo em um novo lance. Eternizar, transformar, alcançar o que já parecia perdido.

Para isso, é evidente, precisamos não só de uma chance, mas também de preparo. Condicionamento, disciplina, boa administração, ouvidos para as Orientações. Tudo para que a jogada acontecer, possamos demonstrar alegria, derrubar a cerca, seguir em frente. Continuar em fé.

E agradecer a Deus, que está conosco agora, neste ‘antes’, e vai estar também quando o novo lance nos trouxer o novo ‘depois’.



(texto a partir de uma idéia do
Rev. Gerhard Grasel, Capelão-geral da Ulbra)

sábado, março 07, 2009

boa ação

“É melhor dar do que emprestar, e o custo é praticamente o mesmo”.

Philip Gibbs

um remédio, por favor!

por Sérgio Lutz

Um estudo publicado há algum tempo mostra que 50% dos americanos tomam, pelo menos, uma pílula diariamente. Destes, um em cada seis engole três ou mais cápsulas. Um dos motivos de tanta procura por remédios seria a propaganda que oferece soluções para tudo. E o que impressiona é que a propaganda vende um estilo de vida. Num dos anúncios de carro esporte, vêem-se jovens saudáveis, bem vestidos e em cenário espetacular. Um, porém, não parece aproveitar as benesses daquele paraíso. Uma voz ao fundo pergunta: “Você se sente angustiado? A tristeza o acompanha? Pergunte a seu médico sobre o remédio X.” Dentre os remédios, os campeões de vendas são os antidepressivos.

Vivemos num mundo que oferece soluções mágicas para os problemas. Em caso de tristeza, pílula X é a solução, em caso de alegria excessiva, pílula Y... Não queremos emitir juízo a respeito das recomendações médicas, apenas trazer à reflexão que momentos de alegria, de tristeza e outros, fazem parte da vida real. Que nenhum remédio substitui o carinho, a atenção e o amor. Nenhum medicamento substitui a fé.

Sentimentos, dos mais diversos, fazem parte da vida. È fundamental viver nossos momentos de dor, chorar nossas lágrimas, curtir as alegrias, amar e se sentir amado. Acreditamos que Deus é o remédio completo, a paz, a alegria, a ajuda nos momentos difíceis. Ele nos ama e recomenda a pílula da fé em Jesus para a felicidade eterna. Sua identificação é a cruz, formada por duas barras: a vertical que aponta e remete a Deus, à ação do próprio Deus em nós e a barra horizontal que nos lembra da ação em direção ao próximo.

O remédio ideal, portanto, é o que contém esta cruz na sua embalagem. Disponível para todas as pessoas, gratuitamente, sem perigo de esgotar.

Rev. Sérgio Lutz
Capelão e Vice-Diretor do Colégio Concórdia
Porto Alegre, RS

quarta-feira, março 04, 2009

ver

“Alguém pode ter olhos perfeitos e ainda assim não ver nada”.

Provérbio italiano

impacto

Fonte da imagem


Na segunda feira, 02.03, o asteróide 2009 DD45 passou bem perto da Terra: algo como 60.000 km. Os cientistas garantem que isto é pouco. Representa menos do que o dobro da altura em que estão os satélites geostacionários, aqueles dos quais dependemos para comunicação.
A noticia é da CNN.

Segundo Robert McNaught, da Universidade Nacional Australiana, o descobridor da aproximação deste corpo celeste na semana passada, o número de ‘asteróides potencialmente periugosos’ aumentou na última década. Mas ele diz também algo que. nos deixa um pouco mais tranquilos. Apesar de uma colisão poder causar grandes estragos, acontecer algo como descrito no filme ‘
Impacto Profundo’ é muito, muito improvável.

Há dois milênios, houve um Corpo celeste que causou impacto irreversível na Terra. Jesus Cristo não passou perto, ele atingiu em cheio o planeta com sua obra e mensagem, ainda que muitos ignorem esta boa notícia, ou reajam com. “Ah, tá. Ok”. Sua missão não era acabar com dinossauros ou provocar tsunamis. O Mestre, de certa forma, fragmentou-se em bilhões de pedaços para atingir individualmente a vida de cada ser humano e, pela fé, mudá-la definitivamente.

E ainda prover defesas contra certos tipos de ‘corpos estranhos’ que procuram nos arrasar ou pelo menos nos desviar do caminho. Jà que nem sempre estamos em prontidão, somos supreendidos volta e meia por colisões que até gostaríamos de evitar. É a hora de saber que Ele não cansa de ter sobre nossa vida seus olhos e de manter ao Seu redor nosso gravitar.

Impacto que não é apenas profundo. É também eterno.

terça-feira, março 03, 2009

planos

“Às vezes Deus não nos conta seus planos porque igual nós não acredítariamos.”

Carlton Pearson

Leões

Ouça a mensagem de hoje

Durante um bom tempo nos primórdios D.C., muitos cristãos eram jogados aos leões pelo ‘crime’ de não negarem sua fé. Cena horrível certamente foi esta. Pais, mães, com seus filhos, sendo devorados por feras para a diversão da população que se reunia em ‘estádios’ para assitir a esta ‘emocionante partida’.
Dá para imaginar a expressão do rosto e do corpo destes cristãos? Prestes a perderem a vida, feras famintas vindo ao encontro... O que os mantinha firmes? A fé, a certeza de que não deveriam abrir mão do seu Mestre. Talvez o rosto não demonstrava, mas no coração estavam em paz, seguros, certos. Estavam ‘chumbados’ na Palavra, e dali nenhuma boca de leão poderia arrancá-los.

Porque lembrar esta cena?
Porque, primeiro, os leões continuam a nos rondar. Contas, desemprego, corrupção, indiferença, angústia, depressão...A cada mês, a cada semana, um deles tenta nos arrancar um braço. Sem falar quando vários deles são soltos ao mesmo tempo – uma crise mundial, por exemplo, que gera tanta insegurança que até uma grande companhia seguradora está com prejuízios bilionários.

E porque, segundo, tendemos a pensar que, em meio a isso tudo, pelo fato de às vezes nossa expressão estar mais sisuda, por termos alguns dias menos sorridentes, ou por não demonstrarmos o tempo todo ‘a alegria de viver’ (que normalmente é associada com sensações físicas), entao estamos sem paz. Não temos equilibrio. Será que perdemos nossa fé?...

Mas não é assim.

Cristo, que é a nossa paz, nos ‘chumbou’ pela fé em Seu amor. Nele podemos permanecer em fé, segurando as mãos dos que nos cercam e olhar em frente. Não temer os leões, mas enfrentá-los. Pois temos condições de enfrentar e vencer. Quando Ele é nosso braço direito – e esquerdo, e pernas, e coração -, continuamos na paz, continuamos cheios de força. Nem sempre o exterior demonstra o que o interior possui e crê. Mas fé é assim: menos ‘sentir’ algo, e mais ter Alguém que nos ama, abraça e mantém.

Os leões do século XXI estã aí fora e, de fato, até assustam. Mas com Deus, o Leão ao lado, garantindo segurança aqui dentro, vai ser difícil um deles nos pegar.

segunda-feira, março 02, 2009

igualdade

“Quando o jogo acaba, tanto o rei com o peão vão para a mesma caixa”.

Provérbio italiano

( ) esistir

Estamos aqui, vivos, respirando. Existimos, portanto, inevitavelmente.
Uma vez que este existir é inevitável, também é lógico que existam opções de como conduzir esta existência. Como existir, como ‘levar a vida’? De que maneira enfrentar?

Trocando o ‘x’ por um ‘s’, é possivel ilustrar duas maneiras básicas de ‘esistir’

Uma começa com D. (d)esistir.
É quando preferimos observar a vida, e não vivê-la. Quando preferimos ser a vítima e não a voz. Escolhemos sentar na platéia, abandonando o papel principal em cima do palco..

A outra, com R. (r)esistir.
Enfrentar. Não aceitar a única resposta de que o problema não tem solução, mas tentar uma segunda opinião. Ou terceira terceira..Resistir não apenas no sentido de ‘aguentar’, mas também de almejar, lutar. Sonhar.

Nos dois casos, mesmo que muitas coisas estejam fora de nosso alcance, e mesmo que muitas delas não possam ser mudadas, ainda assim está reservado ao nosso dominio um tanto de escolha.

Para isso, as duas letras fundamentais de nossa vida, FÉ, são o canal que nos ligam Àquele que, além nos dar o existir, nos leva a Viver. Aprender. Lutar. Deus nos chama a resistir, seja quando isso representa lutar com todas as forças, seja quando significa parar para recobrá-las. Quando significa ter a atitude de mudar ou quando é preciso mudar a atitude. Mas desde que foi uma escolha Dele nos trazer à fé em Jesus, continua sendo um presente Seu também a chance de podermos escolher. (d)esitir ou (r)esistir.

Resposta que, de um jeito ou de outro, sempre acaba sendo definida. Pois seja ‘d’ ou seja ‘r’, nosso ‘esistir’ não aceita parênteses.