sexta-feira, janeiro 30, 2009

Deixa estar

Canção do Grupo Christall no Planeta Gospel 2008, clipe que está no ar também no Toque de Vida.

CD E DVD já disponíveis na Concórdia Editora. Acesse o site.

sábado, janeiro 24, 2009

altura

“Sempre me falam que quanto maior é o sonho, maior é o tombo. Mas sempre esquecem de me perguntar se eu tenho medo de cair “.

(Autor Desconhecido)

Funcionando bem

Ouça a mensagem de hoje


Existem comidas que fazem bem ao estômago. Frutas, verduras, fibras, entre outras. Podemos comer sempre, pois alimentam cuidando da saúde. Já de outros alimentos somos aconselhados a manter uma distância respeitosa. Frituras, gorduras, doces... Não apenas para evitar... hum... o aumento da cintura, mas também pela conservação da saúde.

Mas que tipo de alimento se come quando o estômago está mal?

Normalmente, nenhum. Quando o primeiro responsável pelo processo de digestão não está nos seus melhores dias, pouco ou quase nada há para se ingerir. Não há alimento saudável que ajude, não há suco que seja solução. È a hora de procurar primeiro resolver o que é com o nosso amigo ‘gastro’ para então pensar em uma refeição normal.

Quando é o ‘cardio’ que está com problemas, vale a mesma ilustração. Ao menos quando se fala daquele que é a casa da fé – o coração - mas que frequentemente fica sobrecarregado de mágoa, pesado de angustia, prostrado pela ansiedade ou não funcionado bem por excesso de solidão. Antes de querer enchê-lo de ‘alimentos’ e ‘dietas milagrosas’, que podem ser revelar nocivas ao seu funcionamento, ou simplesmente ignorar, fazendo de conta que não há nada, é melhor buscar o cuidado de Deus. É ele quem entende do que mais importa – mantê-lo cheio de fé em Jesus, vida e vontade de acertar – e que pode cuidar para que funcione corretamente.
Para então ser alimentado constantemente pelo alimento que só sabe fazer o bem: Palavras fortes, firmes e boas, que, bem digeridas, alimentam e mantém de pé..

Quando o coração ficar ‘enjoado’, portanto, é pela ação Dele que tudo volta ao normal. Para podermos nos alimentar constantemente daquilo que só vai nos fazer bem.

quinta-feira, janeiro 22, 2009

Provérbio

“Se você espalha espinhos, não ande descalço”.

Provérbio italiano

Alcançável

O contato pode ser feito através do celular, que está sempre perto da mão. Se não der certo, existe também a internet, com os emails e sites de relacionamentos. Pode ser ainda via MSN, que até offline recebe e entrega posteriormente as mensagens. E tantos outros meios de comunicação. São várias as maneiras que a modernidade oferece – e vai oferecer sempre mais - de sermos atingidos em seja–qual-for-o-lugar.

Somos todos muito alcançáveis.

É quase impossível não ser localizado, contatado, rastreado, lembrado, com tanta tecnologia em ação. O ser humano produz tantos jeitos de ficar conectado que a impressão que fica é de que ‘privacidade’ está no caminho de conceito em extinção.

Se acreditamos em tecnologias humanas, com a sua capacidade de localização, muitos motivos mais temos para não duvidar de que Deus nos alcança em qualquer lugar. Sim, existe aquela hora da angústia, da solidão, da tristeza ou frustração em que juramos estar fora da area de cobertura ou sem chance de estabelecer conexão. No entanto, permanecemos alcançáveis. Ele não cansa de nos alcançar com Sua ação wireless (sem fio), que permite estarmos, em qualquer lugar do mundo, ao alcance de Sua mão. Quando o receptor da fé em Jesus pernanece ativo, é certo que Ele vai nos encontrar.

E desta ‘perda de privacidade’, tenho certeza, ninguém de nós vai reclamar. Pois é Alguem que permanece conectado conosco para nos encher de alegria e confiança, para não nos deixar abater. Para nos levar a alcançar o que precisamos, e nos dar a força necessária nos momentos de decisão.

Presença preciosa e constante que vai muito além do que a razão pode alcançar.

Saber Viver

Arranjo e vídeo do Fábio Sampaio, da Ulbra TV e vocalista da banda Tanlan.

Em 90 segundos

5000 anos de História das religiões em 90msegundos

Clique:

http://mapsofwar.com/images/Religion.swf

quarta-feira, janeiro 21, 2009

com a graça de Deus


“Diante de nossos perigos em comum, neste inverno de dificuldades, vamos lembrar essas palavras imemoriais. Com esperança e virtude, vamos enfrentar mais uma vez as correntes geladas, e as tempestades que podem vir. Que os filhos de nossos filhos digam que quando fomos testados, nos recusamos a deixar essa jornada acabar, que não recuamos, nem que hesitamos; e com olhos fixos no horizonte e com a graça de Deus sobre nós, levamos adiante nossa liberdade e a entregamos em segurança para as gerações futuras".


(Barack Obama, discurso de posse)

o que permanece

A idéia seria fazer um ‘Good Brother’. Uma competição em uma casa, com vários participantes formando uma mesma equipe. Nela, ganha quem mais ajudar, mais servir, mais falar bem do outro, desculpar, interpretar da melhor maneira, respeitar. Quem sabe até todos saíssem vencedores, se todos trabalhassem neste mesmo espírito. Que tal?

Talvez todos ficassem dentro da casa para sempre.

Alguns gestos de grandeza até conseguem chamar a atenção. A pessoa que devolve o dinheiro, o piloto que salva a vidas ao pousar na água. Ontem mesmo, o presidente Barack Obama,
no discurso de posse , ainda que sendo adversário, mencionou: “Agradeço o presidente Bush por seu serviço à nação, bem como pela generosidade e cooperação que ele mostrou ao longo dessa transição”.
Mas, infelizmente, não mantém os números do ibope. Não têm muita duração na lógica do ‘salve-se quem puder’ ou ‘quem pode mais, chora menos’ em que vivemos. E, em tempos de Big Brother, torna a imperar a regra: ‘o importa é olhar a vida do outro para encontrar seus defeitos e dar-lhe ‘adeus’, mandando para o paredão. Sou eu quem realmente vale a pena’.

Mesmo assim, o conselho de Jesus permanece o mesmo: “Aquele que quiser ser importante, que sirva os outros". Com o coração ligado a Ele em fé, recebemos a proposta de irmos contra a lógica da audiência e investirmos na da convivência: servir, amar, ajudar. Humildade e grandeza. A mesma fé que faz de cada um a verdadeira pessoa mais importante do mundo. Não é necessário ser empossado presidente de um grande país. Basta ser chamado de filho.

Estas palavras de Jesus, tudo bem, podem não manter audiência. Mas mantém a alegria de viver e a satisfação de servir. E mostram também aquilo que realmente permanece.
A prova disso? Qual o nome vencedor do Big Brother 2005? Quem foi o 19º presidente dos EUA?

E quem foi o ‘Big Brother’ vencedor há 2000 anos?

terça-feira, janeiro 20, 2009

simplicidade

“É melhor ser desprezado por viver com simplicidade do que ser torturado por viver em permanente simulação".

Sêneca

Cor e forma

Ouça a mensagem de hoje


Alguns animais possuem uma capacidade especial de mudar a cor e a forma do corpo, chamada de mimetismo. Dois dos tipos mais conhecidos são: o mimetismo por homocromia, quando o animal assume a mesma cor do ambiente onde está inserido.
É o caso do camaleão. E por homotipia, quando ele assume a forma dos objetos que compõem o meio. É o caso do bicho-pau.

Quem de nós não conhece alguém mimético? Aquele ‘camaleão’, que se adapta por homocromia ao lugar onde está, sempre pensando nas suas vantagens. Ou aquele que se confunde por homotipia com os seres do ambiente para não ter responsabilidades e passar a culpa adiante.
Na verdade, estes seres podem estar até mesmo na frente do espelho. Pois o mimetismo é uma tentação que bate na porta de cada coração constantemente.

Quando Seu Filho esteve neste mundo, Deus mostrou um mimetismo diferente. Pois Jesus Cristo inseriu-se em nossa cor e forma para nos abraçar, aproximar, salvar. Mostrou que, para Ele, ser mimético é ser solidário, autêntico, transformador. Tratou a humanidade de forma homogênea, pois seu amor é para todos, e ao mesmo tempo heterogênea, pois cada um é especial.

E Ele nos propõe também o ‘mesoidismo da fé’.
Calma, eu explico. Quando um animal prática os dois tipos de mimetismo ao mesmo tempo, o da cor e o da forma, dá-se o nome de
mesoidismo. No campo da fé, podemos imitar nosso Mestre em cor e forma, em jeito e gestos, em amor e solidariedade, e sermos também miméticos com o próximo, quando assumimos outras cores e formas. Não como forma de egoísmo ou dissimulação, mas de cuidado e compreensão.

Não é necessário, portanto, viver mudando nosso ser. Podemos nos esforçar é por praticar mais o mimetismo que fortalece o conviver.

sexta-feira, janeiro 16, 2009

Hoje

“Aquele que adia a hora de viver corretamente é semelhante ao homem que espera o rio secar para poder atravessá-lo”.

Horácio

Desfazer-se

Ouça a mensagem de hoje


Bill Zuhoski, um dos passageiros do voo 1549 da US Airways, que caiu no Rio Hudson em Nova Iorque,
relatou que nos momentos logo após a queda estava no fundo do avião e a água começava a chegar na altura do pescoço. A temperatura ambiente era de 20º F, algo como -4º C. Ele precisava nadar para a parte dianteira para viver. Despiu-se, então, de quase toda a roupa para poder avançar e sair da aeronave.
Está salvo, como as outras 154 pessoas a bordo.

A atitude deste passageiro faz lembrar que, em certos momentos decisivos, ou deixamos algumas coisas para trás, ou não mais conseguiremos seguir em frente. Sejam estas coisas ruins ou nem tanto.

Talvez Zuhoski vestia uma roupa simples, mas talvez fosse um terno Armani. Talvez não tivesse nada nos bolsos, mas talvez, uma caneta Mont Blanc. E na bagagem, quanta coisa importante ficou pra trás? Só que, naquela hora, nada era mais importante do que nadar para a vida.

Precisamos escolher entre deixar para trás as coisas que nos impedem de progredir, ou agarrar-se a elas e, quem sabe, ficar pelo caminho.

A fé em Jesus Cristo estimula a nos desprendemos de tudo o que pode nos fazer congelar de medo, angústia ou egoísmo. Ou do que, mesmo aparentemente bom, já não nos serve mais. Nem que seja difícil, como provavelmente deve ter sido para Zuhoski nadar na água congelante até ser resgatado e aquecido. A segurança dada por Jesus nos dá motivos para não desistirmos em meio a desastres ou reveses, mas para continuarmos confiando que Ele tem a vida em suas mãos. E nos desprendermos do que for preciso para alcançar o que é importante.

E, se o piloto do Airbus, Chelsey Sullenberger, está sendo, com razão, louvado por salvar 155 vidas , inclusive a dele mesmo, imagine o louvor que merece Jesus Cristo: Para salvar todas as vidas, deu a Sua própria.

quinta-feira, janeiro 15, 2009

Preparo


Estar alerta, em muitas situações da vida, é bem importante. Estar preparado, nestas mesmas situações, ainda mais. Pois há uma diferença significativa entre os dois.

Um soldado de vigia, por exemplo. Nâo basta que esteja alerta. Ele precisa ser e estar preparado para a função. Se fosse só para ficar alerta, qualquer um de nós poderia fazer o serviço.

Há situações da vida que exigem nossa atenção, de fato. Mas, muito além disso, precisam muito de preparo e conteúdo. As crises que enfrentamos, as montanhas que subimos. Os perigos que desconhecemos, todos pedem estes dois elementos: preparo e atenção.

Sobretudo preparo. É então que a parceria é importante.

Nós exercemos a atenção e o estar alerta. A parte menor. Deus, entra com o preparo. A parte fundamental. Com o que ele oferece ao coração, pela fé, recebemos capacidade e força. Encontramos o fundamento para resisitirmos e mantermos a direção. E mais, estamos seguros quando a desatenção acontece e quando o erro substitui a precisão. Pois este preparo envolve perdão, cuidado, auxilio e constante proteger.

Assim, ainda que nossa fraqueza derrube nosso estar alerta, nada vai derrubar este preparo e cuidado que vêm de Sua mão.

terça-feira, janeiro 13, 2009

Sem preço

"É bom ter dinheiro e as coisas que o dinheiro pode comprar, mas é bom também verificar se não estamos perdendo as coisas que o dinheiro não pode comprar”.

George Horace Lorimer

Diante dos olhos

Quando eu era criança, de vez em quando brincava de encobrir pessoas e coisas com apenas uma mão. Maravilhado, conseguia encobri carros, casas, ruas e até mesmo o sol. Somente com uma delas.

Hoje já sei que, na verdade, não passa e uma ilusão da minha ótica. A mão não encobria os objetos. Encobria o meu olhar.

Quais são as coisas que se interpõe em frente aos nossos olhos e nos impedem de enxergar a vida com ela é? Dificuldades e ansiedades podem nos cegar e fazer perder o caminho. Mas é interessante que também coisas que são boas podem se tornar problemas se estão na frente dos olhos. Família, trabalho, o eu, lazer...se uma delas nos cegar, perdemos a noção da interdependência de todas as áreas de nossa vida, e podemos caminhar rapidamente para o lugar errado.

O ideal, por isso, é que as coisas que queremos não estejam na frente dos olhos – podem nos cegar... O ideal é estarem diante deles, para enxergarmos com clareza. Para termos a Deus no centro de nossas vidas, e nossas demais prioridades ao seu redor. Desta forma, nossa visão vai mais longe, nossos passos ficam mais seguros. E, com a luz que vem do alto, de Jesus, o caminho fica amplo e nos conduz ao lugar certo.
Aliás, até mesmo a luz se torna um estorvo quando está na frente dos olhos.

Com o mais importante diante dos olhos, iluminado pela Sua luz, podemos enxergar mais longe e andar com mais firmeza.

Pois a mão Dele nos cobre de amor.

Menos

“O segredo da felicidade não é procurar mais, mas sim desenvolver a capacidade de precisar de menos”.

Dan Millman

Fica bem?

No casamento do meu irmão Paulo, sexta-feira passada (09), a familia inteira estava reunida. 28 pessoas ao todo, entre pais, irmãos, cônjuges e netos. Dá pra imaginar, portanto, que a descontração e alegria foram grandes, bem como a diversão, especialmente na parte em que todo mundo vai para a pista de dança.

Antes de ir embora, notando todo embalo e alegria do irmão do noivo, uma amiga perguntou, bem-humorada:
-E aí, vai ter toque de vida sobre isso na segunda?...
A resposta, na hora, foi ’não, não, isso dá pra comentar...’ e risos.
Mas agora já dá pra ver que eu me enganei.

É que quando saimos do rotineiro, ou fazemos algo que achamos que outros podem pensar alguma coisa, nossa tendência é não querer comentar ou deixar de lado. Imagine todo mundo ficar sabendo que um pastor estava dançando em uma festa? Será que isso fica bem?...

Talvez você não seja pastor, mas já tenha passado por situação semelhante em outras questões diárias. ‘Será que faço ou não, o que os outros vão pensar’? A resposta pode ser: “Isso vai da consciência de cada um”. Concordo. Inúmeras das nossas questões cotidianas são uma questão de consciência.

Mas e se a consciência estiver errada? Há quem arrume boa justificativa para roubar, para enganar, sonegar impostos, para não cumprir leis, para desrespeitar direitos. E até para fazer festa na hora errada. A consciência pode tentar achar jeitos de validar o que precisaria ser visto como, no mínimo, inconveniente.

Por isso que nossa consciência, quando ligada ao que Deus ensina, tem sempre mais chance de decidir melhor. Achar boas alternativas, agir da maneira mais adequada possivel. Procurar acertar e fazer aquilo que agrada a Deus e pode melhor nos servir e servir ao próximo. Ele quer nos instruir constantemente para podermos decidir com maior clareza e precisão, tanto para fazer festa sem culpa como para evitar o que pode levar à ‘desconscientização’. E, já que com tudo isso, ainda assim vamos ter erros de julgamento e falhas de ação, Ele também oferece a melodia suave e confortante de seu imenso perdão.

Dançar conforme Sua música, portanto, disso não há dúvida; sempre fica bem.

sexta-feira, janeiro 09, 2009

Hoje

"Algumas pessoas estão fazendo uma preparação tão minuciosa para os dias de chuva que não estão aproveitando o brilho do sol de hoje."

William Feather

quinta-feira, janeiro 08, 2009

Em frente

Ouça a mensagem de hoje


Às vezes acontece de, ao dirigir, de repente alguma coisa cair no seu colo. Um objeto, um pedaço de bolo que o caroneiro está comendo, um papel que voou em sua direção...

O que fazer? Largar o volante e procurar o que caiu? E, se a calça ficou suja, ainda tentar limpar?

Nâo, isso não dá. É tragédia quase certa. Pois existe algo mais importante acontecendo e que depende totalmente de suas mãos: o carro em movimento. Ele está andando, a estrada se estende adiante. Um pequeno desvio de atenção pode causar um grande estrago. Na pior das hipóteses, primeiro estacionar para depois ver o que aconteceu.

Não quero julgar o que é menor ou maior na sua vida. Cada um tem a noção do que é o mais importante, e em que momento e em que proporção. Mas a verdade é que as pequenas interrupções, dificuldades ou distrações surgem e vão querer impedir a vida de seguir seu rumo. É a hora de manter o olhar firme e as mãos empenhadas em fazer o seu melhor.

Pois há algo muito importante acontecendo e que precisa de sua atenção.
.
Quando este seguir em fé é ameaçado pelas dúvidas, incertezas ou medos que caem em nosso colo, Deus quer manter nosso controle, precisar nossa pressa, ajustar nossa indecisão, para manter o carro rodando, para manter a fé no coração. Ele sabe o quanto é importante o que está acontecendo – nossa vida -, tanto que deu a do Seu Filho por ela. Para enfrentar com atenção e habilidade os problemas que realmente exigem nosso esforço e para aproveitar as grandes alegrias que merecem todo nosso olhar.

Estas, as alegrias, nem sempre caem no nosso colo, é certo. Mas é certo também que jamais vão nos atrapalhar, não?...

'n'

Quando a gente ajuda várias vezes, vai a um mesmo lugar constantemente, se incomoda com frequência, escreve muitas vezes a mesma coisa, já temos a expressão popular consagrada para dar certa ênfase ao que foi feito: ‘n’ vezes.

É a necessidade de mandar emails de confirmação, de conferir o que foi pedido, de mandar o filho tomar banho, de tentar um emprego. È a tentativa de reconciliação, de vitória, de articulação, de contestação. Hà uma porção de coisas que tentamos e fazemos ‘n’ vezes. Por vezes, até mesmo no mesmo dia.

‘n’, nestes casos, é o indeterminado, o não contado. O que não se precisa, não se calcula. E é também a expressão de continuidade, exagero, ininterrupção.

Usando esta mesma significação, ‘n’ é o número de vezes que Deus nos ampara . Também ‘n’ é o número de promessas e garantias de cuidado. ‘n’ é o número de nossas faltas, mas igualmente ‘n’ é a quantidade de seu perdão. ‘n’ sãos os recomeços que nos são permitidos, desde que ‘n’ seja também o tamanho de nossa fé.. Podemos contar como ‘n’ a quantidade de benefícios que Ele quer fazer contar sobre nossas cabeças, tronco e membros. E as demais ‘n’ partes de nosso corpo e vida.

Bem, na verdade, se ‘n’ indica o indeterminado, para falar da ação de Deus o melhor mesmo seria Nn. Infinitas são suas misericódias, infinita é sua bondade. Infinita é a vida que ele nos dá por meio da fé em Jesus e também Nn é o seu amor.

Acredito que ainda por ‘n’ vezes haverá ‘n’ dificuldades em sua vida. Nestas horas, não esqueça que as ações de Deus também são ‘n’. Mas Ele, não. Ele é bem determinado, conhecido e presente. Claro preciso e provedor. Sempre

Por todos os ‘n’ dias de sua vida.

terça-feira, janeiro 06, 2009

Sonhos

"Você vê coisas e diz: ‘Por que?’; mas eu sonho coisas que nunca existiram e digo: ‘Por que não?’"

George Bernard Shaw

Esperar

Um amigo não retornou um solícito email de minha parte oferecendo ajuda. Em outra ocasião, alguém não apareceu no momento que achei que estaria lá. Houve ainda o dia em que não recebi a resposta que gostaria de ter ouvido. Três, de várias outras situações, em que fiquei irritado num primeiro momento, por não ter o resultado esperado. Mas com o passar das horas, ou dias, fiquei contente por reaprender algo.

Reaprendi a esperar.

Esperar fez bem, pois mudou todo o quadro. O amigo que não retornou o e-mail estava doente. A pessoa que não apareceu não tinha como fazer diferente. A resposta que não veio foi resultado de uma expectativa errada. Ou seja, para ter as respostas de que precisava, tudo de que eu precisava era esperar.

Deus age assim também. Ensina nas horas em que achamos que não precisamos aprender. Responde de maneira inesperada, para não acharmos que já sabemos qual é a melhor resposta. A própria vida de Jesus Cristo é uma prova de como Ele age no ‘estranho’ para nos providenciar o que é certo, seguro, e fonte de força.
O relógio que Deus usa nem sempre está no mesmo fuso que o nosso. E que bom. Assim sabemos que a hora certa é sempre certa. Porque é estipulada por Quem está sempre certo.

E mais: quando ficamos trancados em um sinal, portanto, ou perdemos o vôo, quando não vemos a resposta na hora exata, e diante tantas outras situações não programadas, temos duas opções: ficar irritados ou enfrentarmos com calma. Já que, em ambos os casos a alternativa única é esperar, dá pra imaginar o que mais vai nos fazer bem.

domingo, janeiro 04, 2009