o que permanece

A idéia seria fazer um ‘Good Brother’. Uma competição em uma casa, com vários participantes formando uma mesma equipe. Nela, ganha quem mais ajudar, mais servir, mais falar bem do outro, desculpar, interpretar da melhor maneira, respeitar. Quem sabe até todos saíssem vencedores, se todos trabalhassem neste mesmo espírito. Que tal?

Talvez todos ficassem dentro da casa para sempre.

Alguns gestos de grandeza até conseguem chamar a atenção. A pessoa que devolve o dinheiro, o piloto que salva a vidas ao pousar na água. Ontem mesmo, o presidente Barack Obama,
no discurso de posse , ainda que sendo adversário, mencionou: “Agradeço o presidente Bush por seu serviço à nação, bem como pela generosidade e cooperação que ele mostrou ao longo dessa transição”.
Mas, infelizmente, não mantém os números do ibope. Não têm muita duração na lógica do ‘salve-se quem puder’ ou ‘quem pode mais, chora menos’ em que vivemos. E, em tempos de Big Brother, torna a imperar a regra: ‘o importa é olhar a vida do outro para encontrar seus defeitos e dar-lhe ‘adeus’, mandando para o paredão. Sou eu quem realmente vale a pena’.

Mesmo assim, o conselho de Jesus permanece o mesmo: “Aquele que quiser ser importante, que sirva os outros". Com o coração ligado a Ele em fé, recebemos a proposta de irmos contra a lógica da audiência e investirmos na da convivência: servir, amar, ajudar. Humildade e grandeza. A mesma fé que faz de cada um a verdadeira pessoa mais importante do mundo. Não é necessário ser empossado presidente de um grande país. Basta ser chamado de filho.

Estas palavras de Jesus, tudo bem, podem não manter audiência. Mas mantém a alegria de viver e a satisfação de servir. E mostram também aquilo que realmente permanece.
A prova disso? Qual o nome vencedor do Big Brother 2005? Quem foi o 19º presidente dos EUA?

E quem foi o ‘Big Brother’ vencedor há 2000 anos?
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça