segunda-feira, março 31, 2008

Sobre BBBs

“Se cinqüenta milhões de pessoas dizem a mesma bobagem, continua sendo uma bobagem”

Anatole France

Concorda?

Duas amigas conversavam e uma contava para a outra como algumas pessoas, às vezes, faziam com que se sentisse completamente desanimada, desvalorizada, sem vontade de seguir em frente.
“Quando ouço comentários que me dizem que não consigo, que não vai dar certo, que não consigo acertar, me sinto muito mal, com vontade de desistir.”
A outra, então, deu seu conselho:
“Olha, quando você ouvir de novo alguma coisa como essa...concorde”.
A outra olhou espantada: “Concordar? Como assim?”
“Sim, concorde. Admita que você, de fato, não tem forças, pode fracassar e que não vai conseguir fazer tudo certo. E então, mostre que você sabe em Quem buscar tudo aquilo que, sozinha, não pode ter nem fazer: Deus”

Ela estava certa. Não há como negar que, sozinhos, estamos no caminho errado. Estamos prestes a perder as forças, ou estamos ficando sem condições de olhar além. E, se alguém disser que assim não vamos longe, não podemos lhe negar razão.
Mas para estas horas, em que ouvimos o que não gostaríamos de ouvir, em Deus encontramos as palavras certas para o nosso coração. Nele encontrarmos tudo o que sozinhos jamais conseguiremos alcançar. E Dele recebemos aquilo de que precisamos para jamais desistir.

Direcionar os ouvidos para as palavras de Jesus acalma o coração. Dá forças à alma. E sempre reanima nossa vida.

Concorda comigo?

sexta-feira, março 28, 2008

A seguir

Nova vinheta de abertura do programa Toque de Vida na Ulbra TV. Estréia em abril.

Mas quem recebe o toque por e-mail fica sabendo antes. A partir da semana que vem, o novo logo já vai estar nas mensagens, exclusividade para os 420 leitores cadastrados do Toque de Vida eletrônico.


Aguarde.

PS: Para cadastrar-se, envie um email para
toquedevida@ulbratv.com.br

Só a fé

“A preocupação olha em volta; a mágoa olha para trás; a esperança olha para a frente; a FÉ olha para cima”

adaptado de W. Lindberg

Perder para ganhar

Fonte da imagem

A quarta-feira passada, 26.03, foi uma noite de decisão no campeonato gaúcho de 2008. As equipes disputavam as últimas partidas da fase classificatória, e muitos dos times ainda com chances de vaga para a próxima etapa. Entre elas, a Ulbra (e não ‘Canoas’, como uma certa rede de comunicação insiste em chamar). Para garantir a vaga, o time da universidade só não podia perder.
Perdeu.

No entanto, ganhou.

Acontece que o adversário direto, Esportivo de Bento Gonçalves perdeu também, em casa, contra o time do Novo Hamburgo, que já não tinha mais chances. Um resultado bem inesperado
Assim, naquela noite, a Ulbra perdeu, mas ganhou. Está classificada e joga no próximo domingo contra o Inter de Porto Alegre.

No tempo de Jesus não havia futebol – ao menos que se saiba... – mas ele utilizou uma figura que se assemelha a esta. Quem perde, ganha. Estava falando da vida. “Quem perder sua vida por minha causa, vai ganhar”. Perder a vida, neste sentido, significa abrir mão de tudo aquilo que pode nos prejudicar em nosso relacionamento com Deus. Quando se trata das paixões e tentações humanas, que parecem nos dar vitórias, mas que, no fim, nos levam e impedimentos, faltas, cobranças erradas e erros de marcação, precisamos da derrota. Porque é assim que recebemos a vaga. Quando perdemos para o que o mundo considera importante, ganhamos na vida que Deus nos proporciona por meio da fé. Uma vaga que ninguém mais pode nos dar.

E, se a UIbra, ao passar de fase, vai enfrentar muitas dificuldades, para nós a tabela prevê só alegria. Já agora temos a garantia de que, na próxima fase, a Coroa da vitória é nossa. Eternamente.

quinta-feira, março 27, 2008

Tráfego

Março ainda não chegou ao fim e já tivemos o mês com maior número de visitantes únicos desde que o blog do Toque de Vida está no ar.

Obrigado, como sempre, a você!

quarta-feira, março 26, 2008

"Buscai primeiro..."

“Busque primeiras as boas coisas da mente, e o resto ou será suprido ou sua falta não será sentida”

Francis Bacon

E agora

E se agora você precisa tomar uma decisão, ir para algum lado? Ou até mesmo ficar parado, o que também é uma escolha. Manter o emprego ou procurar outro? Trocar de carro ou não? Está na hora de ter um filho? E se eu trocasse de curso na faculdade?

E agora?

Escolher não é fácil, mas é inevitável. Até não escolher já é uma escolha, portanto, estamos o tempo todo tomando decisões. Ou deixando os outros tomarem por nós, o que significa que concordamos com aquilo que for decidido.

Deus nos deu capacidade de fazermos escolhas, e é agora que elas acontecem. E têm reflexos no amanhã. Só não podemos esquecer de algo fundamental nesta situação: qualquer escolha gera duas opções, acertar, que é o que mais queremos, e errar, que é o que não desejamos. Não podemos nos cobrar cem por cento de acerto. E não podemos nos crucificar pela porcentagem de erros. Isso vai acontecer. Lembrar disso nos dá mais tranqüilidade para decidir, mais alegria no acertar e ombros mais largos para, se necessário, carregar o se equivocar.

E, se agora você está diante de uma escolha muito importante em sua vida, é importante lembrar: seja qual for o resultado dela, enquanto você permanecer na fé, a escolha de Deus não muda: estar ao seu lado sempre.

terça-feira, março 25, 2008

Frase

“Somente os medíocres estão sempre no seu melhor”

Jean Giraudoux

Estabilidade autônoma

Uma coisa é a hipertensão. Pessoas que sofrem com certa regularidade, ou têm por bastante tempo, elevação de sua pressão sanguínea.
Jà quando você bate o carro, tem um momento difícil no trabalho ou briga com alguém da família, e porventura tem elevação de pressão, chama-se instabilidade autônoma. Segundo o Dr. Otávio, na consulta de hoje, não é caso de se preocupar. São episódios até normais, pois a pessoa está submetida a uma dificuldade que favorece este tipo de situação.

Nem todas as situações de nossa vida merecem toda preocupação, angústia e até certo desespero. Instabilidades autônomas também são normais em nossa semana, ou nosso dia. É quase impossível nossa pressão emocional não se elevar também diante de uma bronca do chefe, uma indiferença do atendende, um resultado negativo ou uma situação inesperada.
O problema é somente quando isso se torna ‘hipertensão’, isto é, permitimos que deteminados problemas ou vícios se estabeleçam em nossa corrente sanguínea sem procuramos orientação adequada para controlar ou até eliminar o mal que nos causam.

A establidade que precisamos nestas horas vem Daquele que bombeia para nosso coração as quantidades adequadas de força, alimento, fortalecimento para nosso dia. É neste ponto que sabemos que os episódios que nos acontecem podem ser analisados e enfrentados com establidade e segurança. Porque instabilidades são inevitáveis. Mas perder o controle é opcional. Em Jesus Cristo, encontramos o amor que pode tudo mudar. E controlar.

O que nos dá estabilidade autônoma para enfrentarmos com convicção toda e qualquer pressão que o cotidiano quiser apresentar..

Páscoa diária

Jovem tem alta após ouvir médicos declararem morte

Um americano de 21 anos que sobreviveu a um acidente de carro em novembro do ano passado contou à rede de TV NBC ter ouvido os médicos o declararem como morto.

Zack Dunlap foi levado para o hospital inconsciente e 36 horas após o acidente uma tomografia cerebral mostrou que seu cérebro já não recebia qualquer fluxo sangüíneo. O rapaz ouviu quando os médicos disseram à família que ele estava com morte cerebral.
Os pais de Zack viram o exame e constataram o diagnóstico médico."Não havia qualquer atividade cerebral", disse Doug, pai de Zack, a um programa da NBC. Os pais decidiram, então, manter os aparelhos ligados o tempo suficiente para que a equipe encarregada de retirar seus órgãos chegasse de uma outra cidade.

Algumas horas depois de ser declarado como morto, uma enfermeira começou a remover alguns de seus tubos enquanto aguardava a equipe de retirada de órgãos.
Os primos de Zack Dunlap, Dan e Christy Coffin, ambos enfermeiros, estavam no quarto nesse momento e por sua aparência, desconfiaram que ele não estava morto.Foi quando Dan sacou uma pequena faca de bolso e passou na sola do pé de Zack, que reagiu imediatamente.A enfermeira disse que se tratava de um reflexo, mas o primo insistiu. Enfiou uma de suas unhas por baixo de uma das unhas do primo, que reagiu com mais força, mexendo o braço ao longo do tronco."Fomos do fundo do poço às alturas", disse a mãe do rapaz. "Foi o maior milagre que poderia ter acontecido".

Os médicos advertiram à família que ele poderia ficar com sérios danos cerebrais, mas cinco dias depois Zack abriu os olhos e 48 dias após o acidente voltou para casa.

Apesar da pressão para doação de órgãos, liberação da eutanásia, nos levando a acreditar que o veredito médico sobre morte cerebral é sempre definitivo, é preciso estar atento.
Nem sempre.


Em certas coisas, é Deus quem continua no controle.

segunda-feira, março 24, 2008

O que é bom

“Quando algo foi dito, e com propriedade, não tenha escrúpulos. Pegue e copie”

Anatole France

Fonte

“Sócrates ensinou por 40 anos. Platão, 50. Aristóteles, por 40. Jesus Cristo, por apenas 3. No entanto, a influência do ministério Dele é maior do que a soma dos 120 anos destes três nomes que estão entre nos maiores filósofos de todos os tempos.
Jesus não fez pinturas. No entanto, algumas das mais importantes obras de Raphael, Michelângelo e Leonardo da Vinci foram inspiradas Nele.
Jesus não escreveu poesias. Mas Dante, Milton e coleções de grandes poetas do mundo também se inspiraram no Mestre.
Jesus não compôs nenhuma música. Contudo Haydn, Haendel, Beethoven, Mendelssohn e o fenomenal Bach chegaram à perfeição melódica nas músicas que compuseram em Seu louvor.
Cada esfera de grandeza humana foi enriquecida por Jesus Cristo.”


(Henry G. Bosch. Ilustração 2679 em ‘ Encyclopedia of 7700 Illustrations’. Paul Lee Tan)


Este é o legado do humilde e amoroso Mestre de Nazaré, Jesus Cristo.
Aquele que morreu por nós e que, igualmente por nossa causa, voltou a viver.

E que é fonte de inspiração para todas as gerações desde então.

quarta-feira, março 19, 2008

“Não foi a fé dos discípulos que criou a ressurreição de Jesus. Foi a ressurreição de Jesus que criou a fé dos discípulos”

Gerson Linden

Sucesso

Como eram os nomes dos 5 menudos?
Quem venceu o BBB número 4?
Quem ganhou o Oscar de melhor ator em 2007?

Difícil encontrar alguém que consiga responder sem pesquisar. A maioria de nós já não lembra quem fazia sucesso nem há um ano, quanto mais há duas décadas.

“Nada falha mais do que o sucesso”, frase de Gerald Nachman, resume como o sucesso, na definição humana, é frágil, passageiro. Poucos são os que conseguem ter e manter-se nele. E, no entanto, quanto se busca estar no topo! Alguns cometem verdadeiros atentados ao bom gosto em busca de uma fresta de exposição.

A Semana Santa nos apresenta o contrário. “Nada foi mais bem sucedido do que o fracasso”. Neste caso o ‘fracasso’ de Cristo. Pois toda a cena da paixão aponta o que em padrões humanos representa o fundo do poço. Zombarias, julgamentos, cuspes, condenação, que culminam na cruel morte de cruz.

Mas o aparente fracasso tornou-se o maior sucesso da história. Tanto que até a dividiu em dois. Só que o sucesso desta obra não está na fama ou popularidade que obteve. Está no que Cristo conquistou. Perdão dos pecados. Reconciliação e paz com Deus. Vida eterna. A partir da fé, ninguém mais é um estranho. Somos celebridades para Deus. Quer dizer, mais que isso. Somos filhos, de um Pai amoroso e fiel, e que mede sucesso e fracasso com padrões diferentes do que o mundo está acostumado. Estar com Ele, é ter sucesso no que mais importa: o coração.

Uma feliz e bem-sucedida Páscoa pra você!

terça-feira, março 18, 2008

Esperança

Houve certa vez um vale que seria totalmente inundado em função da construção de uma hidrelétrica.
Havia também uma pequena cidade no fundo daquele vale. Desde que a notícia da construção da usina foi divulgada, a localidade simplesmente parou. Entrou em colapso, o desânimo foi total. Quando alguém perguntou o por quê disso, a resposta foi “Quando não há esperança no futuro, não há trabalho no presente”.

O presente de nossa sociedade está inundado de assuntos nada agradáveis. Álcool em excesso, drogas, libertinagem. Busca pelo alívio imediato. Egoísmo agudo. Tudo o que recompensa hoje, é bem vindo. Tudo o que só vai trazer resultado amanhã, parece difícil demais para ser levado tão a sério.
Seria o caso de que muitas pessoas não trabalham mais suas vidas no presente porque perderam a esperança no futuro?

Pois esta é a semana para lembrarmos que esta pode ser a exceção. A morte de Jesus Cristo na sexta-feira santa, e também a ressurreição no domingo de Páscoa apontam paz, alegria e vida. Garantem futuro. E esperança nele. E esta esperança, que temos em fé, acende nosso desejo de trabalhar. De viver o presente com intensidade sem tirar os olhos do que vem ali adiante, que pode estar mais perto ou um pouco mais longe.

Se Páscoa é tempo de esperança, estamos falando daquela que é certeza de vida eterna, e de sentido para continuar vivendo. Preenchidos por este amor, geramos a energia que alimenta não apenas o coração que bate em nosso peito, mas também aqueles que compartilham do mesmo ar que respiramos.

E ainda que, como diz o Salmo 23, andemos pelo vale da sombra da morte, a semana Santa inunda a vida de esperança: nos aponta o caminho que conduz à vida.

Confessionalidade

Qual é o trabalho de uma Pastoral?
Qual é o trabalho da pastoral da Ulbra?

Clique e conheça.
('5''30)

Ulbra Pastoral

segunda-feira, março 17, 2008

Existência de Deus

Um padre e cosmólogo polonês que sustenta a possibilidade de comprovar matematicamente a existência de Deus é o vencedor do mais polpudo prêmio acadêmico do mundo.

"Invariavelmente eu me pergunto como pessoas educadas podem ser tão cegas para não ver que a ciência não faz nada além de explorar a criação de Deus.", comenta Michael Heller, 72.

Leia mais.

Claro, existe sempre a crítica, e pessoas como
Richard Dawkins questionam o prêmio, alegando que só é dado a quem defende teses conservadoras cristãs.

Impressão minha ou a possibilidade – sempre real – de que a ciência seja obrigada a se render à existência de Deus às vezes assusta alguns cientistas?

Significado


Deve ser falta de percepção minha, concordo. Mas, nos últimos 25 anos da minha vida, nunca consegui ver sentido em um logotipo: o do Banco do Brasil. Ficava pensando, “mas que raios quer dizer isso?” Aquelas coisas entrelaçadas, aqueles traços aparentemente sem sentido... Por fim, cansado de tentar imaginar, a alternativa foi “bom, deve ter sido só uma ‘viajada’ publicitária do criador”.
Uma viajada de uns 200 anos, por sinal.

Hoje, finalmente, vi a explicação. Aguardando atendimento na agência, o painel eletrônico didaticamente desvendou o segredo bicentenário. Primeiro, na animação, aparecerem dois Bs maiúsculos. Então, eles ficam minúsculos e, depois, estilizados. Em seguida, os dois se entrelaçam, a haste de um ficando na direção sudoeste e a outra, nordeste. Pronto. O logo, afinal, se desvendava diante dos meus olhos. Passava a ter uma explicação e fazer sentido para mim.

Para muitos, as barras entrelaçadas da cruz de Cristo também não fazem sentido. Mesmo que o vejam desde que se conhecem por gente. Bem, na verdade, ninguém nós veria o sentido real deste logo se não houvesse a explicação clara e didática de sua origem e motivo.

Na narrativa da paixão, que relembramos nessa semana santa, encontramos o que aquelas barras, uma no sentido norte-sul, e outra leste-oeste, querem dizer. Elas são o símbolo, a figura, o logotipo do amor de Deus em todas as direções. Tudo resumido em duas hastes, que fazem todo o sentido para quem, absorvendo esta clara explicação, aceita em fé seu sentido e valor para a vida diária.

Este símbolo é a representação da obra-prima do amor de Cristo pela humanidade. Através dele, Deus abre nossa conta na qual deposita valores que não têm preço, e que sustentam toda uma vida. E não se trata de ‘viajada’ do Criador. É uma explicação clara e objetiva, que faz a cruz deixar de ser apenas símbolo para passar a fazer sentido e trazer animação para a vida de cada um de nós.

Há mais de 2000 anos, por sinal.

sexta-feira, março 14, 2008

Música boa



Vem aí uma nova oportunidade para os que apreciam a boa música! Duas vezes por semestre estarão acontecendo na Capela da ULBRA, aos sábados à noite, concertos de música erudita, sacra ou popular. Início em abril, sempre com entrada franca.

Em breve, portanto.

Aprendizado

"A experiência é a mais brutal de todos os professores. Mas você aprende. Ah, se aprende!"

C.S. Lewis

na casa do Senhor

Fonte da imagem

Casal americano transforma capela em residência. Cynthia e Dan Lufkin adquiriram a capela do Hospital do Câncer de Nova York, construída nos anos 1880, e fizeram dela o seu lar. A sala de estar tem vista para o Central Park.

O casal provavelmente não a comprou por motivos religiosos. Mas é uma interessante aplicação literal do Salmo 27.4: “A Deus o Senhor, pedi uma coisa, e o que eu quero é só isto: ele me deixe viver na sua casa todos os dias da minha vida, para sentir, maravilhado, a sua bondade e pedir a sua orientação”.


Sugestão do colega Pastor Marco Jacobsen.

Cabe em qualquer lugar

Certa vez dois homens foram ao templo para orar. Um deles era um conhecido líder religoso. O outro, tinha a fama de não andar em boas companhias. O religioso foi até perto do altar, enquanto que o ‘pecador’ sentou-se no último banco.

Lá na frente, o mestre ficou em pé e fez sua oração: “Ó Deus, graças te dou porque não sou avarento, nem, desonesto, nem imoral como as outras pessoas. Eu venho à Igreja toda semana. Ajudo os pobres.Agradeço porque porque não sou do tipo de gente como este rapaz sentado lá no fundo. E, ainda, eu pago o dízimo religiosamente e jejuo sempre que posso.”

O ‘pecador’, lá no fundo da igreja, não tinha coragem nem de levantar os olhos. Apenas chorava. E, em sua oração, consegui dizer apenas uma frase: “Deus, tem piedade de mim, pois sei que sou imperfeito!”

Qual dos dois voltou para casa em paz com Deus?

Talvez nosso mundo que gosta de julgar pela aparência, ou por falsos moralismos, diria que foi o primeiro. Mas
Jesus, que foi quem contou esta parábola, disse que foi o segundo. O motivo: “Quem se engrandece, será humilhado. E quem se humilha, será engrandecido”. A história é sobre uma das virtudes mais desejadas, mas nem sempre tão cultivadas: humildade. Além de demonstrar que não há ser humano que tenha condições de fazer uma oração como a do mestre religoso, Jesus Cristo enfatiza o valor de ser humilde. E olha que Ele tinha todos os motivos do mundo para proclamar sua perfeição. No entanto, praticou a humildade. Temos aí um bom motivo para seguir o exemplo.

E não se trata de tentar depreciar o ser humano, dizer que não temos nada de bom. Trata-se apenas de reconhecer de que tudo o que temos de bom - e temos muito! – recebemos das mãos de Deus. Nosso papel, portanto, não é nos julgarmos superiores, mas vivermos como alegres recebedores das inúmeras oportunidades e bênçãos que Deus nos dá. Reconhecermos quando erramos. Agradecermos quando acertamos. E, em tudo, cultivar o princípio que se ajusta a qualquer situação: humildade. Qualquer mesmo.

Pois, como diz a frase, a humildade é a única coisa que cabe em qualquer lugar.

quinta-feira, março 13, 2008

Células-tronco e vida

Fonte da imagem


Com a Lei de Biossegurança em processo de aprovação nas instâncias federais, voltam à tona as discussões sobre aspectos éticos das pesquisas com células-tronco. Por conseqüência, uma dos temas mais abordados neste ambiente também aparece com força: o início da vida.

No Toque de vida de hoje, algumas reflexões do ponto de vista cristão sobre o tema.

Início da Vida – O único critério objetivo para se determinar quando existe vida é o momento em que a fecundação está completa (zigoto). Neste momento já estão presentes os 46 cromossomas e todo o DNA do ser humano que inicia sua vida. Todo e qualquer outro critério de definição (viabilidade, nidação, formação do tubo neural, etc....) é subjetivo, ou seja, depende da opinião e posição de quem o emite.

Conceito de Pessoa, Ser Humano, Vida – Para os cristãos, é difícil separar estes conceitos. Um zigoto é um ser humano, e também uma pessoa, é uma vida, ao mesmo tempo. Não é possível distingui-lo de nós, que já estamos aqui do lado de fora, apenas porque ainda não se vê pernas, braços, atividade cerebral ou porque não paga impostos. De outra forma, vários outros seres humanos que já saíram do útero materno também deveriam sofrer alteração em sua classificação.

Qualidade e Santidade de Vida – Embora reconheçam que a melhor qualidade de vida possível deva ser buscada para todos os seres humanos, os cristãos defendem antes disso a Santidade da vida, isto é, a vida tem valor em si, pelo simples fato de ser vida.
Este é um conceito bastante subjetivo. O que para um pode ser qualidade de vida, para outro pode não.
Santidade de vida, entretanto, é um conceito objetivo: existindo vida, ela tem valor perante Deus e a sociedade, e por isso merece respeito e defesa absolutos.

Pesquisas com células-tronco – Até agora, as pesquisas com células-tronco embrionárias têm se mostrado problemáticas no que se refere à preservação da vida, uma vez que trabalham com óvulos plenamente fecundados – zigotos –, manipulando e descartando estes embriões, que já são vida humana em sua totalidade.
Já quanto às pesquisas com células-tronco adultas, não parece haver qualquer problema ético envolvido, visto que não representam ameaça à vida. Ao contrário, vão em direção da preservação e manutenção dela, tanto do embrião como das pessoas que, no futuro, eventualmente poderão se beneficiar deste avanço da ciência.

Para concluir, é importante afirmar que os cristãos são a favor de toda e qualquer pesquisa que seja feita para o bem da humanidade.
Desde que sejam preservados os princípios básicos de direito e defesa da vida.

Mais sobre Células tronco

Informações e questionamentos sobre a polêmica da liberação de
pesquisa com células tronco retiradas de embriões humanos


Rev. Rafael Nerbas
Capelão do Colégio Ulbra Cristo Redentor
pastoral.ccr@ulbra.br


· Abaixo o parágrafo da chamada “Lei de Biossegurança” que está sendo questionada e debatida no STF:

Art. 5º É permitida, para fins de pesquisa e terapia, a utilização de células-tronco embrionárias obtidas de embriões humanos produzidos por fertilização in vitro e não utilizados no respectivo procedimento, atendidas as seguintes condições:
I - sejam embriões inviáveis; ou
II - sejam embriões congelados há 3 (três) anos ou mais, na data da publicação desta Lei, ou que, já congelados na data da publicação desta Lei, depois de completarem 3 (três) anos, contados a partir da data de congelamento.
§ 1º Em qualquer caso, é necessário o consentimento dos genitores.
§ 2º Instituições de pesquisa e serviços de saúde que realizem pesquisa ou terapia com células-tronco embrionárias humanas deverão submeter seus projetos à apreciação e aprovação dos respectivos comitês de ética em pesquisa.
§ 3º É vedada a comercialização do material biológico a que se refere este artigo e sua prática implica no crime tipificado no art. 15 da Lei nº 9.434, de 4 de fevereiro de 1997.


· Para se entender melhor o que a lei permite é importante conhecer a técnica de reprodução humana assistida chamada Fertilização In Vitro (Bebê de Proveta), cujo processo envolve coleta e seleção de espermatozóide do pai; estimulação hormonal para produção de um número maior de óvulos e posterior retirada cirúrgica de óvulos da mãe; a fecundação (fertilização) que aconteceria em situação normal dentro do aparelho reprodutor feminino acontece em laboratório; o método mais comum hoje permite a colocação direta por meio de uma seringa especial do espermatozóide dento do óvulo; a partir daí a célula resultante dessa fusão (zigoto) já possui DNA próprio e todas as características genéticas de um novo indivíduo; espera-se então um período de 4 a 10 dias até que se tenha o embrião no estágio chamado mórula (o nome vem da semelhança com uma amora); nesse estágio o embrião já possui de 100 a 150 células e será então cirurgicamente implantado na mãe; para aumentar a chance de uma gestação implanta-se mais de um embrião (a lei brasileira permite um máximo de 4 embriões implantados por vez por causa do risco de gravidez múltipla – gêmeos, trigêmeos como no caso do casal William Bonner e Fátima Bernardes); a questão complicada neste processo é que, por causa do alto custo financeiro do procedimento, além das dificuldades da estimulação hormonal e cirurgias a que a mulher se submete, normalmente um número maior de embriões são “fabricados” em laboratório e os embriões que não foram implantados são criopreservados (congelados em nitrogênio líquido); esses embriões congelados têm um “prazo de validade”, ou seja, sobreviverão congelados por um prazo máximo de 6 anos; quanto mais tempo eles permanecerem congelados, menor a chance de sucesso de uma gestação ao serem implantados.

· O que a lei permite então é que casais que utilizaram a fertilização in vitro e que tenham embriões resultantes congelados há mais de 3 anos, possam doar esses embriões para pesquisa.

· Que pesquisa é essa? Os embriões congelados estão no estágio chamado mórula; nesse estágio uma parte significativa das pouco mais de 100 células do embrião são células tronco, que tem a programação genética que permitirá a formação de todos os tecidos do organismo humano que a partir de então se formará (ou não no caso de embriões congelados que não forem implantados); essas células tronco presentes no embrião, supõe-se terem potencialidade de utilização maior que as chamadas células tronco adultas (presentes na medula óssea, na gordura, no cordão umbilical e que não precisam ser retiradas de embriões); os pesquisadores que defendem a lei argumentam que essas células tronco presentes nos embriões poderiam oferecer maiores probabilidades de tratamento a doenças até então ainda sem solução.

· A questão importante aqui é saber que no momento da retirada das células tronco do embrião descongelado, esse embrião morre.

· A partir da definição bíblica de que a vida humana é sagrada e obra de Deus desde o primeiro momento, ou seja, a fecundação (fertilização), a lei permitindo a retirada de células tronco do embrião estaria automaticamente autorizando a destruição de vidas humanas.

· A questão é bem mais profunda se pensarmos na própria utilização da fertilização in vitro, que envolve muitas vezes o descarte de embriões produzidos em laboratório e que são considerados “inviáveis” após um escaneamento genético; a própria criopreservação (congelamento) de embriões que resulta na morte do embrião após um período de permanência congelado também é questionável diante da sacralidade da vida humana criada por Deus.

· Quanto à retirada das células tronco do embrião, os pesquisadores argumentam que no caso de embriões congelados há mais de 3 anos, cujos pais não desejam mais implantá-los, seria um destino mais digno destiná-los à pesquisa que possa resultar em avanço na medicina do que simplesmente jogá-los no lixo após vencer o prazo de vida no congelamento; pode-se questionar esse ponto de vista pela sutil diferença entre deixar o embrião morrer “naturalmente” no congelamento ou autorizar alguém a destruí-lo; mas a questão fundamental é discutir a partir de que momento a vida humana precisa ser protegida e respeitada, não manipulada e colocada em situações que possam resultar em descarte, ainda que os fins sejam bem intencionados.

· Outro questionamento que pode ser levantado e que a mídia não está levando em consideração é a importância do resultado desse julgamento, especialmente para aqueles que defendem a legalização do aborto no Brasil; se o STF bate o martelo a favor da utilização do embriões em pesquisa com células tronco, definindo que o embrião, então com uma semana de vida, não é reconhecido como vida humana e conseqüentemente não tem direito à proteção da lei, isso é uma porta se abrindo para uma posterior decisão jurídica estendendo um pouco mais esse prazo para algumas semanas ou meses mais, oferecendo então um precedente jurídico que favoreça opiniões favoráveis à legalização do aborto.

· Outro aspecto importante é saber que todas as pesquisas e tratamentos em seres humanos com sucesso até hoje envolvem apenas a utilização de células tronco adultas retiradas principalmente da medula e da gordura do próprio paciente; já existem resultados promissores de tratamento para mais de 70 patologias com a utilização de células tronco adultas; as células tronco embrionárias não são a única e possivelmente não sejam a melhor fonte de tratamento; as pesquisas com células tronco embrionárias até hoje não conseguiram sucesso ainda pleno nem com animais de médio porte, principalmente por causa do problema do surgimento de tumores e câncer nos animais onde células tronco embrionárias foram utilizadas por causa da disposição natural destas de crescer aceleradamente.

· Por isso, por que não investir muito mais na pesquisa com células tronco adultas, cujos resultados já são promissores, esgotando as possibilidades de tratamento com elas antes de autorizar a destruição de embriões?

· Outra questão importante e pouco divulgada: se as pesquisas com embriões forem autorizadas, e num futuro próximo forem descobertas terapias e tratamentos eficientes com esse tipo de células tronco retiradas de embriões, qual o próximo passo se a maioria de nós, população adulta, não dispõe de embriões congelados geneticamente compatíveis? Como resolver esse problema da compatibilidade genética? Há uma solução prevista: clonagem terapêutica, ou seja, produção de embriões humanos clonados para serem geneticamente compatíveis com o paciente, com o único propósito de serem mais tarde destruídos para a retirada de células tronco a serem utilizadas no tratamento; nesse caso os fins justificam os meios?

· Além disso, como fica a questão de autorizar então pesquisadores a terem em seus laboratórios autorização, estrutura e recursos que permitam a clonagem humana? Como fica a questão ética em relação à vida humana criada por Deus? Quem garante que os pesquisadores se limitarão a utilizar apenas a clonagem com fins terapêuticos?

· A mídia está apenas revelando um lado da moeda e classificando a opinião contrária como retrógrada e fanática, como se o único interesse fosse atrapalhar a ciência ou ir contra ela; mas a questão envolve questionamentos sérios por parte da ética cristã, que infelizmente não estão sendo enfocados nem ouvidos; mas mesmo assim necessários e que precisam chegar aos ouvidos de nossos rebanhos para que tenham condições de formar uma opinião que não apenas enfoque os fins sem questionar os meios; a vida humana é sagrada por que foi criada Deus e resgata em amor por causa de Cristo; por isso a importância de se refletir sobre essa questão a partir de uma visão que coloca Deus no seu devido lugar como Criador e Doador da vida; a criação como obra de Deus está, em último plano sendo questionada aqui também por uma sociedade “pós-cristã” que não reconhece mais nenhuma ligação nem influência de Deus no curso da história humana e conseqüentemente nas decisões que envolvem aspectos tão delicados como essa questão dos embriões.

Células tronco


Neste momento em que a Lei de Biossegurança está em discussão no país, muitos bucam informações e subsídios para uma tomada de posição quanto ao tema.

Contribuindo para este debate, o Toque de Vida publica esta entrevista que o Rev. Rafael Nerbas, pastor da Igreja Luterana, estudioso de temas relacionados à Bioética, concedeu em 2005. Nela, abord, entre outros temas, as pesquisas com células-tronco.


-O Sr., como um dos representante da Igreja Luterana, é contra ou a favor das pesquisas e dos tratamentos com células-tronco embrionárias? Por que?
Sou contrário às pesquisas e tratamentos com CT embrionárias pelo seguinte motivo: defendemos o direito e respeito à vida em todos os seus estágios de desenvolvimento, o que inclui o estágio embrionário. A retirada das CT significa a destruição do embrião, sendo em nossa opinião, a interrupção de uma vida humana, não importando a finalidade, por mais nobre que seja, da pesquisa. Os fins não justificam os meios quando se trata de vidas humanas. Deus, o Criador, atribui uma dignidade sagrada à vida de cada ser humano desde o momento inicial – a fecundação.


-Qual seu parecer quanto à aprovação de leis que regulamentam a clonagem terapêutica?
A aprovação de leis que permitam a clonagem terapêutica abrem precedentes perigosos para o avanço de técnicas de clonagem humana. A clonagem humana, em minha opinião, não deve ser permitida pois as conseqüências sociais prováveis não são nada animadoras. A humanidade precisa tomar conta de forma adequada e justa de milhões de miseráveis morrendo de desnutrição, de falta de condições dignas de sobrevivência, antes de se preocupar em clonar alguém. Os recursos para a pesquisa da clonagem continuarão sendo muito melhor empregados em outras pesquisas que resultem em proveito para a humanidade em sua maioria. Por isso, a aprovação da clonagem terapêutica é perigosa, pois legalizaria o processo necessário para se ir além dela, sendo difícil o controle se de fato se usariam apenas os embriões clonados para retirada de CT ou se continuaria o processo implantando e produzindo clones humanos.

- Qual sua posição quanto à clonagem reprodutiva?
Como já expresso acima, a clonagem humana traria impactos muito mais difíceis de resolver e aceitar do que benefícios à humanidade como um todo. Além disso, do ponto de vista teológico, seria avançar demais na manipulação da vida humana, um desafio à soberania do Deus Criador.

- Para a Igreja, quando inicia a vida do ser humano?
A Igreja Luterana tem como princípio basear sua teologia e doutrina na Bíblia unicamente, por acreditar ser esta a revelação de Deus à humanidade. Não há nenhuma passagem bíblica que responda a essa pergunta de forma clara, mesmo porque a Bíblia não é um manual de instruções e seu objetivo não é ser um compêndio de perguntas e respostas sobre a existência humana, mas seu objetivo principal é revelar o amor de Deus ao mundo através de Jesus Cristo. Mas o direito e respeito à vida humana fazem parte dos mandamentos de Deus e especialmente importantes nas palavras de Jesus no Novo Testamento. Há passagens bíblicas que são teologicamente importantes quanto ao valor atribuído por Deus à vida humana desde os seus estágios iniciais de desenvolvimento. Exemplo: Jó 10.8-12; Salmo 51.5; Salmo 139.13-16; Jeremias 1.5. A teologia luterana leva em conta os aspectos lingüísticos do hebraico e grego, línguas originais do relato bíblico. Em ambas, não há distinções importantes de palavras para estágios de vida humana – pelo contrário, palavras que nesses versículos são traduzidos como “feto” ou “substância informe” por exemplo, aparecem em outras passagens e outros contextos traduzidas como “filho”, “criança”, e até “adolescente”. Os aspectos lingüísticos reforçam portanto a opinião de que vida humana é sagrada desde o seu início na fecundação. Aliada a esta posição bíblica, defendemos a opinião de que no momento da fecundação/fertilização está ali uma nova célula com código genético próprio, uma nova pessoa. Mesmo a questão da possibilidade de divisão (gêmeos) posterior não afeta isso, porque a questão da individualidade não elimina a questão da pessoalidade. Também defendemos a fecundação porque qualquer tentativa de classificação posterior do início da vida humana é subjetiva, dependendo de critérios de avaliação, e criterização identificando quem é humano e quem não é já deu mostras suficientes de seu perigo na história da humanidade. Para não se correr o risco de errar no critério subjetivo e então pecar eliminando uma vida humana, adota-se o critério mais objetivo possível – a fertilização como primeiro estágio identificado de mudança genética, de surgimento de algo novo, de início de um processo que só se extinguirá na morte do indivíduo.

- O Sr. acredita que seria mais viável o uso de células-tronco adultas, ou o uso de células-tronco embrionárias? Por qual motivo?
Acredito. Pude participar em julho de 2005 de um Simpósio Nacional sobre CT promovido pelo Cremers em Porto Alegre. Neste encontro que contou com a presença de, entre outros, Dr. Carlos Antonio Gottschall, Dra. Nanci Nardi, Dr. João Pedro Marques Pereira, Dr. Luiz Fernando Bouzas, ficou evidenciada a maior probabilidade de sucesso e avanço nas terapias com CT adultas. Mesmo a questão do maior potencial de diferenciação, que há pouco se atribuía como exclusiva às CT embrionárias, já se sabe que é própria de alguns tipos de CT adultas também. Além disso, a ausência de questionamentos éticos maiores e a vantagem da compatibilidade genética e riscos de rejeição menores fazem das CT adultas um caminho mais viável. Repetindo uma frase dita por uma das palestrantes: “a CT embrionária não é a única e talvez nem seja a melhor”.

- Como o senhor acha que será o futuro das pesquisas com células-tronco embrionárias? O Sr. acha que há razões para tanta esperança?
Em primeiro lugar, entre ser moral ou pragmática, a ciência sempre optou pela segunda opção ao longo da história, o que indica que mesmo o questionamento ético e reações contrárias não impedirão o avanço na pesquisa com CT embrionárias, e em nosso país com a facilidade da Lei de Biossegurança aprovada. Penso ser complicada a questão da posterior formação de tumores e a questão da incompatibilidade genética. Mais complicada ainda é a aprovação da clonagem terapêutica como solução para a incompatibilidade. A esperança pode ser mais conseqüência do apelo da mídia que realidade, visto o insucesso até agora nas experiências com embrionárias ainda em animais de porte menor. Do ponto de vista cristão e luterano, temo que tal esperança coloque em risco outra esperança de ver a vida humana respeitada em qualquer estágio de desenvolvimento.

- Manter a vida de homens e mulheres adultos utilizando células-tronco embrionárias pode ser considerada “prioridade” em comparação a manter a vida do embrião?
Penso ser complicado falar em prioridade, ainda que entre aspas, quando se trata de vidas humanas em jogo. Se há vida humana em perigo, esta é sempre prioritária, o que faz do embrião alvo de proteção a qualquer custo. Defendo a priorização da pesquisa com CT adultas que podem revelar num futuro próximo soluções efetivas que dispensem o sacrifício de embriões.

- Alguns religiosos afirmam que embriões não deveriam ser destruídos porque eles não tem condições de usar a própria autonomia no momento de optarem sobre a sua destruição. O Sr. acredita que o status moral do deve ser levado em consideração ou o Sr. acredita que o embrião não possui status moral?
Não é uma questão de status moral, mas de respeito ao direito sagrado à vida. O início da vida não é resultado de opção ou escolha do indivíduo, mas da ação criadora de Deus que dá origem à vida. Portanto, a morte ou destruição também não pode ser enquadrada como questão de opção ou escolha, mas coloca-se debaixo da soberania de Deus sobre a vida humana.

- Assim como falam alguns especialistas, é grande o risco de as biotecnologias vieram a tratar o homem não como um fim em si mesmo, mas também como meio para as pesquisas? O Sr. acredita que isso possa ocorrer?

Não só pode como já ocorreu diversas vezes na história da humanidade, e pode estar ocorrendo agora em nosso país, quando a pressão da mídia e da bancada ruralista pela aprovação da lei de Biossegurança regulamentando os transgênicos foi utilizada como oportunidade para inclusão nessa lei de um parágrafo um tanto deslocado no contexto da lei aprovando a liberação dos embriões congelados há mais de 3 anos. O mais intrigante é o contra-senso na questão legal, pois transita no Senado há mais de 2 anos projeto de lei que prevê proibição do congelamento de embriões e limita a 1 embrião implantado na Fertilização in Vitro. Passou-se por cima desse projeto aprovando essa inclusão em cima da hora desse item na Lei de Biossegurança e justificando-se a mesma com apelos emocionais – tratando a vida humana não como um fim em si mesmo, mas um meio para as pesquisas.

- O Sr. acha que a liberação das pesquisas com embriões pode levar a clonagem e a bioindústria?

Sim, pelo apelo posterior e provável pela aprovação da clonagem terapêutica como solução de problemas na utilização de possíveis terapias com embrionárias num futuro próximo.

- Como o Sr. vê a participação da sociedade nesta questão com embriões?
Há pouco acesso à informação clara e precisa que contemple os dois lados da questão. A mídia classifica as opiniões contrárias à utilização dos embriões como opinião religiosa retrógrada ou fanática, ignorando que a religião cristã não é contra a vida humana, nem contra a ciência em si, muito menos contra a busca de esperança para milhares de pessoas ainda sem perspectiva de cura de suas doenças. O cristianismo é, porém, uma das vozes dignas de serem ouvidas com respeito nesse debate e não pretende nada mais do que a proteção ao direito sagrado à vida.

- E a mídia? Para o Sr. como está sendo o papel da mídia em relação à essa novidade?
Idem à resposta anterior.

quarta-feira, março 12, 2008

resposta

“Há mais lágrimas derramadas por orações atendidas do que pelas não atendidas.”

(S.Teresa de Jesus)

no lugar certo

Fonte da imagem

Gasolina é algo bom ou ruim para um carro?

A resposta mais óbvia perece ser ‘sim’, já que é o combustível que o move. Mas acredito que o mais razoável seria dizer ‘depende’.
Porque gasolina dentro do carro, no motor, obtém um tipo de resultado. Ao entrar em combustão, gera a energia necessária para que ele possa se mover à velocidade pretendida. Gera a força necessária para entrar em ação.
Mas e gasolina por fora do carro? Neste caso, os resultados são péssimos. E, se entrar em combustão, então... só uma coisa pode resolver. Comprar outro.

As coisas precisam estar no lugar certo para produzir o resultado adequado.

Com a fé acontece a mesma coisa. Quando ela é algo meramente externo, traz mais prejuízo do lucro. Pois a pessoa vai viver apenas de aparência. Ou sendo completamente fria, mas dizendo que acredita; ou tentando demonstrar uma espiritualidade tão exagerada que acaba deixando em dúvida quem contempla a cena se aquilo é espiritualidade ou se não parece mais um show pessoal.
Já escreveu Martinho Lutero, há quase 500 anos: “Tudo que é muito espiritual, é também carnal”.

Fé dentro do coração é que produz o resultado certo, Primeiro, porque é reconhecida como presente de Deus. Segundo, porque ali é o lugar certo de ela entrar em combustão’, fazendo com que o motor da alma entre em ação, movimentando-se na direção de Deus e também do próximo. E, terceiro, porque, estando ali, é sinal de que é sincera, verdadeira, e não tem necessidade de ‘espetáculos de espiritualidade’. No momento oportuno vai se expressar em palavras. Mas também em outros, é no silêncio e no simples agir que vai demonstrar sua validade, certeza e segurança.

Quando a fé, a gasolina da alma, está no lugar certo, podemos ficar tranqüilos. Sempre que entrar em combustão, vai gerar força para o nosso motor.

terça-feira, março 11, 2008

Direção


Se o carro não tem direção, só o freio não resolve.

Troque o cheque


Um mendigo parou um advogado em certa rua de uma grande cidade e lhe pediu alguma moeda. Dando uma boa olhada para o rosto mal barbeado do homem, o advogado perguntou:
“Eu não te conheço de algum lugar?”
“Deveria conhecer”, veio a resposta. ”Fomos colegas de aula no ensino fundamental. Lembra?”
“Sim, Sam! Claro, eu te conheço!”

Sem perguntar mais nada, o advogado escreveu um cheque de 10.000 reais e disse “Tome, pegue este chegue e comece uma nova vida. Não me importa o que aconteceu no passado, é o futuro que conta”. E, depois disso, seguiu em frente.

Lágrimas correram dos olhos do mendigo enquanto ele caminhava para o banco. Ao parar junto à porta, ele olhou pelo vidro e viu os atendentes impecavelmente vestidos, bem como o ambiente extremamente arrumado e limpo. Então olhou para os seus trapos. E pensou:
“Eles não vão aceitar isso de mim. Certamente vão achar que eu falsifiquei este cheque”.
E foi embora

No dia seguinte os dois encontraram-se de novo.
“Oi. Sam”, disse o advogado. “E aí, o que você fez com meu cheque? Trocou por dinheiro? Já começou a gastar?”
”Não...”, disse o mendigo, enquanto o tirava do bolso e contava porque não tinha feito a troca
“Ouça”, disse o advogado, “o que faz o cheque ter valor não são as suas roupas ou aparência, mas sim a minha assinatura. Vai lá! Pegue seu dinheiro!”

Diante de Deus, aparência, posição social, prestígio, mérito - nada disso conta. Todos somos como mendigos, que recebemos toda a riqueza do Seu amor, pela fé, por causa da assinatura de Jesus Cristo, que transfere para nossa conta autêntico e verdadeiro valor.

Basta trocar o cheque.


segunda-feira, março 10, 2008

Ação

“Aquele que diz que não dá para fazer não deve perturbar quem está fazendo”

Provérbio chinês

Com defeito

Existem muitas lojas que costumam vender produtos por preços bem abaixo do normal. Isso acontece quando a mercadoria está com defeito. Uma falha, um amassado, um erro de costura. Assim, o que custaria um certo valor acaba sendo comprado por bem menos por um detalhe que, em vários casos, é quase imperceptível.

Se o mundo fosse uma loja, só teria esta seção. “Com defeito”. Ninguém consegue ser um perfeito pai, mãe, profissional, amigo, companheiro... E, infelizmente, muitas vezes não enxergamos isso, e passamos a ‘diminuir o preço’ das pessoas pelos defeitos que nelas enxergamos. Consideramos este mais ou menos valioso do que aquele apenas pelo que vemos. Algumas vezes isto se refere ao físico. Em várias outras, ao interior.
Muitas vezez quando isso acontece é apenas porque estamos posicionados em algum lugar da loja onde o espelho não está disponível.

Felizmente, Deus não olha desta maneira. Até porque se Ele não aceitasse mercadoria com defeito, ninguém escaparia. Nosso Pai recebe o ser humano exatamente como está, e lhe atribui pleno valor. Nos torna filhos, pela fé. Continuamos ainda com defeitos, é certo, que nos acompanham a vida toda. Mas aos olhos Dele, somos completamente novos, tranformados. E perdoados. Para fazemos também o mesmo com nosso semelhante. Nâo deixar de ver o conteúdo e valor que existe por trás de uma vida ‘amassada’ ou ‘errada’. Não atribuir valor ao conteúdo pelo mero observar da embalagem.

Esta é, portanto, a loja em que os produtos ‘com defeito’ possuem o mais alto valor.

sexta-feira, março 07, 2008

Música e reflexão


A partir deste fim-de-semana, o Coro Sacro da Ulbra começa uma sequência de apresentações da cantata "Gólgota', que descreve os últimos momentos de Jesus Cristo.

Datas e locais, para quem tiver a oportunidade de prestigiar:
_09/03 (Domingo) – 10h - Comunidade Luterana Cristo - Porto Alegre, RS. Presidente Rooselvet, junto ao colégio Concórdia.
_09/03 (Domingo) – 20h - CEL Concórdia - Porto Alegre, RS. Lucas de Oliveira, 894

_15/03 (Sábado) – 19h - CEL São João Batista - São Leopoldo, RS. bairro S. J. batista, ao lado do Instituto COncórdia.

_18/03 (Terça-feira) – 18h30min e 20h - Capela da ULBRA - Canoas, RS

_19/03 (Quarta-feira) – 18h30min - Capela da ULBRA - Canoas, RS

_20/03 (Quinta-feira Santa) – 20h - CEL São Paulo - Canoas, RS. Fioravante Milanez, 206t, Centro.

_21/03 (Sexta-feira Santa) – 10h - Capela da ULBRA - Canoas, RS

quinta-feira, março 06, 2008

Piloto

As imagens desta tentativa do pouso do A320 da Lufthansa impressionam. Aconteceu em Berlim, Alemanha, dia 01 de março.
As informações são de que após 10 minutos de vôo, ele conseguir pousar normalmente em outra pista.
Segundo a própria companhia aérea, os pilotos evitaram uma tragédia.





Um bom piloto faz diferença para uma aeronave. Para a vida, O Piloto também.

Interesse

Abri a Homepage do UOL e cliquei num dos links que logo me chamou a atenção: “Parar a malhação favorece o ganho de peso ainda maior”. Não pude ler a matéria, é só para assinantes, mas a identificação com a manchete foi imediata. Se você conhecesse minha situação, saberia o porquê. É exatamente este o meu caso. Desde que relaxei na continuidade dos exercícios físicos, meu quilos perdidos não só voltaram, como trouxeram mais alguns amigos. No momento, portanto, estou empenhado em dar-lhes ‘tchau’ novamente, e na apenas ‘até logo’, retomando a ‘malhação’.

Normalmente é assim que funciona na Web. Os links que mais chamam o nosso mouse sãos aqueles com os quais mais nos identificamos.

Se abrirmos as páginas da Bíblia, então, os cliques serão às centenas. Porque a identificação é imediata. Lá nos vemos como somos e de que precisamos. Tem do lado não tão bom, “todos pecaram e precisam da glória de Deus”, “o bem que quero não faço, mas o mal, que não quero este faço”. Alguns quilos de dificuldades que todos carregamos. Mas também estão lá os textos que nos mostram a maneira de eliminá-los. “Ele é fiel e justo para nos perdoar”. “O Senhor é o meu pastor, nada me faltará”. “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele e o mais Ele fará”. “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”.

Em dicas de malhação espiritual, também. “Encham suas mentes com tudo o que é bom”. “Usem apenas palavras boas, que ajudem os outros a crescer na fé”. Venham a mim... que eu vos aliviarei”.
“Sejam agradecidos”. E tantos outros aparelhos nos quais tonificar a fé que Jesus Cristo nos deu.

Esta homepage de Deus, a Bíblia, está disponível também diariamente. E não é link exclusivo. Todo mundo pode clicar.

Milionários

Uma das notícias desta semana é a de que Bill Gates deixou o topo da lista dos mais ricos do mundo. O posto pertence agora a Warren Buffet, dono da empresa Berkshire.
A pergunta é: até quando? Porque, logo ali, outro já assume a dianteira. A lista das riquezas humanas é assim . A troca é constante. E só tem lugar para poucos.

Já na lista de Deus, as pessoas mais ricas do mundo são sempre as mesmas. Todas aquelas que, em fé, recebem e vivem os presentes para a alma, que são as maiores riquezas que alguém pode ter.

E só sai desta lista quem quer. Por Ele, tem lugar pra todo mundo no topo.

quarta-feira, março 05, 2008

Longe demais

“O único modo de algumas pessoas reconhecerem seus limites é depois que já passaram deles”

Tim Morris

Combustível

O avião monomotor que caiu no Rio de Janeiro no domingo, 02 de março, pode ter sido abastecido com querosene, ao invés de gasolina. E, segundo as investigações da polícia, este erro no abastecimento é a mais provável causa da queda, onde quatro pessoas perderam a vida. Especialistas afirmam que, se este tipo de avião for abastecido com querosene, ao invés de gasolina, o motor começa a soltar fumaça e pára de funcionar – exatamente o que testemunhas relatam sobre o acidente.

Ontem, uma amiga contou que ela e o marido foram ao posto de gasolina e o frentista, ao invés de álcool, abasteceu o veículo, que não é bi-combustível, com gasolina. Felizmente o erro foi percebido e a situação, revertida antes que o motor caminhasse para seu fim.

Os casos de troca de combustível são parecidos, mas com conseqüências dramaticamente diferentes.

Para o coração a regra é similar. Combustível errado dá resultados errados. O certo, garante resistência e potência. Se isto vale para nossa alimentação, que precisa ser adequada para que o músculo cardíaco tenha suas condições de uso sempre em dia, muito mais para a fé, que precisa ser alimentada com o que de melhor existe para que ela se mantenha constante, gerando energia e força para a vida.

O combustível que Deus coloca na sua bomba, a Palavra, tem qualidade certificada – por Ele mesmo – e garantia. E, quando abastecido sem adulteração para dentro do tanque da fé, serve a todo e qualquer tipo motor humano, garantindo segurança para o trajeto.

Mas como é inevitável que cometamos enganos ao longo da vida, que bom se pudermos perceber o erro a tempo. Reconhecer, mudar, fazer a troca. E seguir em frente.

Pois somente o combustível certo mantém o motor funcionado corretamente.

terça-feira, março 04, 2008

Prudência

“Nunca morda a isca do prazer até ter certeza de que não há um anzol por baixo dela”

Thomas Jefferson

Livro aberto

Fonte da imagem


Qual o papel de um livro em uma estante?

Pode ser de decoração. Ostentação, talvez. Quem sabe lembrança de estar sempre à mão.
Mas uma coisa é certa: se estiver somente na estante, não vai cumprir o seu principal papel. O livro alcança seu objetivo quanto é percorrido, com olhos prontos para absorver seu conteúdo, ou então com a mente impelida a contestar suas idéias, num diálogo que pode levar ao crescimento, amadurecimento, clareza. É assim que ele cumpre sua maior missão: aberto.

É de maneira semelhante que a fé pode ser entendida - como um livro aberto. Ela é um presente de Deus sim, não temos como nos gabarmos de tê-la conquistado por esforço próprio; o presente mais caro e mais precioso que jamais vamos receber. No entanto, na estante, serve somente para decoração, ostentação ou para ‘estar ali’.

Quer dizer, na verdade, nem para isso. Pois a Bíblia afirma que “a fé sem obras está morta”. Ou seja, a fé é o livro que, se não está aberto, não existe. A mesma fé, presente que nos liga a Deus, é o meio pelo qual entramos em ação na direção do nosso semelhante. Nós não precisamos de boas ações para construir uma ‘poupança do bem’ junto a Deus. Já somos aceitos por Ele como filhos. Mas o nosso próximo precisa. Nossa sociedade também. Nosso mundo necessita, e muito, de sorrisos, abraços, gestos, ações, cuidado, atenção, amor. E tudo isso acontece quando a fé, como um livro, é aberta e colocada em prática. Leva ao crescimento, amadurecimento, firmeza. E leva quem a lê, quer dizer, quem a vê em ação a olhar com mais atenção para a Fonte deste força que move a agir em amor.

Este livro, fé, é escrito somente com duas letras. Mas a profundidade de seu conteúdo, nem os livros do mundo inteiro poderiam descrever.

Viajou

Professor: Moisés agiu sob efeito de alucinógenos.

"Em relação a Moisés no Monte Sinai, trata-se de um acontecimento cósmico sobrenatural no qual não acredito, ou de uma lenda na qual também não creio, ou, e isso é muito provável, de um acontecimento que uniu Moisés e o povo de Israel sob o efeito de alucinógenos", afirmou o professor Benny Shanon, do Departamento de Psicologia Cognitiva da Universidade Hebraica de Jerusalém à rádio pública israelense."."

Ele não acredita no relato bíblico. Mas quer que alguém acredite nele?

Falta só agora descobrir qual o alucinógeno que o Dr. Shanon ingeriu antes de dar a entrevista.

segunda-feira, março 03, 2008

Sobre ambientes inadequados

“É mais fácil manter-se fora do que tentar cair fora”

Mark Twain

Jogar fora


Semana passada a Djenane e eu passamos por uma situação interessante.
Começou na segunda. Entrávamos no carro e algo não cheirava bem. Na terça, a mesma coisa. E na quarta. Aquele cheiro desagradável era constante. A única diferença era de que a cada dia ficava um pouco mais forte.

Na sexta-feira, verificando se o porta-malas estava trancado ou não, encontrei o motivo. Lá estava o saco de lixo, daqueles de 100 litros, com os resíduos do fim de semana anterior, e mais uma sacolinha de reciclável ao lado. Coloquei ali na segunda, para levar até a lixeira do condomínio, fechei a tampa e... esqueci.

Cinco dias carregando lixo no interior do carro. Não dava para esperar outra coisa, a não ser... mau cheiro. E não resolveria jogar um frasco de perfume lá atrás. Não adiantaria colocar um perfume para carro na frente. Nem tentar fazer de conta de que não estava lá. A situação só ficaria pior. A única coisa a fazer era o óbvio, tirar e colocar na lixeira.

Para o “lixo existencial’ que acumulamos em nossa estrada, a situação é a mesma. Não adianta fazer de conta que não está lá. Não adianta dar uma perfumada do tipo “ah, mas nem é tão ruim assim”, ou “tem gente que faz pior”. Não dá para fechar a tampa e tentar esquecer. O que não presta mais vai continuar lá, cheirando mal. E, pior, poderá começar a afetar os ambientes em que circulamos.

Perdão, no sentido bíblico, é este processo. Reconhecer o que em nós não presta e desfazer-se disso. Jogar fora, livrar-se do que pesa, atrapalha, cheira mal. E lançar na lixeira de Jesus Cristo, que em troca nos devolve um coração novo, pronto para continuar rodando. Coração arejado, cheirando a vida, e com menos conteúdos que apodrecem e causam mal.

Para mim, o episódio foi uma boa lembrança da importância de conferir constantemente duas coisas: o porta-malas e o coração.