sexta-feira, novembro 30, 2007

Frase

“A liberdade implica responsabilidade; é por isso que tantos homens a temem.“

Bernard Shaw

Acelerador

A invenção do automóvel como uma extensão dos nossos pés facilitou a vida, nos fazendo chegar mais rápido. Mas também trouxe esta peça que permitiu a muitos mostrarem nas ruas e estradas muito do que são: o acelerador.

O pedal de aceleração é uma das mais reveladoras extensões do nosso corpo, escreveu o teólogo alemão Helmuth Thielecke. Ele tinha razão. Basta pensarmos no que está por trás do acelerar ‘a mil’. Sair ‘cantando pneus’. Andar muito devagar; ‘costurar’. Usá-lo para pressionar o carro da frente. Acioná-lo depois de chegar no carro com os pés tropeçando um no outro...

O acelerador do carro revela quem e como o motorista é.

A solução não é simplesmente andar devagar. Andando a 30 por hora numa auto-estrada você também vai estar errado, Um avião não decola a menos de 200 km/h. Há momentos na vida em que a pressa é amiga da promoção, da finalização, da negociação, da solução, e por aí vai. Mas o ponto aqui é descobrir a velocidade adequada para a estrada em que estamos. Até Jesus Cristo fez isso. Houve momento em que ele pisou fundo com vendilhões no templo. Em outros, praticamente ‘parou o carro’ para acolher criancinhas e brincar com elas.

É fundamental termos a noção em nossa vida de que não estamos sozinhos na estrada, e que precisamos utilizar o acelerador levando em consideração o outro. Não é necessário pressionar sem motivo, provar sem razão, achar-se mais algum motivo ou andar devagar pra prejudicar. O que se aplica também a quem não tem carro. O uso adequado do acelerador na estrada em que estamos pode ser a diferença entre segurança e risco, entre acidente e prevenção. Até mesmo entre morte e vida.

Deus deu para cada um seu velocímetro pessoal, e é preciso saber respeitar. E existem as leis da estrada que se aplicam a todos, que sempre faz bem observar

quinta-feira, novembro 29, 2007

Livro

Diversos leitores e telespectadores têm sugerido lançarmos um livro com mensagens do Toque de Vida. Quem sabe 50, ou 100 delas.

E você, o que acha da idéia?

Estável

Silvio e Antônio voltavam do horário de almoço quando passaram por duas colegas de trabalho que vinham na direção oposta.
-Passamos por elas todos os dias nesse horário, não? – comentou Antônio.
-Sim, são lá do andar de baixo, concordou Silvio
-Já notou que elas nunca cumprimentam?
- Pois é.
- Ás vezes me dá uma curiosidade.. o que será que essas duas antipáticas estão pensando?
- Olha...graças a Deus eu não sei.

É melhor assim. Mesmo que dê curiosidade de saber porquê este não olha, aquela não cumprimenta, o outro faz uma cara que parece que não gosta da gente. Saber o que os outros estão pensando.

Graças a Deus não sabemos.

Basta pensar no contrário. Vamos tentar fazer uma lista de possíveis pensamentos de pessoas com quem convivemos, diária ou regularmente.
“Como é antipática, cruzes”
“Que bom passar por aqui todo dia, acho ele uma gracinha”
“No mínimo é mais uma daquelas pessoas chatas”
“Vai ver é puxa saco do chefe, por isso tem esse cargo”
“Ela esta sempre de bem com a vida”
“Só de olhar pra cara no primeiro dia já não gostei”
“Como ela se veste bem, dá gosto de olhar”

Aonde isso vai nos levar? Os reflexos rápidos do espelho de nosso ambiente social não são fiéis. Nunca são. Porque poucas são as pessoas que realmente conhecem nossa clara e nossa gema. A maioria só vê a casca.
Se soubéssemos tudo o que os outros pensam a nosso respeito, fatalmente isso influenciaria nossa percepção de nós mesmos. Querendo ou não. E aí estaríamos sujeitos a tantos pensamentos diferentes e contraditórios que não teríamos segurança sobre quem e como exatamente somos. Uma vida totalmente instável. E talvez em breve uma camisa de força do nosso número apareceria sobre nossa mesa.

É de dentro pra fora que se constrói valor. A partir do caráter, dos princípios, do coração, das idéias. Qualquer pensamento ou julgamento que desconsidere isso, vai estar bastante fora de rota. Tudo bem, é possível reconhecer características das pessoas pelos seus gestos, postura, olhar, entre outros. Mas assim se conhece a superfície e um pouco além, nunca o fundo do mar..

É muito melhor saber o que Deus pensa sobre nós. Especialmente quando estamos com o caráter fundamentado nos princípios que Ele nos dá. Pela fé temos valor já de saída, não só quando nossa imagem chega na retina alheia. Somos filhos, somos amados, recebemos dons. Ou seja, uma opinião absolutamente estável, que não muda conforme o clima, o humor, a temperatura ou a expressão facial.

Esta é uma forma de viver com segurança. Evitando ocupar espaço de memória com todos os pensamentos alheios, mas pensando no que, impulsionados por esta fé, podermos fazer, nossa superfície será o melhor reflexo possível das riquezas de nosso oceano pessoal.

quarta-feira, novembro 28, 2007

Frase

"Fui eu que o fiz", diz a minha memória. "Não posso ter feito isso", diz o meu orgulho e mantém-se inflexível.
Por fim é a memória que cede”.


Nietzsche

Ponte Nova

Estava mais para ‘muito velho’, segundo especialistas, mas mesmo assim o estádio da Fonte Nova, em Salvador, seguiu sendo utilizado. Acabou em tragédia, domingo passado. O desabamento de um degrau da arquibancada matou sete pessoas. Depois do estrago – mas principalmente, da repercussão – o governo local anuncia que decidiu implodir do estádio e construir outro, que ‘seja digno’.

A Fonte Nova, onde cabem 60 mil pessoas, será colocada abalo. E isso por causa de um buraco até pequeno, se comparado com o tamanho do estádio. O problema é que as conseqüências foram muito ruins. Terríveis. Uma pequena abertura... e um grande monumento vê seu fim.

Isso acontece o tempo todo longo da História.com grandes líderes, também. Muitas grandes trajetórias de vida tiveram grandes derrotas pela falta de atenção com detalhes, que levaram a buracos; que levaram a tragédias; que levaram à implosão.

Isso pode acontecer também com a nossa trajetória. Alguns danos que pemitimos permanecer em nossas vidas mais dia menos dia podem nos levar à tragédia. Não dá pra ignorar. Aceitar a pequena ‘gorjeta’ por fora. Concordar com ‘jeitos não convencionais’ de soluções. Achar que não tem problema faltar com gentileza e humildade em pequenas doses. Conviver pacificamente, sem ao menos reagir, contra pequenos e inofensivos maus desejos.
Nestes casos, pode não demorar o dia de colocar a dinamite e a hora de detonar a implosão.

Só que Deus não quer isso. De jeito nenhum. Se com a Fonte Nova o caminho é sem volta – deu problema, fim da linha –, em Deus a Fonte sempre se renova. Há sempre uma ponte nova, pronta para nos levar de volta aos Seus braços. Novo começo. Fonte de conserto para o coração e uma nova chance de os buracos serem preenchidos de paz e nova força. E mais, avisos preventivos, para não precisarmos deixar chegar a este ponto. Mudar de trilho antes que o fim da linha se agigante

Talvez você esteja perto da implosão, neste momento. Pode até mesmo já estar recolhendo os pedaços de uma. Para você também – para todos nós – existe esta ponte nova que nos leva de volta à Fonte, sempre nova, de amor e cuidado de Jesus Cristo por nós. Reconstruir com Ele aponta a certeza de uma explosão de fé e nova maneira de viver.

Para bem mais que sessenta mil pessoas

terça-feira, novembro 27, 2007

Mente

"Ter uma mente boa nã é suficiente. O importante é usá-la bem"

René Descartes

jeito e gosto

Pode não ser algo muito grande, mas costuma nos dar alguma satisfação. Veja se você concorda comigo.

Fazer um comentário, até despretensioso, com uma pessoa. “Sabia que é possível economizar combustível fazendo assim... ‘ “Eu costumo guardar meu sapatos daquele jeito.. “ “Comprei este CD e gostei muito, essa banda é muito boa!

Dali algum tempo, você nota que ela adotou sua sugestão, seu gosto seu jeito. Está ouvindo aquela banda, assando a carne do mesmo jeito que você, arrumando as coisas no armário da maneira em que é feito na sua casa. Você nem notou que falou, ou nem notou que ela notou, mas a pessoa incorporou à sua vida um novo jeito, um novo gosto. Influenciada por sua opinião.

Nunca sabemos do que uma palavra ou um pequeno gesto é capaz. Nosso poder de influência às vezes extrapola nossa capacidade de consciência. Por isso, se pudermos espalhar muitas palavras e gestos de boa qualidade, melhor. Pois existe o outro lado. Pode acontecer de alguém nos pegar justamente num momento da palavra errada, ou do gesto indevido. Aí, será um problema se ela resolver ser influenciada por esta sugestão.

Problema que Deus gosta de e quer evitar, mostrando com sugestões claras e gestos precisos, pelos seus ensinos, suas obras, pelo que nos acontece em nosso dia. Pode ter certeza de que Ele também fica muito feliz quando nota que você e eu acatamos uma sugestão feita por ele. “Ore continuamente’ . “Entregue o seu caminho para mim’. “Encha sua mente com tudo o que é bom”. “Chame meu nome do dia da angústia, eu te livrarei, e você me glorificará”.

Uma influência que, tenho certeza, deixa nosso Pai muito satisfeito. E que incorpora à nossa vida um jeito e um gosto que ninguém consegue igualar.

Creio que concordamos sobre isso, não?

segunda-feira, novembro 26, 2007

Mapa Mundi

Primeiro achei que ela ficaria só nos países mais 'famosos'. Mas ela sabe até onde é o Sri Lanka, Turcomenistão e Costa do Marfim.
Lilly é uma menina de 2 anos que sabe encontrar praticamente qualquer país no Mapa Mundi.
Quer competir com ela?




Ou aqui.

Frase

“Nós não conseguirmos amar realmente alguém com quem nunca damos risadas”.

Agnes Repplier

egoite

Gastrite é no estômago. Rinite, no nariz. Otite, no ouvido. São vários os lugares, mas o significado é o mesmo. Ite é o sufixo grego que indica inflamação. Sempre que o médico disser alguma coisa que termine com ele, é porque algo em nosso corpo está inflamado.

Existe um perigo maior que ronda nossa vida. A ‘egoite’. Neste caso, o problema está em outro lugar. E, infelizmente, é uma região que dificilmente a pessoa que sofre dele consegue alcançar. Por isso, precisa de ajuda.

A inflamação do ego, está certo, não é uma doença nova, mas ultimamente tem ganho mais combustível para seu desenvolvimento. A busca desesperada por exposição nos meios de comunicação é um dos principais sintomas. Mas não o único. A disputa por vagas no ambiente de trabalho. A busca pelo centro no circulo de amizades. As rivalidades e competições. O ego se inflama, se sobrepõe ao dono, e infecciona não apenas a si, como contamina todo o ambiente com o qual interage.
E é transmissível. Em efeito dominó.

Todos nós estamos sujeitos à egoíte, mais dia, menos dia. Por muitos dias ou poucas horas. Mas também todos somos alvos do tratamento eficaz que Deus propõe: doses continuas e diárias de humildade e auto-crítica. Sem confundir com auto-depreciação, como não dá pra confundir paracetamol com omeoprazol. Humildade nada tem a ver com desfazer-se, mas sim, construir-se à luz da orientação divina que nos mostra que ninguém de nós tem motivos para se inflamar em vaidade, pois todos um dia voltamos ao pó. E ao mesmo tempo, pela fé, todos nós somos as criaturas mais especiais do mundo, por quem o próprio Filho de Deus deu sua vida.

Egoite, portanto, se cura com ajuda externa. Como uma doença do corpo. Precisamos de Alguém que nos leve a reconhecer que estamos doentes, para então recebermos o tratamento que nos coloca de volta nos trilhos certos. Tratamento que, bem usado, pode causar grandes benefícios aos usuários e seus relacionamentos.

Em efeito dominó.

sexta-feira, novembro 23, 2007

Frase

“Tudo o que nos irrita que vemos em outros pode nos levar a um conhecimento melhor de nós mesmos”

Carl Jung

de mãos dadas

Fonte da imagem

Coloque duas pessoas de opiniões bem diferentes, ou opostas, para discutir. Uma é gremista, outra, colorada. Uma é pró-aborto, outra, pró-vida. Uma gosta de Beatles, a outra, de Rolling Stones.
O Pastor Grasel, nosso capelão geral da Ulbra, comentou ontem sobre este exercício interessante, que ele conheceu numa das aulas em seu mestrado.

Primeiro, deixe-as uma de costas para a outra, e as estimule a discutir por um tempo. Observe a reação.

Depois de um tempo, coloque-as de frente uma para a outra. E então peça para se darem as mãos e continuarem a discussão.

Se elas toparem dar as mãos e continuar discutindo, é quase certo que o resultado será o seguinte: voz mais baixa, opiniões mais ponderadas. Menos agressividade. Aumento na consideração pelo outro. Ninguém necessariamente vai mudar de posição. Mas de atitude, a chance de mudança é grande.

Discutir de mãos dadas. Que fórmula impactante para um casal. Que gesto surpreendente para adversários políticos. Que discussão respeitosa entre pessoas de convicção doutrinária diferente.

Tudo bem, sempre tem quem defenda que contra algumas posições precisamos ser veementes . Não dá pra baixar a voz, é necessário ser forte. Mas o que também é bastante evidente hoje em dia é o estimulo ao confronto, bate-boca, o 'mostrar pra ele/a'. Isto é compreensível, já que, num mundo onde o que existe é o que aparece (na TV, de preferência),.'partir pros finalmentes' é uma opção interessante de existir para a sociedade. Pois todos sabemos que briga e confusão costumam dar mais audiência do que paz e amor. Nas novelas, por exemplo, as mocinhas são mais facilmente rejeitadas pelo público do que as vilãs.
Bem, talvez às vezes seja necessário ser firme. Mas que estas vezes podem ser a minoria menor absoluta mínima, podem. Dá pra incorporar como padrão o discutir de mãos dadas. Se não de fato, pelo menos de coração. Este é o exemplo material perfeito da mistura entre coragem e consideração. Coragem sobre o que falar. Consideração no como falar. E nos leva a resultados surpreendentes.

Se nos dermos conta, é de um jeito parecido que Deus também lida conosco. Ele repreende, aponta nossos erros, nos mostra quando estamos errados. Sem esconder nada. Mas Ele jamais solta nossa mão. Quer dizer, Ele jamais tira Sua mão de sob os nossos pés. Se nós é que quisermos pular fora, esta escolha é possível. Mas no que depender Dele, falar em erros tem um único objetivo - levar ao perdão e ao recomeço.

Seja de fato, ou de coração. Discutir de mãos dadas é o jeito certo de qualquer discussão ter dois mocinhos no final.

Jô e alunos da Ulbra

"O Programa do Jô que será exibido nesta semana pela Rede Globo de Televisão, irá contar com uma platéia especial", diz a matéria da Assessoria de Comunicação Social da Ulbra. São alunos de Administração da Ulbra de Gravataí, RS, participaram das gravações do programa na segunda passada.

O programa deve ir ao ar hoje à noite.

Imagem: ACS Ulbra.



O Programa do Jô que será exibido nesta semana pela Rede Globo de Televisão, irá contar com uma platéia especial, formada por alunos e professores do curso de Administração da ULBRA Gravataí. O grupo participou na última segunda-feira (19/11) das gravações do programa de entrevistas no Projeto da Globo, em São Paulo. Na ocasião, o apresentador Jô Soares falou sobre a presença de estudantes da ULBRA Gravataí no público, e conversou com alguns dos universitários gaúchos presentes. O programa deverá ira ao ar nesta sexta.


Os 30 alunos e dois professores convidados para compor a platéia seguiram para a capital paulista no dia 17 de novembro, em ônibus fretado e retornaram na terça-feira (20/11). O curso contou com o apoio da empresa Viemar, de Canoas, para a confecção de uma camiseta, feita especialmente para a ocasião.

quarta-feira, novembro 21, 2007

Palavras

Otorrinolaringologista.
Paralelepípedo.
Obnubilado.

Qual é a palavra da nossa língua que é mais difícil de dizer?

Eu aposto em duas.
A primeira, ‘desculpe’. Admitir um erro é tão fácil quanto abrir uma garrafa de vinho com os dentes. E sem reconhecer o erro, não há como pedir perdão.

A outra, ‘obrigado’. Pode não parecer, mas tem horas que um obrigado sincero custa a aparecer. Aquela gratidão sincera, de quem realmente reconhece que o outro pode contribuir, e não apenas aquela gratidão forçada, de quem acha que fica chato não agradecer.

Ambas são muito difíceis, pois são uma luta nossa contra nós mesmos.

Neste sentido, Martinho Lutero estava certo quando escreveu que a obra de Jesus Cristo foi nos salvar de nós mesmos. Pois nosso ego tem mais armas e artimanhas para nos derrubar do que nos damos conta. O Mestre ensinou que precisamos abandonar a busca somente em nós mesmos, e olhar para o alto, para ajuda que vem de fora. E ela vem. Pois Deus quer nos dar forças para lidarmos com o nosso ‘eu’ de um jeito que não saiamos prejudicados. Pedir ajuda.
E, é claro, agradecer por ela.

Amanhã é celebrado em vários países o Dia Internacional de Ação de Graças. Um Dia que, claro, pode ser diário, mas que ao menos em uma data do calendário nos lembra desta importante luta. Ampliarmos a presença em nosso vocabulário do ‘obrigado’, uma palavra um tanto difícil de falar, mas que tem facilidade em afastar do coração os sentimentos procelosos.

Palavrinha difícil essa última aí, não?.

terça-feira, novembro 20, 2007

Provérbio

“Uma palavra gentil pode aquecer três meses de inverno”

Provérbio japonês

alimento

Qual o benefício de ler um Toque de Vida quase diário? Será que ele tem a capacidade de alimentar a alma? ‘Alimentar a alma’ acontece mesmo? Pois a gente lê o texto e, depois, passou, seguimos em frente. Um ou outro guardamos, mas é humanamente impossível lembrar de todas as mensagens. Nem quem escreveu consegue.

Talvez você já tenha se perguntado sobre a necessidade de ir todos os domingos, ou todas as semanas, à Igreja. Ouvir a palavra, cantar louvores, orar... Os ministros dizem que isso é “alimentar a fé”. Mas acontece mesmo? A gente vai lá, ouve, fala... mas periga não lembrar de mais nada no domingo seguinte.

A pergunta que me ocorre às vezes é: de que maneira somos alimentados em nossa fé?

Mas também já me fiz outra pergunta: compreender totalmente como isso acontece é pré-requisito para ser efetivamente alimentado?

Pense na sua alimentação diária. Você entende exatamente como o pão, a carne, as frutas (a batata-frita, o doce, as guloseimas...) realizam a alimentação do seu corpo? Creio que para a maioria de nós, depois que o alimento passou da garganta é assunto morto. Não fazemos idéia como, mas de alguma forma aquele bolo alimentar vai nos sustentar por mais algum tempo.
Mas e se entender completamente o processo alimentar fosse indispensável? Talvez somente profissionais da saúde e da alimentação, e alguns poucos interessados no tema, sobreviveriam.

Não quero dizer que o bom é ser ignorante espiritual, simplesmente aceitar o que qualquer um diz. O ponto é: não só porque não entendo como acontece que não esteja de fato acontecendo. (E não é só porque não lembramos do que comemos há 3 meses que aquela refeição não foi importante para nossa sustentação).

A Bíblia nos garante que suas palavras são genuíno leite espiritual, pelo qual nos é dado o crescimento para a salvação. É leite mesmo, não água oxigenada ou soda, como recentemente presenciamos em nosso país. Alimento que... alimenta! De verdade. Deus age de seu jeito, um tanto misterioso para nossa mente, para alimentar com comida de primeira o nosso coração. Pela fé, sabemos que o alimento é bom e vai realizar seu trabalho.

Mesmo sem lembrarmos de cada mensagem, de cada reflexão. Melhor que confiar só na memória ou no intelecto, é confiar em Deus, que jamais esquece de nos alimentar. Se fortalecer o coração acontece de forma misteriosa, os resultados, de maneira maravilhosa.

segunda-feira, novembro 19, 2007

Frase

“Uma das melhores regras de conversação é: nunca dizer alguma coisa que qualquer dos presentes, por alguma razão, poderia desejar que tivesse ficado sem ser dita.”

Jonathan Swift

Retorno

Nem sempre os notamos, nem sempre nos são úteis. Passamos por vários deles na estrada ou na cidade, e só vamos nos dar conta de que existem quando precisamos muito: retornos.
Pegar a rua errada, mudar de idéia, cruzar para o outro lado da rodovia... Nada está perdido quando lembrarmos que o retorno sempre nos dá a chance de buscarmos a nova alternativa de que tanto precisamos.

Tanto que é muito, muito ruim quando precisamos muito retornar em uma rodovia, por exemplo, e nos damos conta de que acabamos de passar por uma oportunidade. O próximo, só mais alguns quilômetros adiante. O que significa perda de tempo, de gasolina e, em muitos casos, de grande parte da paciência.

Você já perdeu algum retorno hoje? Com seu chefe ou colega de trabalho, com o cônjuge, com um amigo; ou mesmo com um mau costume ou vício que você garantiu que ia deixar para trás, mas não conseguiu?

Ainda dá tempo. Talvez nem seja necessário percorrer muitos quilômetros, às vezes são só alguns metros, algumas letras digitadas, alguma frase. Uma decisão firme. O retorno pode estar bem ao alcance. Vale a pena aproveitar agora. Porque o próximo pode demorar. E se para alguma situação tiver sido o último... tudo fica mais difícil. Basta perguntar a uma pessoa que perdeu a chance com alguém e nunca mais pôde retornar, o quanto custa carregar um peso extra por um longo trecho da estrada.

Retorno. Uma oportunidade de não perder a paciência e manter a esperança que começa sempre. Agora, se você quiser. E continua em cada oportunidade que Deus nos dá de reconhecer, retomar. E reconstruir.

sexta-feira, novembro 16, 2007

frase

“As crianças que o mundo quase destrói tornam-se os adultos que vêm a salvá-lo”

Frank Warren

por instrumentos

Pra seguir em frente, e manter a vida o mais estável possível, nossos sentidos não bastam. São algumas vezes que eles nos enganam, ou nos deixam perdidos.
Pior ainda quando ficamos de ponta cabeça. É o momento em que confiar apenas em nossa capacidade de percepção atinge seu ponto mais crítico. Não sabemos se vamos continuar voando, ou se a próxima parada é repentina - de encontro do chão.

Pilotos de caça voam a velocidades que quase não podemos imaginar. Alcançam alturas diversas. E até voam de ponta-cabeça.
Mas para isso, eles não podem confiar apenas nos seus sentidos, apesar de que precisam tê-los todos em ordem. Eles voam por instrumentos. Ainda que ‘sintam’ que algo não está bem, ou ‘tenham a impressão’ de que alguma coisa está diferente, sempre verificam os instrumentos para ter certeza do que está acontecendo exatamente, e de que procedimentos precisam tomar para reverter a situação.

A idéia é aplicável ao nosso vôo. Por instrumentos, ele fica mais seguro. Ao invés de confiar apenas em nossas ‘sensações’, confiar no que o painel mostra dá mais certo.
Painel que recebe outro nome, neste caso. Palavra de Deus. É o instrumento mais preciso que existe para vôo humano. Ela nos dá um quadro real do que acontece. E as melhores sugestões para revertê-lo. Até mesmo de ponta cabeça. Pela fé, dá direção em qualquer altitude. Sustentação pra mantermos nossa rota e para que nossa parada seja suave, com segurança, nos braços de Jesus Cristo.

Nem o melhor piloto do mundo prescinde dos instrumentos do painel. Do mesmo modo, nem o mais ‘pense positivo e tenha auto-confiança’ dos seres humanos pode confiar só nos seus sentidos. Voe confiando no Painel de Instrumentos de Deus. É seguro e eficaz. E significa também muito mais tempo voando de cabeça erguida.

só metade

Chinesa tem apenas a metade do cérebro.

Informa o portal Terra, citando o Anannova, que Zhang Linhong, diretor do Departamento de Reabilitação Neurológica do hospital local, disse que "nos exames de ressonância magnética fomos surpreendidos ao ver que ela só tinha massa cinzenta no lado direito. O entendimento comum é de que o lado esquerdo do cérebro controla a linguagem. Mas esta paciente não tem problemas em se comunicar".

A mãe da mulher disse que a filha vive uma vida normal. "Ela se formou no colégio com boas notas e consegue lembrar números de telefones e nomes imediatamente."


E agora, as pequisas científicas e convicções neurolinguísticas sobre as propriedades e habilidades de cada lado do cérebro estão ameaçadas?

O certo é que a criação, obra de Deus, é algo estupendo demais para ser reduzido somente a definições humanas.
E não cansa de nos surpreender a cada dia.

quarta-feira, novembro 14, 2007

Frase

“Pensando ou fazendo, você incorre em erros. Há somente uma situação em que isso não acontece: ouvindo.”

Martinho Lutero

feriado

Amanhã, feriado da proclamação da República, espero que seja um dia de descanso pra você, ou ao menos, de uma parada na rotina. Faz bem.
E se Deus faz feriado? Ou se, por hipótese, Ele nem mesmo existisse? O que aconteceria?
Vamos ver nossas chances.

Passamos a depender, por exemplo, de governantes. Torcer para que não iniciem guerras, que sejam justos, que tomem decisões favoráveis ao ser humano.
Hum... mau começo.

Talvez pudéssemos depender do humor dos chefes. Para manter o emprego, para ter um aumento, ou um bom ambiente... Puxa, continua não muito bom. Humor já não é algo estável, e se a lenda estiver certa, humor de chefe, então... complicou.

E dependendo do salário? Hum, a maioria viveria somente uns 10 a 15 dias por mês.

Que tal dependermos dos elogios dos outros para saber se temos valor? Até dá pra sobreviver enquanto eles vierem. Mas, e quando se acabarem?

Dependermos, então, somente do sistema de saúde, dos médicos, e dos medicamentos para estarmos saudáveis.
É, está difícil...

Dependermos somente de nós mesmos para alcançar o que precisamos? Aí, no dia em que não estivemos com vontade de sair da cama, quando não estivermos motivados, quando a depressão bater à porta ou quando a desesperança tornar o mundo cinza, será o começo do nosso fim.
Piorou de vez

Não bastasse nenhuma das alternativas acima serem suficientes, ficamos na dependência de nenhuma delas fazer feriado ou tirar férias. Especialmente quando mais precisarmos...

Hum.. não creio que seja muito alentador pensar assim. Em todos estes casos, dependemos de seres humanos: imprevisíveis, voláteis, falíveis - inclusive nós mesmos. Ou seja, estaríamos jogados ao... hum... Deus-dará!...
Exato, na verdade, é isso mesmo. Quando estamos ligados a Ele em fé, estamos mesmo ao Deus dará. Não só sentido aleatório, mas bem preciso. E não num sentido mágico, mas no jeito prático de ver as coisas, e honesto para conosco e com os outros: Se Deus fizer feriado, todo o mundo pára.
Mas Ele ‘não dorme nem cochila’, como diz o Salmo bíblico 121. Trabalha para que você descanse Nele. Não descansa para que você tenha forças para o trabalho, para o dia, para a vida.

Mas lembre-se. Ele não faz feriado, mas não vá pensar que você é Deus. Pare periodicamente, descanse. Recupere as energias. Não precisa e não adianta correr desesperadamente atrás do dia de amanhã. Deixe o futuro nas mãos de Quem está trabalhando para isso o tempo todo. Deus não faz feriado para que você possa fazer.
Porque a vida não paga horas extras. Ela cobra.

Sobre conduta

"A única munição eficaz contra você são as balas que você faz e dá ao seu inimigo."

Wade Hughes.

terça-feira, novembro 13, 2007

Frase

“Jamais derrube uma cerca até que você tenha certeza da razão pela qual ela foi erguida”.

G.K Chesterton

modo de ver

Moisés era visto como um simples pastor de ovelhas, gago e até um pouco medroso. E como Deus o viu?

Zaqueu, personagem bíblico, era visto por todos como um baixinho desonesto e indesejável, por ser cobrador de impostos.E como Deus o via?

O apóstolo Paulo era visto por muitos como um falso ou duas caras, pois de perseguidor de cristãos passou a pregador de Jesus.E como Deus o via?

O apóstolo Pedro foi certamente visto por muitos como um traidor, que negou a Jesus na hora de dificuldade.E Jesus, como o viu?

Você também é visto por muitas pessoas, inclusive por você mesmo. E estes modos de ver, diferentes entre si, podem não ser tão bons assim. E, infelizmente, os ruins são os que freqüentemente absorvemos e aceitamos como fato. Gordo, magrela, feio, chato, desengonçado, ranzinza. Desonesto, falso, traidor...

E como Deus vê você?

Do mesmo jeito que viu os personagens acima. Como Deus. Como Pai. Com amor. O modo de Deus muda nossa vida. Para ele não tem aparência, jeito, humor ou condição que mude sua visão de amor para com o ser humano. Seu olhar cuida, seu jeito ampara, sua mão conduz. Deus, pela fé, sempre nos vê com perdão, paz, alegria e vida eterna. Ele olhou para Moisés, Zaqueu, Paulo, Pedro. Ele olha para você de um jeito que ninguém mais é capaz.
Mudança para sempre. E para hoje.

Quando olhar para si, não pergunte apenas o que vê, nem o que os outros vêem. Pergunte sempre ‘como Deus me vê?” A resposta, que é sempre boa, agradável e absolutamente precisa, é muito mais que uma ‘força para a auto-estima’. È certeza para o coração e esperança para a vida inteira.

Pois o modo de ver, muda o viver.

segunda-feira, novembro 12, 2007

Ele nos segue

Muitos pensam em Deus como um ser estático, longe do coração ou da vida humana. Mas a verdade é que seus olhos nos seguem, seu olhar nos acompanha, a cada movimento que fazemos.

O video abaixo, uma ilusão de ótica bem interessante causada pela incidência de luz, é uma boa ilustração disso.







Conforme a incidência da luz da fé sobre o coração, melhor se compreende o genial amor do Pai.

Linha divisória



Confesso que depois eu até fiquei meio na dúvida se devia ter falado ou não. Na hora foi mais rápido que eu, quando vi, já tinha dito ‘mão!” e então, já não dava pra voltar atrás.

Deixa eu explicar. Foi no futebol de sábado. Eu estava marcando o Clever, dentro da área, quando ele chutou a bola e ela pegou não apenas no meu corpo, mas também na minha mão. Foi quando eu exclamei mais rápido que pensei, “mão!”. Acontece que provavelmente ninguém além de mim teria visto o fato, e o jogo teria seguido. Mas eu já tinha falado, e confirmei. Pênalti. Gol do time adversário. Marcado pelo próprio Clever.

Dada a reclamação de um companheiro de time e a zombaria que veio de fora da quadra, fiquei pensando se tinha feito certo mesmo. Mas, no fim, tudo bem, é só um jogo. Saindo dali, tudo acabou e a vida de ninguém vai mudar pra melhor ou pior por causa daquilo.
Minha preocupação é outra quando saímos das quatro linhas e entramos em uma sociedade em que a linha entre o certo e o errado é traçada com aqueles sprays dos árbitros de futebol. Permanece visível por um tempo, mas vai se apagando, sumindo, até ninguém mais ter certeza de onde estava. ‘Já que todo mundo faz, vou fazer também’. ‘Já que o negócio é ser esperto, vou tentar ser mais’. Já que ninguém é perfeito, porque vou tentar ‘dar uma de bom’?
Mas o fato de não podermos fazer tudo serve desculpa para não fazermos nada? Não precisa ser assim. Nem sempre a jogada vai ser leal, mas precisam ser regra as desleais? Nem sempre vamos acertar, mas vamos também nos contentar em ir errando?

No fundo estamos falando de princípios. Quando o fundamento moral de uma pessoa diz que tudo é relativo e que o importa é o resultado, vamos ver muita falta no meio. Mas quando aponta para o certo como o certo e o errado como jogada não intencional, ai a defesa fica mais firme e o ataque, mais certeiro. Bolas pra fora ou na trave continuarão em cena. Mas sempre com chance de replay – que, diferente da transmissão dede TV, pode ser alterado. A bola pode ir pra rede na segunda chance.

Para isso podemos contar sempre com a mão de Deus. Não a do gol do Maradona, mas aquela que nos orienta e auxilia a termos sempre grandes chances de marcar. E também para, movidos pela sabedoria e fé que vêm do banco, darmos uma mão para um mundo carente de enxergar com clareza esta linha divisória.

sábado, novembro 10, 2007

Sobra

O vídeo é só pra ser engraçado.




Mas dá pra aproveitar e fazer uma aplicação.
É bom escolhermos bem nossas companhias. Pois às vezes, os outros fazem coisas erradas e a gente acaba levando a pior.


PS: O vídeo já foi visto mais de 25 milhões de vezes... Impressionante.

sexta-feira, novembro 09, 2007

Camille

"Quando intelectuais tomam a posição de que as pessoas inteligentes não crêem em Deus e que apenas os fracos ou os tolos acreditam no que diz a religião, é um desastre para os mais jovens. Não dá para entender o mundo e sua história sem conhecer as grandes religiões."

Camille Paglia


Mais, aqui.

Publica




Está quase pronta a casa em formato de vaso sanitário.
Dia 11 abre para visitação, na Coréia do Sul, próximo à capital, Seul.


Em breve deve vir a casinha do cachorro, em formato de rolo de papel higiênico.
Um jeito inusitado de tornar pública ao mundo a sua vida: privada.

Fonte

A descoberta do poço de petróleo de Tupi, na bacia de Santos, deve levar o Brasil às 8ª ou 9ª posição das reservas mundiais do produto. Afirmação da ministra das minas e energia, a gaúcha Dilma Roussef. Já se pode imaginar os benefícios que esta nova reserva pode trazer para o país - desde que bem administrada. Aliás, entre outras coisas, é o que a ministra anunciou: “...e ver a melhor forma de transformar essa riqueza num maior benefício para o povo deste país”.

Sabemos que esta descoberta significa tanto porque o petróleo e seus derivados são produtos indispensáveis para mover o mundo. Apenas uma semana ou um dia sem ele bastariam para instalar o caos em todo o planeta. Quase todos os setores da sociedade entrariam em colapso pela falta de algo tão essencial, que move máquinas, motores e vidas.

Por isso, é difícil alguém afirmar que é o ser humano é autônomo, que não depende destes fatores externos para mantê-la. Ou que tudo isso é ilusão e crença de gente limitada que depende de coisas fora de si para continuar vivendo...

Para a maior fonte e reserva de energia que temos, a verdade é ainda mais precisa. Ela não está no Brasil. Nem tampouco na Venezuela ou nos países árabes. Quer dizer, não está somente lá. Está em toda a parte. Todo o ser humano depende de Deus, como fonte geradora da vida, para continuar a viver, existir, se mover. Não é possível que a vida aconteça sem que Ele alimente, abasteça, mantenha de pé.

E quando o amor de Deus perfura a imperfeição, tristeza e indiferença do coração, a vida se torna ainda mais completa, pois ai entra o perdão de Jesus Cristo, pela fé. Uma nova vida em que reconhecemos - com alegria - a dependência desta fonte e passamos a consumir este combustível que não se compra e não se vende – se ganha, para quantos quilômetros precisarmos rodar

Tudo bem, talvez alguém conseguiria escolher um tipo de vida sem nenhum derivado do petróleo. Poderia prescindir de ‘acreditar’ que ele seja necessário. Mas não precisar não significa não existir. Indiretamente, sua vida e o mundo em que ele vive continuarão dependendo também deste combustível fóssil.

Não precisar de Deus, não faz com que Ele deixe de existir. Ele continua agindo na direção do ser humano. Mantendo a vida de todos. Ele tem a melhor forma de transformar essa riqueza em benefício para o povo de qualquer país.

Pois os recursos do Seu amor, ao contrário de poços de petróleo, jamais se esgotam.

quinta-feira, novembro 08, 2007

Luz

Os olhos não percebem o que acontece nas imagens abaixo.
Mas nem por isso deixa de ser real.





Uma boa definição também para a realidade da existência do Criador da luz.


Sobre Deus II

On Nov 8, 2007 2:13 PM, Helio Schwartsman <helio@folhasp.com.br> wrote:

Lucas,

Se eu, que não sou melhor do que ninguém não preciso de Deus, está provado que todos podem prescindir.

Abraço,

H.

*************
On Nov 8, 2007 9:47 PM, Lucas wrote:

Opa, obrigado pela resposta, Hèlio!

Acrescento apenas que nâo precisar não significa não existir. Ninguém precisa de aspirina até ficar com dor de cabeça.

Abraço, igualmente,

Lucas.


PS: Continuação do email de hoje de manhã

Sobre Deus

Estava há pouco lendo uma matéria do jornal Zero Hora sobre Christopher Hitchens, ‘Ele contesta até Deus’, publicada em 03 de novembro. Segundo o autor da matéria, Gabriel Brust, Hitchens respondeu de forma clara e direta. ‘As religiões são ruins porque elas mentem. Simples assim”

Não dá pra negar que, do ponto de vista humano, Hitchens vai sempre levar certa vantagem. Ele trabalha apenas com o que se vê, com o que sente. Com o que pode tocar. E mais. Somente com o que consegue apreender com seu raciocínio mental. Teoricamente, com mais chances de persuadir o pensamento humano.Já cristãos e outros religiosos trabalham com muito do que se percebe, se nota, se crê. Não necessariamente se vê.

Mesmo assim, dá para fazer alguns contrapontos a este jornalista e filósofo britânico, para exercitamos a reflexão, o raciocínio, e também a fé. Já que,do ponto de vista científico dificilmente um tema pode ser declarado encerrado.

_O universo, o sentido da vida, a existência humana e toda a sua complexidade cabem dentro de palavras humanas? Podem ser explicados plenamente pelo que nosso cérebro consegue conceber, nossas mãos conseguem tocar ou nossa capacidade de raciocínio consegue julgar?

_É um ato bastante desonesto. Colocar uma lupa sobre o que pessoas ligadas a religiões fizeram e fazem – fruto da imperfeição e maldade que estão em cada ser humano – e ignorar todo o bem causado pelos que procuraram seguir sua fé de forma séria.
Existem mais homens bomba e guerras santas ou mais pessoas vivendo a sua fé em ações solidárias e humanas na direção ao próximo? Na vida real, é a segunda alternativa. Mas nas paginas dos jornais de alguns livros de história, é a primeira. São as que mais vendem.

_Antes de Hitchens, outros já tentaram matar Deus e as religiões na base do raciocínio. Todos eles estão mortos, enquanto Deus permanece vivo. Pode ser este também o mesmo caminho de Hitchens?

No fim, falta um pouco de base comum para uma discussão honesta. Pois os argumentos de HItchens sempre levarão em conta somente o que o cérebro humano – alguns gramas – consegue conceber, como “livre pensador’. Enquanto a visão cristã sempre se renderá Àquele que é infinitamente mais do que podemos descrever, mas que na simplicidade de duas letras, fé, revela todo o Seu amor, cuidado e veracidade.

Não só para o cérebro, mas também para o coração. Hitchens escolheu só um deles. Os cristãos escolhem os dois.

e-mail a Hélio Schwartsman


A respeito do texto "O renascimento de Deus". Na verdade, sobre a conclusão dele.



"Prezado Sr. Helio:

"Quanto ao ser humano, num ponto ele de fato difere dos outros animais. Insiste em prestar reverência a uma hipótese implausível, que se provou desnecessária e, nos dias de hoje, tem-se mostrado mais destrutiva do que agregadora. "

Errado. O problema é o ser humano, não Deus. Onde houver ser humano, independente de sua crença ou ausência dela, haverá tensão. Até os regimes politicos que tentaram acabar com Ele sucumbiram. Em alguns casos, como o socialismo, se mostraram e se mostram infinitamente mais cruéis do que todas as religiões juntas.

Este é o problema de juntar filosofia com idealismo. Acaba se acreditando na capacidade e autonomia do ser humano muito além do que a realidade pragmática inexorável permite.

"se provou desnecessária". 'Provas' até hoje nunca apresentadas satisfatoria e conclusivamente.


"mais destrutiva do que agregadora". Quando pessoas como o sr. que têm o poder da midia nas mãos quiserem enxergar o bem causado por pessoas comprometidas seriamente com a fé em Deus, serão obrigados pelos fatos a reverem seus silogismos carregados de apriorismos. E a aumentarem o número de páginas dos seus jornais.Se quiser começar agora, com apenas um clique e um exemplo (o da maior universidade brasileira):


Atenciosamente,

PLucas




Problemas

Os problemas, quando enfrentados com fé, são como a neblina. Até prejudicam a visão por algum tempo. Mas logo são obrigados a dar lugar ao Sol.

quarta-feira, novembro 07, 2007

Frase

“Prazer pelo que se faz coloca perfeição no trabalho.”

Ariostóteles

ocupação

Ele vinha passando, indo de um lugar para o outro, correndo para mais uma atividade. Já não bastasse a manhã cheia de atividades, a tarde parecia cada vez mais curta. O dia.
Pra falar a verdade, as semanas estavam parecendo ter só quatro dias.
Ao passar, viu dois jovens sentados, à sombra, tomando um chimarrão. Aparentemente calmos, serenos. “curtindo a vida”.

-Ah, eu queria poder fazer isso a tarde inteira – foi o primeiro pensamento.

Mas a medida em que seguiu caminhando para a próxima tarefa, veio um segundo. E um terceiro.
_Será que é tão ruim ter tanto trabalho?
_Será que eu agüentaria ficar mesmo a tarde inteira sem o que fazer?
_E se agüentasse, seria com calma ou acumulando ansiedade e tensão pelo ‘fazer nada’?

E mais alguns, correlatos. E imediatamente ele se deu conta de que era uma das pessoas mais abençoadas do mundo, porque tinha a lhe esperar vários emails, planejamento, agenda, ligações, vários relatórios... Trabalho. Ocupação. Vida.

Pode haver exceções. Os preguiçosos com orgulho são uma delas, mas creio serem a minoria. O mais certo é que tempo demais para não fazer nada começa a cansar. Ansiar. Prejudicar. Sem falar no que uma mente desocupada consegue planejar de maldades ou besteiras. E não estou falando da mente do outro. Começo pela minha.

Deus mesmo inventou o trabalho, lá no Éden, criando dois jardineiros. Poderíamos quem sabe denominá-los também biólogos, zootecnistas, administradores ou outra qualificação atribuída a eles. Mas trabalho. Ocupação.
Concordo, em nossos dias, o excesso tem prejudicado nosso jeito de viver, de pensar, de se concentrar. Sem falar no jeito de se relacionar, conosco mesmo e com o próximo. Mas é bom poder se ocupar. Exercitar os talentos e habilidades. Produzir. Quem está desempregado ou sem trabalho que o diga. Não é tão divertido assim passar horas tomando chimarrão, olhando televisão ou pensando, ‘será que vou conseguir um trabalho’?

Não digo que alguém vai viver agradecendo pelas incomodações, atrasos, brigas, acúmulo de funções – até porque trabalhar traz muitas coisas boas, não só ruins. Mas que elas nos auxiliam a mantermos nossa vida em foco, não dá pra negar.
E ainda nos fazem valorizar ainda mais as horas que temos para a sombra e o chimarrão.

terça-feira, novembro 06, 2007

gênio

"Talento é quando um atirador atinge um alvo que os outros não conseguem. Gênio é quando um atirador atinge um alvo que os outros não vêem."

Arthur Schopenhauer

Dia perfeito

Ontem tivemos a oportunidade de levar a Dorcas, nossa amiga da Nova Iorque (e leitora do toque de vida, fala português fluentemente) para um passeio em Gramado e Canela. Foi uma tarde-noite bem agradável, com vistas muito belas, como só a serra gaúcha pode proporcionar.

Ao final do dia, ao deixá-la no hotel em Porto Alegre, ela resumiu o passeio em uma frase
- Foi um dia perfeito.

É difícil acreditar que existe algo assim, um 'dia perfeito'. Ela mesmo estava resfriada, caminhando pelas ruas e interagindo conosco com os olhos lacrimejando, provavelmente até um tanto cansada.
Um dia perfeito. Como?


Eu tenho um palpite: um dia pode ser perfeito ou perdido, dependendo de como nos relacionamos com ele. Até mesmo um passeio a Gramado, que tem grandes chances de ter muitas coisas boas, pode ser um dia perdido se ficássemos só pensando nas outras coisas que podemos ter deixado de fazer. Ou se teríamos tempo para tudo. Ou se por acaso não iria chover, ou fazer muito frio. "E se o pneu furar?"

Nosso problema é a tendência notar mais o não bom. O pneu furado, não o macaco e a chave de roda. O cliente que nos xingou, não o que elogiou com um 'obrigado'. A frase mais seca, não o olhar mais doce.Pior ainda quando sofremos por antecipação, pensando no que de ruim poderá acontecer. E acabamos mesmo transformando o perfeito em perdido.

O fato de ser um 'dia' já indica que é muito bom. Estamos vivos, temos oportunidades, relacionamentos. Podemos ter escolhas, tomar decisões – atributo único nosso. Aprender algo novo. Ajudar. Sorrir. E ele se torna perfeito com a companhia certa. Deus, que nos ama tanto e que nos dá sempre um novo dia, é companhia que sempre garante um dia bom.

Quer seja de sol, de chuva, de passeio ou de trabalho no escritório, um ‘dia perfeito’ é assim. A estrada pode ter curvas perigosas, mas sempre com paisagens que agradam o olhar.

segunda-feira, novembro 05, 2007

salmo 23

Este video já ultrapassou 4 milhões de visitas no God Tube - que você já conhece da nossa barra de utilitários ao lado. Marca que poucos videos do You Tube alcançam.

Mesmo não entendendo inglês, ele vale a pena. A menina é uma graça.,

O texto, também.




Mais sobre o que é o God Tube

"Site sobre vídeos cristãos atrai mais de 3 milhões"

quinta-feira, novembro 01, 2007

Batidas

Você já passou por uma pequena batida de trânsito? Daquelas em que há o dano material, mas ninguém se machuca seriamente?
Eu já. No momento, é uma incomodação tremenda. Perde-se um bom tempo até que a situação seja resolvida. Entretanto, passando-se os dias, já contamos o episódio com um fato isolado, lá atrás no tempo, e às vezes, dependendo do caso, até como uma situação engraçada.Às vezes passamos por momentos que nos tomam tempo, dificultam as coisas, emperram nossa vida. Mas talvez possam ser vistos como "pequenas batidas na estrada para a eternidade". Passamos por aquilo tudo, mas sabemos que não vai durar.

Para o dia de finados, esta é uma boa lembrança. A morta é uma batida violenta me nossa alma, em nossa vida. Deixa marcas fortes. Mas sabemos também que isso não via durar. Até porque aquela frase não é verdadeira, “Tudo na vida tem solução, menos a morte”. Até ela já foi solucionada, pela vida de Jesus Cristo.

Ainda mais que sabemos que Deus está presente, não meramente como um guincho para nos rebocar, mas como o próprio mecânico, capaz de nos consertar integralmente e nos fazer seguir viagem. Confiando nele, somos lembrados de que as batidas passam, mas a estrada continua. A morte entristece, mas ela é a penúltima palavra. Pois a última, é do Senhor da Vida. Vida em abundância. E pra sempre.


Para isso, basta apenas estar coberto pelo seguro: Fé.