Sobre Deus

Estava há pouco lendo uma matéria do jornal Zero Hora sobre Christopher Hitchens, ‘Ele contesta até Deus’, publicada em 03 de novembro. Segundo o autor da matéria, Gabriel Brust, Hitchens respondeu de forma clara e direta. ‘As religiões são ruins porque elas mentem. Simples assim”

Não dá pra negar que, do ponto de vista humano, Hitchens vai sempre levar certa vantagem. Ele trabalha apenas com o que se vê, com o que sente. Com o que pode tocar. E mais. Somente com o que consegue apreender com seu raciocínio mental. Teoricamente, com mais chances de persuadir o pensamento humano.Já cristãos e outros religiosos trabalham com muito do que se percebe, se nota, se crê. Não necessariamente se vê.

Mesmo assim, dá para fazer alguns contrapontos a este jornalista e filósofo britânico, para exercitamos a reflexão, o raciocínio, e também a fé. Já que,do ponto de vista científico dificilmente um tema pode ser declarado encerrado.

_O universo, o sentido da vida, a existência humana e toda a sua complexidade cabem dentro de palavras humanas? Podem ser explicados plenamente pelo que nosso cérebro consegue conceber, nossas mãos conseguem tocar ou nossa capacidade de raciocínio consegue julgar?

_É um ato bastante desonesto. Colocar uma lupa sobre o que pessoas ligadas a religiões fizeram e fazem – fruto da imperfeição e maldade que estão em cada ser humano – e ignorar todo o bem causado pelos que procuraram seguir sua fé de forma séria.
Existem mais homens bomba e guerras santas ou mais pessoas vivendo a sua fé em ações solidárias e humanas na direção ao próximo? Na vida real, é a segunda alternativa. Mas nas paginas dos jornais de alguns livros de história, é a primeira. São as que mais vendem.

_Antes de Hitchens, outros já tentaram matar Deus e as religiões na base do raciocínio. Todos eles estão mortos, enquanto Deus permanece vivo. Pode ser este também o mesmo caminho de Hitchens?

No fim, falta um pouco de base comum para uma discussão honesta. Pois os argumentos de HItchens sempre levarão em conta somente o que o cérebro humano – alguns gramas – consegue conceber, como “livre pensador’. Enquanto a visão cristã sempre se renderá Àquele que é infinitamente mais do que podemos descrever, mas que na simplicidade de duas letras, fé, revela todo o Seu amor, cuidado e veracidade.

Não só para o cérebro, mas também para o coração. Hitchens escolheu só um deles. Os cristãos escolhem os dois.
2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração