Acelerador

A invenção do automóvel como uma extensão dos nossos pés facilitou a vida, nos fazendo chegar mais rápido. Mas também trouxe esta peça que permitiu a muitos mostrarem nas ruas e estradas muito do que são: o acelerador.

O pedal de aceleração é uma das mais reveladoras extensões do nosso corpo, escreveu o teólogo alemão Helmuth Thielecke. Ele tinha razão. Basta pensarmos no que está por trás do acelerar ‘a mil’. Sair ‘cantando pneus’. Andar muito devagar; ‘costurar’. Usá-lo para pressionar o carro da frente. Acioná-lo depois de chegar no carro com os pés tropeçando um no outro...

O acelerador do carro revela quem e como o motorista é.

A solução não é simplesmente andar devagar. Andando a 30 por hora numa auto-estrada você também vai estar errado, Um avião não decola a menos de 200 km/h. Há momentos na vida em que a pressa é amiga da promoção, da finalização, da negociação, da solução, e por aí vai. Mas o ponto aqui é descobrir a velocidade adequada para a estrada em que estamos. Até Jesus Cristo fez isso. Houve momento em que ele pisou fundo com vendilhões no templo. Em outros, praticamente ‘parou o carro’ para acolher criancinhas e brincar com elas.

É fundamental termos a noção em nossa vida de que não estamos sozinhos na estrada, e que precisamos utilizar o acelerador levando em consideração o outro. Não é necessário pressionar sem motivo, provar sem razão, achar-se mais algum motivo ou andar devagar pra prejudicar. O que se aplica também a quem não tem carro. O uso adequado do acelerador na estrada em que estamos pode ser a diferença entre segurança e risco, entre acidente e prevenção. Até mesmo entre morte e vida.

Deus deu para cada um seu velocímetro pessoal, e é preciso saber respeitar. E existem as leis da estrada que se aplicam a todos, que sempre faz bem observar
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração