sexta-feira, agosto 12, 2016

O Carpinteiro e os jardineiros

 


Que tipo de pai mais precisamos? Jardineiros ou carpinteiros?

Acompanhei entrevista com a psicóloga Alison Gopnik, (Universidade California Berkeley, EUA), que escreveu o livro “The Gardener and the Carpenter” (O  Jardineiro e o Carpinteiro),utilizando estas duas metáforas para falar a ação dos pais em relação aos filhos. De uma maneira muito resumida, o ponto é que, às vezes, os pais agem como “carpinteiros” com os filhos. Planejam, programam, executam e esperam pelo resultado previsto. No entanto, este modelo, em muitos momentos, gera expectativas exageradas e gera frustrações desnecessárias. Pois sabemos que é impossível moldar uma pessoa para ser o que queremos. Por outro lado, uma abordagem de “jardineiro’ leva em conta a importância de cuidar, podar, regar, acompanhar... mas lembrando sempre que, a cada estação, pode haver uma surpresa, algo novo, algo diferente, que não havia sido pensado, previsto e, muito menos, planejado. E é preciso lidar com esta realidade.

No fim da conversa,  a entrevistadora procurou  resumir a ideia : “Poderíamos dizer então, que precisamos ser menos carpinteiros, isto é, tentar desenhar e executar o futuro dos nossos filhos, e mais jardineiros - ser presentes com amor incondicional, cuidado e amor.

Uma metáfora interessante para pensar a missão dos pais, - especialmente do pai, neste segundo domingo de Agosto. Não é por mal, mas, muitas vezes, depois de visualizar e programar a vida dos filhos, tentamos, a partir daí, cuidar para que a execução seja perfeita. Mas não é difícil de prever os atritos, decepções e frustrações, de parte a parte, que daí podem resultar. Por outro lado, quando nos preocupamos mais em estar presentes, semeando amor incondicional presença ,segurança e cuidado, damos mais oportunidade para que os filhos se aventurem, busquem suas conquistas, desenvolvam suas vidas a partir desta segurança que sentem com alguém que sempre vai estar lá por eles.

Isto me fez lembrar do Carpínteiro de Nazaré. Ele veio para executar a obra cuidadosamente planejada pelo Pai. E assim aconteceu. Ele obedeceu perfeitamente. Tudo para semear no coração humano o amor incondicional do Pai por seus filhos, estendendo perdão, paz,.salvação e segurança para a vida. Cuidados e guiados por seu amor, podemos crescer, nos aventurar, aprender, cair, pedir perdão, recomeçar. Tudo porque temos o Jardineiro que cuida de cada passo que viermos a dar.

Pais jardineiros podem lançar sua fé e confiança incondicional no Carpinteiro. Jesus Cristo oferece a cada coração as sementes de Sua Palavra, que dão a única esperança real e segura – Seu amor. E dá a oportunidade de sermos únicos, diferentes, como filhos e como pais. Jardineiros que confiam o cuidado e o crescimento ao Criador.

Pois sabemos que planejamento, sonhos e resultados sempre podem falhar.

Seu amor incondicional, não.

Ele sempre vai estar lá por nós


P. Lucas André Albrecht
Postar um comentário