O Carpinteiro e os jardineiros

 


Que tipo de pai mais precisamos? Jardineiros ou carpinteiros?

Acompanhei entrevista com a psicóloga Alison Gopnik, (Universidade California Berkeley, EUA), que escreveu o livro “The Gardener and the Carpenter” (O  Jardineiro e o Carpinteiro),utilizando estas duas metáforas para falar a ação dos pais em relação aos filhos. De uma maneira muito resumida, o ponto é que, às vezes, os pais agem como “carpinteiros” com os filhos. Planejam, programam, executam e esperam pelo resultado previsto. No entanto, este modelo, em muitos momentos, gera expectativas exageradas e gera frustrações desnecessárias. Pois sabemos que é impossível moldar uma pessoa para ser o que queremos. Por outro lado, uma abordagem de “jardineiro’ leva em conta a importância de cuidar, podar, regar, acompanhar... mas lembrando sempre que, a cada estação, pode haver uma surpresa, algo novo, algo diferente, que não havia sido pensado, previsto e, muito menos, planejado. E é preciso lidar com esta realidade.

No fim da conversa,  a entrevistadora procurou  resumir a ideia : “Poderíamos dizer então, que precisamos ser menos carpinteiros, isto é, tentar desenhar e executar o futuro dos nossos filhos, e mais jardineiros - ser presentes com amor incondicional, cuidado e amor.

Uma metáfora interessante para pensar a missão dos pais, - especialmente do pai, neste segundo domingo de Agosto. Não é por mal, mas, muitas vezes, depois de visualizar e programar a vida dos filhos, tentamos, a partir daí, cuidar para que a execução seja perfeita. Mas não é difícil de prever os atritos, decepções e frustrações, de parte a parte, que daí podem resultar. Por outro lado, quando nos preocupamos mais em estar presentes, semeando amor incondicional presença ,segurança e cuidado, damos mais oportunidade para que os filhos se aventurem, busquem suas conquistas, desenvolvam suas vidas a partir desta segurança que sentem com alguém que sempre vai estar lá por eles.

Isto me fez lembrar do Carpínteiro de Nazaré. Ele veio para executar a obra cuidadosamente planejada pelo Pai. E assim aconteceu. Ele obedeceu perfeitamente. Tudo para semear no coração humano o amor incondicional do Pai por seus filhos, estendendo perdão, paz,.salvação e segurança para a vida. Cuidados e guiados por seu amor, podemos crescer, nos aventurar, aprender, cair, pedir perdão, recomeçar. Tudo porque temos o Jardineiro que cuida de cada passo que viermos a dar.

Pais jardineiros podem lançar sua fé e confiança incondicional no Carpinteiro. Jesus Cristo oferece a cada coração as sementes de Sua Palavra, que dão a única esperança real e segura – Seu amor. E dá a oportunidade de sermos únicos, diferentes, como filhos e como pais. Jardineiros que confiam o cuidado e o crescimento ao Criador.

Pois sabemos que planejamento, sonhos e resultados sempre podem falhar.

Seu amor incondicional, não.

Ele sempre vai estar lá por nós


P. Lucas André Albrecht
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração