quarta-feira, março 25, 2015

Amor que justifica

A conversa estava interessante.
- Veja bem, Marta. O principal é que a criança vai ter amor. Vai ser amada por uma família – comentava Pedro.
Marta retornou:
- Pedro, o argumento que mais vejo nesta discussão é o do amor. Mas não dá pra ser assim
- Como não? – espantou-se Pedro.  - Você não acha que uma criança precisa de amor?
- Claro que acho. Mas estamos falando de legislação. Leis precisam se ancorar em argumentos mais claros. Amor é subjetivo.
- Como assim?
- Dizer que “faço por amor”,ou “vou dar muito amor” pode justificar muita coisa, tanto boa como ruim,. “Amor’, neste contexto,. é subjetivo e não identificável demais para ser a principal sustentação uma lei, estatuto ou norma. Pode haver outros argumentos, não há dúvida. Mas este, não dá.

Marta estava certa. Em nome do amor se fazem coisas lindas, mas outras, nem tanto. Pois cada pessoa costuma ter seu conceito do que é amar ou dar amor a alguém outro.

Neste caso, o amor não justifica.

Em outro caso, sim. Existe um amor que justifica o ser humano. Perdoa, aproxima, acolhe. E o faz viver diferente. É o amor de Jesus Cristo que, de tão intenso, e louco até, esteve no alto de uma cruz, entregando-se para que cada ser humano, em qualquer condição, lugar ou situação pudesse ter a certeza de ser justificado – salvo, amado, conduzido.

Pela fé Nele, somos conduzidos ao Pai. Recebemos a adoção de filhos. Passamos a fazer parte da família da fé. E passamos a servir nosso semelhante em amor, lutando pelo que é correto, mas sem esquecer doses generosas de compreensão e cuidado. Pois cada pessoa que encontramos está lutando uma árdua batalha, precisando, muito de andar segura em uma certeza precisa.

Saber-se justificada pelo Amor.


(Pastor Lucas André Albrecht)

sexta-feira, março 20, 2015

Viagem de ida

  

Há dois, anos, escrevi uma mensagem a respeito do ousado projeto da entidade chamadaMars One: colonizar Marte. Foram abertas inscrições para voluntários e mais de 200 mil pessoas aderiram. Há alguns dias, uma noticia relatava que 100 pessoas já estavam pré-selecionadas, das quais 24 seriam escolhidas para dedicarem sua vida ao projeto – já que a passagem é só de ida.

Mas há noticia mais recente. E a principal delas é de que o projeto está levantando suspeitas de sua viabilidade. Cientistas do MIT apontam problemas de viabilidade da façanha. E até integrantes dos 100 pré-selecionados estão colocando em dúvida a austeridade do projeto. Por outro lado, porta-vozes da empresa continuam afirmando que ele é viável e que vai acontecer.

Ou seja, garantem que essa viagem só de ida não é enganação. É fato.

Isso me fez lembrar que outra promessa de uma viagem só de ida. Jesus Cristo prometeu que, por meio dele, não apenas 200 mil, mas todo e cada ser humano tem acesso a uma passagem só de ida para a eternidade. E, desde que ele partiu, prometendo vir buscar a tripulação em breve, há inúmeras tentativas de desqualificar Suas palavras. É inviável. É lenda. É ingenuidade. È só promessa.

Todas sem sucesso.

Porque a boa notícia permanece. A viagem de ida para a eternidade está garantida. Ela começa já aqui, quando recebida por meio da fé Nele. É nesta fé, mantida até o fim desta vida, que temos a certeza de que há um outro mundo possível. Não apenas possível, mas real e duradouro.A vida eterna.

Quando somos chamados para dentro desta promessa, ela também nos compromete. Não com Marte, mas com o ser humano, seja onde ele estiver. Especialmente, se estiver muito próximo, precisando de cuidado e atenção. Precisando de alguém que conheça mais do seu mundo e lhe alcance um pouco de compreensão. Compartilhe fé, amor e esperança para bilhões de pessoas que estão aqui, bem perto do chão.

Virão mais décadas e séculos. Virão mais tentativas de desconstrução. Mas todas vão falhar. Porque, neste caso, a promessa não vem de uma entidade privada, que tem processo de seleção questionado e que depende de doações para efetivá-la

Ela vem do The One. Aquele que doou a si próprio para que esta viagem fosse segura.

E que não quer deixar ninguém para trás..



(P. Lucas André Albrecht)

quarta-feira, março 11, 2015

Super

Em alguns momentos, desejamos ser super-homens, ou supermulheres.

Fazemos nossa agenda já sabendo tudo o que deve acontecer. Visualizamos nosso futuro com a convicção de quais passos serão dados e quais os resultados que deverão gerar. Analisamos o presente com a certeza de quem sabe ler plenamente a realidade. Olhamos para o passado achando que poderemos mudar algo pelo simplesmente determinar que assim deve ser.

Queremos ser super-homens. Quando, na verdade, somos super...humanos.

E, quando nos damos conta disso, nossas palavras não ficam longe do que diz a Bíblia “Escuta meu grito, ó Senhor! Ouve o meu pedido de socorro!”

E ele escuta. Tanto que Deus mesmo se tornou humano, de verdade. Ele sim, Jesus Cristo, foi super, isto é, acima. Acima da razão, da força e da vontade humana para fazer aquilo que não poderíamos e conquistar aquilo que jamais atingiríamos. Ele nos chama a desistirmos de querermos ser super e permanecermos conscientes de nossa humanidade. Para então, recebermos perdão, nova vida e podermos alçar voo, guiados pelo seu amor. Para colocarmos nossa esperança Nele, pois Seu amor é fiel.

Isto não quer dizer que vamos ser superiores a alguém, mas sim que podemos superar o que cada dia nos traz, com força, fé e coragem.

A coragem de sermos super-humanos, amados por um super Pai.


(P. Lucas André Albrecht)