sexta-feira, março 13, 2009

Reações à reação

Leitores comentam o toque de vida de ontem.

“Parabéns, Lucas por teu artigo "a esmo". O comentário que veio da Alemanha é bem interessante.”
******

“Concordo com as colocações do leitor do Toque de Vida, hoje mesmo falando com uma pessoa...sobre violência relacionada ao uso de drogas, ela teve seu único filho assassinado ano passado na frente de casa, ele era motorista de táxi e tinha menos de 30 anos, deixou uma filhinha de 05 anos(...) Já em 1997 em plena luz do dia as pessoas eram assaltadas.
(,,,)
Daí se formos pensar na causa de tanta violência temos que ver como desencadeante principal os fatores sociais, miséria, fome, desamparo, principalmente pela falta de amor ao próximo e daí até mesmo palavras mal ditas e aquelas não ditas.
(...)Obrigada, pela mensagem Tempero. Penso que o melhor tempero para a vida é a alegria de poder servir aqueles que amamos e ao nosso próximo mesmo que não tenhamos qualquer afinidade.

******

“Boa noite PLucas, não lí até o final o texto desta pessoa que mora na Alemanha, interrompí quando começou a falar mal do Brasil, não sei qual a sua intenção, mas o absurdo ocorreu lá, não quero dizer que no Brasil não existem problemas, sabemos que existem e são muitos. Mas não podemos ficar calados quando alguém que é brasileiro e não mora aqui, fica falando mal de nossa Pátria, na Alemanha acontecem sim muitas barbaridades e este episódio é somente uma ilustração, porque um pai de família precisa ter tantas armas de fogo em casa? Não podemos esquecer do holocausto. Por que esta pessoa que se julga acima das barbaridades que ocorrem aqui, não volta e vem fazer algo em prol dos necessitados? É mais fácil viver na Alemanha, um país do primeiro mundo, aonde tudo funciona. Porque não escolheu ir viver na África, aonde crianças morrem de fome todo dia. Ou então que volte para o Brasil e tente melhorá-lo, ou é melhor ficar lá na Alemanha criticando?”

******

“Felicitaciones...

Excelente textos... e esse testemunho, direto da fonte... foi sensacional.”


Texto do leitor da Alemanha.
Postar um comentário