conserto

O pneu furou. Precisei parar, estrear o macaco e o estepe, fazer a troca. Depois, achar um borracheiro, já que aquele no qual sempre levava o carro, pelo qual rodei algum tempo com o pneu furado, não estava mais lá. Depois de encontrar, ainda esperar a troca. Tudo isso mais ou menos a 20 minutos de iniciar o horário de gravação. Tendo que rodar pelo menos 15 minutos até Porto Alegre.

Um furo pequeno. Mas que comprometeu todo o resto, impedindo de se mover.

Fiquei um pouco chateado. Mas confesso que tenho uma certa vantagem diante de momentos complicados: sempre é possível fazer um Toque de Vida a partir da situação.

Pequenos furos e vazamentos nas relações diárias podem não colocá-las no chão tão imediamente como acontece com o pneu de carro. Mas não há dúvida, em breve não passarão mais despercebidos. Pior, vão aumentar. Incomodar. E aí, a coisa vai se complicar bem mais do que precisar usar o estepe. Poderão levar a mudanças que podem nos deixar arrependidos de não termos dado bola antes. Quando a solução ainda estava mais ao alcance das duas mãos.

Quando fura o pneu, não adianta oficina ou posto de gasolina. O que o carro precisa é o lugar certo - a borracharia - para consertar o pequeno estrago que impede todo o veiculo de desempenhar suas funções. Quando o erro perfura nossa alma, seja pequeno ou seja grande, ignorar é a alternativa errada. O prejuízo não está longe de chegar.

Atenção é o remendo certo. Perdão, conversa, compreensão. Tentar sempre, logo em seguida, o caminho da solução. Não mero estepe, mas restauração. Não mero tapa-buracos, mas conserto integral. Com Deus, não temos meros remendos, mas recomeços, reconquistas, rodovias para o coração. Pois Ele não nos quer ver logo adiante parados em uma possível solidão.

Sem deixar pequenos vazamentos esvaziarem relacionamentos. E sempre contando com Seu Toque em nossa Vida, nos animando a enfrentar e vencer a situação.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração