Herói

Michael Monsoor era combatente de elite da Marinha no Iraque. Estava em determinada posição na cidade de Ramadi, em 29 de setembro de 2006, com mais alguns soldados, quando seu peito foi atingido por uma granada, que caiu no chão de onde estavam. Monsoor tinha duas opções: salvar a si mesmo ou salvar seus amigos. Ele poderia ter corrido, mas preferiu a segunda opção. Atirou-se sobre a granada e absorveu no tórax todo o impacto.

Matou no peito. E deu sua vida pelos amigos.

Um dos colegas cuja vida foi salva declarou: “Naquele dia, Michael olhou a morte nos olhos e disse: ‘você não vai levar meus amigos. Eu irei no lugar deles’ ”.

Um gesto heróico que talvez poucas pessoas fariam. Ou, fariam por bem poucas pessoas em sua vida. Sob esta ótica, fica claro o grande amor de Jesus Cristo. Quando foi pregado inocentemente a uma cruz, olhou a morte nos olhos e disse: “você não vai pegar meus irmãos. Eu irei no lugar deles”. E não apenas por 3 ou poucos amigos. Deu sua vida pela humanidade inteira. Inimigos, inclusive.

Ele matou no peito a tarefa para a qual veio, e combateu até o fim.

No início deste mês, Michael Monsoor recebeu uma medalha de honra póstuma. Já o Mestre não recebeu prêmios, mas o que Ele mais quer, sem dúvida, é receber corações agradecidos, confiantes, lutadores . E que ‘matam no peito’ as dificuldades que a vida apresenta por serem combatentes liderados pelo Grande Herói.




Ilustração via LHM
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração