Crescidos

Se fosse em outro contexto, poderia ser uma dor insuportável e o começo de sérios problemas.

Mas neste caso era uma mãe, sentada na sala com amigos e seu filho, de dois anos, em pé, brincando de dar socos com toda sua força no joelho dela, querendo chamar a atenção ou simplesmente ‘sentir’ o que estava à sua frente. A mãe nem se mexeu. Ele batia com toda a força e ela continuava conversando.
Cena que não estou apenas supondo, mas presenciei ao visitar amigos no domingo.

Se forem em outro contexto, as dores que o mundo nos faz sentir podem de fato nos derrubar. Não são poucas as ameaças, não são fracas as pancadas que recebemos. E ninguém está brincando, não. Tudo é sério, muito sério, situações que podem nos desanimar ou fazer parar.

Mas se o nosso caso é o de sermos crescidos na fé, nutridos pelo amor de Deus e bem firmados em sua presença e cuidado, tudo fica diferente. Sentimos, sim, os ‘socos’ da vida, mas eles já não podem nos deixar de joelhos. Recebemos pancadas que podem doer, mas não vão nos desesperar. Porque temos a força que Ele dá e o crescimento que Ele providencia para enfrentarmos com coragem o que a vida quiser “soltar o braço”.

É com o cuidado que Jesus nos direciona que, crescidos e maduros na fé, deixamos de sentir tanta dor com os ‘socos’ da vida, e continuamos conversando, agindo, vivendo na direção certa. Segumos em frente para inclusive ajudar aqueles cujos ‘joelhos’ da alma, cansados de apanhar, começam a doer. Ele nos faz crescer constantemente para que todo impacto seja possível de se absorver.

Cenas que não estou apenas supondo. Acontecem todos os dias na vida daquele que crê.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça