O Sol do Natal

por Marcos Schmidt

Os catarinenses necessitam de consolo no sentido literal da palavra. Consolo vem do latim cum + solis que significa "com sol". No lugar da chuva, do céu nublado, é o brilho do Sol que eles mais precisam. Na verdade, o consolo sempre vem de cima, de alguém ou de alguma coisa que tem o poder de ajudar. Por isto a solidariedade, isto é, a ação de solidar, de oferecer solo para os que perderam o chão em todos os sentidos. A única solução - arrisco dizer que solução significa "ação do Sol" - aos catarinenses flagelados é o cum solis.

Cedo ou tarde, todos precisam de consolo. Nuvens pesadas e chuvas torrenciais são a coisa mais certa. Ninguém escapa! Diante desta certeza, a pergunta: temos um plano de emergência, uma "defesa civil" em estado de alerta? Parece que este foi o problema lá em Santa Catarina. A maioria não conhecia o chão onde pisava, nem estava preparada para a catástrofe. Percebe-se que o consolo eficaz é aquele que está à disposição igual aos botes salva-vidas num navio.
Interessante dizer que o nome "Noé" vem da mesma raiz na língua hebraica do Antigo Testamento para "consolo" (Gênesis 5.29). Conhecemos a história deste pregador que prenunciou o Dilúvio por 120 anos e construiu um grande navio para salvar. O registro bíblico diz que a maioria zombou de Noé chamando-o de louco. Até hoje esta história é tida como um mito. Conclui-se com isto que sem fé o consolo perde a eficácia de resgatar.


João Batista foi outro pregador do consolo: "Arrependam-se dos seus pecados porque o Reino do Céu está perto" (Mateus 3.1). Ele é o famoso personagem do Advento - este período cristão que orienta para a verdadeira celebração do Natal.

Lembro tudo isto para perguntar: onde está o consolo neste Natal que vem chegando? Compras, presentes, festas? Isto parece ser a salvação de vidas encobertas sob coisas, vidas sem sol. Aliás, os cristãos escolheram o 25 de dezembro - dia quando os gregos antigos lembravam o nascimento do deus-Sol - exatamente para alertar que coisas e criaturas jamais poderão consolar.


Rev. Marcos Schmidt
Pastor da
Comunidade Luterana ‘São Paulo’,
Novo Hamburgo, RS
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração