quinta-feira, abril 23, 2015

Gêmeos

Observe esta foto, de duas irmãs gêmeas do Reino Unido.


Bem...na verdade, não é verdade. Ah, claro, a foto é real. Mas elas não são gêmeas. Não são irmãs, nem parentes. Sequer se conheciam. NiamhGeaney e Sophie Robehmed encontraram-se através de uma página doFacebook. Um projeto de Sophie com amigos, que propõe o desafio entre eles de encontrarem seu “gêmeo desconhecido”. Sophie, claramente, está em vantagem.

Levou algum tempo, alguns dias, mas Sophie encontrou alguém que é exatamente igual a ela,.

Quanto tempo levamos para descobrirmos a mesma coisa? De que temos à nossa volta centenas de irmãos “gêmeos estranhos”; pessoas exatamente iguais a nós?

O mesmo ser humano, com o mesmo pecado, com as mesmas angústias, como as mesmas necessidades. O mesmo ser humano que quer amar, viver, aprender, talvez deixar um legado. O mesmo ser humano que, sozinho, não consegue ir muito longe e que, somado a outro, pode ir mais longe do que poderia imaginar.

Quanto tempo?

Provavelmente, o tempo de realizarmos que Jesus Cristo foi, e é, um ser humano, igual a nós. Um gêmeo desconhecido que se fez conhecer, em carne e osso. Ele era praticamente idêntico a nós, com a diferença que não tinha pecado.

Depois de algum tempo, concretizou o que veio fazer. Abrir nossos olhos para a certeza do Pai que nos ama e, assim, pela fé, podemos olhar para todas as pessoas ao nosso redor como gêmeos idênticos, ainda que estranhos. Pois todos somos identicamente olhados com amor pelo Pai, que não quer ninguém longe, mas sim, todos bem perto do seu Filho. Todos irmãos.

Junto a Ele, podemos ir mais longe do que sequer podemos imaginar.



(P. Lucas André Albrecht)
Postar um comentário