quarta-feira, julho 02, 2014

Quem leva a taça?

por Marcos Schmidt

Apesar do espírito festivo, a Copa do Mundo revela um planeta dividido, cada um defendendo com unhas e dentes - literalmente - a camisa de seu país. De onde vem este entusiasmo por seu território? Para Darwin vem da luta pela existência humana, a causa inclusive de toda a variedade de vida na Terra. Sinceramente, prefiro acreditar que tudo surgiu do Criador, conforme o relato bíblico. É mais fácil "apostar" neste Deus todo poderoso, que fez tudo o que existe pela força da sua palavra, que ama o ser humano e vai dar uma solução definitiva a este mundo problemático. Bem diferente do conceito evolucionista que os mais fortes vencem os mais fracos. Se é deste jeito, quem vai sobrar? Os inteligentes, os espertos, os poderosos, os prestigiosos, os sadios?

Ainda que o Deus da Bíblia ensine a humildade, o socorro aos mais fracos, a luta contra o mal através do bem, a outra face aos que batem - creio que Ele também gosta de futebol e de qualquer esporte competitivo que respeita a dignidade humana e as regras. O esporte é um perfeito ensaio para a vida neste mundo de cão, tanto que Paulo usa como exemplo para a persistência da fé cristã ao dizer que todo atleta aguenta exercícios duros porque quer receber um prêmio (1 Coríntios 9.25). Podemos lutar por nossa camiseta, time, ideias, partido político, religião etc, sem a necessidade de jogar sujo. "O servo do Senhor não deve andar brigando, mas deve tratar todos com educação" (2Timóteo 2.24), orienta o apóstolo Paulo àqueles que desejam anunciar o Evangelho. Drasticamente, todos temos a tendência de morder, e podemos fazer isto até em nome de Deus. Ao Jesus dizer que ele não veio trazer paz, mas a espada (Mateus 10.34), esta guerra é espiritual, onde, sem qualquer lógica, os mais fracos são os que vencem. Foi ele também quem disse no sermão do monte: Bem-aventurados os pobres, os que choram, os humildes, os que tem fome e sede. São estes que levam a taça.

Rev. Marcos Schmidt

Postar um comentário