Perseguidos


Os cristãos ocidentais precisam reaprender a serem perseguidos.

De tempos em tempos, surgem atitudes que, às vezes, podem parecer quase uma cruzada contra os que divergem do posicionamento cristão. Um exemplo é o caso recente das discussões sobre homossexualismo, opções e condições sexuais. O que alguns chamam até de homofobia – esta que é, em nossa sociedade, uma palavra esperando tradução.

Se os cristãos se mobilizam para devolver na mesma moeda, estão exatamente no oposto do que Cristo ensinou. Quando os cristãos tentam simplesmente ganhar ou não perder espaço político, estão esquecendo de se importar com a polis(cidade) e seus habitantes. Querendo partir para a batalha, não podem esquecer quais as armas que Paulo, na Bíblia, designou para ela.*

Mais. Não podemos nunca nos esquecer que é a Palavra de Deus que tem poder e eficácia, e não a força e argumentação humanas. Ou seja, não é pela articulação política, concurso de melhor defesa ou do tom mais alto de voz que vamos fazer o Evangelho prosperar. Na verdade, não faremos de jeito nenhum. Somente o Espírito pode fazê-la ir adiante. E ela sempre cumpre seu propósito, mesmo que não seja exatamente aquele que imaginamos.

Isto não quer dizer, evidentemente, que não devemos nos posicionar e ‘lutar’ no campo do diálogo, e, principalmente, do testemunho de nossa fé. Mas isto não quer dizer também que estejamos livres de perseguição, acinte, desdém, raiva, ódio ou até prisão – real ou intelectual. Neste ponto, irmãos mais ao Oriente daqui podem nos ajudar neste reaprendizado do que significa ser perseguido por causa do Evangelho.

Não compete aos cristãos mover uma cruzada contra aqueles que não concordam com o Evangelho, seja quem é educado e polido ou quem os chama de ignorantes. Nem mesmo contra o que parte pra agressão.  Ser notado por sua fé e ser perseguido por manifestá-la é motivo de alegria para qualquer um que assina como seguidor de Cristo. Aquele que aprendeu, desde cedo, que a Palavra esmaga o pecado, mas sempre chama ao arrependimento o pecador. Seja em que lado da discussão ele estiver.

Isso nos lembra que não precisamos apenas reaprender constantemente a sermos perseguidos, mas, especialmente, a manifestarmos gratidão pela fé.

Uma palavra com referente definido e que já tem sua tradução.

* Efésios 6.10-20


(texto a partir de uma ideia
do Prof. Gerson Linden)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida