Cuidado e atenção


Esta semana assisti a um belo vídeo na internet. Um filhote de cachorro aprendendo a descer a escada e, para isso, sendo ajudado por outro cão. Lindo mesmo, valeu a pena assistir.

O que não valeu tanto a pena foi constatar novamente comentários, e não poucos, agredindo o homem e engrandecendo os animais. Não apenas neste vídeo, mas em muitos outros, existe uma tendência que não é tão fraca assim em vídeos de cenas “fofas”: glorificar o animal e apedrejar o ser humano.

As manifestações de ódio, agressão e violência são indiscutíveis, estão aí (ainda que sempre ganhem mais manchetes porque vendem mais). Mas é impossível não constatar as milhares, milhões de cenas, gestos, ações do ser humano na direção do próximo. Instituições, redes, ONGs, igrejas, associações... existem milhões de pessoas no mundo todo, neste exato momento, planejando como ajudar seu próximo e entrando em ação.

E muitas delas às custas de luxo, conforto e até segurança pessoal, fazendo um trabalho que dinheiro nenhum no mundo consegue pagar. O que acontece é que nem sempre estas cenas são filmadas. Ou, quando são, não conseguem ganhar o mesmo destaque e, por conseqüência, a mesma audiência que o que há de ruim consegue receber. Audiência, por sinal, dada pelos próprios seres humanos, e não por gatos, cavalos ou cães.

Jesus Cristo se fez ser humano e agiu na direção do ser humano para que, com fé, ele olhe para Deus como Criador e para o próximo como criatura, obra de Sua mão, objeto do Seu amor. E, desta forma, invista em respeitar o outro ser humano bem como todas as obras da criação. Está ao alcance das mãos valorizar os animais, as plantas, a natureza. E é ainda mais clara a necessidade de tratarmos com respeito aquele que, por ser humano, é nosso igual. Não é questão de um ou outro, mas sim de outro e um serem alvos de cuidado e consideração.

Mesmo que o vídeo não vá para o Youtube e não ganhe milhões de ‘gostei”, agir desta forma sempre vale a pena. A atenção mais preciosa, o olhar do Pai, já está garantida.

E impulsiona a mais ação.




Rev. Lucas André Albrecht
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça