sábado, agosto 11, 2012

Eu lhes desejo muito pão


por Max Silva e Marcelo Muller


Não é novidade para ninguém que se aproxima o Dia dos Pais. É dia de desejarmos a eles muitas felicidades, muitos anos de vida e tantas outras coisas mais. No entanto, nós queremos desejar algo diferente, queremos desejar a todos os pais pão, muito pão.

Soa estranho desejar pão no Dia dos Pais, não? Já explicamos.

O pão é um dos alimentos mais antigos do qual se tem notícia, utilizado em diversas formas e com diferentes receitas no mundo inteiro. Ele é tão representativo que, ao pedir em favor de todas as nossas necessidades físicas na Oração do Pai Nosso, Jesus simplesmente disse “O pão nosso de cada dia nos dá hoje” (Mateus 6.11). Este pão é alimento para o corpo, que constantemente necessita alimentar-se mais e mais.

No entanto, ao desejar pão, falamos daquele Pão que alimenta a pior das fomes – a fome de Deus. Carregamos dentro de nós um vazio que anseia, dia e noite, por plenitude. Por vezes tentamos preencher este vazio com “alimentos” inventados por homens, mas assim apenas aumentamos a fome que nos devora por dentro. Somente alimentados daquele que deu sua vida por nós, compreendemos quem somos em nós e quem podemos ser em Deus. Em Jesus Deus sacia a fome de nossa alma, alimentado-nos com o pão da vida, da Vida Eterna.

E sabe o que há de curioso nisto tudo? É que este Pão nasceu numa padaria! Isso mesmo. Belém (em hebraico Beth lehem) significa “casa de pão” ou, poderíamos dizer, “padaria”.

Por isso, queridos papais, desejamos a todos vocês muito Pão, para que vocês sejam alimentados e para que, como testemunhas vivas do amor de Cristo, possam também alimentar vossos filhos.


Max Silva – Capelão da ULBRA em Santarém, PA (pastoral.stm@ulbra.br)
Marcelo Muller – Capelão da ULBRA em Guaíba, RS (marcelom@ulbra.br)



Postar um comentário