Ser positivo

Paulo relatava como havia sido sua consulta.
-O médico disse que meus olhos estão perfeitos. Meu pulmão funciona corretamente, meus rins estão trabalhando normalmente e meu coração, melhor impossível. Ah, e sobre minha pressão sanguínea e meu colesterol, nada a pontuar.
- Mas Paulo – perguntou o amigo - você não foi ao médico porque estava sentido dores nas costas?
- Exato.
- E ele só te falou sobre o que está bem? Não te disse nada o que está mal, e o que fazer para curar?
- Até quis falar, mas eu disse que não queria saber. Gosto só de coisas positivas.

Às vezes parece que a humanidade se encaixa neste exemplo. Não quer ouvir a verdade, aquilo que realmente precisa mudar. Não se pode falar em pecado, em culpa, falta de responsabilidade, depressão.... Morte. E qualquer outra coisa que mostre a verdade: temos a imperfeição dentro de nós.. “Vira essa boca pra lá”. “Não seja negativo”. “Fale coisas positivas”.

Vamos ao médico para ele dizer apenas tudo o que está bom? Ou queremos saber o que está errado, para corrigir? Quando alguém nega que algo em seu corpo está doente, sabemos como pode acabar...

Jesus Cristo aponta o erro, sim. Conhecido pelo nome de pecado. Mas ao contrário de muitos em nossos dias, que se contentam apenas descobrir o pecado para malhar o pecador, Ele acolhe. Perdoa. Reanima. O que vai se refletir em uma nova vida, onde tratamento e profilaxia andam juntos. Para não descuidarmos nunca desta saúde que é a mais importante – porque mantém a vida para sempre.

Aliás, isto é que é ser altamente positivo: apontar o erro e oferecer solução. Se achamos que ‘ser positivo” é somente apontar o que está bem, seguidamente vamos nos pegar tentando curar cardiopatia com água, repouso e mel.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida