O que procura

Brincar de esconde-esconde é uma antiga brincadeira que nunca perde a validade. É difícil achar uma criança que não goste.

No meu tempo, também brincávamos muito. Mas uma coisa era certa na época (e acredito que hoje não seja muito diferente): ninguém queria ser o que procura. Todo mundo gostava era de correr e se esconder, e não ficar contando até 10, 20,50... Ninguém queria a parte mais chata do brinquedo: procurar.

No caso de Deus, o oposto acontece. O que Ele mais gosta de ser é justamente o que procura. Nós é que, frequentemente, nos escondemos. De vergonha, por um erro. De medo, diante de uma dificuldade. De raiva, numa situação que nos angustia. De relacionamento que estão difíceis e não temos forças para lutar. Tentamos ficar escondidos. Mas Deus nos procura. Ele vai ao nosso encontro, nos trazendo à luz, de volta, em arrependimento e fé, para perto do Seu amor e para junto de Seu cuidado. Ele nos relembra, pela fé, que tudo podemos naquele que nos fortalece.

Neste caso, ao contrário do esconde-esconde, quando Deus nos acha, a brincadeira não acaba. É aí que a diversão, isto é, a vida com alegria e vontade de viver, está recém começando outra vez.


(Ilustração a partir de um texto
de Portals of Prayer)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração