Controle

Martina Navratilova foi uma das grandes campeãs da história do tênis. Entrou para a galeria do que se costuma chamar de “mitos” ou “lendas” do esporte.

Esta semana, a ex-tenista de 53 anos anunciou que entrou para uma outra galeria, onde infelizmente há muito mais mulheres: está com câncer no seio. A doença foi detectada cedo e o prognóstico é excelente. Mesmo assim, é o tipo de diagnóstico que desestrutura e gera insegurança. Chamou minha atenção a frase dela que reforça esta realidade: “Eu me sinto tão no controle de minha vida e meu corpo e, então, vem isso, que está completamente fora de minhas mãos”.

Navratilova reafirmou o que é verdade para toda a nossa vida: está bastante, mas bem bastante mesmo, fora de nossas mãos. Hà um certo controle, cuidado e planejamento que podemos e até devemos exercer. Mas o perigo começa quando nos sentimos no controle total.

Quando caimos na realidade de que não o temos, e enxergamos as mãos de Quem realmente sabe o que acontece, tudo muda. Mas neste caso, o diagnóstico não nos deixa inseguros, aflitos ou temerosos quanto ao futuro. Ao contrário, saber que não temos o controle nos leva à vida mais segura que existe. Tudo graças não a um mito da história ou uma lenda do esporte, mas a um homem verdadeiro que obteve uma vitória incomparável: Jesus Cristo. Alguém que jamais será ex. Todos os dias, permanece quem Ele é..

E então nos damos conta que não só a nossa vida, mas também a nossa morte, têm controle certo, perfeito.
E garantem um resultado final que ninguém vai tirar de nossas mãos.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida