Ele existe?

O que é mais fácil: provar que Deus existe ou que Ele não existe?

A segunda opção pode parecer mais difícil do que à primeira vista parece.

Uma coisa é dizer: “Eu acredito que Deus não existe”. É uma questão de escolha, de fé pessoal. O sujeito escolhe no que acreditar. Mas afirmar: “Deus não existe”, já é algo mais complexo de se provar.
“Porque não se vê” ? Não se sustenta. Há muitas coisas que existem sem serem vistas. “Porque não há evidências humanas e científicas” ? Aí precisamos da palavra ainda. Ainda não há, mas não se pode prever o futuro. “Porque eu não percebo nem sinto” ? Subjetivo demais. “Porque há maldade e dor no mundo” ? A natureza tem em si “maldade, dor e destruição” mesmo quando olhada do ponto de vista da Evolução, sem Deus.
Vale observar também que, há séculos atrás, a possibilidade de voar de avião, chegar à lua e conversar com o outro lado do mundo em tempo real receberia de muitos o mesmo titulo. “Impossível de existir”. E, ainda, do ponto de vista humano, seria totalmente absurdo daqui a 1000 existir uma máquina que detecte a presença de Deus?

Um raciocínio humano e científico coerente, portanto, jamais dirá “Deus não existe”. O máximo é “eu não acredito em sua existência” ou “ainda não se encontrou evidências de sua existência”.

É mais difícil demonstrar que Deus não existe do que manter a hipótese de Sua existência. Pois de que Ele existe, as provas são inúmeras.
As civilizações primitivas, todas religiosas. As religiões de hoje. As experiências e relatos pessoais (quem prova que não são verdade?). A natureza. A providência e proteção, a convicção. A pesquisa teológica. E, no caso dos cristãos, a Bíblia e a pessoa de Jesus Cristo. Para citar algumas.
Para onde se olha, as provas emergem de todos os lados.

Mas, claro, no fundo sabemos que tudo é uma questão de fé. Provar mesmo para os olhos do corpo ninguém prova nada, Em ambos os casos entra o olhar de fé, ou creio ou não creio que Deus existe. O que não se pode admitir é o rotulo de que acreditar em Sua existência é limitação, imaginação ou refúgio psicológico. Negar sua existência pode ser mais limitante do que se percebe.

O mais importante é a certeza de que Deus não apenas existe. Ele atua. Um Pai amoroso, presente, perdoador que, em Cristo, se faz presente em nossa existência. Não importam provas humanas. Ele já provou seu amor e cuidado que, pela fé, chegam ao nosso coração.

Aí é certo: não existe coisa melhor.
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração