Extremos

Em agosto de 2005, 14 pessoas em extremos opostos viverem um risco semelhante. Sete pessoas a bordo do ônibus espacial Discovery, em órbita, estavam a ameaçadas de não conseguirem descer à terra. Sete pessoas em um batiscafo russo a 117m de profundidade estavam ameaçadas de não conseguirem subir à terra. Em poucas horas, a altura e a profundidade poderiam determinar o fim de suas vidas.

Felizmente, o desfecho foi feliz. Todos os 14 tripulantes voltaram para suas famílias. Respiraram aliviados, pisaram em solo firme. Retornaram à vida.

Nas profundezas de uma decepção, depressão, ou nas alturas do egoísmo e da auto-suficiência, nossa vida está em perigo. Precisamos de ajuda. Em ambos os casos, o ar está rarefeito e precisamos urgentemente de respirar.

Este ar para o coração vem do sopro divino. O livro bíblico de Romanos* afirma que não há altura nem profundidade que nos separem do amor de Deus. Uma promessa certa e confiável em qualquer altura ou profundidade. Pois a ação para salvar nossas vidas já foi tomada. Jesus Cristo veio do lugar mais alto e foi até o fundo da humilhação humana para nos dar chão firme, vida na família de Deus. Vivendo esta fé, temos a segurança de jamais sermos afastados deste amor, cuidado e orientação.

Isso vale literalmente, como nos casos dos marinheiros e astronautas, que podiam ter certeza da presença de Deus pela fé, lá em cima ou lá embaixo. E vale também para nossa vida, em seus altos e baixos constantes. Temos estabilidade e, principalmente, direção para continuar a navegar.

Nas situações extremas da vida, portanto, só uma certeza é terra firme: nada nos separa do amor de Deus.


*Romanos 8.38-39
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração