terça-feira, abril 14, 2009

O nome

por Ken Klaus

 

 

No ano de 2007, os 15 nomes mais populares de bebês nos EUA foram: Jacob, Michael, Ethan, Joshua, Daniel, Christopher, Anthony, William, Matthew, Andrew, Alexander, David, Joseph, Noah, and James. Muitos deles inclusive são bíblicos.

 

De fato, olhando para trás, lembro de ter batizado alguns infantes com estes nomes. Por outro lado, não lembro de jamais ter batizado alguém com o nome de ‘Diocleciano’.

 

Isto é até meio surpreendente. Afinal, em certa época, Diocleciano foi o homem mais poderoso do mundo: Imperador Romano. E um dos mais ricos também. Na batalha pelos nomes, uma pessoa poderia pensar que ‘Diocleciano’ poderia ter prioridade. O próprio Diocleciano certamente pensava assim. Inimigo do Salvador, ele certa vez ergueu um monumento no qual inscreveu as seguintes palavras: “Por ter exterminado o nome dos Cristãos da face da Terra”. Era desta forma que ele queria ser lembrado.

 

Se este Imperador tivesse tido um vislumbre do mundo de hoje, ele provavelmente ficaria surpreso em descobrir que Jesus durou muito, muito mais que ele, seus exércitos e seu império.

Como poderia ser diferente? Pela sua Obra, o Filho de Deus deu perdão, vida e salvação, mudando a vida daqueles que crêem. Ele é o grande presente de Deus para a humanidade, que convida a todos para o seu reino. Não um reino de ódio e perseguição, mas de amor. O Seu nome, portanto, é aquele digno de ser lembrado, exaltado e louvado.

 

É por isso que, ao celebrarmos a Páscoa, lembramos deste Nome. E não um imperador início da era DC.

 

 

Rev. Ken Klaus

(com pequenas adaptações)

The Lutheran Hour

Texto original

Postar um comentário