Conseguir ser

Conseguir ser

E aí, conseguiu arrumar um namorado, ou namorada, até ontem, pra poder dar um presente?
Pergunta meio estranha, não?

Não, até que não.
Pelo menos pelo que se vê de insistência sobre o Dia dos Namorados. E não estou falando só da “mídia”, como às vezes nos referimos, para falar mal da propaganda e dos programas que martelam o tempo inteiro o tema, mas também de nós mesmos. Afinal, programas e propagandas só ficam no ar enquanto há pessoas que os consumem. Também nós somos responsáveis por esta ser uma das datas mais rentáveis do ano. Parece imperativo ‘dar um presente para alguém que se ama’. Para isso, em alguns momentos, infelizmente a sociedade ‘coisifica’ o ser humano, e o trata como algo que pode ser ‘conseguido’. Ou então pode ser descartado.
Mas, principalmente, presenteado.

Quando a angústia de ‘não ter ninguém’ cresce demais em nosso coração, é importante termos um relacionamento seguro, que nos ajude acalmar nossa inquietação. O melhor, sem dúvida, é aquele que nos liga ao Pai, que constrói uma relação sólida, duradoura e com sentimentos que permanecem. Ele se apaixonou pela humanidade e dá provas disto. Nos promete amor eterno, e cumpre. Promete fidelidade, e não falha. Ele promete demonstrações de carinho e cuidado constantes, e é só observamos a vida para percebermos. Deus nos dá muitos presentes, que não custam nada.
Mas porque antes de tudo, Ele está presente. Sempre.

Ter alguém é muito bom. Namorar e dar presentes, igualmente.
Valorizar o ser namorado(a), muito mais.
Tomara que todos eles, de todas as idades, neste seu dia, antes de comprar e dar, consigam ser um presente na vida do outro.
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça