Silêncio

Você certamente já se deu conta, o silêncio também é uma ferramenta eloqüente para transmitir recados. Lembra quando você estava aprontando alguma coisa e de repente notava o olhar de sua mãe diretamente em sua direção?

Sem uma palavra, a mensagem estava entendida.O silêncio comunica. Na conversa que é iniciada para falar mal de outro. Diante da agressão gratuita e do comentário ignorante. Quando alguém precisa que você exercite os ouvidos, e não os lábios. Quando a pessoa já notou que pisou na bola. Para demonstrar respeito.
Diante da perda.
Até a música, que associamos normalmente só ao som puro, tem como uma de suas partes fundamentais a pausa - silêncio.

"Mas tem horas que é preciso falar algo!", a gente pensa. Tá certo, não falar nada, em certas situações, pode parecer estranho. Mas falar pode deixar tudo pior. Eu me recordo de vários momentos em que utilizei palavras como quem usa açúcar pra adoçar o mel - totalmente desnecessárias. E uma frase resume meu sentimento de culpa: "Ao dizer alguma coisa, cuide para que suas palavras não sejam piores que seu silêncio".

E descansar a língua se torna especialmente útil diante do que desconhecemos. Como diz aquela frase "às vezes é melhor ficar quieto e pensarem que você não entende do assunto, do que abrir a boca e não deixar dúvida nenhuma".

Em dois momentos cruciais de sua vida, Jesus Cristo mais calou que falou. Primeiro, diante do governador, onde a ausência de palavras mostrou àquele governante na presença de quem ele estava. Depois, durante as seis horas na cruz, disse apenas sete frases. O resto foi silêncio. O mais duro, e também mais importante, que já existiu.

Se você não é comunicador de rádio, não menospreze o poder do silêncio. Falar comunica. Calar impacta.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida