Depois

Hoje no almoço tinha bolinho, e muito bom. O molho da carne de frango também estava excelente. Minha vontade, após terminar de comer, foi de repetir. Ao menos estes dois. Só que eu estou tentando perder uns quilos extras. Fazendo academia e tal. Tentando fechar mais a boca à noite e tudo o mais que você já sabe. (menos ligar agora para a super-promoção do emagrecedor tal).

Neste momento, se estabelece o dilema: agora ou depois?
Curto o prazer do agora ou miro no depois, e passo a vez?
Curto o hoje, ou penso também no amanhã?
Viver o presente porque ninguém conhece o futuro, ou penso no futuro porque um dia ele pode chegar?

Sobre bolinhos e molhos a decisão não é tão difícil como sobre sonhos e amores, desejos e necessidades, planos e prazeres. Porque o hoje é tão impositivo que consegue bloquear a visão do amanhã. Sabe quando colocamos a mão na frente do rosto e tapamos o sol? Pois a mesma ilusão de ótica pode ser causada pela mão do agora atrapalhando o que poderia ser bem melhor depois.

Não que eu ache que o hoje não tem valor. Ao contrário, é o único tempo em que posso mesmo viver. Agora. Depois, ainda não chegou. Antes, já passou. Mas, se sair dos caminho certo agora pode gerar resultados desagradáveis depois, é melhor se contentar em servir-se uma só vez.

Pensar no depois e preparar-se para ele não é falta de confiança de Deus, "deixe nas mãos Dele que Ele sabe". Ao contrário, é certeza de que, como diz o livro de Provérbios, “o coração do homem faz os seus planos, mas é Deus quem lhe dirige os passos".

E deixa eu terminar o texto e ir pra academia.
Pra não me arrepender depois.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça