Virginia Tech

Fonte da imagem


Está na capa do mundo inteiro a tragédia da Universidade Virginia Tech, nos EUA. A CNN qualificou a chacina como "banho de sangue", e neste momento, enquanto o post é escrito, de "carnificina na sala de aula". O atirador, ainda não identificado, matou pelo menos 33 pessoas e depois cometeu suicídio (que o UOL, por engano, noticia com a redundância "suicida-se").


Li no Querido Leitor há pouco que já se especula sobre o crime ter sido "por amor". O cidadão vestido de escoteiro estava decepcionado com a namorada e a matou num dos prédios do alojamento, junto com alguém que por azar interveio. Depois, foi para outro edifício e seguiu com a matança. E concordo também com a Rosana, quando escreve que de amor isso não tem nada.

De fato, não tem. O único derramamento de sangue que foi por amor de fato, não foi o de uma chacina, foi o de uma crucificação, há 2000 anos. Os seres humanos não têm essa capacidade. Quando derramam sangue, é por ódio, loucura, ganância ou vazio de sentido. Nunca por amor.

Neste momento, só podemos pedir a Deus que o sangue derramado naquela cruz lave da memória assim que possível o sangue derramado em Blacksburg, Virginia, confortando famílias que, neste momento, precisam de muito dele, o Amor Verdadeiro.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Inveja e justiça