Modo de vida

‘Viver um dia de cada vez’. ‘A vida é bela’. ‘O importante é estar vivo’. Muitos são os chavões que ilustram como a vida é, sem dúvida, um grande presente de Deus.

Estou vivo, e isto é importante. E como vivo, também?

Talvez seja. Pois há muitos modos de se viver uma mesma vida. Posso viver somente para comer e beber. Posso viver apenas para ganhar dinheiro. Viver em função do sexo, estar vivo apenas para testar a morte, entregar a vida para ser comandada por outra vida. Viver em função do que constroi, ou a serviço do que derruba. Viver plantando o bem ou apenas espalhando o mal. Viver observando a vida. Ou sendo observado por ela.

O modo como vivo é importante também?

Para a Bíblia, parece que sim. “Prestem atenção na sua maneira de viver. Não vivam como ignorantes, mas como sábios”. Juntando com outro texto sagrado, “respeitar a Deus é o princípio da sabedoria”, já temos a indicativa de onde começar a construir, sem medo de cair. E quando seguimos fundamentados por quem é o Autor da Vida, ser sábio não é uma mera questão de cultura ou conhecimento, mas essencialmente, de coração.

Poder comer e beber é bom, ganhar dinheiro também. Ter vida matrimonial, amar alguém, comprar e vender. Viajar e voltar, ganhar e perder, poder observar. Todos são ingredientes que podem compor a mistura de nossa massa pessoal, mas que, para ficar do melhor jeito, precisa do fermento da fé. De outra forma, enquanto podemos até ter vida de algum modo, nosso modo de vida fica aquém do que pode ser.

Principalmente levando em conta que estar vivo é uma realidade eterna. Porque aquele outro chavão, “a única coisa que não tem solução é a morte’, é enferrujado. Jesus Cristo já nos garantiu que a vida não acaba. Quando ela encerra aqui, começamos a viver na eternidade. E nesta hora, o como viver conta muito. Conta tudo.

Este é o modo de viver em que felicidade tem um sentido único: começa com fé e termina sem ter idade.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida