O Rei do pop e o Rei dos reis

Morre Michael Jackson aos 50 anos, em Los Angeles, Califórnia.

Considerado o Rei do Pop, para muitos era quase um deus. Como destaca este trecho da matéria de Super Interessante:
'“Ídolos pop atingem um estágio em que acreditam ser invulneráveis. Isso acontece porque recebem níveis de veneração e aclamação próprios do status divino”, diz o sociólogo britânico Chris Rojek, autor do livro Celebrity (“Celebridade”, inédito em português).'

Aliás, a matéria toda é bem interessante.
Michael Jackson: peão do pop. (de uma indicação da @carolinerm via Twitter).


O antigo sonho humano nunca tem fim: celebridade, imortalidade, ser uma espécie de deus. O sonho que ilude. E também derruba.
O tempo mostra que o reis e mendigos, 'idolos' e fãs, todos acabam lado a lado, no mesmo espaço de chão.

Felizmente a antiga paciência Divina também continua a mesma, para nos conter em nossos delírios divinos e nos chamar, como humanos que somos, para perto do Rei dos Reis; de Michael Jackson a João da Silva.

Don't stop 'til you get enough.

(não pare até ter o suficiente).
4 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração