O que dá sustentação

Não deixa de ser triste de constatar. As propagandas que se esforçam por mostrar as coisas boas/alegres da vida quase sempre omitem exatamente o que torna todas aquelas cenas de felicidade possíveis.

Porque todos nós sabemos o que está por trás do descanso na rede, o happy hour no fim da tarde, a viagem dos sonhos ou o fazer nada com amigos no fim de semana.

Trabalho/emprego. Muito trabalho. Trabalhos longos e cansativos. Ter e viver princípios. Paciência e compreensão com familiares/amigos/colegas de trabalho. Amar como verbo de ação, e não apenas como sentimento. Fazer algo pelo outro. Resiliência. Perdoar e ser perdoado. Ajudar e ser ajudado. Superação.
E a lista pode ser maior. Em suma, persistir frente à dureza do cotidiano necessário, onde a maior parte de nossas horas se encontra.

Enquanto estes não forem reconhecidos e valorizados como o que nos permite ser felizes, existe chance de aqueles serem meras fugas ou ilhas de alegria num mar de ansiedade e frustração.

Para os cristãos, a base e a fonte de tudo passa por uma conexão. Fé em Jesus Cristo. O filho de Deus que deu a sua vida para que a nossa pudesse ter não apenas coisas boas e alegres, mas a alegria essencial. Sermos tirados do caminho errado para andarmos pela fé, junto a quem nunca nos abandona. No fim de semana ou no calor dos dias úteis.  Na praia ou na madrugada sem sono. No happy hour ou no hard day

Este é o fundamento. Esta é a sustentação. Esta é a Vida.

É o que dá sentido, objetivo e segurança a tudo o mais.



P. Lucas André Albrecht
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração