154 horas


A declaração do cunhado de Prince, cantor morto este ano, é chocante. O astro da música pop, na semana em que foi encontrado morto no elevador de acesso a seu estúdio, teria trabalhado por 154 horas seguidas. Prince estaria em meio a esta maratona de trabalho que, associada a outras questões, pode ter sido uma das causas de sua morte.
Cento e cinquenta e quarto horas são mais de seis dias seguidos. O tempo que Deus levou para criar o mundo e, no sétimo, descansou, segundo a Bíblia.
Mas nem Prince, nem você e eu, somos deus. Não existe a mínima possibilidade de queremos nos acabar trabalhando ou estudando sem descanso, e isto não ter consequências em nossas vidas.
Trabalhar é muito bom. Mas, como tudo que é feito em excesso, pode matar.
Não somos deus. Mas temos conosco aquele que é. Ele nos convida à pausa no agito, quer também nos ver parar. Seu Filho ficou  seis horas numa cruz para que, com fé, nosso corpo e nossa alma possam Nele descansar.
Ele nos estimula ao descanso frequente como meio de podermos continuar a trabalhar.




 P. Lucas André Albrecht
2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração