segunda-feira, abril 18, 2016

Fobia

Virou moda, agora, chamar qualquer coisa de fobia. Toda opinião contrária a um tema rapidamente recebe este radical grego da maneira mais inadequada possível. Se sua opinião não concorda com a do outro, não vai importar se você apresentar argumentos consistentes ou não. Você é um ‘fóbico”.

Já é hora de parar com isso.

O primeiro motivo é porque grande parte das pessoas que utilizado o termo, não conhece seu significado. Melhor não usar, portanto.

O segundo, e principal (decorrência do primeiro): isto é um desrespeito, e até ofensa, para com as pessoas que possuem um real medo irracional. Elas sofrem por isso.  Você já viu alguém manifestando uma fobia real? Medo de altura, medo de aranha, de lugar fechado?... Eu já. E acredite, não tem nada de interessante nisso. Não tem nada a ver com opinião ou preconceito, ou com simples discordância. Quem é fóbico sofre, não  tem prazer nisso e não alimenta sua fobia. Nada tem a ver com as fobias que são inventadas a cada dia, algumas delas, somente para tentar blindar pessoas e grupos dos questionamentos e até das criticas.

Em geral, rotular tudo e todos de “algumacoisafóbicos” tem muito é deOpiniaodiferentefobia. E disso, certamente, não precisamos.

Precisamos, sim, de compreensão e cuidado para com as pessoas que sofrem, de fato, com uma fobia que acabam por carregar. Coisas que o amor de Jesus Cristo não cansa de nos proporcionar.

Com as que pensam diferente, menos 'fobia' e agressão e mais tolerância e respeito na hora em não conseguirmos concordar.


 P. Lucas André Albrecht
Postar um comentário