quarta-feira, outubro 07, 2015

Proporção


Diante de escândalos, muitas vezes a defesa do indefensável volta com força. Ouve-se, por exemplo:
"Tudo bem, fulanos roubaram milhões/bilhões/cometeram crimes graves/subornaram/mataram, etc... Mas se você(não devolve troco/desperdiça água/ não pede recibo/pega um real/avança em sinal vermelho/tira o pirulito de uma criança/esconde a dentadura da sua tia/) você é igual a eles. Você não tem moral."
Mas não pode ser assim. Precisamos, constantemente, de recuperar e manter nosso senso de proporção. Se não, começaremos a ouvir coisas como esta:
-Eu maltratei violentamente um cachorro, mas você matou formigas. Você não tem moral.
-Eu roubei um banco. Você não pediu recibo para o médico. Você não tem moral
-Eu cometi o crime de injúria de etnia. mas você é contra as cotas. Você não tem moral
-Eu usei e comercializei drogas. Mas você fumou um cigarro/ Tomou uma cerveja/deu esmola na sinaleira para um cara que bem que pode ser um drogado. Você não tem moral.
-Eu abortei, mas você deu uma palmada no seu filho. Você não tem moral.
-Eu fui eleito para um cargo publico no qual cometi crimes que lesam milhões. Você pisou na bola com um amigo. Você não tem moral.

Ter moral em termos civis, é algo mais complicado do que fazer comparações desiguais. Claro que sabemos que erro é erro, não importa como e por quem seja. Mas, quando se fala em termos de sociedade, precisamos manter nosso senso de proporção; Antes que a desinformação, histeria e julgamento se tornem desproporcionais.
Postar um comentário