sexta-feira, junho 19, 2015

Aelbra e ULBRA em apoio à liberdade religiosa no Brasil

Gestores reúnem-se com líderes religiosos e com o governo federal
  
Tendo como mote o apoio à votação do texto do Projeto de Lei 1219/2015, que cria o Estatuto Jurídico da Liberdade Religiosa no Brasil, o reitor da ULBRA, Marcos Fernando Ziemer, o presidente da Aelbra, Paulo Augusto Seifert, e o capelão geral, pastor Lucas André Albrecht, estiveram presentes em várias audiências, ao longo desta quarta-feira, 17.6, em Brasília. Essas atividades foram realizadas junto à coordenação da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE), líderes religiosos, representantes de diversas religiões, agências missionárias e organizações educacionais confessionais com os líderes da Câmara dos Deputados Federais e do Senado Federal, além do vice-presidente da República, Michel Temer.


O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, ao receber a comitiva, de imediato, determinou a criação de uma comissão especial para que o trâmite do Projeto de Lei seja feito de uma forma mais célere. O vice-presidente elogiou a iniciativa dos líderes que declararam apoio ao projeto e reforçou seu compromisso em trabalhar pela garantia do direito à liberdade de culto e ao combate de qualquer forma de ‪‎intolerância, ‎discriminação ou desigualdade motivadas em função de credo aos brasileiros e estrangeiros residentes no país, como defende o estatuto. Em apoio ao PL, o senador Renan Calheiros afirmou que será feito um acompanhamento à tramitação dessa proposta na Câmara e, tão logo chegue ao Senado, será discutido um calendário especial para a rápida análise.

Para Ziemer, a questão da liberdade religiosa deve ser apoiada por já estar prevista na Constituição Federal, que é a Lei máxima que rege o Brasil. "Nosso País é laico. Cada cidadão tem a liberdade de escolher uma religião e professar sua fé. Isso está previsto em nossa Constituição. O Estatuto proposto assegura esse princípio de forma clara e precisa”, destaca. A Mantenedora e a ULBRA estabeleceram como um dos pontos de seu Planejamento Estratégico o reforço da sua identidade luterana nas suas ações.

“O Direito de Liberdade Religiosa é o principal direito humano fundamental e nós precisamos deixar isso bem claro na legislação federal. Neste sentido, agradeço o esforço da ANAJURE e de todos os líderes religiosos que nos acompanharam nesta missão histórica. Continuaremos a combater o bom combate aqui no Congresso”, pontuou Leonardo Quintão, deputado federal e autor do Estatuto Jurídico de Liberdade Religiosa.

O objetivo dos encontros foi pedir que a votação do texto na Câmara e no Senado possa ocorrer com celeridade. Nas visitas, também foi entregue uma Moção de apoio ao PL.

Leia aqui o PL 1219/2015.


Leia aqui a Moção.
Postar um comentário