sexta-feira, fevereiro 06, 2015

Rugas do sorriso

por Marcos Schmidt


Para não envelhecer, uma britânica de 50 anos não sorri há 40 anos. Ela educou os músculos a fim de conter as expressões faciais e evitar as marcas do tempo: "Todo mundo pergunta se tenho botox, mas eu não tenho, graças ao fato de não sorrir desde minha adolescência". Mas, essa vaidade provoca efeitos contrários. É que os músculos em movimento aumentam a quantidade de sangue onde atuam e ajudam a calcificar os ossos. Através do sorriso, pele, músculos e ossos ficam saudáveis e mantem a aparência mais jovem.  O sorriso também ativa a produção da serotonina e das endorfinas, substâncias que estimulam a sensação de bem-estar, melhoram o humor e previnem contra a depressão. Pobre dessa britânica, busca a juventude mas colhe a velhice precoce.

Engraçado, mas nosso jeito de vida é bem isto. Lutamos pela felicidade, mas estamos sempre infelizes. Inventamos máquinas para ter mais tempo, mas sempre correndo contra o relógio. Aprimoramos a tecnologia para uma vida melhor, mas sempre estressados. Trabalhamos que nem loucos para ter mais dinheiro, mas cada vez mais endividados. Construímos casas sofisticadas, mas sem tempo para morar nelas. Descobrimos tratamentos de cura, mas outras doenças aparecem. Aperfeiçoamos os meios de comunicação, mas nossos relacionamentos se complicam sem parar. Diminuímos distâncias com veículos modernos, mas nos distanciamos uns dos outros por ódios e ressentimentos. Grande ironia, tudo o que fazemos produz efeito contrário do que pretendemos.

Salomão descobriu que "quanto mais sábia é uma pessoa, mais aborrecimentos ela tem" (Eclesiastes 1.18). Então aconselha: "Seja feliz enquanto é moço" (11.9). Querer lutar contra as rugas da alegria num mundo onde sempre vamos sofrer é "correr atrás do vento" (2.11). Ao falar das contrariedades na vida cristã, o apóstolo confessou: "Nos alegramos nos sofrimentos, pois sabemos que os sofrimentos produzem a paciência, a paciência traz a aprovação de Deus, e essa aprovação cria a esperança" (Romanos 5.3,4). Sem rugas, a vida perde a graça.


Rev. Marcos Schmidt
Novo Hamburgo, RS
Postar um comentário