Martelinho de ouro

Por Marcos Schmidt

Nesta terça-feira, eu e minha esposa participamos de uma manifestação na BR 116 em Canoas. Buzinamos, reivindicamos, reclamamos. Protestamos contra o bloqueio de não poder ir nem vir por cinco horas, reféns no próprio automóvel. Clamamos contra a insanidade dos marginais que pularam no capô de nossa prisão ambulante, ameaçando-nos e  traumatizando-nos. Voltamos para casa atordoados com medo do futuro. Quanto ao meu veículo, um bom martelinho de ouro resolve.

Mas, e o Brasil? Creio que a solução pode ser a mesma. O martelinho de ouro é uma técnica artesanal usada por gente gabaritada para desamassar carros, sem precisar de serviços de pintura. Com ferramentas especiais e com suaves batidas e pressão, a lata volta ao seu estado original. É o que o nosso país precisa, de uma boa oficina com gente inteligente, íntegra, ajuizada, com boas intenções, que saiba "bater" no lugar certo os instrumentos da justiça com firmeza e suavidade, para que volte o brilho do futuro e que espelhe a grandeza da nação.

O grande perigo nestas horas é acelerar o carro danificado e passar por cima da multidão, revidar com mais insensatez, reagir no ânimo das paixões - igual à turba que depreda e saqueia. Aos cristãos, a Bíblia recomenda: "O servo do Senhor não deve andar brigando, mas deve tratar todos com educação. Deve ser um mestre bom e paciente" (2 Timóteo 2.24).

Outro risco nestas horas é maquiar a lata com massa de pintura, isto é, manter a ordem pela mão da ditadura - como acontece no âmbito espiritual, e que Paulo adverte: "Cristo nos libertou para que nós sejamos realmente livres. Por isso, continuem firmes como pessoas livres e não se tornem escravos novamente" (Gálatas 5.1). Mesmo porque, se o acesso a Deus é sem bloqueio através de Cristo, nos caminhos da política o melhor trajeto ainda é a democracia. Por isto o pedido: "Orem pelos (...) que têm autoridade, para que possamos viver uma vida calma e pacífica" (1 Timóteo 2.2)  


Rev. Marcos Schmidt
Comunidade Luterana São Paulo
Novo Hamburgo, RS

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só os loucos sabem

Tempo de uma vida

Com consideração